Colisão perigosa

Numa leitura feita no Quero Saber deste mês podemos encontrar o tema dos meteoritos e da ameaça que estes representam para a Terra.

Imagem da revista Quero Saber.

Na rúbrica da revista podemos ver a infografia das futuras ameaças destes objectos que já foram cartaz de cinema por inúmeras vezes (por exemplo Meteor, com Sean Connery, de 1979; Deep Impact, de 1998 e Armageddon, com Bruce Willis e Ben Affleck, de 1998).

Fruto da colisão de asteróides, fragmentos de cometas ou de restos de planetas, estes pequenos corpos celestes, denominados por meteoróides, viajam pelo nosso sistema solar e o seu tamanho pode variar desde uma simples poeira a corpos celestes com quilómetros de diâmetro.

Os meteoros, meteoróides que entram na atmosfera terrestre e que incandescem devido ao atrito, pois viajam a uma velocidade 8 vezes superior à velocidade do som, ao alcançar a superfície da Terra, são designados por meteoritos e podem ser um aerólito (rochoso), siderito (metálico) ou siderólito (metálico-rochoso).

O maior meteorito encontrado em Portugal foi descoberto em 1877, em S. Julião de Moreira, Ponte de Lima e tinha uma massa de 162 kg.

“Wasson, em 1969, efectuou uma análise detalhada do meteorito que possibilita classificá-lo na moderna terminologia dos sideritos. Obteve a percentagem de 6,1 de Níquel e os valores, em ppm, de 46,2 para Gálio, 107 para Germânio e 0,012 para Irídio, o que permite dizer que se trata de um meteorito férreo do tipo II-B.” in geocaching.com

Publicações de apoio:
“Meteoritos” de José Fernando Monteiro
“Note Sur un météorite ferrique” de Alfredo Ben-Saúde

O maior conhecido é o Hoba West, foi encontrado na Namíbia, tem 2,7 m de comprimento por 2,4 m de largura e uma massa estimada de 59 toneladas. (fonte: Wikipedia)

1 comentário

  1. Esse vídeo é mesmo “the stuff that nightmares are made of”…

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.