Será que vivemos dentro de um Buraco Negro de outro Universo ???

Pessoalmente não gosto da teoria do Multiverso, que nasceu devido à nossa ideia antropocêntrica de que o universo está feito “para nós”.
Pessoalmente, e contra todas a evidências científicas, não gosto muito da ideia do Big Bang – repito que é somente um gosto pessoal e subjectivo, já que neste momento a Teoria do Big Bang é o modelo que melhor responde às observações e evidências científicas que temos para a evolução do Universo.

Daí que gosto bastante de ideias como esta, de estarmos no Vazio Cósmico, e que responde a alguns mistérios cosmológicos actuais.
A ideia de que os Redshifts (o Desvio para o Vermelho) têm uma outra explicação que não a expansão do Universo também é obviamente uma ideia apelativa para mim.

Assim, gostei bastante deste paper, que nos diz que poderemos estar dentro de um Buraco Negro, sendo que o Redshift e consequente Expansão do Universo, não é causada pela chamada Energia Negra, mas é simplesmente o nosso Universo a ser “rasgado” enquanto vai em direcção à chamada singularidade…
Se bem que, nesta nova “teoria”, totalmente prevista pela matemática, não existe uma singularidade (nem dentro dos Buracos Negros, nem no Big Bang). O que existe sim é um wormhole (Buraco de Verme) e nós estamos dentro dele – dessa ponte entre dois universos distintos.
O autor também diz que, pela sua teoria, os GRBs também são “facilmente explicados”, já que seriam descargas de energia/matéria vindas de outros universos.
E o problema da Inflação também deixaria de existir.

Leiam este artigo, em inglês, na National Geographic.
Leiam também as discussões, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui.
O artigo científico encontra-se neste link.

A realidade é que é tudo demasiado especulativo…

E há quem diga que é tudo media-hype, porque o paper realmente não diz isso.

wormhole

Ciência Hoje:
“E se estivermos dentro de um buraco negro de outro universo?
Demonstração física põe em causa Big Bang.
Será possível o nosso universo estar dentro de um buraco negro que se encontra dentro de outro universo muito maior? Alguns, como o físico teórico Nikodem Poplawski, da Universidade do Indiana, acreditam que sim.
A notícia, a ser publicada hoje na Physics Letters B, demonstra que todos os buracos negros podem ter buracos de verme no seu interior, dentro do qual podem existir outros universos. Este trabalho pode explicar a origem da inflação cósmica e ser uma alternativa à teoria do Big Bang.
(…)
O físico da Universidade do Indiana afirma que um buraco branco está ligado a um negro através do que os cientistas chamam ponte de Einstein-Rosen ou wormhole, buraco de verme ou buraco minhoca em português, e é, pelo menos hipoteticamente, a inversão temporal de um buraco negro. Pois se o buraco negro é conhecido por sugar matéria, o branco por sua vez cria e expele matéria.
(…)
Se esta teoria estiver certa, será muito difícil demonstrar que realmente há algo dentro de um buraco negro em particular.
(…)
Segundo a teoria de Poplawski, que naturalmente põe em causa o Big Bang, “o nosso universo poderia ter-se formado dentro de um buraco negro que existe noutro universo.”
Todo o artigo.

black hole
Inovação Tecnológica:
“O nosso universo pode estar situado no interior de um buraco de minhoca (wormhole) – também conhecido como Ponte de Einstein-Rosen – uma espécie de “cano” hipotético que une dois universos.
O próprio buraco de minhoca seria parte de um buraco negro que ficaria dentro de um universo muito maior, que contém o nosso como um traço dificilmente detectável por algum cientista “extra-universal”.
Esse cenário, com cara de ficção científica, no qual nosso universo nasceu dentro um buraco de minhoca, está em um artigo que acaba de ser publicado em uma das mais importantes revistas de Física do mundo.
(…)
“Do que decorre que o nosso universo poderia ter-se formado dentro de um buraco negro existente dentro de outro universo”, defende ele. Ou, mais especificamente, dentro de um buraco de minhoca que une dois outros universos.”

