Ameaça Pseudo

bleep

What the Bleep do We Know?” (o que sabemos?) é um documentário que teve tremendo sucesso (em termos de publicidade e críticas) quer a nível da comunicação social, quer na net (está no YouTube), recebendo até vários prémios para melhor documentário.
A maior parte das pessoas adorou o documentário, porque finalmente lhes explicava o que era a quântica, dava-lhes conforto, e ainda lhes explicava o que a ciência não sabe.
De uma forma popular, e utilizando expressões da ciência (sobretudo quântica), o documentário explicava as ideias New Age de como o Universo está interligado através de “energias invisíveis”.
O que o documentário diz que faz é ligar a ciência (quântica) ao misticismo das “sabedorias ancestrais” (do “conhecimento milenar”).

Para quem ignora o que é a ciência, este documentário prova as suas dúvidas. Daí que não é de estranhar que este documentário tenha sido fortemente apoiado e aplaudido pela comunidade pseudo, sobretudo New Age.

Na verdade, este é um dos piores documentários de sempre.
Mente abertamente em algumas situações, usa expressões científicas indevidamente, põe não-especialistas a falar de ciência, e quando falam cientistas as suas palavras são indecentemente deturpadas para fazer avançar uma ideologia religiosa.
Ou seja, é o típico documentário-pseudo feito por mentirosos e charlatães que deturpa o conhecimento.
Daí que não é de estranhar que a comunidade científica tenha dito precisamente isso: este é um documentário cheio de disparates!

Aliás, é muito pior que disparates.
A produção é de uma seita religiosa fortemente influenciada por uma mulher no filme que tem seguidores que acreditam que ela consegue falar com um espírito chamado Ramtha que supostamente tem 35.000 anos!

Tudo isto não passa de um culto religioso imbecil, que através de um documentário em que põe palavras como “quântica” promove a imbecilização da população e ganha marketing com isso!

Mas muita gente é levada por estes esquemas de marketing mentirosos.
Os idiotas aceitam tudo que lhes é dito, mesmo vindo de não-especialistas que não sabem o que dizem!
É fácil enganar as pessoas desta forma, quando as pessoas não apresentam qualquer pensamento crítico e demonstram uma literacia funcional deplorável!

A personagem Deep Throat, dos Ficheiros Secretos, dizia: “And a lie, Mr. Mulder, is most convincingly hidden between two truths.”. A mentira é melhor escondida entre 2 verdades.
É o que este documentário faz. Promove a mentira, metendo algumas palavras verdadeiras da quântica pelo meio. E as pessoas são levadas!
Aliás, todos os pseudos usam esta técnica! E há pessoas que caem que nem patos nessas mentiras!

Afinal, a mesma técnica é usada nas pulseiras quânticas, no Reiki, etc.
Representam de forma completamente ignorante algumas expressões científicas, e ficam à espera que as pessoas que não sabem sobre o assunto acreditem no que eles dizem.
O objectivo é sempre o mesmo: fazer dinheiro com a estupidificação da população. Com isso promovem a imbecilidade das pessoas, o que leva essas pessoas a acreditarem mais no que lhes é dito!

Podem ler críticas detalhadas a este documentário: aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui.

CUIDADO COM ESTES VENDEDORES DE BANHA DE COBRA!!!

125 comentários

5 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. E assim, “O mundo assombrados pelos demônios” continua o Livro mais Atual já escrito de todos os tempos – ainda que tenha sido escrito no século passado por Carl Sagan.

  2. O difícil é que você só xingou. Não incluiu nenhuma explicação para o que você fala. (
    (…comentário editado…)
    Não possuo conhecimento técnico ou científico para desvalidar o que você diz, mas acredito em muito do que é dito no documentário, assim como acredito no Reiki, que você cita também de forma negativa.
    Mais um detalhe, as pessoas do documentário deram suas caras, você não.

    Quanto a alguns comentários que li sobre Hélio Couto, não o conheço o suficiente. (…comentário editado…)
    Também não vejo diferença alguma na formação acadêmica que ele tenha. (Aliás também não sei a sua).

    (…comentário editado…)
    Quantas pessoas comandam Igrejas sem terem se graduado em Teologia? Como se dá o conhecimento dessas pessoas sobre o assunto que elas passam nas Igrejas? Será que se elas não se graduarem em Teologia elas não serão aptas a serem Pastores, por exemplo?

    Tem estudos que falam sobre a cura pelo passe. Eu já pessoas que foram curadas pelo Passe. Não acredito que haja nenhum trabalho científico provando isso, mas ocorre diariamente na Casa Religiosa que frequento: pessoas chegam com um diagnóstico, começam um acompanhamento com passes (doação de energia pela imposição de mãos), elas voltam em seus médicos, refazem exames e não existe mais o problema físico que antes existia. Qual a explicação que você dá para isso?

