Os Motivos do Aquecimento

i

Será óbvio pensar que a causa para o aquecimento global seja o aparecimento da era industrial e a emissão industrial de gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono e o metano.

Seria previsível estarmos a arrefecer até atingirmos uma nova idade do gelo. A última foi há cerca de 11 mil anos. No entanto algo parece ter invertido essa tendência.

Este post dá uma visão um pouco diferente da que estamos habituados. É um resumo de um artigo da SCIAM:

Com o aparecimento de fábricas e o consumo exacerbado do carvão, as sociedades industriais passaram a libertar dióxido de carbono (CO2) em grandes quantidades na atmosfera. No entanto, parece que os nossos ancestrais começaram a lançar gases de efeito estufa vários milhares de anos antes da era industrial.

Evidências actuais mostram que as concentrações de gases de efeito estufa começaram a subir. Há cerca de 8 mil anos foi o CO2 e há 5 mil o metano (CH4). Sem estes aumentos a temperatura actual seria de 3-4ºC mais baixas.

Há 8 mil anos a tendência dos gases de efeito estufa deixaram de acompanhar o padrão previsível de longo prazo. Comportamentos como o desmatamento e irrigação de lavouras incrementaram mais CO2 e CH4 na atmosfera. O aumento foi mais acentuado com a industrialização.

Além de efeitos humanos também existem efeitos naturais relacionados com a alteração do clima a longo prazo. Os ciclos orbitais terrestres, de 100 mil, 41 mil e 22 mil anos, têm a capacidade variar a radiação solar em mais de 10%. Estas alterações são responsáveis pelas eras glaciares e pelos períodos interglaciais.

No fim do último período glacial, as calotas de gelo desapareceram do norte europeu a americano. O gelo que prosperou 100 mil anos, desapareceu há 6 mil.

A partir duma amostra de 2km extraída do lavo Vostok, em 1990, foi possível determinar que as concentrações de CO2 e CH4 apresentaram um padrão regular de subidas e descidas ao longo dos últimos 400 mil anos. O CH4 flutua no período de 22 mil anos, correspondente ao ciclo obrital terreste chamado precessão. Os continentes setentrionais aproximam-se do Sol no Verão, devido à alteração do eixo de rotação da Terra. Essas zonas ficam alagadas pelo derretimento do gelo e a matéria orgânica começa a decompor-se. Este evento emite grandes quantidades de metano.Um aumento de temperatura promove um aumento de metano libertado de duas formas:

1- Ar húmido viaja para o continente através do oceano Índico, que promove monções que inunda grandes regiões que eram secas.

2- No norte da Ásia e Europa, os verões quentes derretem áreas por períodos mais longos.

Estes dois processos permitem mais crescimento de vegetação e, por conseguinte, mais decomposição.
William F. Ruddiman verificou, em amostras do lago Vostok, que as concentrações de metano em períodos interglaciais tinham alcançado os 700 ppb (partes por bilhão). 11 mil anos mais tarde, quando a luz de verão foi diminuindo até ao limite inferior, as concentrações chegaram aos 100 ppb. Hoje, se a tendência se mantivesse, as concentrações de metano seríam de 450 ppb. No entanto, há cerca de 5 mil anos a tendência alterou-se e as concentrações voltaram a subir para os 700 ppb, um pouco antes da era industrial.
O CO2 também teve um comportamento estranho, com um pico de 275-300 ppm no início dos períodos interglaciais. Caíam ao longo de 15 mil anos para cerca de 245 ppm. No período actual este gás alcançou o pico de há cerca de 10 mil anos e começou a caír. Contudo, em vez de decaír até hoje a tendência inverteu-se há 8 mil anos. No início da era industrial as concentrações de CO2 já estavam nos 285 ppm (40 ppm a mais do esperado).

Como se explicam as reversões tendenciais das concentrações de metano e dióxido de carbono? O metano aumentou devido ao aumento das áreas alagadas no Ártico. A alteração das concentrações de CO2 é atribuída às perdas de vegetação e à alteração química do oceano. A grande questão é, se os gases, nos quatro períodos interglaciais anteriores caíam e neste aumentam?

