Rosetta

rosettaspacecraftesaart.jpg
A Rosetta é uma sonda européia que vai a caminho do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko. Espera encontrá-lo daqui a 7 anos, em 2014.

De modo a acelerar, a sonda vai usar várias vezes uma técnica chamada de assistência gravitacional – passa perto de um centro de massa, normalmente um planeta ou estrela, de modo a receber um impulso na velocidade.

“Programa das festas” deste encontro entre o nosso planeta e a sonda:
rosetta_timeline.jpg
Já tinha feito isto a 4 de Março de 2005, quando passou pela Terra, e a 25 de Fevereiro de 2007, quando passou por Marte. A 13 de Novembro de 2007, vai usar a mesma técnica ao passar pela Terra. E há-de tornar a fazê-lo a 13 de Novembro de 2009.

A sonda Rosetta, da Agência Espacial Européia, que partiu em 2004 e tem como objetivo o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko perto de Júpiter em 2014, em Setembro de 2008 passou perto do asteróide Steins. A sonda passou a 800 quilômetros de distância do asteróide que tem 5 quilômetros de comprimento e se encontra na Cintura de Asteróides.

Esta aproximação foi um bônus, porque o grande objetivo da missão será pousar uma pequena sonda (que a Rosetta leva) na superfície do 67P/Churyumov-Gerasimenko, em 2014.
Leiam mais sobre isto aqui, aqui, aqui, ESA. Vejam uma infografia. E a animação real da passagem pelo Steins.

Rosetta: a sonda da ESA passará pela Terra antes de seguir para os confins do Sistema Solar na perseguição do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko.

A sonda Rosetta da ESA foi lançada em 02 de Março de 2004 para a missão de 11 anos de investigação do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. A sonda carrega 11 instrumentos para analisar o núcleo cometário e mapear sua superfície em detalhes. Além disso uma subsonda pousará (Philae Lander) no cometa para analisá-lo in situ. Esta missão arrojada irá fornecer pistas das características físicas e quÃímicas dos processos que levaram a formação do sistema Solar há 4,6 bilhões de anos. Créditos: ESA, imagem por AOES Medialab

A sonda Rosetta da ESA foi lançada em 02 de Março de 2004 para a missão de 11 anos de investigação do cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko. A sonda carrega 11 instrumentos para analisar o núcleo cometário e mapear sua superfície em detalhes. Além disso, uma subsonda pousará (Philae Lander) no cometa para analisá-lo in situ. Esta missão arrojada irá fornecer pistas das características físicas e químicas dos processos que levaram a formação do sistema Solar há 4,6 bilhões de anos. Créditos: ESA, imagem por AOES Medialab

A sonda perseguidora de cometas Rosetta da ESA fará uma passagem final pela Terra no dia 13 de Novembro de 2009. Neste flyby a Rosetta irá obter a energia orbital necessária e dar início à parte final da sua viagem de 10 anos com destino ao Sistema Solar exterior. Além disso, estão planeadas várias observações do sistema Terra-Lua antes da sonda viajar na direcção do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko.

Esta será a terceira vez que a sonda sobrevoará (flyby) a Terra, a última de uma série de quatro manobras planetárias de assistência gravitacional da Rosetta. A máxima aproximação da Terra está prevista para as 08:45 h CET (Central European Time). Antes do seu destino final em 2014, está previsto que a sonda se aproximará do asteróide 21 Lutetia em julho de 2010.

September 5, 2003: Results from NASA's Hubble Space Telescope played a major role in preparing ESA's ambitious Rosetta mission for its new target, comet 67P/Churyumov-Gerasimenko (67P/C-G). For the first time in history, Rosetta will land a probe on a comet and study its origin. Hubble precisely measured the size, shape, and rotational period of comet 67P/C-G. The Hubble observations revealed comet 67P/C-G to be a football-shaped object of approximately three miles by two miles in size---large enough to provide a landing site for the Rosetta mission probe.

Visão em 3D do núcleo do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko estudado pelo Hubble em 2003. Os cálculos feitos pelo time do Hubble revelaram que o cometa 67P/C-G tem o formato de uma bola de futebol americano com 3,2 km por 4,8 km de tamanho, ou seja, grande o suficiente para suportar o pouso da sub-sonda Philae.