    (…comentário editado…)
    E, tire a máscara da foto que aparece sua. Pode ser que você consiga convencer muito mais gente e pode ser que você passe a ter muito mais seguidores.
    Obrigada pelo Artigo, pelo seu tempo em escrevê-lo.
    Abraços,

    1. Deixei passar o seu comentário (editado, retirando as inutilidades) para se perceber o nível baixo de literacia e a baixa racionalidade das pessoas que acreditam nestas tretas vigaristas.

      Ora bem, acusa-me de não dar explicações. No entanto, no artigo, estão mais de 10 links com explicações. Bastaria clicar neles para se perceber as explicações racionais.
      Em vez de clicar nos links e aprender, preferiu gastar o seu tempo a escrever um comentário onde mostra ser preguiçosa demais para clicar nos links.

      Diz que não tem conhecimento mas que acredita nas tretas. Só prova que é uma crença pessoal e não conhecimento objetivo. Ou seja, é algo da Idade das Trevas. Prefere a ignorância ao conhecimento.

      No entanto, está na internet. Que é feita de conhecimento.
      Isto demonstra hipocrisia: usa o conhecimento dos outros, mas recusa defender esse conhecimento.
      Pior do que isso: usa o conhecimento dos cientistas e depois anda a vender banha-de-cobra espírita onde promove a negação do conhecimento.

      Diz que eu não dou a cara. Diz que tenho uns óculos na imagem. Diz que não sabe o meu curriculum.
      No entanto, bastaria clicar no link “Colaboradores” ou então sobre o meu nome, e ficaria a saber quem eu sou, qual o meu curriculum académico. Além disso, tem links para várias atividades minhas ao vivo (para o público) de promoção da ciência e do conhecimento. Mais, pode sempre me visitar na universidade. Pode ver a minha cara em todo o lado (em centenas de artigos, em centenas de atividades ao vivo, e pode me encontrar na universidade).
      Ou seja, mais uma vez demonstra ser demasiado preguiçosa para clicar nos links e ter o conhecimento dos assuntos.
      Mais uma vez, perdeu tempo a escrever um comentário onde mente dizendo que não tem acesso a essa informação sobre mim. A informação está perfeitamente disponível.

      Qualquer pessoa pode ser Pastor. Mostrando que grande parte deles se aproveitam da ignorância das pessoas para as manipular e controlar. Como sempre aconteceu pela história humana.
      É muito fácil manipular pessoas, auto-intitulando-se de psicoterapeutas holísticas ou orientadoras emocionais. É a mesma coisa que se auto-proclamar Raínha Santa do Brasil.
      É obviamente vigarice de pessoas sem formação que usam a religião como forma de enganar as pessoas.

      A explicação da “Casa Religiosa” (que de religiosa nada tem) é simples: vigarice.
      Está provado (sim, provado, e nós já temos colocado posts sobre isso) em várias dessas “casas”.

      Cumprimentos,

        • Messênia on 11/03/2019 at 02:06

        Então você edita meu comentário mas me xinga de preguiçosa?
        (…comentário editado…)

      1. Sim, claro.
        E mais uma vez o fiz.

        Você é preguiçosa porque nem quer pensar nem quer perder tempo a clicar nos links para aprender.
        Eu sou o contrário de preguiçoso: eu não só leio os seus comentários, como até edito as inutilidades que você diz. Ou seja, eu até tenho mais trabalho do que só aprovasse sem ler.

        Isto é o contrário de ser preguiçoso.
        Mas eu entendo. Talvez você não tenha acesso a dicionários…

        Mas já que veio aqui novamente à internet (feita com conhecimento científico) e ao nosso website (feito por cientistas), deixe-me que lhe responda a mais uma coisa.
        Como está dito neste local em várias páginas, quando entra aqui, deve assumir que é o mesmo que estar a entrar num museu ou num centro de ciência. É um local feito por cientistas onde se difunde a cultura científica.

        Se você não entra num museu a vender vigarices espíritas e a criticar (xingar e ofender) os cientistas de lá, então deveria ter entrado aqui com o mesmo respeito pelo local.
        Se não respeita o local onde está, mais uma vez demonstra ser hipócrita ao requerer para si um respeito que não dá aos outros.

        Entrou neste local feito por cientistas… porque quis, por sua vontade. Tal como quando entra num museu ou num centro de ciência fisicamente.
        No mínimo, deveria ter entrado com respeito.
        E o normal seria ter entrado com curiosidade e com vontade de aprender. É para isso que se entra nos locais de ciência.