Cultivo de Irrigação

O factor mais provável do aumento das concentrações de gases de efeito estufa neste periodo interglaciar é a agricultura, que teve início no Crescente Fértil há cerca de 11 mil anos. As plantações de arroz produzem grandes quantidades de arroz, com a vegetação a decompor-se nas águas paradas. Outro evento que liberta carbono para a atmosfera são as queimadas para chamar caça e promover o crescimento de arbustos. Um outro factor são as fezes de humanos e animais que lançam metano na atmosfera. Daí que ocorreu um aumento gradual da concentração desse gás acompanhando o crescimento da população. Mas qual foi o processo que determinou a reversão da tendência dos gases? A subida drástica ocorreu no momento em que se iniciou a agricultura de irrigação no sul da Ásia, há 5 mil anos. Foi uma época em que se inundaram grandes extensões para cultivo de arroz.

Uma outra prática que potenciou a subida das concentrações foi o desmatamento, que teve início há 8 mil anos. Em Inglaterra, até 1086 90% da floresta tinha sido cortada. Ainda investigações concluem que regiões nos vales dos rios da Índia e China foram desflorestadas há 2-3 mil anos.

Era Glacial Evitada

Anomalias de 250 ppb de CH4 e de 40 ppm de CO2 até ao séc. XVIII levaríam a um aumento das temperaturas médias globais de 0,8ºC. No entanto o aumento foi de 0,6ªC.

O motivo desta discrepância é que o aumento de temperatura foi travado por uma baixa de temperatura natural. O total líquido foi um arrefecimento gradual de verão até ao séc XIX.William F. Ruddiman, Stephen J. Vavrus e John E. Kutzbach criaram um modelo climático para prever quais as temperaturas actuais na ausência dos gases de efeito estufa gerados por actividades humanas. A simulação conclui que o planeta sería 2ºC mais frio. Assim, as temperaturas estariam no caminho para a nova era glacial, se não fosse a agricultura e a industrialização.

SCIAM, William F. Rudiman, “A Mão do Homem”

11 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Obrigado! Vou me ligar mais! 🙂

  2. Boa tarde!

    Li a matéria do seguinte link acerca da atividade do Sol:

    http://www.apolo11.com/spacenews.php?titulo=Atividade_solar_fraca_estamos_no_inicio_de_uma_nova_era_glacial_&posic=dat_20150817-095713.inc

    Bom, há algumas informações novas, ou continua com o que já se sabe?

    Estamos passando ou poderemos passar por um resfriamento global?

    O aquecimento global pode ajudar caso haja uma nova mine Era do Gelo? E poderia ter algo na atmosfera que impeça o calor de entrar na Terra?

    Não há mesmo comprovação de que a baixa atividade do Sol tenha influência no clima da Terra?

    Obrigado

  3. Bom dia!

    “Além de efeitos humanos também existem efeitos naturais relacionados com a alteração do clima a longo prazo. Os ciclos orbitais terrestres, de 100 mil, 41 mil e 22 mil anos, têm a capacidade variar a radiação solar em mais de 10%. Estas alterações são responsáveis pelas eras glaciares e pelos períodos interglaciais.”

    – Há previsão de quando será a próxima? E nesse período, é possível vivermos normalmente?
    E o período de duração desses ciclos, glaciais e interglaciais, são longos? Para ocorrerem é algo de centenas de anos?

    – Li uma matéria dizendo que esperam uma nova “mine era glacial” daqui a 15 anos. Isso procede? Ou apenas se ocorrerem vários ciclos do Sol com baixa atividade, sem previsão ao certo? E, nesse caso, poderemos também viver normalmente?
    Não seria como no filme “O Dia Depois de Amanhã”, certo?

    – Por um lado, esse aquecimento seria bom?

    – Como são esses ciclos orbitais terrestres, que levam á esses períodos?

