Tempo está a abrandar?

6a00d8341bf7f753ef00e54fbe3b9d8833-800wi

Olhamos para o Universo e vemos um desvio para o vermelho. Interpretamos isso como as galáxias estarem-se a afastar umas das outras. Concluímos que o Universo se está a expandir.
Medimos as explosões nos confins do Universo, e percebemos que o Universo se expande a um ritmo acelerado.
Concluímos que tudo isto se deve a uma forma de energia que desconhecemos, anti-gravidade, e que intitulamos de energia negra.

O tecido do cosmos baseia-se no espaço-tempo. São duas variáveis. E se não for o espaço que se expande, mas o tempo que abranda?

Esta é a ideia recente do Professor Jose Senovilla, e dos seus colegas, que, a partir de Espanha, dizem que não existe qualquer energia negra!
Baseado numa variante da Teoria das Cordas (em que estamos na superfície de uma membrana), o que eles propõem é que o Tempo está a ser convertido em Espaço (as duas variáveis estão intrinsicamente ligadas).

Assim, o Tempo abranda, parecendo que o Espaço se expande.

Daqui a biliões de anos, o Tempo poderá desaparecer totalmente. Nessa altura, tudo ficará “parado”.

7 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Graciete Virgínia Rietsch Monteiro Fernandes on 28/04/2014 at 15:31
    • Responder

    Já vi um programa na TV sobre este assunto que achei bastante interessante. Claro que não tenho conhecimentos para o comentar. Mas agora, apenas do ponto de vista pessoal, sem nada de ciência, o que me parece é que o tempo está a andar muito depressa!!!!!
    Um abraço para todos os colaboradores deste blog.

  1. Especulações: E como seria se o Tempo desaparecesse pra sempre? Ficaríamos parados pra sempre? Se o tempo se move até mesmo quando não estamos agindo, caso ele acabe, creio que nós também pararemos e que nada mais cresce nem morre, não existira mais começo e nem tampouco fim, não existira mais nada que se interaja. Esse sera o fim do universo.
    A teoria da “Energia Negra” nos diz que quando ela acabar com toda luz o universo tende a voltar contrário a todo o movimento já realizado até o princípio imperfeito e assim partir pra um novo recomeço, realizando este ciclo eternamente.
    Minha opinião: Se o tempo converte-se em espaço, pode também o oposto ocorrer. Pensemos que a mais tempo do que espaço, portanto o tempo então se converte em espaço com exatamente zero de perca, quando então houver mais espaço do que tempo, em uma quantia significativa, para que o espaço não pare ele então começa a reverter e se converter em tempo novamente e assim até que uma força maior que os citados surja. O universo é simplesmente inteligente e com certeza não permitiria a auto-destruição.

    1. parece uma novela de TV este comentário, ahahaha!
      há malta que de acto faria melhor se não opinasse,

  2. Não conhecia esta teoria. É de facto muito interessante. Foi pensada alguma forma de provar experimentalmente que é isto que está acontecer? (Tal informação também não se encontra no artigo citado, pelo que suponho que não. A verdade é que o conceito de “energia escura” é tão amplo, e indefinido, que é difícil de rejeitar tal hipótese.)

    1. Sinceramente, não sei.

      O artigo principal é este:
      http://www.newscientist.com/article/mg19626354.000

      A ideia é baseada na Teoria das Cordas… por isso, duvido que haja alguma coisa pensada para provar 😛 LOL 😛

      Mas tens alguma sugestão? 🙂

      1. Não tenho acesso, parece que é necessário subscrever a revista. Mas entretanto encontrei no arxiv:
        http://arxiv.org/pdf/0710.0820.pdf

        Não dá resposta ao que perguntei, como se esperava. É claro, como dizes, estando dentro do contexto das Cordas, obviamente que não seria de esperar outra coisa. Porém, fiquei curioso se a ideia não seria passível de ser tratada dentro de uma análise à Relatividade Geral com um “tempo variável no tempo”. 😛

        Quanto a sugestões, não as tenho propriamente, mais ainda não sabendo os detalhes do proposto. A primeira ideia que me viria à cabeça é que deveria haver diferenças “temporais” nos objectos mais próximos, em relação aos mais longínquos, o que poderia se coadunar melhor com esta teoria, ao invés da constante cosmológica. A constante é isotrópica, e este tempo não o é, pelo que suponho que poderia ser a partir daqui que se poderiam encontrar as diferenças. Por outro lado, como disse em cima, a energia negra é um conceito demasiado indefinido: não seria difícil de o alterar ligeiramente para explicar novas evidências experimentais. Em suma, não faço ideia. 😛

  3. Uma vez pensei numa hipótese semelhante. Acho essa teoria muito interessante.

  1. […] 17 – Tempo: Viajar no Tempo. Máquina do Tempo. Dilatação do Tempo. Abrandar. […]

  2. […] mas há quem ache que não está! Por exemplo, há cientistas que pensam que é o Tempo que está a abrandar. O próprio Hubble, que descobriu que os grupos de galáxias «fugiam» de nós, não enveredou por […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.