        Como se prova pelos seus comentários, não entrou aqui dessa forma correta.

        • Messênia on 11/03/2019 at 03:05

        (…comentário editado…)
        E educação.
        (…comentário editado…)

      2. Vocês, promotores de vigarices, são tão previsíveis que até chateia…
        Eu já estava a escrever este comentário… ainda antes de receber a sua resposta. Porquê? Porque vocês são todos iguais…

        Editei-lhe praticamente todo o comentário, que este local é de ciência, não para você vir para aqui vender a sua (i)moralidade.

        Registo somente duas coisas:

        A primeira é que eu na minha vida privada posso ver os filmes que quiser, sejam de ficção científica, sejam de outro género qualquer. Assim como posso ler os livros que quiser: sejam de ciência, de ficção científica, de história ou clássicos da humanidade.
        Não é você nem ninguém que me vai dizer que, na minha vida privada, devo ver este ou aquele género de filmes e não os que vejo (o mesmo para os livros).
        Mas o facto de você criticar os filmes que vejo e dos quais escrevo (o mesmo para os livros), diz muito sobre a pessoa que você é.

        Sabe o que se diz das pessoas que gostam de impôr aos outros os seus gostos pessoais, não sabe?
        E sabe o que se diz das pessoas que adoram andar por aí sempre a julgar os gostos dos outros, não sabe?

        Um dia destes, talvez possa aprender alguma coisa sobre tolerância… é só uma sugestão minha.

        Vamos agora à segunda:

        Eu sou ateu. Mas também sou salesiano. Até aos meus 15 anos fui sempre à Igreja e até fui acólito. Tenho muitos amigos padres.
        Este local é de ciência. Critico muitas ideias religiosas. No entanto, temos padres a escrever aqui artigos. E convidados por mim. Vários dos nossos autores são religiosos e acreditam piamente numa divindade. Logo que olhem para este local como sendo de ciência, e promovam a maneira de pensar racional, por mim tudo bem.

        Por vezes, ainda vou à Igreja, mas agora só por respeito às pessoas, quando existem casamentos ou funerais.

        Porque lhe digo isto?

        Não me passa pela cabeça entrar numa igreja, durante uma missa, por exemplo, e começar a discutir com o padre. Por muito que discorde dele, não entraria numa igreja para isso. E porque não? Por uma questão de respeito e educação.
        Da mesma forma não entrei nem entrarei na sua Casa Pseudo-Religiosa a discutir consigo. Seja fisicamente seja nas suas páginas web (onde hipocritamente nega o conhecimento que utiliza diariamente e que até lhe dá esses locais online). Não o faço por uma questão de respeito e educação. Apesar de você utilizar plataformas online e não só para difundir mentiras e manipular pessoas sem conhecimento, reconheço a sua liberdade para o fazer.
        Sobre o meu respeito e educação por si e pelas suas mentiras, penso que estamos conversados.

        Já você acha que tem o direito de entrar em locais de conhecimento e começar a mandar vir com os cientistas que lá estão.
        Se fosse num museu ou num centro de ciência, claramente seria chamada a segurança e seria corrida de lá para fora. Porque nitidamente demonstra desrespeito e falta de educação pelas pessoas e pelo local.
        Como este é um espaço virtual, você pensa que tem direito a tudo. E cá estou eu para lhe dizer: não tem.
        Aqui demonstrou a mesma falta de educação e o mesmo desrespeito pelas pessoas e pelo local. Não temos seguranças, mas temos o poder da palavra.

        Pior do que isso: ainda se faz de vítima, tentando “virar o bico ao prego”, dizendo-se ofendida porque lhe responderam à letra.
        Claramente pensa que está na presença de pessoas sem formação, que são facilmente enganadas e manipuladas por si.
        Newsflash: apanhou uma pessoa com mais formação que você e que não se deixa enganar pelas suas palavras.
        Temos pena.

        P.S.: já vi que enviou mais dois comentários enormes. Peço desculpa, mas não estou para a aturar mais, daí não os aprovar. Se quiser entrar aqui para aprender ciência, é muito bem-vinda. Enquanto vier aqui só para ser troll, considere que foi posta à porta pelos seguranças que zelam por este local.

        • Messênia on 11/03/2019 at 03:54

        (…comentário editado…)

      3. Sobre respeito e educação, penso que já está explicado no comentário anterior.

        Se tiver perguntas ou dúvidas sobre ciência, estamos cá para responder.
        Se tiver comentários sobre ciência, também os pode fazer, sendo que serão respondidos com uma defesa intransigente do conhecimento científico.