A sonda consiste em duas estruturas. A parte principal, denominada Rosetta, e o módulo de aterrissagem, o Philae. A sonda recebeu este nome em honra a Pedra da Rosetta, uma pedra gravada que auxiliou o entendimento dos hieróglifos egípcios. O módulo de aterrissagem recebeu o nome da ilha de Philae no rio Nilo que contém um famoso obelisco que também contribuiu para decifrar os hieróglifos.

Rosetta chegará ao destino final em Maio de 2014. Ao chegar próxima do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko, a sonda libertará o módulo Philae que pousará no cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko para realizar estudos in situ na sua superfície. A seguir, a sonda Rosetta acompanhará o cometa em sua viagem até ao Sol, estudando-o lado a lado durante um período de até dois anos. O cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko apresenta as seguintes características:

  • Descoberto por: Klim Ivanovich Churyumov e Svetlana Ivanovna Gerasimenko
  • Data da descoberta: 20 de setembro de 1969
  • Período Orbital: 6,568 anos
  • Periélio: 1,2923 UA
  • Afélio: 5,722 UA
  • Excentricidade: 0,6315
  • Inclinação: 7,1205°
  • Último periélio: 28 de fevereiro de 2009
  • Próximo periélio: 13 de agosto de 2015
Visão da sonda Rosetta com destaque aos seus painéis solares. A Rosetta está coberta por isolante térmico enegrecido para manter seu aquecimento interno enquanto realizada sua jornada no ambiente gélido do Sistema Solar exterior. Créditos: ESA, imagem por AOES Medialab

Visão da sonda Rosetta com destaque aos seus painéis solares. A Rosetta está coberta por isolante térmico enegrecido para manter seu aquecimento interno enquanto realizada sua jornada no ambiente gélido do Sistema Solar exterior. Créditos: ESA, imagem por AOES Medialab

Quando sobrevoar Terra no próximo mês, a Rosetta já terá viajado cerca de 4,5 bilhões de km desde o lançamento. A sonda sobrevoará a Terra à velocidade de 13,3 km/s, passando sobre o Oceano Índico a 109° E, 8° S, ao sul da ilha de Java na Indonésia. A manobra planetária de assistência gravitacional aumentará a velocidade da sonda em mais 3,6 km/s em relação ao Sol. Vejamos a agenda da sonda Rosetta:

  • Terra – primeiro flyby (04 de Março de 2005)
  • Marte – flyby (25 de fevereiro de 2007)
  • Terra – segundo flyby (13 de novembro de 2007 )
  • Flyby pelo asteróide 2867 Êteins (05 de setembro de 2008)
  • Terra – terceiro flyby (13 de novembro de 2009)
  • Flyby pelo asteróide 21 Lutetia (10 de julho de 2010)
  • Hibernação no espaço profundo (Maio 2011 a Janeiro 2014)
  • Aproximação do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko (Janeiro a Maio de 2014)
  • Análise do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko (Agosto de 2014)
  • Pouso da sub-sonda Philae no cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko (Novembro de 2014)
  • Acompanhamento do cometa em volta do Sol (Novembro de 2014 a Dezembro de 2015)

Neste link a seguir temos a animação da trajetória da Rosetta.

Equipamentos voltam a entrar em acção

A passagem pela Terra é crucial para alcançar a velocidade necessária para chegar ao destino. Aproveitando este “encontro”, a Rosetta estudará o sistema Terra-Lua nos próximos dias. Assim, vários instrumentos que estavam hibernando durante a longa viagem serão ativados na semana anterior à passagem da sonda pelo sistema Terra-Lua, para realizar o estudo. Depois disto os instrumentos serão desligados.

A sonda Rosetta carrega 11 instrumentos científicos:

  • ALICE – Ultraviolet Imaging Spectrometer
  • CONSERT – Comet Nucleus Sounding
  • COSIMA – Cometary Secondary Ion Mass Analyser
  • GIADA – Grain Impact Analyser and Dust Accumulator
  • MIDAS – Micro-Imaging Analysis System
  • MIRO – Microwave Instrument for the Rosetta Orbiter
  • OSIRIS – Rosetta Orbiter Imaging System
  • ROSINA – Rosetta Orbiter Spectrometer for Ion and Neutral Analysis
  • RPC – Rosetta Plasma Consortium
  • RSI – Radio Science Investigation
  • VIRTIS – Visible and Infrared Mapping Spectrometer

