Alunar no Ciência Hoje

homem na lua jornal

Em 2008, a convite do Jorge Massada, escrevi este artigo sobre os 39 anos desde que o Homem andou na Lua pela 1ª vez.
Este foi o texto que o Ciência Hoje enviou para todos os seus assinantes:
“Ontem, dia 20 de Julho, comemorou-se nos Estados Unidos, a chegada do Homem à Lua. Armstrong pisou pela primeira vez o solo lunar às 22h56 (hora de Nova Iorque) do dia 20 de Julho de 1969. Curiosamente, em Portugal eram 3h56 da manhã de dia 21 de Julho. Por isso, hoje sim, em Portugal, passam 39 anos desde que o Homem foi pela primeira vez à Lua.
Ler artigo de Carlos F. Oliveira em «Walking on the Moon» há 39 anos atrás.
Há cinco vídeos à vossa disposição!”

Em 2009, o mesmo texto foi publicado no Ciência Hoje, com o título Walking on the Moon há 40 anos!.
Leiam o artigo, clicando aqui.

——————————————————————————-

«Walking on the Moon» há 40 anos!

Em 21 de Julho de 1969, o Mundo viu com sofreguidão pé humano pisar pela primeira vez a Lua

Hoje, dia 20 de Julho, comemora-se, aqui nos Estados Unidos, a chegada do Homem à Lua. Armstrong pisou pela primeira vez o solo lunar às 22h56 (hora de Nova Iorque) do dia 20 de Julho de 1969. Curiosamente, em Portugal eram 3h56 da manhã de dia 21 de Julho. Por isso, amanhã, em Portugal, passarão 40 anos desde que o Homem foi pela primeira vez à Lua.

A 4 de Outubro de 1957, o soviético Sputnik, tornou-se no primeiro satélite a orbitar a Terra. A 3 de Novembro de 1957, a cadela soviética Laika tornou-se no primeiro animal a deixar a Terra. A 12 de Abril de 1961, o soviético Yuri Gagarin tornou-se no primeiro humano a orbitar a Terra. A 16 de Junho de 1963, a soviética Valentina Tereshkova tornou-se na primeira mulher a chegar ao espaço. A 18 de Março de 1965, o soviético Alexey Leonov tornou-se no primeiro humano a sair da nave espacial para “caminhar” pelo espaço; curiosamente, Leonov foi o cosmonauta escolhido pela União Soviética para ser o primeiro humano a pôr um pé na Lua. Todos estes primeiros lugares conseguidos pelos Soviéticos não passaram desapercebidos aos americanos.

O Presidente Kennedy deu os primeiros sinais de que queria mudar o rumo das coisas numa Sessão Conjunta do Congresso, a 25 de Maio de 1961. Nesse discurso, algumas palavras ficaram famosas: “First, I believe that this nation should commit itself to achieving the goal, before this decade is out, of landing a man on the Moon and returning him back safely to the Earth” (“Em primeiro lugar, acredito que esta nação deve dar tudo para atingir o objectivo, antes desta década acabar, de pousar um homem na Lua e retorná-lo com segurança à Terra”).

O mesmo Presidente, na Universidade Rice, a 12 de Setembro de 1962, espalhou mais umas palavras memoráveis: “No nation which expects to be the leader of other nations can expect to stay behind in this race for space” (“Nenhuma nação que espera ser o líder das outras nações poderá perder a corrida espacial”), e “We choose to go to the Moon in this decade and do the other things, not because they are easy, but because they are hard” (“Nós escolhemos ir à Lua nesta década e fazer outras coisas, não porque elas são fáceis, mas sim porque elas são difíceis”).

Kennedy pôs os EUA a trabalharem para um objectivo comum e grandioso, empregando milhões de pessoas e, sobretudo, dando-lhes algo com que sonhar.

Após as missões Mercury e Gemini, vieram as missões Apollo. A 16 de Julho de 1969, a Apollo 11 partiu em direcção à Lua, com o comandante Neil Armstrong, o piloto do Módulo Lunar Edwin “Buzz” Aldrin, e o piloto do Módulo de Comando Michael Collins. A 19 de Julho, a Apollo 11 entrou em órbita lunar. A 20 de Julho, numa descida dramática, com somente 25 segundos de combustível disponível, Armstrong pousou o módulo lunar. Às 21h17 em Portugal, o sonho de Kennedy e de muitos outros “loucos idealistas” concretizava-se. Nas famosas palavras de Armstrong: “Houston, Tranquility Base here. The Eagle has landed”. (“Houston, estamos na Base Tranquilidade. A Águia pousou”). A Apollo 11 pousou na região lunar denominada Mar da Tranquilidade e o módulo lunar tinha sido denominado de Águia.

Um salto gigante para a humanidade

Na madrugada do dia 21 de Julho em Portugal, Armstrong saiu do módulo lunar. Às 3h56, ao pisar o solo lunar, Neil Armstrong pronunciou as famosas palavras: “That’s one small step for man, one giant leap for mankind” (”Este é um pequeno passo para o homem, um salto gigante para a humanidade”). Podem ver o vídeo na 1ª Página de CH (vídeo 1).