        Qualquer outro assunto, considerações de ordem pessoal e (i)moralidades que tenha para “iluminar a humanidade”, irão a partir de agora diretamente para spam.

        • Jonathan Hamelin Malavolta on 11/03/2019 at 22:21

        Nem sei porque vocês deixam pessoas claramente intransigentes frequentarem este local. Mas reconheço que os autores deste blog tenham suas razões para tal permissão, porém por mim certas pessoas que só acrescentam picuinhas seriam varridas das vistas dos demais leitores que vem aprender e/ou ensinar.

        E parabéns por ser ateu. De minha parte, às vezes me comporto como ateu, às vezes como ateu agnóstico (talvez eu seja um meio termo entre as duas denominações, se é que existe algum meio termo). Posso dizer que o ateísmo (claro que aliado à curiosidade) me serve de mote e gatilho na busca por aprendizado, estudo e conhecimento.

  3. Bom, também estranho o que Hélio Couto diz, sou formada em música e a tal ressonância harmônica que ele fala não tem embasamento. Ao pesquisar sobre seu currículo, não há nada de formação nem em física nem em mecânica quântica, como diz e sim , como contador e ex-bancário. Tudo é questionável e parece
    que se intitular”professor” é marketing, não corresponde de fato.

    Sobre o reiki, fiquei surpresa, pois há pouco tempo tive contato com essa técnica, fiz 2 cursos e me considero descrente até que me prove o contrário e realmente gostei do reiki, me fez bem e me trouxe benefícios, aprendi a meditar e comigo funcionou, melhorou minha ansiedade e a imposição de mãos faz sentido pra mim. Gostaria que falasse mais sobre o reiki se possível. Grata pela oportunidade.

    1. Olá Ana,

      Não nego que funcionou para si. Isso são evidências subjetivas e baseadas no placebo. Já muito explicadas aqui e noutros locais (incluindo na medicina).

      A questão é se as experiências duplamente cegas funcionam positivamente para lá do placebo ou não.
      E os resultados são claros: objetivamente, o Reiki é uma crença pessoal sem resultados cientificamente positivos.

      Por exemplo, existem estudos científicos que comprovam que em dois grupos de pessoas com cancro, por exemplo, o grupo de religiosos que passa o tempo a rezar tem maior probabilidade de melhorias psicológicas que um outro grupo com as mesmas doenças e os mesmos sintomas mas que são ateus.
      Porquê? Será que a reza cura alguém? Será que é prova que um deus vem de propósito ajudar superficialmente aqueles que rezam e ignora os outros?
      Não.
      O que se passa é que psicologicamente, as pessoas sentem-se melhor, mais confortadas ao rezar. É um placebo.
      Nada diz sobre a reza ou sobre a suposta divindade.
      Diz sim sobre a psicologia das pessoas e de como o placebo (e o nocebo) é bastante poderoso.

      Por isso, eu digo: as pessoas que rezem! Se se sentem melhores, que rezem.
      No entanto, não me digam que é a reza ou a divindade que as melhora. Não é o objeto em si que as melhora.

      O mesmo em relação ao Reiki, à Homeopatia, à Astrologia, à leitura de búzios, etc.
      Se as pessoas se sentem melhor com o Reiki, que o façam. Sou a favor disso.
      Mas se disserem que é o Reiki que as melhora, isso já é mentira. Porque é um placebo. Como a aspirina.

      Usou o exemplo da meditação. É a mesma coisa.
      As pessoas sentem-se melhores a meditar. É um facto.
      Assim, devem meditar? SIM, digo eu.
      Mas se me disserem que ao meditarem, absorvem as energias cósmicas que lhes curam constipações, quedas de cabelo e cancro… isso já digo que é mentira! 😉

      Nós temos alguns posts sobre o Reiki:
      http://www.astropt.org/?s=reiki

      No entanto, sugiro o artigo do médico adepto de terapias alternativas, Edzard Ernst:
      http://www.astropt.org/2013/04/14/reiki-mais-uma-patetice/

      abraços!

  4. Bom, também estranho o que Hélio Couto diz, sou formada em música e a tal ressonância harmônica que ele fala não tem embasamento. Ao pesquisar sobre seu currículo, não há nada de formação nem em física nem em mecânica quântica, como diz e sim , como contador e ex-bancário. Tudo é questionável e parece
    que se intitular”professor” é marketing, não corresponde de fato.

      • Jonathan Hamelin Malavolta on 16/04/2019 at 02:16
      • Responder

      Onde encontrou o currículo do Hélio Couto, Ana? Já faz tempo o procurei na Plataforma Lattes, porém o único “Hélio Couto” existente por lá na época era um técnico em fotografia e, a julgar pela foto, é bem mais jovem que o Hélio Couto que diz ensinar física quântica. Agradeço se puder me enviar o link correto – mesmo que não seja da Plataforma Lattes

      1. No seu próprio website ele diz isso:
        http://www.héliocouto.com/2015/09/prefacio-do-livro-negocios-in-formados.html

        Formou-se em contabilidade. Foi bancário.

