SPO

A Sociedade Portuguesa de OVNIlogia realizou um encontro a 5 de Julho de 2008. Sinceramente, o programa do encontro foi mau. Parece que o objectivo é fomentar crenças, e para isso, prefiro ir à missa. É que ao menos a missa é grátis, enquanto este encontro é a pagar!
Chama-se ao encontro “Internacional”, mas parece-me que se limita a Portugal-Brasil. Serem 2 países distintos já o faz Internacional, mas um simples encontro luso-brasileiro definiria mais correctamente o evento.
O primeiro a falar foi o “Dr. Nuno Montez da Silveira”. O Nuno Silveira é advogado! Existe um problema enorme com pessoas sem formação em áreas científicas andarem a pregar crenças como se fossem especialistas na área. Seguidamente, uma coisa que me faz impressão: Dr.? Pelo que sei, o Nuno é um simples licenciado. Não é médico, nem tem doutoramento. Mas é certo que Portugal é um “país de doutores”, em que qualquer pessoa que tira uma licenciatura já se auto-proclama doutor, por isso o problema não é só dele. Há uns anos houve um estudo que concluiu que Portugal é o país que tem uma maior percentagem de cartões de crédito em que o 1º nome da pessoa é Dr.. Isto é obviamente uma crítica social.
Seguidamente é o “Dr. João Matos”. Estou em crer que é engenheiro informático. Novamente um “não-doutor” (é engenheiro). E novamente um não especialista científico.
O Paulo Cosmelli pertence à organização religiosa “Non-Siamo Soli“. Dele lembra-me em 1998 a entrevista na SIC, com a experiência de Monsanto. Houve uma chuva intensa de mentiras e argumentos pseudo. Ri-me foi quando ele apresentou fotos do Homem na Lua com OVNIs ao lado! Uma palhaçada!
Não conheço o Mestre Carlos Teixeira.
Sendo assim, o único que eu teria interesse em assistir, era à palestra do Professor Doutor Francisco Carrapiço. O problema é que este único ponto de interesse só tem 40 minutos. Manifestamente pouco, para quem tem curiosidade em aprender racionalmente alguma coisa.

O Nuno Silveira, que reconheço que tem dinamismo naquilo que faz, decidiu há uns meses atrás fazer uns comentários a este post.
O Nuno Silveira organizou a conferência de OVNIs. Segundo ele, sente-se qualificado para isso porque “investigou casos, falou com pessoas, leu literatura da especialidade, e troca impressões com investigadores e cientistas”. Curioso. Seria o mesmo que eu dizer que “dou-me com pessoas, tenho vários amigos, tenho família, tenho fotos de uns e outros, tantos uns como outros por vezes estão doentes, tanto uns como outros me dizem os sintomas, de vez em quando até leio sobre as causas desses sintomas e possíveis soluções para os problemas em artigos da especialidade. A conclusão óbvia é que serei médico e perfeitamente qualificado para abrir uma clínica médica”.
Segundo ele, ele considera-se qualificado para se pronunciar em áreas “do conhecimento humano – não cientificas”. Será pelo simples facto de se dar com pessoas? Se fôr isso, então toda a gente é qualificada. Será que eu posso ser veterinário só porque me dou com animais? Será que os sociólogos, psicólogos, antropólogos, etc, estão qualificados para serem juízes só porque até sabem algumas regras legais sobre o que não podem fazer quando vivem em sociedade? Se responder que a justiça sofreria com pessoas que sem serem da área se imiscuissem nela e andassem a pregar sobre ela crenças (mesmo que não se apercebam delas) sem ponta de prova, então não deveria fazer o mesmo quando se trata de OVNIlogia.
Seria o mesmo que um astrónomo organizar uma conferência sobre a Justiça Portuguesa, em que convida um padre, um jornalista, um advogado, um químico, um informático, e um geólogo! É óbvio que não faz qualquer sentido. A honestidade intelectual também se faz pela avaliação das capacidades e qualificações – tanto próprias como dos outros.
Seguidamente, para “provar” que tem qualificações, fez uma série de perguntas sobre o que era a OVNIlogia, e similares. Seria como eu, para provar que tenho qualificações para abrir uma clínica médica, começasse a perguntar o que é a medicina.
Também disse que “não se responsabiliza pelo conteúdo das apresentações”. Ele convidou os palestrantes mas não se responsabiliza pelo conteúdo das apresentações. Obviamente que isto tem implicações legais e até morais. Daí que não se percebe a irresponsabilidade. Era como se eu dissesse: “Vou fazer um encontro de Astronomia, em que vou convidar um maluco que diz que a Terra é plana, mas não me responsabilizo pelo que ele diz – eu só o convidei, sabendo o que ele pensa!”
Se queria fugir da linha de pensamento da APO, então não deveria desresponsabilizar-se de algo que organizou, e não deveria convidar elementos que dizem coisas na mesma linha de pensamento de quem diz que os OVNIs são intraterrenos porque a Terra é oca, de quem lê o futuro em folhas de chá, ou de quem afirma que vamos morrer todos amanhã porque está um planeta em rota de colisão.
O Nuno diz que a SPO é céptica. Não o é. O dizer vale zero, o que se faz diz mais sobre o que se é. E o que fez foi convidar (“endorsing”) crentes, e até colocou essas crenças logo à entrada do evento. E o Nuno sabe dessas crenças já há muito tempo. No programa da SIC que mencionei em cima, o Nuno está na audiência. Curiosamente, de todos os convidados desse programa (desde cientistas, jornalistas, até crentes), o Nuno foi convidar precisamente o crente religioso.
Já vi intervenções de elementos da SPO, incluindo do Nuno Silveira, na comunicação social. E sinceramente fiquei impressionado pela negativa. Por exemplo, num artigo da Focus de há ano e meio, o Nuno vem lá a falar sobre o OVNI de Junho 2004 dizendo que “será provavelmente…” – baseado em semelhanças físicas, o que me levou a dizer a um amigo meu que tem o cabelo completamente rapado, que ele deveria ser o Capitão da Enterprise, já que é parecido com o Picard. Outros, contactaram-me, de modo a provar que outro ovniologista espanhol tinha dado informações falsas sobre o fenómeno, e de modo a eu contactar um especialista americano sobre o potencial objecto. Fi-lo e chegou-se a algumas conclusões. Foi mais credível, do que andar a dizer “terá sido isto ou aquilo” só porque são parecidos. Que maus cientistas tem a SPO que consideram que analogias são argumentos científicos? São argumentos pseudo.