62 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Quem sabe o Buraco N seja o Buraco B? talvez o Buraco N suga e eleva para outro universo que por final neste universo tenha o Buraco N.

  2. Gostava de saber que explicação têm para a energia negra, e se sabem qual a percentagem aproximada dela que existe no nosso universo (independentemente de ser ou não verdade a teoria dos multiversos).

    Quanto a definir o que é um universo ou um mundo ou um multiverso, são nomenclaturas muito ambíguas, difusas, já que não fazemos ideia nenhuma sobre o que será na realidade a energia negra, que ocupa a grande maioria do espaço/tempo do nosso universo, se assim se pode dizer. Se não sabemos o que existe lá, como podemos definir o que é um universo? Era o mesmo que, no continente da América, apenas sabermos que existe o México, nada mais, mas mesmo assim dizermos que se trata de um continente com as dimensões reais que esse continente tem.

    • Rogério Coletti on 03/09/2013 at 15:37
    • Responder

    Se realmente for vdd, imagina como deve ser enorme o universo e o BN q deu origem a nós…

    E uma coisa q ficou na minha cabeça, como deve ser as leis da física desse Big Universo, sabendo q dentro das singularidades as leis são diferentes… Será q as leis da física desse BN q deu origem ao nosso universo é a mesma dos BN do nosso universo ??? Acho pouco provável conseguir uma prova concreta, porem a ciência cada dia nos impressiona…

    E realmente isso explicaria pq não existe antimatéria tanto qt matéria comum…

  3. Mas os Buracos Negros não são uma lata concentração de matéria?

  4. Se nosso universo surgisse a partir da extremidade de um buraco negro de outro universo é de se supor que toda a matéria se expandiria em direções limitadas e não em todas as direções, por exemplo: quando ligamos a água de uma mangueira, a água jorra no fluxo em que a mangueira aponta, e nosso universo parece se expandir em todas as direções. Será que isso processe ou é interpretação errada da minha parte?

    1. Nesse exemplo, tem que pensar que a saída da mangueira está espalmada… ou seja, a água espalhava-se por todo o lado 😉

      abraços!

  5. o meu ultimo comentário foi uma opinião pessoal até pela minha falta de conhecimento sobre o assunto então provavelmente devo ter usado um argumento não consistente pelo simples fato de eu ter 12 anos e eu sou da sétima série… mas eu sou bom em português tirei 10 no boletim …. 🙂

    1. Sugiro-lhe dois livros se quer saber mais sobre estas ideias:

      – Universo Elegante, de Brian Greene, que é defensor da Teoria M.
      http://www.astropt.org/2012/04/27/sera-o-nosso-universo-o-unico-universo/
      http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Universo_Elegante

      – Mais Rápido que a Luz, de João Magueijo, que abomina a Teoria M.
      http://www.astropt.org/2011/11/06/mais-rapido-que-a-luz-4/

      abraços

  6. Cara acho que a teoria do multiverso não deveria ser descartada tão facilmente como uma teoria tola ou que dimensões paralelas não existem pelo simples fato de que nem o buraco negro é totalmente “provado” então acho que até termos mais informações sobre os eventos questionados pelos céticos como vc não devemos apenas descartar a teoria M como uma simples “irracionalidade” até se obter mais informações

    1. Toda a ciência e todos os cientistas são cépticos… porque isso é o oposto de crente (aquele que acredita sem quaisquer evidências lógicas e racionais).
      A Teoria M não tem quaisquer evidências. O multiverso também não. Pelo contrário, nasceu da ideia filosófica de que vivemos num Universo especial (crença – oposto de ciência).
      Por isso, sim, enquanto assim for, descarto completamente essas ideias.

      abraços

        • Hilton Filho on 12/08/2017 at 03:20

        Creio que a teoria do multiverso não parte do antropocentrismo, mas de uma observação constatada da variação particular em diversas ondas. E mesmo “crente” um criador não criaria algo, in per si, para outrem, mas para si. Não somos especiais e temos um universo para gente, acho que o universo é especial e ele nos tem.