        E leu uns livros de física e mecânica quântica e percebeu que eram de ligação à espiritualidade.
        Ora, ou ele não sabe ler ou leu livros vigaristas.
        Porque a Física (seja quântica ou não) NADA tem a ver com espiritualidade.
        Mas tem a ver com muita matemática.

        Conclusão: ele não tem qualquer formação em física (muito menos em física quântica).

        • Jonathan Hamelin Malavolta on 18/04/2019 at 20:17

        Valeu pelo link, Carlos!

  5. Hélio Couto é um vendedor de auto estima.

    Ele já assumiu que estudou hipnose e PNL e eu vejo nas palestras dele ele aplicando técnicas de tais matérias.

    Ele usa como “provas” conteúdos de sites de conspirações malucos que defendem terra plana, se aproveita da ignorância das pessoas…

    A “ciência” dele se baseia em Hipnose, PNL e técnicas de vendas, ele fala um monte de mentiras sobre física para as pessoas que não entedem.

    Se você estiver pesquisando sobre ele e parou aqui, digo o seguinte: Hélio couto é ótimo se você tem problemas emocionais e de auto estima, ótimo MESMO. Mas não acredite em tudo que ele diz, ele usa técnicas de manipulação de massas. E também não acredite que em NADA que ele fala sobre mecânica quântica, única coisa que a mecânica quântica de fato PROVOU foi o tunelamento quântico, qualquer coisa que ele fala além disso é pura crentisse da parte dele. Desconfie também dos “Experimentos” que ele menciona nas palestras dele, se você pesquisar elas, vai se decpcionar bastante

  6. Só uma pergunta, se física quântica é besteira (…comentário editado…)

    1. Física Quântica não é besteira.
      Física Quântica é física. Você utiliza a física, incluindo a física quântica, todos os dias da sua vida.

      Se quer saber de física, incluindo a física quântica, deve perguntar aos físicos.

      Já o assunto no post, é sobre um documentário pseudo. Nada tem a ver com física, seja quântica ou não. Tem a ver com crenças religiosas promovidas por vigaristas.

  7. Boa tarde, eu pedi a RH há exatamente 90 dias. E pra falar a verdade não vi diferença nenhuma em minha vida. R$290,00 se foram jogados fora ou não, eu tive que pagar para ver. Muitas vezes é isso. A gente busca algo ou alguma coisa para mudar e dar uma direção na vida. Cheguei a pensar que era pq não tinha ouvidos os vídeos, etc direitinho.. mas para falar a verdade os vídeos são muito chatos, mas mesmo assim eu acabei ouvindo e lendo sobre o assunto. Talvez não tenha dado certo para mim pq desde o início eu não acreditei. Parecia tudo muito mágico para ser verdade. E por não acreditar não deu certo mesmo. Eu ainda coloco o áudio para tocar todo santo dia, entrei para um grupo no face em que todos dizem que a vida mudou.. que aconteceu isso e aquilo. Na minha não mudou nada. Apenas fiquei com menos R$290,00 no banco. Outra coisa, eu pedi o CD para uma das pessoas autorizadas o Prof. Hélio, só que todos os e-mails que enviei depois do pagamento com dúvidas, etc, nunca foram respondidos. Mas é o que eu disse, não é pq não deu certo para mim que não dará para os outros… mas que eu fiquei decepcionada e muito chateada eu fiquei.

    1. Os seus resultados mostram que foi levada por um estratagema de vigarice.
      As “pessoas” nos grupos que dizem que isso funciona, muitas vezes são contas falsas criadas com o único intuito de fazer parecer que aquilo funciona com algumas pessoas.

      A sua justificação também é sintomática de que está na presença de uma vigarice.
      Note que se a luz falha em sua casa, a sua justificação não é: “deve ser por não ter acreditado que ia dar luz”.
      No seu dia-a-dia, as coisas falham naturalmente (luz, carro, etc) e você vai consertar, porque sabe que não é pela sua crença que as coisas deixam de funcionar.

      Se pensa que é pela sua crença que as coisas não funcionam, isso é uma evidência de que está na presença de uma vigarice.

      abraços!

        • Cris on 15/08/2019 at 18:15

        Muito bem argumentado, Carlos.

