Viagem às Estrelas

stars

Em Junho deste ano estive de férias 10 dias em NY, e obviamente nunca vim à net nessa altura. No entanto não se notou aqui no blog porque eu deixo os posts agendados para saírem em dias em que não estou na net.
O mesmo acontece agora. Estou já há uns dias de férias em Cancún, e propositadamente decidi não carregar com o computador para não entrar na net durante vários dias. No entanto os posts estão agendados para continuarem a entrar no blog, tal como este!
Digo-vos isto porquê?
Porque em Junho quando estive em NY fui obviamente ao melhor planetário do mundo. E estava lá um show excelente, mas que eu já tinha visto no passado. Em 2001, o planetário de NY foi remodelado, tornando-se o melhor do mundo. Desde aí que tenho visto todos os shows que por lá apareceram. E alguns até vi várias vezes. O primeiro era sobre o lugar da Terra no Universo – era simplesmente fenomenal e vi-o para aí 10 vezes (vejam este post sobre o nosso lugar no Universo). Desde esse em 2001 tenho passado frequentemente por NY e vejo os novos shows. Ainda não perdi nenhum. Em Junho estive lá e vi novamente um show que já tinha visto no passado – sobre colisões cósmicas.
Qual não foi minha surpresa quando li agora que o planetário mudou de show a 4 de Julho! Perdi o novo show por somente uns dias!
Tenho tempo de ver este novo show, mas fiquei agora meio triste por não ter sido uma das primeiras pessoas a vê-lo… devido somente a uns meros dias.

O novo show chama-se “Journey to the Stars” – Viagem às Estrelas.
Está a passar no Planetário Hayden no Centro Rose do Museu Americano de História Natural em Nova Iorque.
O show de 25 minutos é narrado pela Whoopi Goldberg e é considerado o mais bonito show de sempre, o mais avançado show de planetário alguma vez produzido, e até o mais perfeito em termos científicos.

Visita-se berços de estrelas – onde elas estão a nascer -, visita-se estrelas no auge da sua vida, visita-se gigantes vermelhas que estão a “dar as últimas”, e até se visita a morte das estrelas.
Claro que a personagem principal é a nossa estrela – o Sol -, com uma visão de toda a sua vida, do seu interior, e do seu futuro.
Leiam mais informações sobre o show, e vejam sobretudo as imagens que vão passando em cima, clicando neste site.

Já há um DVD feito com este show que pode ser requerido pelas escolas. Leiam aqui e aqui.

Interessante é que a parte visual do show foi feita na minha Universidade. O Texas Advanced Computing Center (TACC) da Universidade do Texas em Austin produziu as partes do show que mostram as informações mais cientificamente relevantes. Essa produção foi possível devido ao super-computador que existe na universidade.
Leiam sobre isto, aqui.

Vejam o trailer:

Carl Sagan dizia que “we are all star stuff” – somos todos pó de estrelas.
O que é bem verdade porque os nossos elementos foram produzidos nas estrelas, desde o carbono de que somos feitos, até ao oxigénio que respiramos.
Daí que é interessante uma das frases mais emblemáticas da Whoopi Goldberg durante o show:
“The light of the rising Sun clearly reveals what stars have made possible.
Everything we see around us was formed from elements made by stars.
None of it would be here without the sheltering warmth of our own star: the Sun.
Our journey to the stars is truly a journey to the heart of what we are.”
Sumarizando: só estamos aqui devido ao Sol. As estrelas produzem os elementos que nos compõem. A viagem às estrelas é uma viagem ao centro daquilo que nós somos.
Ou seja, estudamos as estrelas para nos compreendermos melhor a nós próprios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.