Segue 1

segue 1

Segue 1, é uma galáxia anã, satélite da Via Láctea.
Tem muito pouca luminosidade – a sua luminosidade é mil milhões de vezes menor que a Via Láctea.
O interesse principal desta galáxia é que é 1000 vezes mais massiva do que parece. Ou seja, a maior parte da sua massa, será matéria negra.

Podem ler em português, e em inglês, aqui, aqui, aqui, aqui, e aqui.

16 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Novos estudos sobre a galáxia fóssil Segue 1, aqui:

    Segue 1 – a galáxia fóssil nos revela os segredos do universo primitivo
    http://eternosaprendizes.com/2014/05/08/segue-1-a-galaxia-fossil-nos-revela-os-segredos-do-universo-primitivo/

    \o/

  2. Mr. Shankly tem razão. Algumas mulheres devem ter uma boa porção de matéria negra. Isso explica muitos fenómenos aparentemente inexplicáveis. 😀

  3. ROCA,

    A vizinha de cima pode ter matéria escura espalhada pelo seu “halo”, que não se consegue ver… mas que por existir, atrai mais os outros corpos
    😉

    P.S.: note que o exemplo é só uma brincadeira com a matéria escura e a força de atracção 🙂

  4. ERRADO caro MR.Shankly

    As duas vizinhas são compostas de matéria bariônica (convencional) uma tem mais gordura que a outra (ou é mais alta, será?).

    Nenhuma das duas é composta de matéria escura. A matéria escura atravessas nossos corpos e não interage com nossa matéria.

    Em nossa galáxia, a Via Láctea, a matéria bariônica se espalha pelo disco galáctico com um diâmetro de 100.000 anos luz. Já a matéria escura se espalha no halo de matéria escura com um diâmetro de 600.000 anos luz…

    [Fonte: SCIAM/Duetto edição especial número 1 VIA LÁCTEA 2010 página 46 – ‘componentes da Via Láctea’] (imperdível)

  5. Exacto 😛 LOL

    A vizinha de cima tem matéria/massa que não consegue ver 😛

  6. Bom, a minha vizinha de cima pesa cerca de 55 kgs (imagino eu) e eu sinto-me muitíssimo atraído para ela. Já a da frente pesa uns 120 e eu não me sinto minimamente atraído para ela. Devia ser ao contrário, pelo que imagino que a de cima seja constituída também por matéria negra. É assim?

  7. Ainda lançamos um boato. 😀

  8. Eu por vezes sinto-me “puxado gravitacionalmente”.
    Serão eles?
    ehehehehe 😛

  9. Carlos,

    Quanto à possibilidade da existência de formas de vida feitas de outra matéria, isso tornaria muito mais difícil a sua detecção. 🙁
    Se a Via Láctea tem uma quantidade apreciável de matéria negra, é provável que exista também nas imediações da Terra. E a verdade é que, aparte da interacção gravitacional que tem com a matéria bariónica, até agora não sabemos nada acerca da sua forma e da sua natureza.

  10. newscientist.com…

    Pois é Carlos. O artigo em eternos aprendizes é uma compilação de diversas fontes e sites. Este tema é um ‘animal raro’ e o artigo de partida da New Scientist era muito curto:
    http://www.newscientist.com/article/dn18357-ghost-galaxies-may-haunt-the-milky-way.html

    Assim, complementei a pesquisa com artigos mais antigos sobre a Segue 1, matéria escura e perfil rotacional de galáxias. Note o diagrama do site da UFRGS:
    http://astro.if.ufrgs.br/vialac/node5.htm

  11. Pronto, tendo em conta os vossos comentários (Sérgio e ROCA), já corrigi o post.

    Obrigado!
    🙂

  12. newscientist.comnewscientist.com…

    Olá ROCA,

    Essa é a imagem real feita pela Marta Geha, ou é também uma aproximação, como a imagem que eles (equipa da Marta Geha) puseram no site da notícia original de Yale?
    http://opac.yale.edu/news/article.aspx?id=6037

    É que isto é já uma notícia de 2008…

    Eu só dei a notícia, porque gostei do conteúdo 🙂
    mas não é por ser recente
    😉

    Fui ver os seus links, e por exemplo você põe links da Universe Today, Space.com, Astronomy, etc, de 2008 também… com a imagem que não é a Segue 1, mas sim a que Yale deu.
    😉

    Daí que fico na dúvida.
    Onde você viu a imagem que colocou?

    ahhh vi agora num link: da New Scientist – é a única a ter a imagem da galáxia.

    Pronto, ok.
    Em inglês, a imagem real da Segue 1:
    http://www.newscientist.com/article/dn14763-astronomers-find-universes-dimmest-known-galaxy.html
    http://www.newscientist.com/data/images/ns/cms/dn14763/dn14763-1_600.jpg

    Continuo sem ver a galáxia lá nas imagens, mas lá está… deve ser próximo do invisível 🙂

    Obrigado, ROCA, pelo link pró seu artigo 🙂

  13. Carlos,
    Em janeiro de 2010 postei artigo (com várias fontes) falando sobre galáxias furtivas que fogem da detecção. Neste falamos da Segue 1. Lá há uma foto da Segue 1 a partir da pesquisa SDSS/Marta Geha.

    http://eternosaprendizes.com/2010/01/29/galaxias-furtivas-vizinhas-espreitam-a-via-lactea-e-escapam-da-deteccao/

  14. Quanto à 2ª parte do teu comentário (nem reparei nele inicialmente), a resposta é simples: não sei e duvido que alguém saiba
    😛

    Para a minha área só digo que é redutor pensar-se somente em ETs feitos da nossa matéria, quando a maior parte da matéria existente no Universo tem “outra qualidade”
    😀

  15. Sim, Sérgio, eu sei 🙂

    Tu deste o mesmo link que eu dei no post…

    Não encontrei qualquer imagem da Segue 1, por isso coloquei doutra galáxia, só para ficar como Galáxia… mas se as pessoas forem aos links, penso que se percebe.
    É que mesmo a notícia original de Yale, que também está nos links, não tem imagem da Segue 1.
    Por isso, nem sei se existe imagem dessa galáxia anã! 😛

    Mas sim, tens razão: esta não é a Segue 1.

  16. dailymail.co.ukeso.org…

    Olá Carlos,

    Só uma pequena correcção: esta não é uma imagem de Segue 1 (como é sugerido em http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-1061211/Pictured-The-dark-matter-galaxy-orbiting-Milky-Way.html), mas sim da Galáxia M104 (talvez uma imagem em infravermelho?). Compara com esta outra imagem (http://www.eso.org/public/images/eso0007a/) captada pelo ESO.

    Quanto ao post em si: é de facto intrigante esta matéria negra. Não absorve nem emite luz e denuncia a sua presença apenas pela interacção gravitacional que tem com a restante matéria. No entanto, constitui cerca de 80% de toda a matéria do Universo.
    Quando é que iremos desvendar a sua natureza?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.