    Obrigado

    1. Não, não procede. Era puro sensacionalismo.

    • Ana Guerreiro Pereira on 04/03/2011 at 19:05
    • Responder

    tenho uma visão semelhante: a actividade antropogénica não provocou o aquecimento global. Intensificou-o e acelerou-o, sim; mas não o provocou. Como poderia provocar algo que é natural e que faz parte do ciclo climático natural?… mas, sem dúvida que o intensificámos e acelerámos. E, se o permanfrost derreter… ai poisé…é metano a encher o ar como nunca se viu; e, sabendo nós que o metano promove um efeito de estuda muito maior do que aquele que advém do CO2…

    No entanto, estão-se a fazer previsões de algo que já mostrou ser um tudo ou nada imprevisivel…o clima. Há sempre uma variável qq que nos escapa, há sempre uma borboleta que bate as asas do outro lado do planeta, há sempre tendências que se invertem.

    É um facto que o aumento da concentração de CO2 e metano na atmosfera aumentou gradualmente desde o advento da agricultura e sedentarização do homem. No entanto, tb é um facto comprovado e consumado que nunca a terra teve tanto CO2 e metano na sua atmosfera como hoje, num aumento exponencial que teve o seu incremento com a revolução industrial. Nem nunca se alterou tanto a face da Terra como nos últimos 50 anos.

    Há quem afirme que um nivel elevado de CO2 contribui para uma maior vegetação, culturas, etc. É verdade, isso é certo; no entanto, vivemos num ecossistema dinâmico, em que as coisas são determinadas por múltiplos factores e não só por um. Neste caso, por exemplo, está a ser esquecido que se a qualidade dos solos (que se agrava com o aquecimento, devido à seca e com a desflorestação e afins, devido à erosão…) não for a melhor, esse CO2 não vai servir para nada. Tb está demonstrado que certas plantas em ambientes demasiado impregnados de CO2 não o incorporam da forma desejável e não são sequer nutritivas… lá porque as plantas absorvem CO2, não significa que não asfixiem num ambiente carregado dele, certo?… tudo tem peso e medida, e o que faz o veneno é sempre a dose. Portanto, é certo que o CO2 é benéfico, sim, mas até certo ponto e tendo em consideração a qualidade dos solos (só para listar uma outra variável, porque ainda temos que ter em conta a irrigação adequada, a temperatura adequada…). Infelizmente os aspectos negativos da intensificação do aquecimento global suplantam os que poderiam ser positivos…e ameaçam mesmo a vida como a conhecemos…

    Claro que daí a um cenário do género O Dia depois de Amanhã… LOLOLOLOL!! (ri-te, ri-te… :D)

    O aquecimento global está aí, veio para ficar e durar. Resta saber qto tempo. E qto tempo depois dará lugar a uma nova era glacial… porque essa, tb vai vir 😛 resta saber quando 😀

    Por acaso, detesto calor 🙁

  4. Não, não é mentira!

    É mais uma modulação incomum de algum satélite de GPS. Ou seja, um sinal ET!

    Duvidam?

    Perguntem ao pessoal do SETI. 😀

  5. Dário,

    Eu detesto o frio… por isso, ainda bem que estamos mais quentes
    😛

  6. youtube.comA mim fez me lembrar disto: http://www.youtube.com/watch?v=dcWR9sjBy3A

  7. youtube.comdesculpa o off-topic, mas gostaria de saber a vossa opinião sobre este video(s), que surgiu à dias na net

    http://www.youtube.com/watch?v=Ggzl8z9Csho

  1. […] Os websites de conspirações e a comunicação social que tem falta de pensamento crítico “piram” com estes assuntos. Assumem como verdade estes assuntos ridículos, ao mesmo nível do OVNI de Jerusalém. […]

  2. […] ler mais sobre o aquecimento provocados pela agricultura aqui: Os Motivos do Aquecimento antes de apresentar 5 passos para a distribuição equitativa da alimentação sem danificar o […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.