  7. Recentemente, mais um link sobre o mesmo tema:
    http://sol.sapo.pt/inicio/Vida/Interior.aspx?content_id=53868

    “A proposta singular vem de um controverso físico teórico da Universidade de Indiana (EUA), Nikodem Poplawsky. Segundo ele, o nosso universo não é mais do que o interior de um buraco negro, fora do qual se encontra outro universo. Complicado? Muito. A teoria de que existem universos paralelos ao nosso já é antiga e, explicada de forma muito simples, pressupõe que não estamos sozinhos, mas não propriamente acompanhados por ET – existem outros mundos em passagens temporais intransponíveis.

    Para Poplawsky, cada buraco negro (regiões no espaço onde nada, nem mesmo objectos que se movam à velocidade da luz, consegue escapar) produziria um universo diferente. A sua teoria pode explicar-se se se conceber o espaço-tempo como uma varinha unidimensional que se torce. Este mecanismo de torção é capaz de decompor a matéria em electrões e em quarks (partículas subatómicas ínfimas) e a antimatéria em matéria escura. Dito de outro modo, esta torção seria a fonte de energia que se estende pelo espaço e que aumenta a taxa de expansão do universo.

    E como já é minimamente assente, entre a comunidade astrofísica, que o universo está em expansão, esta é a prova que Poplawsky achou suficiente para o fenómeno de torção. (…)”

    1. Olá, Carlos. 😉

      Excelente artigo! Tens plena razão quando diz que este assunto é sumariamente especulativo. Percebe-se semelhanças entre a Singularidade de um Buraco Negro e a Teoria do Big Bang. Isso, talvez, poderia explicar a formação de todo um Universo dentro de um Buraco Negro. Porém, ainda não se sabe o que há depois do Horizonte de Eventos.

      Todavia, surgiu-me essa dúvida:

      1) Se um buraco negro de Schwarzschild é uma região do espaço onde o campo gravitacional é absurdamente forte – onde nem mesmo a luz consegue escapar -, isso também poderia explicar o fato da velocidade de expansão do Universo ser maior que a velocidade da própria luz?

      1. Sim e Não. 🙂

        Eu não sou cosmólogo, mas se bem entendo as “regras”, a velocidade da luz no vácuo é a velocidade máxima alcançável no Universo.

        Dentro do Horizonte de Eventos, as regras a que estamos habituados não se aplicam. Por isso, o campo gravitacional pode superar a velocidade da luz.
        Fora do Universo, ou seja, no Universo no seu todo, as regras normais também não se aplicam. Assim, o Universo no seu todo pode expandir-se a velocidades superiores à da luz, como o faz. Vejo isto como um saco de plástico, em que o que está dentro tem certas regras, mas o saco (plástico) em si pode ter regras diferentes.

        Ou seja, o muito pequeno e o muito grande funcionam com regras diferentes do “normal do Universo que vemos”.

        Claro que, para mim, só pensamos que as regras são diferentes, porque não as compreendemos bem ainda. A verdade será muito mais harmoniosa. Para mim, na minha opinião, somente 😉

        abraços!

        • Cavalcanti on 09/07/2012 at 05:11

        Coincidentemente, há alguns dias, entre um cigarro e outro à noite, divaguei sobre esse assunto.

        Abraços.

    • cesar pinheiro on 07/04/2012 at 00:48
    • Responder

    concordo e compartilho…http://questcosmic.wordpress.com/2012/04/06/a-estrada/

    • Manel Rosa Martins on 17/12/2011 at 05:17
    • Responder

    Seriam duas renas do Pai Natal de grande gabarito filosófico que se poriam a explicar a matéria-escura….:))

    http://www.dailygalaxy.com/my_weblog/2010/02/what-came-before-the-big-bang-leading-physicists-present-a-radical-theory-weekend-feature.html

    • Manel Rosa Martins on 17/12/2011 at 04:52
    • Responder

    Bem, vamos lá por um link para a experiência mental de Einstein.

