Google+

«

»

Jan 14

Campo Magnético e Ofiúco – a mudança de signo

ophiucus

Nos últimos 2 dias, houve uma ENCHENTE de artigos de jornais e programas na TV sobre estes 2 temas.
Pensei que tivesse sido só aqui nos EUA, mas hoje, acordo, vejo algumas notícias em Portugal, e vejo que o mesmo se passa em Portugal.

Vejam por exemplo, este artigo na Visão.
Alguns “jornalistas” (entre aspas, porque de jornalistas não têm nada ao cometerem estas idiotices) contactam astrólogos para saber mais sobre o assunto! Sim, uma notícia da astronomia, é investigada por “jornalistas” contactando os mentirosos dos astrólogos!!! É como se o jornalista quisesse saber mais sobre cirurgias ao cérebro, e em vez de contactar um neurocirurgião, decidisse ir perguntar ao vizinho, que é trolha, ou perguntasse a um shamã para lhe explicar a notícia! Enfim!!! Leiam a idiotice desta entrevista, com as mentiras disseminadas pelos pseudo, no Record.

Leiam por exemplo este artigo na FOXnews, e leiam a resposta do Phil Plait.

Vejam por exemplo este programa na MSNBC:

Até o Daily Show fez um segmento engraçado sobre isto:

The Daily Show With Jon StewartMon – Thurs 11p / 10c
Stars War
www.thedailyshow.com
Daily Show Full EpisodesPolitical Humor & Satire Blog</a>The Daily Show on Facebook

Quanto ao campo magnético terrestre, e seu efeito nos aeroportos, já expliquei neste post.

Quanto a Ofiúco e à existência de 13 signos, deve-se à Precessão, que é um dos 4 movimentos naturais, básicos, e graduais da Terra.
A Precessão já é conhecida há mais de 2000 anos!!!! Logo, não é nada de novo!
É um movimento gradual (como a rotação ou a translacção, por exemplo), e que demora 26.000 anos!

Logo, dizer que “o zodíaco mudou” é levar as pessoas ao engano, porque dá a entender que “mudou rapidamente”.
O zodíaco, modernamente, NUNCA foi aquele que aparece nos jornais.
Durante 26.000 anos, o zodíaco vai mudando todos os anos.

E não é só os 13 signos que é importante referir.
Mas é importante referir que os signos têm diferentes tamanhos.
Astrólogos convencionaram que todos os signos tinham 30 dias, porque era mais fácil para ENGANAR as pessoas. Foi só isso.
Porque na realidade, nenhum signo tem a mesma duração de outro.
Há signos que duram 45 dias, e outros que duram somente 6 dias!

Tudo isto, já tinha sido explicado, neste nosso post.

zodíaco

O que se passou nesta semana, foi simplesmente isto: uma amiga minha que trabalhou comigo no Maryland Science Center, em Baltimore, há 10 anos atrás, actualmente trabalha no Minnesota Planetarium Society.
Inteligentemente, decidiu fazer uma campanha de promoção do planetário.
Pensou em que poderia fazer, e lembrou-se de divulgar algo que é conhecido há mais de 2000 anos.
Nada melhor que a informação sobre os signos (que tem o interesse das pessoas), para informar melhor a população.
Vai daí, um dos astrónomos residentes, contactou os jornais locais, para ir em frente com essa campanha.
Os jornalistas locais, como não entenderam que isso era uma informação já por demais sabida, imaginaram que “algo tinha mudado nos céus”. Os jornalistas nacionais tiveram acesso a essa informação, e divulgaram como se fosse novidade. E os jornalistas de outros países estão agora a fazer o mesmo!
Mais palavras para quê???

Neste caso, culpo os jornalistas por “seguirem as modas”, em vez de contactarem os especialistas.
Também os critico, porque em vez de darem a informação como deve ser, preferem “deixar no ar” a ideia que isto é novidade.

Por último: excelente campanha de marketing da Minnesota Planetarium Society!!!
Correu muito melhor do que eles alguma vez imaginaram!

astrology is bull

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
É actualmente Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

12 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. bigkax

    youtube.comtheonion.com…

    Ia fazer um comentário sobre tempo perdido com futilidades mas depois lembrei-me desta cena: http://www.youtube.com/watch?v=d6V9ArHzwwA
    Se trocarmos 2 ou 3 palavras temos algo…

    É por coisas como esta que eu deixei de obter as minhas noticias por canais convencionais. O pior é que há pessoas que pagam para ter noticias destas.
    Tem televisão com dezenas de canais e os que valem a pena ver nunca são vistos. Aprendi mais sobre catolicismo com o canal Historia/Odisseia/Discovery do que em 4 anos de catequese.

