O futuro da Via Láctea

As duas galáxias da foto estão situadas muito para além da Via Láctea, a uma distância de mais de 300 milhões de anos-luz. A sua aparência distorcida deve-se às forças de maré gravitacionais, como um par num encontro íntimo.
As estrelas brilhantes em primeiro plano pertencem à Via Láctea.

Catalogada como Arp 273, é também conhecida por UGC 1810, na realidade é um grupo de galáxias a interagir. O aspecto peculiar das duas galáxias é mais comum do que se pensava.
A grande galáxia espiral mais próxima da Via Láctea, é a Andrómeda, que se encontra a cerca de 2 milhões de anos-luz de distância e está a aproximar-se.

A Arp 273 pode dar um vislumbre do que será esse encontro entre a Via Láctea e a Andrómeda. O encontro de duas galáxias, pode resultar na sua fusão, formando uma única galáxia.
Os núcleos brilhantes das galáxias da Arp 273 estão separadas por pouco mais de 100.000 anos-luz.

A publicação desta foto, na APOD de hoje serve de comemoração o 21º aniversário do Telescópio Espacial Hubble, em órbita.

28 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Já recebes notificações?

    1. Deste recebi no Gmail, mas nos posts mais recentes não 🙁

  2. Se conseguir coloque o comentário de 25/04/2011 às 22:18 (UTC 1) em resposta ao de 25/04/2011 às 22:13 (UTC 1).
    Depois, se puder, apague este comentário e o de 25/04/2011 em 22:21 (UTC 1).

    Obrigado

    1. Percebe-se a conversa :)… logo, é escusado pôr em “árvore” 🙂

      Agora não dá pra apagar como dantes… é logo enviado para o FEED de comentários 😉 … porque não passa pela moderação… 😉

        • Nuno Almeida on 25/04/2011 at 22:34

        Ah! Percebido 🙂

  3. Sim, a notificação dos posts… é um dos glitches que está a afectar várias coisas.

    De comentários é que não sabia… há pouco tempo é quanto? Foi hoje? Ou foi na mudança?

    1. Eu não vinha ao blog desde sexta-feira à tarde.
      Das notificações de novos comentários por email só me está a acontecer hoje. Nos meus comentários na sexta-feira, recebi sempre essa informação 🙂

      1. ok. Já informei os responsáveis para testarem e verem se é geral… 😉

        • Nuno Almeida on 26/04/2011 at 21:04

        Afinal é geral ou o problema é somente meu?

      2. Ainda não sabemos, a não ser que mais alguém se queixe 🙂

      3. Ainda continuas sem receber? É que fizemos testes e eles foram para outros? 🙂

        • Nuno Almeida on 27/04/2011 at 17:32

        Pois. É estranho… 🙁
        Vou colocar um mail diferente para aferir se o problema é mesmo meu.

      4. E então? Já recebes?

        • Nuno Almeida on 27/04/2011 at 17:49

        Agora, estranhamente, com o gmail, já recebi…
        Não percebo 🙁

      5. pronto… tá a funcionar 🙂

        O que podes fazer é usar o GMail.

        Ou então retirares o Hotmail e tornares a registar-te com ele… para ver 😛

        • Nuno Almeida on 27/04/2011 at 17:55

        Sim, ainda bem que o problema era apenas meu 😉
        O Gmail não é o que eu utilizo diariamente, mas parece que vou ter de utilizar este para as notificações dos comentários.
        De qualquer modo, de vez em quando, vou testando para ver se o problema se resolve 🙂

  4. Nem uma coisa nem outra. 🙂
    A notificação de novos posts não recebo desde a mudança de layout, mas pensei que fossem aqueles pequenos glitches.
    Quanto à notificação de novos comentários, deixei de receber há pouco tempo, mas o problema pode ser de mim, não sei…

  5. Agora, sem aparente motivo, deixei de receber a notificação de novos comentários por email.
    Além disso, neste novo layout deixei de receber a informação de novos posts na newsletter.

