Telescópio Espacial Hubble e 70 imagens!

hubble

Ontem deixamos aqui a notícia da Missão para reparar o HST.

Hubble's Amazing Rescue

Vejam neste programa da PBS como o Telescópio Espacial Hubble foi salvo.
Após quase 20 anos no espaço, o melhor instrumento científico de sempre, que tirou centenas de milhares de imagens e fez dezenas de descobertas fantásticas, estava a morrer.
Após 12 dias em missão, o Telescópio Espacial foi reparado com sucesso.
O programa retrata os treinos, e depois os dias da missão, incluindo os “spacewalks”.
Vejam o excelente trailer:

Existe também um extraordinário documentário sobre o Telescópio Espacial Hubble, em 3D, no IMAX.
Leiam este nosso post.

hubble_imax

O famoso Hubble Space Telescope (HST) é o telescópio que mais contribuiu para o avanço da ciência até hoje. É um feito magnífico da humanidade!

hubble diagram

O Público de 12 de Maio traz várias notícias sobre o Hubble.
Podem ler no “destaque”, aqui.

O Telescópio Espacial Hubble observa o espaço a partir do espaço.
Sem problemas atmosféricos, as suas imagens têm sido soberbas!
O HST vê no visível (como nós), em infravermelho, e em ultravioleta. E pode combinar os diversos comprimentos de onda.
Vê também muito longe – quase até ao início do Universo, e até à fronteira do Universo Observável.

Foi lançado em 1990. Foi-lhe diagnosticada miopia – corrigida em 1993.

Desde aí o HST tem revolucionado a Astronomia!

Alguns dos “greatest hits” do Telescópio Espacial Hubble são:

– descobriu que o Universo está em expansão a ritmo acelerado devido à energia negra.

– descobriu um anel de matéria negra – um tipo de matéria que é mais comum que a matéria “normal”.

– descobriu as galáxias mais longínquas de sempre, a quase 14 mil milhões de anos-luz de distância da Terra.

– descobriu alguns buracos negros.

– mais de 4000 artigos científicos (“papers”) foram publicados com base nos dados do HST.

– detectou a primeira molécula orgânica na atmosfera de um exoplaneta.

– observou os ventos no planeta Saturno.

– revelou que o planeta Neptuno tem estações do ano.

– tirou fantásticas imagens ao planeta Marte.

– examinou flashes de luz misteriosos em Júpiter.

– mas sobretudo o HST maravilhou-nos com as suas imagens!
Tirou cerca de 800 mil fotos espectaculares!

Vejam este Hubblecast que nos ensina como os telescópios tiram as fotos celestiais e que depois são convertidas em várias cores numa só imagem – e ao mesmo tempo vê-se imagens fabulosas:

Hoje trazemos as mais espectaculares fotos do Universo tiradas pelo HST!
Vejam algumas imagens, clicando aqui.
Vejam todo o álbum, clicando aqui.
(cliquem sobre as imagens abaixo para as verem maiores)

Saturno, Titã, Dione, Enceladus, Mimas:
h1

Auroras em Saturno:
hs-2005-06-a-print

Saturno de 1996 a 2000:
hs-2001-15-a-print

Estações em Neptuno:
hs-2003-17-a-print

Marte:
mars1

mars2

mars3

mars4

mars5

mars6

mars7

Impactos do Cometa Shoemaker-Levy 9 no planeta Júpiter em 1994:

impact1

impact2

Grande Mancha Vermelha de Júpiter:

hs-1999-29-a-print

Fomalhaut b – o 1º planeta extrasolar a ser visto com luz visível:
hs-2009-18-f-print

Estrela V838 Monocerotis:
hs-2005-02-f-full_jpg

Nebulosa da Águia e os Pilares da Criação:
Ghostscript 24 bit color image dump Ghostscript 24 bit color image dump

