Prémios Pigasus

Para além de ser o dia das mentiras, o 1 de Abril é também o dia em que a Fundação Educacional James Randi anuncia os vencedores dos Prémios Pigasus, descritos como sendo “uma honra duvidosa para afirmações duvidosas”.

O nome do prémio advém da fusão da palavra ‘porco’ (pig) com a criatura mitológica ‘Pégaso’ (Pegasus), numa alusão à expressão popular “quando os porcos ganharem asas”. O prémio, dividido em cinco categorias, é atribuído às pessoas ou instituições que mais contribuíram para a promoção de disparates na área do paranormal, sobrenatural e pseudociência.

E os “orgulhosos” vencedores deste ano são:

  • Categoria Cientista: Richard B. Hoover, cientista da NASA que afirmou recentemente e pela terceira vez em 14 anos, ter encontrado evidências de vida microscópica extraterrestre em meteoritos. Juntamente com a revista onde foi publicado o artigo – Journal of Cosmology – cujo rigor e imparcialidade deixam muito a desejar. Mais informações aqui e aqui.
  • Categoria Financiador: Farmácias da cadeia CVS, pelo seu suporte a medicamentos homeopáticos, facturando até $870 milhões de dólares com comprimidos sem qualquer ingrediente activo e que nada mais são do que placebos dispendiosos. Prémio esse, que se me permitem, gostaria de estender igualmente às farmácias portuguesas pois também andam a vender os mesmos rebuçados mágicos quânticos ao lado de medicamentos a sério. Mais informações sobre a homeopatia aqui.
  • Categoria Media: Dr. Mehmet Oz, que apesar de ser um cirurgião cardíaco formado em Harvard, promove frequentemente no seu programa de televisão diversas terapias alternativas sem fundamento científico como a “cura pela fé” (faith healing), terapias “energéticas”, entre outras. Recentemente chegou mesmo a aconselhar que famílias com dificuldades em ultrapassar a morte dos seus entes queridos, deveriam consultar médiuns e psíquicos que nada mais fazem do que fingir falar com os mortos por dinheiro.
  • Categoria Artista: Peter Popoff, um televangelista que fez milhões nos anos 80 ao fingir curar os doentes e receber informação sobre a audiência directamente através de Deus. Perdeu tudo em 1987 quando James Randi o expôs pela fraude que realmente era – ele usava um auricular oculto por onde recebia informação que tinha sido recolhida pela sua esposa junto da audiência. Agora ele está de volta para tentar tirar vantagem das vítimas da recessão económica, oferecendo um “alívio de débito sobrenatural” em troca de dinheiro. Este esquema é tão lucrativo que de acordo com documentos recentes do IRS ele arrecadou já $23,5 milhões de dólares.
  • Categoria Recusa em Encarar a Realidade: Andrew Wakefield, o investigador que lançou a histeria anti-vacinação depois de um artigo publicado no The Lancet onde associava a vacina MMR com o autismo. O artigo foi em 2010 retraído pela própria revista, existindo claras evidências de falsificação de dados tendo em vista o ganho financeiro pessoal (ele tinha sido pago por advogados que pretendiam processar os fabricantes da vacina). Independentemente disso, ele continua a ser visto pelo movimento anti-vacinação como um mártir e vítima de uma gigantesca conspiração. A paranóia continua assim a alastrar-se ao mesmo ritmo que as doenças para as quais a vacina deveria conferir protecção. Mais informação aqui.

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 23:21
    • Responder

    LOL, já tenho sócios, muahahahah! 😀

    Em medicina, na indústria farmacêutica, na bioquímica, na indústria cosmética, para mim e para ti, no “não ter efeito” está subentendido que o placebo seja excluido. 🙂 Mas para quem é de fora do meio, não está. Para um versado em letras, por exemplo, se estiver fora do contexto, não ter efeito é não ter efeito 😀

    Só “alertei” nesse aspecto, precisamente por saber que se trata de um canto de divulgação a vários públicos 😀

  1. youtube.com@Ana GP
    Em medicina quando se diz que não tem efeito nenhum, está-se na realidade a dizer que não tem um efeito superior ao efeito placebo. Já está subentendido visto os controlos dos testes serem placebos.