    • Daniel Toniolo on 21/01/2018 at 05:54
    • Responder

    Meu amigo, você me parece um profundo conhecedor do tema, portanto, gostaria muito de te perguntar duas coisas:

    A primeira delas: O que você conhece e o que compreende sobre a experiência da dupla fenda realizada há mais de 200 anos?
    A segunda: Você considera o Dr Amit Goswami e os outros PHDs do documentário Quem somos nós como charlatões?

    Quais as fontes de informação que você tem para qualificar de forma tão incisiva essas pessoas como pseudo cientistas e charlatões? Você questiona a experiência de campo e a formação deles? Em quais fontes de dados você se baseia para contestar as informações apresentadas no documentário?

    Só levanto tais questões por que estou em busca de informações verídicas e pela sua veemência você deve saber coisas que não sabemos…

    Por falar nisso, qual a sua formação acadêmica? Você é especialista em que?

    São só perguntas tá bom?

    1. Em princípio devo saber sobre a experiência, já que não só fui aluno de astrofísica, mas até leccionei algumas cadeiras onde era ensinado isso.

      Não sou eu que considero X ou Y como vigarista. São as ações deles que os fazem vigaristas, sejam vendedores de fruta ou PhDs.
      Quanto ao Amit Goswami e outros, é bastante simples: física é física. Física é ciência objetiva com uma forte presença da ferramenta matemática.
      Crenças religiosas pessoais são crenças religiosas pessoais, subjetivas. Uma coisa nada tem a ver com a outra.

      Uma coisa é ciência.
      Outra coisa é misticismo.

      Misturar as duas só para enganar leigos sobre o que é a física quantica, é pura vigarice.

      A própria wikipedia diz isso:
      https://en.wikipedia.org/wiki/Quantum_mysticism
      “Quantum mysticism is a set of metaphysical beliefs (…)” —- sublinho crenças metafísicas. Ou seja, nada tem a ver com as experiências objetivas físicas.

      As fontes são simples: leia os artigos científicos na Science, Nature e as outras revistas científicas de grande prestígio que lhe dão tudo, mesmo a internet onde está agora, e veja o que dizem sobre as crenças pessoais dessas pessoas.

      Não sou eu que tenho que dar fontes para o documentário.
      Você está a utilizar a falácia da Inversão do Ónus da Prova.
      Você devia perceber que o documentário foi financiado pela seita religiosa chamada Ramtha’s School of Enlightenment de modo a avançar as crenças religiosas dos seus membros. Se você foi enganado por uma seita religiosa, o problema é seu. Mas não venha me interrogar a mim só porque foi vigarizado e nem percebeu 😉

      A minha formação académica é fácil de ver: pode clicar sobre o meu nome e ler alguma coisa. Pode também clicar na página de colaboradores e também ler sobre mim. Pode contactar quem quiser nas universidades por onde passei e onde fiz a minha formação e também onde lecionei. Veja lá que até pode ler a minha tese de doutoramento.
      Mas o mais interessante desta sua pergunta é tornar isto pessoal. Por ter sido enganado por uma seita religiosa e nem ter percebido, põe-se logo a questionar a formação de quem lhe abre os olhos.

      Em vez de inquirir sobre a formação de outros, já pensou em tirar um curso e quiçá até um PhD em Física? Se o fizesse, empregava muito melhor o seu tempo do que andar a ver este tipo de documentários de seitas religiosas.

      É só uma sugestão, tá bom?

    2. Daniel e Carlos,

      O que esse pessoal chama de “pensamento positivo” nada mais é do que culpar a vítima pelo o que lhe acontece.
      O termo pensamento positivo é muito vago e não costuma funcionar.
      Realmente há pesquisas tentando mostrar que nosso pensamento influência a matéria, mas até agora nada
      foi conclusivo e se descobrirem algo, não ficaremos sabendo.
      C. G. Jung escreveu um livro a respeito e não chegou a grandes conclusões. V. encontrará a pesquisa dele no livro
      ” Sincronicidade”,
      Até mais,

      1. Cris,

        Há imensa literatura científica – com estudos feitos – sobre “pensamento positivo”, que na verdade nada mais é que o placebo.
        Também há sobre o chamado “pensamento negativo”, que na verdade é o nocebo.

        Com o placebo, percebe-se que as pessoas tomam algo sem quaisquer princípios ativos, imaginam que esses princípio ativos existem, e até ficam melhores devido a isso (ao placebo).

        Daí as pseudociências utilizarem o placebo, para enganarem as pessoas de que as suas mezinhas vigaristas funcionam. Não funcionam. É simples placebo.