Parece-me assim após todos os comentários que existiram que não existe pensamento crítico na SPO. Seguem crenças e a religião cega dos ETs, em que o geocentrismo psicológico é o porta-estandarte, e em que não existe imaginação sobre astrobiologia. Não existem argumentos racionais, pensamento crítico/científico, nem uma abertura da mente à dúvida metodológica.
Parece-me que se continua a criar “Igrejas”, e a arrastar a OVNIlogia pela lama. Note-se que este não é só um problema da SPO, como já afirmei em cima.

Seria certamente mais honesto dizerem que não sabem o que constitui um ovniologista, que provavelmente ninguém sabe como qualificação, que não existe um objecto de estudo, que falta à ovniologia várias características daquilo que constitui ciência, e que simplesmente se vai estudando alguns casos de OVNIs, na grande maioria sendo simples luzes no céu, falando com testemunhas e tentando perceber o que isso é. Fazem isso no tempo livre, como hobbie. Mas que não são ovniologistas (não da mesma forma em como se é um advogado – que essa sim é a sua qualificação). O Nuno até poderia ir mais longe e dizer que a conferência que realizou tentou levar várias formas de ver o fenómeno ao público, incluindo as mais disparatadas, mas como a SPO afirma-se céptica, fez questão de convidar cientistas, e de afirmar na dita conferência que privilegia o pensamento crítico/científico/bom senso, e daí que se demarca das especulações/disparates de algumas pessoas na dita conferência (até poderia, aqui, como prova de boa fé, dizer que foi isso que o fez fundar a SPO, saindo da linha de pensamento da APO, que até tinha fundado também; já que tinha como ideologia levar a ovniologia para outros terrenos – mais científicos, menos especulatórios, menos disparatados, mais críticos e fundamentados); porque no mundo umas coisas são verdade (ex: gravidade), e outras coisas são perfeitos disparates (ex: intelligent falling). O Nuno, para provar que a SPO é céptica, deveria dizer isto, aqui e na conferência – que endorsa umas pessoas e não outras, que endorsa umas formas de pensar e não outras, que percebe as diferenças entre fundamentos e disparates, mostrando que percebe as diferenças entre ser céptico e ser crente.