    Estas pessoas passavam melhor se obtivessem as noticias daqui: http://www.theonion.com

  2. Carlos Oliveira

    Esqueci-me de ver o novo episódio ontem, de The Big Bang Theory… vou tentar ver agora na web
    😛

    Por acaso, por aqui há cada vez mais gente (mais novos) a preferir The Onion, Daily Show, e The Colbert Report… do que os jornais/programas tradicionais.
    Eu sou um deles.
    😉

  3. Luis Carrilho

    Fiquei espantado ontem com a quantidade de pessoas que falava sobre os signos. umas na brincadeira, outras mais a sério. Decididamente não deve haver nada de interesse para esta gente que “papa” o sensacionalismo. Tenho a mesma perspectiva que o “Bigkax”, Historia,/Odisseia/Discovery/NG são os canais que mais vejo

  4. bigkax

    “Se afinal o meu signo é balança o que faço á minha tatuagem com um escorpião?”
    Se alguém fez uma tatuagem com o “signo” provavelmente merece isto. Uma coisa é ir a Las Vegas ficar bêbado até mais não e casar-se com uma prostituta, outra é conscientemente tatuar o signo. Sempre podiam ter feito uma assim: http://img213.imageshack.us/img213/997/04kittyfanft2.jpg

  5. Filipe Dias

    startribune.comthedailybeast.comEu acho que ficava mais simples se fizessem nos signos o mesmo que se faz com os dias do ano: A cada ano bissexto aparece mais um dia que não existia.. Por exemplo, existem 12 ou 13 lunações durante um ano, e podia-se fazer o mesmo com os signos. Assim a cada 5 anos, havia 3 que tinham 12 signos, e 2 anos com 13 signos. Assim já batia certo com uma periodicidade de 29,5 dias para cada signo caber em 5 anos sem problemas.

    Mas espera lá, tudo isto começou com uma inofensiva entrevista a um astrónomo na televisão??? (http://www.startribune.com/lifestyle/style/113100139.html) Ou será que começou quando algum jornalista teve a sua primeira sessão no planetário do Minnesota e foi abrir a boca cá fora?

    Este artigo tem alguma piada:
    http://www.thedailybeast.com/blogs-and-stories/2011-01-14/zodiac-signs-change-no-astrologists-say/
    Nele pode-se encontrar uma entrevistada Gémeos, que é particularmente teimosa a recusar ser-se considerada Touro, porque ela gosta de se considerar com uma mente aberta e disponível à mudança, e não se identifica com o Touro por esse signo ter a teimosia como principal característica.

    Mas também se encontra no artigo um astrólogo dizer “It’s truly daunting how a story filled with misinformation can spread so fast. It’s shocking,”.
    Parece-me que ao menos aqui há consenso, mas mais do que será que a astrologia existe como ciência, ou será que a astronomia nos diz alguma coisa sobre como nós agimos, eu acho a mensagem subjacente a isto tudo é como a sociedade está!

    Porque razão é que alguém diz uma coisa absurda para umas pessoas como “o mundo acaba em 2012” e isto consegue espalhar-se como assunto de conversa com convicção pelo globo inteiro, e como é que alguém diz uma coisa absurda para outras pessoas como “há 13 constelações do do zodíaco no céu” e mais uma vez isto consegue espalhar-se pelo globo da mesma forma…
    Uma coisa que ninguém vê é o “canal de comunicação”! O canal de comunicação que transmite esta informação não é independente da própria informação! Não é isento! Cada um que passa a informação passa-a de forma diferente consoante acha a informação mais importante/relevante/interessante ou não. E se for investigar alguma coisa do que já recebe, vai fazê-lo de acordo com o que conhece. (estou a ser bonzinho)
    Nos dias que correm, há partes da informação que chegam mais de pressa do que o que realmente se passou.

  6. Carlos Oliveira

    bigkax: finalmente enviaste uma foto tua!!! Agora já sabemos quem és
    😛 eheheheheheheheh

    Filipe: ainda bem que a Gémeos não é teimosa!!! LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
    😀

  7. Carlos Oliveira

    Só mais um comentário para dizer algo que pensava que era claro para todos.
    Isto não é nada de novo. Já se sabe há milhares de anos e aprende-se na escola.
    Isto são coisas que se aprende na escola… se não me engano no 7º ou 8º anos.
    Os movimentos da Terra são explicados nessa altura, para os alunos. Seja a Rotação (dia), a órbita (ano), ou a Precessão (que demora 26000 anos e afecta os “signos”).