    Um vídeo da The Open University sobre a Experiência EPR – Einstein/Podolsky/Rosen

    http://www.youtube.com/watch?v=ohfJPboISF0&feature=g-like&context=G2660150ALTtpIIQAcAA

  8. Boas

    Gostaria neste meu 1º comentário deixar os meus parabéns a todos os colaboradores deste blog, que descobri recentemente e que acompanho com uma assiduidade diária.
    Parabéns pela iniciativa.

    Carlos Oliveira:

    Relativamente ao post, cujo o assunto me fascina e me deixa perdido na imensidão do espaço-tempo, não compreendo a tua perspectiva da teoria do Multverso ter nascido da ideia antropocêntrica?

    Gostaria de saber a tua opinião sobre o Big-Bang ter sido provocado pelo choque de universos paralelos e neste caso resolver a questão da singularidade?

    Apesar de as teorias serem especulativas mas possíveis matematicamente, não deixam de ser magníficas e deixam me com a cabeça á roda.

    ‘Este mundo pode ser um fantasma e a existência pode não passar de um sonho, mas este sonho ou este fantasma é para mim bastante real se, ao usarmos bem a razão não formos enganados por ela’ – Leibniz

    Obrigado pela atenção

    1. Olá,

      O problema do Big Bang ter sido pelo choque de universos paralelos está ao mesmo nível de ser provocado pelo choque entre 2 renas do Pai Natal.
      Eu não posso tentar explicar algo com algo que não sei se existe. 😉

      Quanto ao Multiverso:
      http://www.astropt.org/2008/01/17/universo-simulacao-de-computador/comment-page-1/#comment-48510
      O Multiverso nasceu do principio antrópico… deste universo estar feito para nós… daí que se teve que “criar mentalmente” outros. Ou seja, a ideia nasceu de um geocentrismo psicológico. Essa foi a premissa. Se se chegar a essa “conclusão”, então é um argumento circular.

      abraços

    • Manel Rosa Martins on 17/12/2011 at 04:20
    • Responder

    Mas porque não te enfias num bn para depois talvez nos dizeres como é. Prometo que não falaremos doutra coisa durante uns tempos e depois continuaremos todos sem perceber nada.

    O que a teoria diz afinal é que é possível um Universo, este aqui mesmo onde estamos, ter uma rica duma vidinha dentro dum bn assim mesmo a dar para o grande.

    Esse raio que o parta enorme seria afinal uma bolha protectora, nós não lhe tocamos nas paredes e assim em equilíbrio instável estamos todos muito bem assim mesmo tal como está.

    Bem, só um detalhe. Aqui na Terra podíamos de facto estarmos melhor, sobretudo os milhões de pessoas que passam uma vida muito sofrida.

    Que as nossas divagações sirvam para nos treinarmos, mesmo assim em tom de brincadeira, afim de fazermos um mundo um pouco, mesmo que seja só um pouco, melhor. :))

    • Manel Rosa Martins on 17/12/2011 at 03:36
    • Responder

    Vamos lá uma coisa de cada vez.

    Por “luz” vou aceitar que se trata de toda a radiação electromagnética do spectrum.

    E que os teus óculos, como é óbvio, captam essa radiação em todos os comprimentos e onda.

    Então verias parte dessa radiação, a alta energia dos rios gama, das partículas como os neutrões a emitirem fotões de alta energia e isso contaria para o lançamento contabilista das GRB -Gamma Ray Burst, em principio em 2 jactos opostos descomunais. São as maiores explosões do Universo.

    A outra radiação não teria tanta sorte. A sua menor energia seria a sua perdição, as partículas seriam aniquiladas, literalmente esmagadas pela gravidade, entrariam em colapso naturalmente até porque devem, coitadas, ultrapasssara veloc. da luz, e, acima de tudo, deixarias de ver porque ninguém sabe o que está para lá do horizonte de eventos dum buraco negro.

