Projecções

E se algumas das coisas que vemos na rua, não existem na realidade, mas são somente projecções?
Do género das que existem em Star Wars, por exemplo.
E, inventando uma conspiração, se tudo o que vemos no céu e até algumas coisas na Terra, são simples projecções de ETs avançados, e nem notamos?

Curiosamente essa é uma das possíveis soluções para o Paradoxo de Fermi: a hipótese de vivermos num grande planetário.

Obviamente que esta hipótese é mais uma que sofre de geocentrismo psicológico: somos especiais no Universo.
Os ETs estão tão interessados em nós que até criam programas enormes para nós.
E os programas que eles criam são semelhantes aos que nós temos, só que a uma escala maior.

2 comentários

1 ping

  1. guerraepaz.netamazon.com…

    Começando pelo fim:
    Há um livro muito giro (divertido, literal, e irónico) sobre um Deus Criacionista, que neste caso do livro é mais “Criador do Universo”:
    http://www.guerraepaz.net/?page=books&item=49

    Quanto a escrever um novo livro sobre a criação do Universo por alguém mais avançado que criasse esse Universo, por acaso também já pensei nisso.
    Porque tem todo o estilo de uma grande história de ficção científica, e eu de certeza que teria muito mais imaginação que as histórias que se ouvem hoje
    🙂

    Já agora, ainda na mesma temática, aconselho a compilação de histórias feita por Greg Benford, chamada Microcosms (porque para qualquer criador, todo o cosmos será um microcosmos):
    http://www.amazon.com/Microcosms-Book-Collectors-Gregory-Benford/dp/0756401712

    Acabo com a menção ao Matrix: como diz lá, teríamos que criar um mundo que não fosse perfeito, porque sem sofrer, as pessoas não acreditam
    😉

    Sempre a Red Pill… até porque sou do Benfica… ehehehehe
    🙂

  2. Comprimido azul ou vermelho??
    Estamos no “Matrix”??

    Alguma vez se perguntaram, se fossem “Deus”, como criariam o universo? Podemos aplicar isso a um mundo virtual, se quiséssemos criar um mundo virtual ( independentemente das razões, pode ser usado para simular cenários históricos, avaliar decisões ou porque sim ) como o faríamos? Poderíamos introduzir elementos digitais e ter uma floresta com árvores todas iguais(como acontece nos vídeo-jogos ) ou podíamos fazer as coisas direitas e introduzir elementos analógicos permitindo que os elementos se diversifiquem evoluindo sob os efeitos do ambiente que se encontram. Com isto não existe a necessidade de criar todos os elementos existentes, só a matriz de crescimento. Como a evolução é algo imprevisível ao introduzir características chave em certos indivíduos pode-se controlar a direcção que ela leva.

    Meter isto em palavras é mais difícil do que parecia na minha cabeça.
    Agora digam-me, o senhor que escreveu o livro sobre a concepção inteligente podia ter feito um trabalho melhor ou não?
    Já pensei em escrever um livro sobre isto e vende-lo a criacionistas, mas ou escrevia de maneira pouco religiosa e não vendia ou vendia a alma ao dinheiro, desisti…

  1. […] comentário do nosso leitor “bigkax”, neste post, fez-me reflectir sobre o papel do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.