Nebulosa do Cone:
hs-2002-11-b-print

Nebulosa do Esquimó:
NGC 2392

Nebulosa Olho de Gato:
hs-1995-01-a-full_jpg

Nebulosa da Lagoa:
hs-1996-38-b-full_jpg

Nebulosa do Caranguejo:
hs-2005-37-a-print

Nebulosa da Ampulheta:
hs-1996-07-a-print

Nebulosa Planetária NGC 2818:
a01_00000001

Nebulosa Planetária IC 4593:
a13_2007-33-d

Reflexão da Nebulosa NGC 1999:
hs-2000-10-a-full_jpg

Eta Carinae:
hs-1996-23-a-full_jpg

Nebulosa Planetária M2-9 – Nebulosa da Borboleta:
hs-1997-38-a-print

Nebulosa Planetária NGC 6826 – Eye-Shaped Nebula:
hs-1997-38-d-full_jpg

Galáxia NGC 4314:
hs-1998-21-b-full_jpg

Galáxia NGC 4414:
hs-1999-25-a-full_jpg

Galáxia NGC 4921:
a17_heic0901

Galáxia NGC 6217:
ngc6217_hst_big

Tadpole – Galáxia do Girino:
hs-2002-11-a-print

Mice Galaxies – Galáxias dos Ratos:
IDL TIFF file

Galáxias das Antenas:
antennae_hst

Galáxia do Olho Negro:
IDL TIFF file

Galáxia do Sombrero:
hs-2003-28-a-print

Galáxia NGC 4261 com Buraco Negro:
hs-1995-49-g-full_jpg
hs-1992-27-b-full_jpg

Galáxia NGC 4526 com Supernova 1994D:
hs-1999-19-i-full_jpg

Supernova 1987A:
hs-1995-49-a-full_jpg
IDL TIFF file

Arp 87:
hs-2007-36-a-full_jpg

Arp 148:
hs-2008-16-aa-full_jpg

Fonte da Juventude – Arp 194:
hs-2009-18-a-full_jpg

ARP 238 – UGC 8335:
a04_2008-16-a

M51 e NGC 5195:
M51HST-GendlerMr

Globular Cluster Omega Centauri:
a08_2008-14-a

uma pequena região lá dentro:
a19_2009-25q

Abell 2218:
hs-2000-07-b-full_jpg

Abell 1689:
Galaxy Cluster Abell 1689

Abell S0740:
a20_2007-08-a

Deep Field:
deep field

Ultra Deep Field (cada ponto é uma galáxia! Esta imagem tem cerca de 10.000 galaxias – e cada galáxia tem biliões de estrelas):
IDL TIFF file

Ultra Deep Field 2009:
a25_heic0916a

Filme, com algumas das imagens tiradas pelo HST.
A não perder!

A 25 de Abril de 2008, o Hubble Space Telescope (HST) fez 18 anos. Impressionante! Parece que ainda foi “ontem” que se sonhava com um telescópio espacial, e hoje parece que ele esteve sempre connosco.
Os sucesssos do HST são tantos e tão variados que é dificil apontar e descrever alguns.
No entanto, deixo aqui os links para o Melhor do HST, Galeria, e filme.
Para comemorar o aniversário, o HST divulgou estas imagens fantásticas sobre colisão de galáxias.
Podem ler mais sobre isto, em português, aqui.

colliding-galaxies-montage

Em Setembro de 2009, o Hubble regressou renovado, após uma missão bem sucedida para actualizar alguns dos seus componentes.

384572main_ero_ngc6302_full_full

384936main_ero_teaser_ngc6217_4x3_516-387

Stephan’s Quintet – Quinteto de Stephen:

stephan_quintet_full_full

Consultem este site para verem mais imagens do Hubble renovado.

8 comentários

7 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. “Glória a Deus nas (infinitas) Alturas e paz na (pequena) Terra, aos homens de boa vontade”. Foi este o Cântico vindo do Céu infinito, cantado pelos Anjos de Deus, no Nascimento de Jesus Salvador. Aqui, Deus nos revela um pouquinho do que são “essas Alturas” do cosmos que Sua Divindade criou, e nos permite abismar na contemplação da grandeza, beleza e infinitude. Quem não vê Deus na origem e no comando de toda esta grandeza que nos esmaga, e O nega, atribuindo isto ao acaso, é tão orgulhoso como o louco Lúcifer. Muitos parabéns ao Bloguer, e Louvado seja Deus que permite aos homens “espreitar à Sua Celestial janela! Admiremos tudo isto, porém, todas as hipóteses e explicações para o Universo, não passarão de especulações da inteligência humana. Aos olhos do Huble e aos nossos, escapa muita coisa que não se vê, mas o que se vê já é tão maravilhoso. E quanto mais longe for o alcance desta celeste “visão” humana, mais longínquas ficarão as respostas para tudo isto…

      • Manel Rosa Martins on 23/05/2015 at 06:32
      • Responder

      Celso, agora que acabou de pregar pode ver as imagens.