    Alguma luz no sentido figurado chamada informação no sentido “material” também é provável que escapasse numa direçcão que nem o Hawking ainda nem sabe bem qual será, também ele merecia mais experimentação, não é só esta Teoria.

    Acho que talvez tenha conseguido não responder, escapar, à tua pergunta.

    Um detalhe: o post está excelente, explica bem uma teoria que poderia ser complicada de entender, afinal é tudo bem simples,

    Os mesmos dados que constroem a teoria aceite do Big Bang não são postos em causa. são até mais compreensivelmente, no sentido saxónico de mais completo, explicados.

    É fantástico como é possível construir semelhante Filosofia.

    Um abraço :))

    1. Não cheguei a perceber.

      Imagina que estou dentro do Buraco Negro.
      Tudo no Buraco Negro tem gravidade “superior” a C.
      Logo, toda a radiação deverá estar a ser puxada para a singularidade, certo?

      Logo, tudo o que eu veja de radiação… será radiação que está a “fugir” de mim… certo?

      1. hmmmmmmm pera….

        este gajo é parvo!!! 😛 LOL 😛

        esqueci-me ke EU, no buraco negro, também estaria a ser puxado a velocidades superiores a C….

        por isso… voltamos à esperiencia mental do Einstein… com o espelho à frente… mas agora dentro de um buraco negro.

        e agora é ke a minha cabeça deu nó mesmo… 😛

    • Flávio Silva on 17/12/2011 at 03:36
    • Responder

    Então segundo esse artigo, se vivemos num buraco negro dentro de um Universo, então esse universo foi criado como?

    Tem as mesmas propriedades? Eu pessoalmente não gosto da ideia de ciclos e ciclos infinitos de universos a criarem universos mas também não sou muito adepto do Big bang e a expansão do universo,,,,, mas só resta uma dúvida,,,,

    Segundo sabemos um BN é criado nas super-novas que por sua vez o núcleo implore e o universo para criar outro universo mais do que este.

    Então teve que explodir uma estrela de outro universo criar um buraco negro para o nosso universo aparecer? ,,,,, eu não sou especialista nesta matéria mas segundo esta lógica,,,, não faz lógica nenhuma.

    Podem corrigir-me se me enganei em alguma coisa.

    1. Olá Flávio,

      Estamos a falar de buracos negros diferentes 😉

      Parece que existem buracos negros microscópicos. Não são esses que estamos a falar aqui 😉

      Existem buracos negros estelares – fruto da “morte” de estrelas massivas. Não são esses que estamos a falar. 😉

      E existem buracos negros supermassivos no centro de quase todas a galáxias. São desses que estamos a falar 😉
      http://en.wikipedia.org/wiki/Supermassive_black_hole

      abraços

  9. Pergunta: se estivéssemos dentro de um BN não veríamos a luz a ser “puxada” numa única direcção… em direcção à singularidade?

    1. Caso houvesse uma singularidade, sim. Mas, se fosse uma soma BN + WH + BB, sendo que o BB sairia para um “espaço universal”, digamos (espaço que o universo ocuparia), então não.

      Além disso… É complicado falar qualquer coisa sobre o tema, por que não temos como saber (ao menos por enquanto) como é, se é que “é”, um wormhole.

      Complexo. HEHEHE 🙂

      1. o problema é que ainda não encontramos qualquer buraco branco 😉

        e deviam ser mais faceis de detectar que os buracos negros… já que deviam ser chafarizes a jogar matéria :=)

        E mesmo que estivessem quietinhos (tal como os BN não estão sempre a “comer”), deveriamos ver as estrelas a “fugirem” deles….

        por outro lado, se calhar as estrelas já “fugiram”…. daí não notarmos mais isso 😛

        é giro pensar nisto… até porque me ponho a discutir comigo próprio… dando argumentos e contra-argumentos 😛 LOL 😀

