Asteróides à distância

A APOD de hoje traz-nos Asteróides.
Diariamente a Terra é atingida por asteróides, contudo a grande maioria desses asteróides tem dimensões tais que se evaporam quando entram na atmosfera terrestre.
No entanto, existem riscos reais, se um asteróide com cerca de 100m de diâmetro atingir a terra, o que acontece a cada mil anos. Um objecto deste tamanho pode causar tsunami’s devastadores mesmo a longas distâncias, se a zona de impacto for o oceano.

A colisão com um asteróide com mais de 1 km de diâmetro, é muito raro, ocorrendo apenas em intervalos de tempo de milhões de anos, mas as consequências seriam globais.
Muitos asteróides permanecem desconhecidos. A foto acima é de um desses asteróides, descoberto em 1998, a imagem é do Telescópio Espacial Hubble. O asteróide tem uma longa cauda azul.

Em Junho de 2002, o asteróide 2002 MN, com cerca de 100 metros foi descoberto, apenas depois de ter passado perto da terra e dentro da órbita da lua. O 2002 MN foi o asteróide que passou mais perto da terra, desde o 1994 XM1, mas não tão perto como o 2004 MN4 vai passar em 2029.
Uma colisão com um asteróide de grandes dimensões não afectaria a órbita da Terra, mas poderia levantar tanta poeira que afectaria o clima da Terra. O resultado provável seria a extinção de muitas espécies.

1 comentário

  1. Ou não tivessem os dinossauros perecido em virtude da colisão de 2 asteróides (segundo as teorias mais recentes)…?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.