O módulo Philae que pousará na superfície do cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko carrega os seguintes equipamentos:

  • APXS – Alpha Proton X-ray Spectrometer
  • ÇIVA / ROLIS – Rosetta Lander Imaging System
  • CONSERT – Comet Nucleus Sounding
  • COSAC – Cometary Sampling and Composition experiment
  • MODULUS PTOLEMY – Evolved Gas Analyser
  • MUPUS – Multi-Purpose Sensor for Surface and Subsurface Science
  • ROMAP – RoLand Magnetometer and Plasma Monitor
  • SD2 – Sample and Distribution Device
  • SESAME – Surface Electrical and Acoustic Monitoring Experiment, Dust Impact Monitor
Este mapa mostra a trajetória e posição da sonda Rosetta quando estiver em sua máxima aproximação da Terra. Crédito: ESA

Este mapa mostra a trajetória e posição da sonda Rosetta quando estiver em sua máxima aproximação da Terra. Crédito: ESA

Acompanhe ao vivo a passagem da Rosetta

O blog dedicado à Rosetta será atualizado regularmente. Acompanhe os eventos mais importantes pelo blog dedicado à Rosetta da ESA e também no website da missão da Rosetta da ESA.

A sonda será visível apenas em partes da Europa, América do Sul e África, como o mapa nos mostra.

Para Portugal, a melhor altura para observação será entre as primeiras horas de dia 13 e as que antecedem o nascer do dia. Infelizmente, será antes da sua maior aproximação e estará baixa a Sudoeste (dando a impressão de viajar lentamente em direcção oposta so sentido da rotação da Terra), com uma magnitude que poderá variar entre os 12,5 e os 10,3 (altura em que se põe, por volta das 05:27). Com um telescópio amador de grande abertura (12 polegadas) você conseguirá observar a sonda.

Manobras críticas do flyby

A aproximação máxima está prevista para as 08:45 h CET (Central European Time) do dia 13 de novembro de 2009. Estão previstas várias acções críticas a serem realizadas pelos operadores da missão antes e depois da passagem da sonda, visando garantir que a Rosetta se posicionará na trajetória correta rumo ao cometa 67/P Churyumov-Gerasimenko.

Uma das acções mais importantes será a manobra de correcção da trajetória (TCM – trajectory correction maneuver), programada para o dia 22 de Outubro às 13:30 h CET (Central European Time). Os resultados desta manobra serão analisados para determinar se serão necessárias outras TCMs para atingir a trajetória correta.

Durante a passagem rasante pela Terra em Novembro de 2007, a Rosetta tirou esta espectacular imagem da Terra. Crédito: ESA

Durante a passagem rasante pela Terra em Novembro de 2007, a Rosetta tirou esta espectacular imagem da Terra. Crédito: ESA

Rosetta confundida com um asteróide perigoso?

As manobras de flyby de sondas pela Terra podem gerar algumas confusões. Em novembro de 2007 um incidente curioso ocorreu: a espaçonave Rosetta foi confundida com um NEO (um asteróide potencialmente perigoso com órbita próxima da Terra) e foi designada como o objeto 2007 VN84. Um astrónomo fez a “falsa descoberta” do “NEO”, estimou que se tratava de um asteróide de 20 metros de diâmetro e calculou que este objeto faria uma trajetória que passaria próximo da Terra, 5.700 km de distância em 13 de novembro de 2007. Esta passagem muito próxima levou a especulação que o objeto 2007 VN84 teria um risco preocupante de se chocar com a Terra. Entretanto, o astrónomo Denis Denisenko reconheceu que a órbita do “falso NEO” era a mesma da sonda Rosetta que faria um flyby pela Terra. O Minor Planet Center posteriormente confirmou a notícia que o 2007 VN84 era efetivamente a sonda Rosetta, corrigindo o engano.

._._.

3 pings

  1. […] Aqui poderá ver tudo o que esta sonda já fez e ainda irá fazer: http://www.astropt.org/2007/11/13/rosetta/ […]

  2. […] Aqui poderá ver tudo o que esta sonda já fez e ainda irá fazer: http://www.astropt.org/2007/11/13/rosetta/ […]

  3. […] falamos na sonda Rosetta, neste post. E dissemos que ia passar perto do asteróide Lutécia, neste post. É já […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.