Cruzeiro do Sul – I


“Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.

Não pretendo utilizar este espaço para demonstrações de patriotismo, mas com o mês de maio a começar o Cruzeiro do Sul  surge assim que o Sol se põe, alcançando sua maior altura no firmamento nas primeiras horas da noite. Assim fica fácil para quem mora em latitudes próximas da linha do Equador visualizar a constelação.

O Brasil possui uma relação especial com esse agrupamento,  sendo citado em seu hino nacional e estampado em sua bandeira e brasões. Obviamente, isso não é exclusividade brasileira. Podemos encontrar o Cruzeiro do Sul nas bandeiras da Austrália, Nova Zelândia e Samoa, só para citar alguns.

Enquanto aqueles que moram abaixo do Trópico de Capricórnio têm o Cruzeiro do Sul a qualquer hora da noite e a qualquer dia do ano, os que moram no Hemisfério Norte não possuem a mesma sorte, já que nas latitudes mais altas o Cruzeiro do Sul está sempre abaixo do horizonte.

Então, aproveitando a vantagem que os habitantes do lado de cá do Equador têm, vamos aos poucos conhecer essa constelação. Será que esse grupo de estrelas sempre foi chamado de Cruzeiro? Será que os criadores do Cruzeiro do Sul eram religiosos? Quantas estrelas têm o Cruzeiro do Sul? Quatro, cinco ou mais? Qual o nome das estrelas do Cruzeiro e de onde vêm esses nomes?

Enquanto isso, para aqueles que puderem, contemplem essa pequena notável olhando para o Sul de duas a três horas após o Sol se pôr. Estando virado para o sul e de frente para a constelação, você verá duas estrelas bem brilhantes “à esquerda” (a leste) fazendo a guarda. Uma constelação dessa importância merece toda a proteção, não é mesmo?

1 comentário

  1. ACRUX, GACRUX, MIMOSA…

Responder a Yara Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.