Quinze minutos mais tarde Buzz Aldrin também pisou o solo lunar, descrevendo-o como uma “magnificent desolation” (”desolação magnífica”). Podem ver o primeiro passo do Aldrin na Lua na 1ª Página (vídeo 2).

Após pouco mais de 2 horas e meia na superfície lunar, de carregarem com mais de 20 quilos de rochas e pó lunar, de deixarem reflectores na Lua de modo a calcularem a distância Terra-Lua por laser, de deixarem a bandeira americana cosida pela portuguesa Maria Isilda Ribeiro que trabalhava em New Jersey, de deixarem a placa dizendo “Here Men From The Planet Earth First Set Foot Upon the Moon, July 1969 A.D. We Came in Peace For All Mankind” (“Em Julho de 1969, Humanos do Planeta Terra pela primeira vez puseram o pé na Lua. Viemos em paz por toda a humanidade”), entre outras experiências científicas que realizaram e outras coisas que deixaram por lá, os astronautas da Apollo 11 finalmente deixaram a Lua, e fizeram a viagem de regresso à Terra.

A 24 de Julho de 1969, às 17h50 em Portugal, voltaram à Terra são e salvos, como Kennedy tinha anunciado oito anos antes. Depois da Apollo 11 em Julho de 1969, foram também à Lua as missões: Apollo 12 em Novembro de 1969, Apollo 14 em Fevereiro de 1971, Apollo 15 em Julho/Agosto de 1971, Apollo 16 em Abril de 1972, e Apollo 17 em Dezembro de 1972.

Um excelente livro sobre isto é o do Andrew Chaikin, “A Man on the Moon”. Uma espectacular série – em parte baseada no livro mencionado atrás – é a “From the Earth to the Moon”. Um fenomenal filme/documentário, a não perder, é o “In the Shadow of the Moon” (ver vídeo 3).

A história do fundamentalista que acusou Aldrin de covarde

Todas estas missões realizaram inúmeras experiências científicas e deixaram inúmeros artefactos provando que realmente se esteve na Lua. No entanto, ainda hoje há quem prefira irracionalmente optar por conspirações sem sentido. A maioria desses crentes diz que a Apollo 11 não aconteceu, apesar de “acreditarem” nas missões subsequentes.
Quem faz afirmações extraordinárias tem de as provar. Em 2005, fiz um trabalho de investigação com 40 páginas em que analisei de forma exaustiva as dezenas de razões postas publicamente pelos proponentes desta ideia; no mesmo trabalho expus o porquê dessas razões serem todas (umas mais que outras) disparatadas.

Há quem diga que o Homem não foi à Lua em Julho de 1969, há quem diga que não existiu o massacre dos judeus na 2ª Guerra Mundial, há quem diga que os extraterrestres nos visitam às dezenas todos os dias, há quem não acredite que o muro de Berlim foi uma realidade, há quem diga que é o Sol que orbita a Terra, há quem diga que a Terra é plana (até têm uma sociedade!), e eu vou desde já começar o rumor que a Austrália não existe (é tudo uma conspiração mundial de todos os governos)…

Como diria Aldous Huxley: “Most ignorance is vincible ignorance. We don’t know, because we don’t want to know” (numa tradução muito livre: “uma pessoa só é ignorante se quiser”). Sobre este assunto, é divertido este segmento do Jon Stewart sobre o fundamentalista que acusou o Aldrin de ser um covarde, um mentiroso, e um ladrão (!!??), levando um merecido soco de um homem de 72 anos.

Na realidade, tanto Armstrong, como Aldrin, Collins e todos os astronautas seguintes foram uns heróis. Estes três, e todos os que trabalharam em prol disso, deram a medalha da vitória na corrida espacial aos EUA. No contexto da Guerra Fria, foram os EUA que “conseguiram a t’shirt”. Politicamente, a corrida esgotou-se ali e daí que após 1972 não mais se voltou à Lua.

A chegada do Homem à Lua é o acontecimento que mais marcou a Humanidade; é sem dúvida o estandarte do progresso humano. A 20/21 de Julho de 1969, pelo menos 700 milhões de pessoas em todo o mundo – desde professores a alunos, passando por doutores, e acabando em donas de casa – viram em directo na TV (em casa, em cafés, e até em frente de montras de lojas com televisores!), Armstrong colocar pela primeira vez um pé humano na Lua. O Diário de Notícias, no dia 21 de Julho de 1969, afirmava orgulhosamente: “O século XXI começou hoje”.

Foi sem sombra de dúvidas uma vitória de toda a humanidade! Nesse dia/noite, a Terra foi una!

1 ping

  1. […] quando foram os 40 anos, publiquei no Ciência Hoje um artigo com o título Walking on the Moon! Leiam aqui. Vejam a Homenagem a Neil Armstrong, em cartoon, aqui. Leiam a revista que explica tudo (incluindo […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.