        Há estudos ainda mais cruciais nestes casos, como um que divulguei há uns anos, em que pessoas doentes mas que rezavam para um deus qualquer, ficavam melhores porque imaginavam que esse deus as iria pôr melhores. Esse grupo de pessoas religiosas teve melhores resultados que um outro grupo de pessoas que não rezavam. Isso quer dizer que os deuses todos eram médicos? Não. Este resultado é facilmente explicado pelo placebo.

        Ou seja, existem muitos estudos, que trazem várias descobertas, e que obviamente são publicados e divulgados e por isso ficamos a saber.
        As vantagens do chamado pensamento positivo estão na compreensão do que é o placebo.

        abraços!

    • Ziraldo Andrade on 11/01/2018 at 20:23
    • Responder

    Não estou defendendo o Hélio Couto. Parei aqui porque coloquei o seu nome no google e me foi sugerido “Hélio Couto é uma farsa”. Sou humilde em dizer que não entendo muito sobre física. Mas me chama muito a atenção de que o Sr. Carlos Oliveira (… comentário editado…)

    1. O post não é sobre mim. Não interessa o que eu faço ou digo. É irrelevante o que pensa sobre mim.

      Interessa sim o que as evidências dizem. Interessa sim a verdade objetiva sobre os assuntos.

      abraços

  8. A realidade “pode” ser fruto da nossa imaginação. A física quântica deixou isso bem claro há 200 anos.

    (… comentário editado…)

    1. Este é um local de ciência, e não um local para disseminar parvoíces sobre vigaristas.

      O Hélio Couto não é doutor.
      É simplesmente um crente em coisas que não consegue provar, e que utiliza a ignorância das suas audiências para os enganar com discursos pseudocientíficos. Tal como se faz nos discursos de seitas religiosas.

      No resto do que diz, em vez de ser crente em vigaristas, e em vez de comentar com mentiras sobre ciência, o que sugiro é que aprenda ciência. Aprenda Física. Posteriormente, eduque-se em mecânica quântica. Mas não pela internet. Inscreva-se na universidade e aprenda sobre os temas. Se o fizer vai perceber que a física quântica é física. Sendo física é ciência. É física tal como é física a forma de “construir” a internet, que está a usar. É física tal como é a eletricidade que está a usar em sua casa. Não tem nada a ver com a “realidade ser fruto da imaginação”. Isso é conversa de pseudo. São frases típicas dos tais vigaristas pseudocientíficos, que assim o enganam sobre matérias científicas.

      Se quer saber de ciência, pergunte a cientistas. Não se deixe levar por vigaristas.

      abraços

  9. Helio Couto cobra 290,00 pela ressonância harmônica e diz também enviar o CD grátis para pessoas sem condição de pagar,será que alguém recebeu gratuitamente o CD e quanto tempo levou. Também pede para as pessoas que compram atualizar de 90 dias a troca do novo CD.

    1. Eu faço a mesma coisa por 3,00. 😛

        • Jonathan 'Hamelin' Malavolta on 18/12/2017 at 09:19

        Eu não faço por valor nenhum. Um físico certa vez comprou um desses CDs (na época em que custavam APENAS 90 reais) e levou pro laboratório da universidade onde lecionava Mecânica Quântica (a área na qual Hélio Couto SE DIZ entendido). Como sabemos, medimos unidades sonoras em hertz (Hz) e a altura do som em decibéis (Db). Ao “ouvir” o CD comprado com um medidor ligado ao computador, encontrou as exatas frequências de 0 Hz e 0 Db. Ou seja, não tem absolutamente nada (isso mesmo, NADA) gravado nesses tais CDs. A tal propaganda de “gravação de CDs personalizada” desse ser não passa de balela pra enganar trouxa, pra viver às custas de otários. Não caia nessa de que “foi gravado com uma tecnologia que não existe em nossa dimensão, por isso não conseguimos detectar” pois, apesar de minha formação em Letras, EU TENHO laboratório de Eletrônica em casa (obrigado, cursos técnicos à distância, por existirem e possibilitarem que mais gente aprenda a usar tecnologias diversas), posso garantir que NÃO EXISTE outra unidade de medida para a altura do som que NÃO SEJA o decibél (Db) bem como posso garantir também que NÃO EXISTE outra unidade de medida para a frequência sonora que NÃO SEJA o hertz (Hz). Aliás, nem preciso de nenhum curso técnico e muito menos superior para verificar isso, livros de Física do Ensino Médio já explicam muito bem a esse respeito (essa matéria recebe o nome de “sistema internacional de unidades de medida” e qualquer livro escolar de Física ensina-a para qualquer adolescente interessado).

        • Dul on 24/04/2019 at 19:03

        Então, eu já pedi e recebi o CD gratuito – fui na onda de um “amigo” para ver como era. Sinceramente, não mudou nada na minha vida (e olha que pedi outros dois CDs gratuitos depois, porque eu não iria jogar fora mais de 200 reais com isso). Sobre o tempo de espera, quem pede gratuitamente demora muitos meses para receber.