    Ou seja, quem se deixou levar por estas coisas… precisa de rever a sua matéria de quando andava na escola…
    😛

    Claro que para os pseudos, que ignoram estas coisas básicas, esses continuam a vender a astrologia como verdadeira, e continuam a dizer que a Terra é plana (sim, existe uma Sociedade que diz isso, e tem muitos membros) quando basta a pessoa ter olhos na cara e perceber que não é, como Aristóteles também provou há mais de 2000 anos atrás
    😛

    quem acredita na astrologia… talvez precise rever mais do que um livro de escola… quiçá até livros da Primária, onde também se fala de planetas…
    😛

  8. Carlos Oliveira

    youtube.comyoutube.com…

    Ouvi agora na RTP, um canal que é pago pelos contribuintes, a falar deste assunto.
    Quem convidaram? uma astróloga!!! Mais uma vez, a idiotice de falarem com pseudos. Enganam a audiência… e é essa audiência que lhes paga para isso!
    Além disso, o apresentador Jorge Gabriel disse várias coisas sobre a ciência, e sobre o assunto, que não corresponde à verdade. Ou seja, denotou GRAVES FALHAS sobre o que é a natureza da ciência, mas afirmou na mesma, enganando assim a sua audiência.
    Para quê falar-se a verdade, para quê pesquisar para se ter conhecimento, quando é mais fácil opinar sem se saber do assunto???
    Enfim…

    Mas este programa, Praça da Alegria, é o mesmo que acha que as “possessões demoníacas” podem ser verdade. É a chamada promoção da irresponsabilidade, em que as pessoas dizem que não cometeram um crime, mas foi sim um “demónio”. É a também chamada promoção da estupidez, porque os exorcismos sempre se fizeram para “curar gays”, “curar epilepsias”, curar… etc… ou seja, o que a Igreja definisse como distúrbios mentais… quando agora se sabe que não tinha nada a ver com demónios.
    Mas para quê pensar?
    É certo que eles deram hipóteses racionais para “despistar” as possessões.
    No entanto, nunca afirmaram que “possessões demoníacas” são mentira. Pelo contrário, por todo o lado dão a entender que é algo que pode ser verdadeiro! Que se pode tirar o demónio da pessoa! E terminam a dizer que “acreditam no mal”, mesmo afirmando que “estar possuído” é diferente de “perder o controlo”.
    Divulgam-se crenças irracionais, como se esses casos não tivessem respostas racionais!
    http://www.youtube.com/watch?v=PgWb8uToegA
    http://www.youtube.com/watch?v=kf5RcuPz7Fc

    Ou seja, é mais um programa na TV que promove a imbecilidade das pessoas para níveis daqueles em que estavam na Idade das Trevas (chamada assim, devido às pessoas acreditarem nestes absurdos).

    A hipocrisia de quem fala para uma televisão (dada pela ciência) para promover conceitos anti-ciência!

  9. Carlos Oliveira

    Foi descoberta uma estrela fugidia em Ofiúco:
    http://www.astropt.org/2011/01/25/ofiuco-com-estrela-fugidia/

  10. Pedro Cabral Cavalcanti

    As pessoas devem abrir a mente para novas teorias. É preciso ler meu livro (…) para saber a diferença entre signo e constelação e acabar com essa dúvida de uma vez. Nele, lanço uma nova teoria sobre o zodíaco como sendo o próprio campo magnético terrestre originado na formação da Terra e imutável. Na realidade, Serpentário não é um signo e sim uma constelação que está entre Escorpião e Sagitário atualmente. Na formação da Terra se existiu sua influência ele foi incorporada às de Escorpião e Sagitário, ou então ela estava fora da eclíptica (caminho do Sol).

  11. Carlos Oliveira

    Demasiada abertura de mente, cai-lhes o cérebro… que é o que se passa com TODOS os CRENTES PSEUDO-RELIGIOSOS na Astrologia.

    O seu livro é mais um livro de conhecimento pessoal, new age.
    Nada tem a ver com astrologia, nem com ciência, nem sequer com “teorias”.

    Aliás, todo o seu comentário PROVA que NÃO sabe o que é uma TEORIA.
    Acha que por ter uma ideia disparatada, isso faz desse disparate uma Teoria.
    Não, não faz!
    Aprenda o que é uma teoria, antes de fazer comentários sem sentido.

    Por fim… o campo magnético imutável… LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
    Esta é a parte HIPOCRITA.
    Usa-se computadores dados pelos cientistas, para se enganar a população com MENTIRAS pseudo. Ou seja, usa-se o prato da ciência, para se cuspir nele. Enfim…

    P.S.: editei o seu comentário, porque o astroPT não serve para vir fazer publicidade indecente ao seu livro pseudo, como fez em dezenas de outros sites, com o MESMO comentário.

  1. Carlos Oliveira, o emigrante cósmico | Bitaites

    […] da Precessão, quando eu nasci na verdade a constelação era Caranguejo. Ou seja, na realidade, eu nasci sob o signo Caranguejo. E por incrível que pareça, também tenho características desse signo. E ainda mais estranho, […]

  2. Astrologia para pessoas estúpidas

    […] porque os fundamentos da astrologia são contrários ao conhecimento científico, como por exemplo, este e […]

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>