    1. Mas no nosso Feed aparecem os comentários, o que quer dizer que estão a ser enviados…
      http://feeds.feedburner.com/CommentsForBlogDeAstronomiaDoAstropt

        • Nuno Almeida on 25/04/2011 at 22:07

        Pois, até há 3/4 dias atrás eu recebia, mas agora não tenho recebido.
        Estranho…

      1. Mas não tens recebido a notificação de novos posts, certo?

        Mas não recebes também a notificação de novos comentários? É isso?
        (é que este erro dos comentários, não sabíamos…)

  6. A matéria escura será possivelmente uma nova partícula elementar desconhecida atualmente…

    Vou sugerir que leias este meu post:
    http://www.astropt.org/2010/02/06/buracos-negros-materia-negra-energia-negra/
    É de uma palestra a que assisti, e que foi sobre estes mistérios 😉

    1. Após ler o post fiquei bem mais elucidado 🙂
      Também percebi que ainda vai demorar algum tempo até que se descubra do que realmente se trata.
      Já ouvi falar de matéria bariónica. Corresponde à matéria normal referida no seu post?

      1. Sim, matéria bariónica é que a normalmente se considera normal (com massa) – átomos.
        A não-bariónica são neutrinos e eletrões livres. Pode também ser coisas exóticas, que até possam existir nos buracos negros.

    • Ana Guerreiro Pereira on 21/04/2011 at 23:36
    • Responder

    Mas se as galáxias se andam a aproximar e fundir, isso não contraria a ideia de que o universo está em expansão? Lol, ou então, o que me está a escapar? 😀

    1. Acho uma pergunta muito interessante.
      Apesar de não ter totalmente a certeza, penso que a razão deve-se ao facto dos objetos celestes próximos (poucos milhões de anos-luz) serem muito mais afetados pela gravidade que pela expansão do universo, assim, na curta distância predomina a atração gravitacional.

    2. A mim, tinha-me escapado esta pergunta 😛
      Só agora que vi a resposta do Nuno, é que percebi que ela existia 😛

      As galáxias não se andam a aproximar. Ou melhor, tudo se aproxima e tudo se distancia 😛
      Tu aproximas-te de mim, independentemente da distância a que estiveres (mesmo que estejas em Plutão). Porque a gravidade funciona a incríveis distâncias. No entanto, se há outras forças “em jogo”, então a gravidade tende a perder, porque é uma força fraca.

      Por exemplo, a Lua está-se a aproximar da Terra devido à gravidade.
      Mas a velocidade dela mantém-na em órbita.
      E as forças de maré da Terra empurram-na para mais longe.
      Fazendo as contas, ganha a força de maré, e perde a gravidade, por isso na verdade a Lua está-se a afastar de nós.

      Com as galáxias é a mesma coisa.
      Quando elas estão no mesmo grupo (como a Via Láctea e Andrómeda que pertencem ao Grupo Local), então a gravidade entre elas ganha, porque na verdade elas estão relativamente próximas.

      No entanto os grupos de galáxias estão-se a afastar uns dos outros… não se sabe porquê… e imagina-se que seja uma energia/força desconhecida que está a separar os grupos, superando a gravidade. Convencionou-se chamar a essa “energia”, Energia Negra. mas nem sequer se sabe se é energia… e negra não será de certeza 😛

      Ao ver-se essa “repulsão” entre grupos de galáxias, então quer dizer que esses grupos estão a ir cada vez para mais longe, expandindo assim o Universo (esta foi uma interpretação com que Hubble, que descobriu essa “repulsão”, discordou – ele dizia que não se podia fazer esse “salto no pensamento”).
      No entanto, foi uma interpretação que se adoptou para o… Universo Observável.

        • Nuno Almeida on 25/04/2011 at 20:59

        Então acho que acertei na explicação 🙂
        Se esta hipotética energia negra existir, constituirá cerca de 70% do Universo, enquanto que a matéria escura terá cerca de 20%, certo?
        A minha pergunta é: Onde entra aqui a matéria escura? O que neste momento os cientistas pensam que se trata?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.