        Não tem nada ali naqueles CDs mesmo. Se você enviar perguntas e dúvidas, o máximo que a equipe dele vai fazer é mandar ler os livros e assistir as palestras. Os livros e palestras além de chatos são tremendamente superficiais. O que o Helio Couto fala é um monte de sincretismo religioso (porque ele não se aprofunda em nada de nenhuma religião que ele fala, só usa aqueles termos da New Age, ou seja ele não sabe nada de quase nenhuma religião que ele se diz “entendido”) com jargões de PNL e termos indevidamente apropriados da Física.

    • JORGE ALBERTO on 01/12/2017 at 20:18
    • Responder

    Se acham tão importante que alguém tenha currículo para falar sobre algo que qualquer autodidata poderia estudar então deveriam ler e ouvir alguns destes:
    (… comentário editado…)

    1. Antes de fazer comentários desajustados, leia primeiro o que escrevemos sobre as crenças pseudos defendidas por esses…

      Por outro lado, como já foi explicado dúzias de vezes aqui na categoria de Literacia Científica, o que conta em ciência são os resultados, não quem os defende. E os resultados são claros: isto é tudo uma vigarice pseudo (independentemente de existirem crentes fundamentalistas nessas vigarices).

      • Jonathan 'Hamelin' Malavolta on 02/12/2017 at 12:19
      • Responder

      Ninguém por aqui está lutando contra o auto-didatismo, até porque muitos de nós são auto-didatas. Exemplo: Sou auto-didata em xadrez, e atualmente estudo Filosofia e Matemática, ambas como auto-didata.

      O que se está lutando contra é o charlatanismo, ou seja, a propagação de inverdades como se estas fossem científicas quando na verdade Ciência é outra coisa. Exemplo: Hélio Couto, em uma de suas palestras, cita nominalmente um certo experimento já exaustivamente testado e comprovado em laboratório, só que o Hélio simplesmente o ilustra com uma conclusão bem diferente daquela que a Ciência chegou. Segundo Hélio, “o observador, com o poder do pensamento, consegue mudar a forma do átomo e pode inclusive viajar no tempo, indo parar no passado ou no futuro”; na realidade, tanto o cientista que elaborou o experimento citado por ele quanto os demais cientistas que, aplicando o princípio da falseabilidade também o testaram, chegaram à seguinte conclusão: “O observador, munido de instrumental mecânico ou elétrico ou eletrônico, consegue modificar a carga elétrica do elétron de positivo para negativo e vice versa”. “Instrumental mecânico ou elétrico ou eletrônico” é diferente de “poder do pensamento”, “elétron” é diferente de “átomo”, “modificar carga elétrica” – ou “modificar sinal elétrico”, o que é a mesma coisa – é diferente de “viagem no tempo” assim como também é diferente de “modificar a forma do átomo”. Só constando a título de curiosidade, eu tenho o Curso de Eletrônica Básica do Instituto Universal Brasileiro em casa, e tem pelo menos uns 5 experimentos dos muitos citados por este senhor em suas palestras que, ao refazê-los em meu laboratório, cheguei a uma conclusão diametralmente oposto a que esta espécie de Olavo de Carvalho da Física (que não é físico coisa nenhuma, já adianto) chegou; pelo contrário, a conclusão a que cheguei se coaduna com praticamente todos os cientistas que estudam o ramo. Isso, você vai me desculpar a franqueza, é charlatanismo sim pois ao invés de informar desinforma as massas, e desinformação é um perigo de grande gravidade, quando está se tratando de Ciência. É contra isso que estamos lutando, contra o analfabetismo científico e contra quem mais se aproveita dele, o charlatanismo.

  10. Estou acompanhando os comentários, os Relacionados ao Helio Couto acho que o Carlos ficou boiando rs….

  11. e sobre os arquetipos que esse helio couto faz palestra, tem algum fundamento? e a pnl?

    1. ??

  1. […] exceção dos mal-informados que acreditam na veracidade de documentários como “Quem Somos Nós”, qualquer um consegue perceber que as estranhezas observadas no universo em escala subatômica […]

  2. […] Quântico. Bohr. Abuso quântico. Misticismos. Quântica cor de rosa. Tribunal. Deepak Chopra. What the Bleep do We Know? Thrive. The New […]

  3. […] é um documentário complementamente vigarista – do mesmo género dos documentários What The Bleep do We Know? ou The Thrive. Os métodos para vigarizar as pessoas são exatamente os mesmos. As pessoas são […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.