      2. Sem dúvidas. Há um sem número de argumentos pra avaliar. Ai acabamos saindo da ciência e caindo na filosofia. 😀

        • tiago on 23/08/2013 at 15:14

        Esse negócio de buracos brancos é meio ultrapassado na verdade, se houvessem buracos brancos seriam gerados por singularidades inversas, mas a singularidade de um BN mantém ele estavel pq ela cai sobre si mesma devido à gravidade, mas o que manteria a singularidade de um BB estável? Ela iria se autodestruir em um pequeno bigbang assim que fosse gerado. Mas, e se a matéria fosse parar em outra “parte” do universo que não vemos, ou em forma de ondas? Assim o buraco branco seria o universo inteiro? Explicaria a inflação cósmica! Afinal, a massa reúne coagula em um só ponto espaço-tempo, a antimassa poderia ser transferida pra própria base do universo, para o universo como um todo. Aliás, fico pensando tbm, do que seriam feitos os limites do universo? Se ele não tivesse limite não seria um circuito fechado, e então tudo escaparia dele, ou talvez o universo não tenha limites, mas seja os próprios limites, como um pedaço de pano, talvez nunca possamos realmente “ver” o que há lá fora pq o universo lá fora não tem tempo ou espaço algum, dessa forma não conseguiríamos sair pq seria como um pedaço de pano sair dele mesmo, se cortássemos o “pedaço de pano”, geraríamos um outro pequeno universo e não conseguiríamos “ver o que há lá fora” e não seria possível entrar em outro universo, pq seria como um pedaço de pano entrar em outro!!!

    2. Vc tem que ver a distorção do espaço/tempo dentro do bn.
      O ponto de singularidade está esticando o e/t de maneira que a luz viaja em todas as direções.
      É preciso perceber que não tem nada puxando nada e sim que os objetos – galáxias – estão caindo em direção à singularidade.

    3. Não vemos “buracos brancos” porque estamos dentro de um massivo BN o limite do universo refere-se justamente ao horizonte de eventos que observamos pelo lado de dentro; aqui na “singularidade” não podemos conceber a luz sendo absorvida em uma única direção pelo fato de não sermos massivos o suficiente para detectarmos esse fenômeno, talvez possamos o possamos sentir, mas ainda é intangível para nós. Lembre-se que nossa ciência há pouco tempo conseguiu emergir das trevas. Ainda há muito o que descobrir.

      Referente a buracos de minhoca dentro do nosso universo, os concebo como redemoinhos dentro de uma enorme massa liquefeita (ou plasmática), isso explicaria o modo como os corpos celestes parecem harmoniosamente sincronizados.

  10. “Pessoalmente, e contra todas a evidências científicas, não gosto muito da ideia do Big Bang – repito que é somente um gosto pessoal e subjectivo, já que neste momento a Teoria do Big Bang é o modelo que melhor responde às observações e evidências científicas que temos para a evolução do Universo.” [2]

    Uma coisa que sempre penso, também, é sobre a criação espontânea de matéria no vácuo quântico ativado e no decaimento de átomos (que, um dia, podem decair para o nada). Talvez isto, no fim das contas, seja uma forma de “reciclagem de matéria”, digamos.

  11. Acho sua teoria interesante .
    Eu falo que o buraco negro não passsa de um portal para outra dimensão

    1. A teoria não é minha 😉

      Outras dimensões não existem “cá fora”… mas sim matematicamente.

      Buracos Negros são simples objectos de grande massa. Nada mais. Não são “portais” para lado nenhum.

      abraços

  12. dailygalaxy.com…

    Outro artigo do mesmo género sobre este tema:
    http://www.dailygalaxy.com/my_weblog/2011/01/updated-new-theory-a-hidden-universe-could-exist-inside-every-black-hole.html

  13. “acho que o Universo nada mais é do que um buraco negro, e que foi causado pela explosão de um Gigantesco planeta”

    <-- isto nunca poderia ser, porque qualquer planeta "gigantesco" é demasiado pequeno (pouco massivo) para explodir e provocar buracos negros. Como comparação, o planeta Júpiter no nosso Sistema Solar é "gigantesco", e no entanto possui menos de um milésimo da massa do Sol. E mesmo o Sol é tão pequeno (pouco massivo) que nunca irá explodir e provocar buracos negros.