    E se quiseres um sócio para as bandoletes já sabes. Podemos reciclar os hologramas quânticos de cartões multibanco caducados que assim ainda ganhamos mais 😛

    E podemos também vender casas pré-fabricadas para atrair fadas lolol
    http://www.youtube.com/watch?v=kyREUMMwL1s

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 22:21
    • Responder

    Eu derroto-vos com as minhas bandoletes quânticas, que serão à prova de TUDO! de terramotos, tsunamis, vírus, profecias maias, políticos desonestos, mini-universos no LHC, reptilianos, reiki quântico, TUDO!!! Mesmo contra o HAARP!

  2. A vender açúcar a cerca de 1700 euros o quilo, qualquer um fica rico…

    http://fotos.sapo.pt/palmira/fotos/?uid=waytR2vM0RtFvqt7uS9O

  3. @Carlos
    LOL Isso vai fazer concorrência contra o meu seguro que oferece protecção contra micro buracos negros produzidos pelo LHC 😀

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 22:16
    • Responder

    Cuidado 😛 Marco, se usas o argumento (ai as argumentações) de que deviam ser regulamentados, vão contra-atacar com “mas se não fazem nada, se são só água, não precisam de ser regulamentados”…

  4. @Jaculina
    Nada mais natural, as companhias de seguros não são parvas, vão para onde o dinheiro as chama.

    «Pedro Choy, presidente da Associação de Profissionais de Acupunctura, nota que “nos Estados Unidos, as seguradoras tiveram um papel essencial na regulamentação das medicinas não convencionais”. Já em Portugal, lamenta, “está previsto que a regulamentação não aconteça”. “A culpa”, diz, “é dos lobbies poderosos que perderiam dinheiro, os médicos e as farmacêuticas.»

    LOL “É tudo uma conspiração da malvada indústria farmacêutica! Nós até oferecemos os nossos serviços de graça!”

    Mas ele tem razão numa coisa, devia haver regulação. A indústria farmacêutica convencional é obrigada a sujeitar os seus medicamentos a anos de estudos. Os homeopatas podem meter o que quiserem no mercado sem qualquer estudo que prove a eficácia. Para que serve o Infarmed afinal?

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 22:06
    • Responder

    LOL, só quero corrigir o “não tem efeito nenhum” (calmaaaaaaa, deixa-me acabaaaaaaaaar!! :P)… tem, chama-se placebo. E é um dos efeitos mais poderosos que se conhece.

    Agora, se disseres que “não tem efeito nenhum a nível de principios activos”, é outra história. 😛

    No fundo, “ajudam” as pessoas a enganarem-se 😛 O problema, logicamente, está em qd os tratamentos convencionais são abandonados em prol de um placebo, que apesar de poderoso, tb é limitado.

  5. é uma estratégia bastante inteligente das seguradoras….

    As pessoas pagam todos os meses para a seguradora.
    E se por acaso as pessoas ficarem doentes, é fácil provar que não foi devido aos tratamentos homeopáticos (que não têm efeito nenhum)… por isso, as seguradoras nunca pagarão nada aos doentes.

    É o mesmo que fazer um seguro de carro contra ataques do monstro de esparguete voador.

    De um ponto de vista empresarial, é excelente para as seguradoras.
    De um ponto de vista humano, é aproveitarem-se da ignorância das pessoas.

    O astroPT desde já compromete-se a criar um seguro contra a queda de asteróides de 20 kms de comprimento.
    Paguem-nos todos os meses um seguro, que se por acaso um deles cair em cima de vocês, nós comprometemo-nos a pagar pelos danos que ele causar…
    (a única cláusula é que vocês têm que estar vivos, para nós vos pagarmos os estragos)
    😛

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 21:57
    • Responder

    LOOOOL, deve ser; é um dos que acham que o 11 de setembro foi um trabalho interno…

  6. @Ana GP
    Se é o mesmo que estou a pensar então só pode ser na última categoria.

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 21:48
    • Responder

    infelizmente é a lei do mercado q manda; muitas pessoas são seguidoras do efeito placebo sob essa forma.

  7. publico.pt…

    E que dizer dos seguros de saúde que vão passar a pagar tratamentos homeopáticos?

    Hoje no Público:

    http://www.publico.pt/Sociedade/seguros-de-saude-cobrem-cada-vez-mais-terapeuticas-como-acupunctura-e-homeopatia_1488042

    • Ana Guerreiro Pereira on 03/04/2011 at 17:10
    • Responder

    Em que categoria se inseriria o Alex Jones? 😛

  8. WOW!!! Excelente!! 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.