Para terminar, vejam toda a conferência/encontro, clicando aqui.
Eu não tive paciência para ver tudo – as 5 horas e meia.
Vou só comentar os primeiros 20 minutos, porque por aí vê-se logo o nível da conferencia.
A conferência parece-me até que foi muito pior do que eu pensava.
O som está mau.
O objectivo de provar crenças é visto logo nos primeiros minutos do vídeo: estão lá as provas todas nos primeiros minutos. Veja-se o número de cinzentos que existem logo na entrada (uma coisa é utilizar isso como forma de marketing – outra é já ter as pessoas lá e espetar-lhe essas crenças), e compare-se com o número de fotos de simples luzes no céu, satélites, iridium flares, Vénus, nuvens lenticulares, etc.
Vê-se o tipo de leituras da especialidade que estes “investigadores” apreciam – a revista UFO e filmes similares como aparece no início da gravação.
O “host” diz que quer retirar o acreditar da Ufologia. É mentira. É uma desonestidade intelectual. Vê-se pelas palestras – por exemplo na primeira, onde é só acreditar em disparates. Depois diz que quer saber o que é o fenómeno cientificamente. Daí ter convidado o “padre”. Claro! Faz todo o sentido… enfim.
O João Matos – 1ª palestra – diz que este é o primeiro encontro internacional, o que é mentira! Como é que alguém o apresenta como um “investigador” consagrado e ele não sabe sequer isto? São todos especialistas, só não se sabe é de que matérias… Depois diz que a Equação de Frank Drake tem número de estrelas, número de planetas habitáveis, etc. Além das siglas serem erradas, a equação é sobre Fracções! Não é colocar números inteiros nas variáveis! Ou seja, é mais um “especialista” de coisas de que não sabe de que fala. E chega a um resultado de 400 milhões? Que fantochada! Este certamente não é especialista de matemática nem da Equação de Drake! E no entanto, bastava-lhe 2 segundos e 2 neurónios para fazer uma pesquisa no Google para perceber que o que diz é mentira! A maior parte das fotos que mostra fizeram-me rir! Obviamente que os ETs inteligentes vêm cá com naves parecidas com as nossas, com as quais não conseguimos ir a lado nenhum! Sobre os Dogons, o palestrador “esqueceu-se” de explicar as razões histórica/antropológica/mitológica/científica para a história deles! Ou seja, “esqueceu-se” de dizer a verdade. Quanto às pistas de Nazca, agora os ETs precisam de aeroportos para aterrar!! Mais uma palhaçada! Palenque – pessoa tipo astronauta! Vê-se a ignorância sobre os deuses da altura e de como eles eram representados. Depois vem a mentira: a NASA nunca disse que aquilo era um astronauta! Mas estas histórias vêm nos livros do Daniken, e foram disseminadas por ele, e foram inventadas por ele – foi ele próprio que o confirmou numa entrevista! Que inventava coisas para vender livros!! Mas claro que estes “investigadores” não se “lembram” disso – preferem continuar a vender a mentira às pessoas. Depois pergunta: como os povos antigos sabiam que a Terra é redonda? A resposta deveria ser óbvia: basta ter olhos na cara! Basta ver eclipses, como as estrelas vão desaparecendo enquanto se anda para Sul, entre outras coisas! E por isso já se sabe que a Terra é redonda há vários milhares de anos! Enfim… Santa Ignorância!!! Que nível de “investigador”/convidado! Cientistas da NASA estudam o Nibiru? Mais uma mentira descarada!
Não é preciso ver mais!
Estes primeiros 20 minutos são tão detestáveis, tão básicos, tão mentirosos, que se percebe o nível degradante da conferência.
Ou seja, o organizador, com a maior “cara-de-pau”, diz que vão retirar o “acreditar”… Mas o que se vê é um chorrilho de mentiras e o levar os ouvintes em erro. Já que o organizador é advogado (e não cientista), será que não há uma lei sobre andar a enganar deliberadamente as pessoas com mentiras descaradas? Pessoas que andam a mentir e a enganar deliberadamente a população, não deviam ser processadas?
E ainda há quem pagou para ir assistir a estas palestras com um nível básico de pensamento crítico, com um nível negativo de racionalidade!
É preciso saber diferenciar a verdade (exemplo: gravidade) da mentira (o que se foi dizendo nesta conferência).
É preciso saber distinguir o que são factos científicos das crenças de fé que são o cancro da ovniologia e que esta conferência ajudou a propagar!

1 comentário

2 pings

    • Luciano Quintana on 07/02/2013 at 09:57
    • Responder

    Queria ter ido, pena que estou no Brasil.
    Eu iria matar-me de rir….rsrsrsrs
    Incrivel a fragilidade dos ignorantes que se deixam levar…por preguiça de pensar.

    Quintana.

  1. […] falamos do Nuno Silveira, da SPO: – neste post, devido a uma conferência cheia de disparates, que ele organizou. – neste post, devido a ele ter […]

  2. […] presidente da SPO (qualquer pessoa pode criar uma sociedade e decidir qual o seu papel nela). Leiam aqui. Como podem ver nesse post, a SPO realizou um encontro carregado de mentiras, ignorância, e […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.