Sprites

Fenómenos Atmosféricos Luminosos Transitórios são fenómenos de descarga eléctrica que ocorrem na alta atmosfera (tipicamente acima dos 20 km de altitude), mais concretamente nas camadas estratosfera, mesosfera e parte da ionosfera ou termosfera, os quais são induzidos em parte por relâmpagos ocorridos na troposfera.

Os fenómenos em questão são diversos com características típicas e bem evidenciadas: “red sprites“, “blue jets“, “gnomes“, “elves“, “pixies“, “trolls“, “sprite halos“, “large jets“, “gigantic jets“.
A forma conjunta dos sprites e dos elves até parece uma nave extraterrestre!

Este vídeo foi filmado em 1994 no Okhaloma:

Parecem OVNIs… mas não são!

No seguinte vídeo pode ser visto um espectacular “sprite red”:

Alguns destes fenómenos podem ser confundidos com OVNI.
Apesar de que, como se pode ver aqui, é possível distingui-los.

Os sprites não são mais do que grandes descargas eléctricas que ocorrem acima de sistemas activos de trovoadas.
São flashes avermelhados, parecidos com aspecto de plasma, e que tipicamente duram apenas milissegundos do que as descargas eléctricas normais estratosféricas que duram mais tempo.
Os sprites possuem uma estrutura verticalmente estriada e complexa, dando origem a variadas formas. A fonte visível aparente delas anda à volta dos 75 km de altitude.
Elas projectam na direcção da superfície da Terra, os “tendrils” e para o espaço, “branches” (ramos) que podem chegar aos 90 km de altitude.
É possível observar a olho nu os sprites, mas sendo fenómenos extremamente rápidos, são facilmente despercebidos, ainda para mais tendo brilho superficial baixo.

Provavelmente aqueles pequenos “flashes” de luz avistados em céus escuros durante a madrugada poderá ser um despercebido sprite!
E não um OVNI…

Os “gigantic jets” foram descobertos em 2002.
É sabido que, numa fase inicial, o jacto viaja a velocidades da ordem dos 50 000 m/s de uma forma muito similar a um típico “blue jet” contudo, depois divide-se em dois… e acelera para os 250 000 m/s até à ionosfera/termosfera onde eles espalham um fortíssimo brilho luminoso.

Como pode ver há imensos fenómenos desconhecidos no céu… e que estão à espera de serem descobertos.
Lembre-se que há muito por saber sobre estes fenómenos pois não se sabe muito sobre a sua formação, por exemplo.
E, só muito recentemente estes fenómenos foram conhecidos.

Se quiser descobrir mais do que é conhecido até hoje sobre este tema venha aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.
E veja aqui uma galeria interessante.

4 pings

  1. […] falamos de Fenómenos Atmosféricos Luminosos Transitórios, incluindo Sprites, aqui e aqui. Já viram como se parecem com […]

  2. […] 3 naves gigantescas, 3 objetos enormes. Crenças. Confusões. Distinguir de Naves Extraterrestres. Fenómenos Atmosféricos Luminosos Transitórios (Sprites). Abduções (tecnologias, propósito). Detectar. Crítica. Sagan. Tyson. Feynman. Mori. […]

  3. […] ao mesmo tempo que o Sol!) O Sol costuma produzir outras imagens estranhas, além de haver outros fenómenos atmosféricos estranhos. O que a mim me aborrece é quem tem por obrigação disseminar a verdade sobre as notícias […]

  4. […] imagem vêem-se auroras e um raio de sprite vermelho. Os sprites são bolas de ar ionizado em gigantescas descargas eléctricas que duram somente algumas fracções […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.