    • allan klipfher on 27/08/2010 at 20:47
    • Responder

    Bomm galera, acabei de pensar a mesma coisa que vcis !!
    O homem procura descobrir coisas novas na no espaço, mais o maximo que eles conseguem é bater algumas fotos !!
    Vou falar um pouco do que eu acho …
    Se pararmos para pensar o Universo nada mais é do que um enorme Buraco Negro
    Sera que talvez deixado pela Maior explosão do Universo..??
    O Big Bang !!
    agora vou falar como eu penso

    1° acho que o Universo nada mais é do que um buraco negro, e que foi causado pela explosão de um Gigantesco planeta, e tudo que esta dentro desse universo foi sugado pelo buraco negro .
    na verdade acho que isso tudo que parece enormes como os planetas e galaxias talvez não passe de pequenos cacos deixado pela explosão do meu emorme planeta ( Big Bang )
    pensando assim acho que a gente não passa de vermes que abitão um minuscolo pedaço de terra, que em relação a nós é gigantesco !!

    2°isso explicaria o por que nada “CAI” se estamos dentro de um enorme buraco negro a gravidade impede que os planetas e tudo que esta dentro caia,acho que a pueira que existe aqui tbm foi sugada por esse buraco negro que nós abitamos .

    E se um dia o homem conseguir sair desse buraco que acho ele vai encontrar planetas estremamente grandes que o SOL ou uma anã Gigante seria um pingo de água em comparação !!
    se existe vida que só podemos ver com microscópio, pq não pode existir alguem maior que nós ?? e que pode tbm estar nós observando!!
    O homem procura uma coisa que esta bem de baixo do seu nariz !!

  14. O problema não somente é o quesito especulação do qual a astronomia parte mesmo que conceitualmente teórico por evidentemente não se poder testar e contestar quase nada que é observado se não por quadros matemáticos. Diga-se de passagem nossa visão por demais defasado em propoção a distância em anos luz dos objetos-fenômenos observados.

  15. Penso que no mesmo Universo, o wormhole liga um Buraco Negro (onde entra a matéria) a um Buraco Branco (onde sai a matéria).

    Neste caso é uma ligação entre 2 buracos negros em diferentes universos.

    abraço!

    1. Eu também penso como vc !
      Pra mim buracos negros não são sugadores assassinos, mas um buraco negro é sim um tipo de vórtice (entrada para outra galáxia não descoberta com vida não humana ) e ao entrar em um buraco negro deve ter algum paradeiro pois os buracos negros não podem te sugar e te esmagar , sendo que não é um redemoinho .
      Dá mesma forma em que entra em um buraco negro as coisas devem sair por outro buraco negro…. Um tipo de ligação entre dois buracos negros . Como se fosse um portal ( não exatamente ) …..
      Eu sei que existem vidas em outras galáxias até mesmo em BN’s que levam a outro BN que é ligado a outra galáxia não descoberta com vida e vários outros planetas, pois não é possível que o espaço só tenha vida na terra .. Com esse espaço devem haver mais umas mil espécies de vidas não descobertas !
      Sinceramente existem vidas em outros universos , em outras galáxias , em outros Bn’s !

  16. Tudo muito especulativo. De qualquer forma o desvio dos redshifts foi alvo de uma matéria no Nuncius ( mais especulativa ainda). Mas me cabe uma duvida . Os “wormholes” não ligam dois universos (ou Ligam). Sempre imaginei que ligassem dois pontos afastados no tempo e no espaço porém no mesmo universo. Aliás Einstein e Rosen jamais sustentaram a posiibilidade de Multiversos.

Responder a Márcia Silva Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.