  2. Olá!

    Já perdi a conta de quantas vezes já assisti Hubble 3D. E assistir em HD é espetacular.

    Lindas imagens! Obrigado por compartilhá-las.

    Abraço!

  3. Foi um presente e tanto ter retornado com imagens espetaculares! 🙂
    Espero que agora o Astro Pt continue na ativa sem os sacrifícios dignos de um Hubble. 😉

    beijos a todos e desta vez, bom descanso! 😀

    • Ana Guerreiro Pereira on 05/03/2011 at 20:20
    • Responder

    Calculei, mas tenho escrúpulos qto ao utilizar material que não é meu, e como há aqui astrónomos… 🙂 Perguntar não ofende e mais vale prevenir que remediar 😀 (a sabedoria popular tem umas qtas para nos ensinar :D)

    Vou então ler a morte por etapas da eta. Brigada.

  4. As imagens que estão aqui são da NASA… que partilham as coisas 😉

    Sobre Eta Carinae:
    http://www.astropt.org/category/estrelas/supernovas/eta-carinae/
    Sobretudo aqui:
    http://www.astropt.org/2008/09/10/eta-carinae/
    Está a morrer por etapas…
    😀

    • Ana Guerreiro Pereira on 05/03/2011 at 16:55
    • Responder

    A eta carinae tem uma forma muito curiosa. A que se deve, sabem?

    Bolas, que beleza. Pensar q isto tudo está logo ali…

    Ps – as imagens partilhadas no vosso canto podem ser gravadas e utilizadas para fins didácticos?

      • Manel Rosa Martins on 23/04/2015 at 23:14
      • Responder

      Na verdade ainda se conhece muito pouco sobre os processos físicos da implosão/explosão gradual de estrelas hiper-gigantes, estamos a falar dum objecto com ~100 a massa do Sol.

      Uma recente impressão a 3-D feita pelos informáticos (para estes, uma simples tarefa) da Eta Carinae revelou uma estrutura com lóbulos que coincidem nas imagens a 2-D com registos que apontam um campo magnético e jactos quase perpendiculares a este.

      Foi mais o que se aprendeu sobre Eta Carinae com esta simples escultura comparativa e o que se confirmou do que se tinha conseguido desde as imagens do Hubble. 🙂

      Fontes: University of Nottingham, NASA.

      http://www.nasa.gov/sites/default/files/etacarinae_model_comparison_labels.jpg

  1. […] os 25 anos do Telescópio Espacial Hubble, o Observatório Griffith criou este fabuloso vídeo com imagens feitas pelo […]

  2. […] de imagens espetaculares que foi captando ao longo dos anos (outras 70 imagens podem ser vistas, aqui). A informação de contexto foi recolhida no sítio da Agência Espacial Europeia dedicado ao […]

  3. […] em revista as “sebentas” da introdução, as imagens obtidas pelo HST suscitaram o debate sobre os feitos científicos da […]

  4. […] cidades nunca tivessem existido. O Espaço deslumbra Baraty desde miúdo: «Quando vejo o Cosmos através do Hubble ou outros telescópios, fico muitas vezes sem palavras. A admiração e o encanto que o Espaço nos […]

  5. […] – Telescópio Espacial Hubble: 70 imagens, 100 melhores, vídeo, documentário. Outros Telescópios: Fermi. Herschel. WISE (NEOWISE). […]

  6. […] logo, como qualquer imagem espacial (por exemplo tiradas pelo Telescópio Espacial Hubble, como foi explicado aqui), a imagem é tirada por filtros de diferentes cores, que depois são combinados de maneira a […]

  7. […] Podem ver dezenas de imagens tiradas por este telescópio, neste nosso post. […]

Responder a Manel Rosa Martins Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.