Equipa da New Horizons lança busca por novos alvos na Cintura de Kuiper

Representação artística do encontro da sonda New Horizons com um objecto da Cintura de Kuiper. Crédito: Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute (JHUAPL/SwRI).

A equipa da missão New Horizons, em colaboração com astrónomos dos maiores observatórios em todo o mundo, iniciou este mês uma extensa campanha de busca de objectos da Cintura de Kuiper que possam ser visitados pela sonda americana depois do seu encontro com o sistema plutoniano em meados de 2015. Segundo John Spencer, um dos investigadores da missão, a New Horizons tem combustível suficiente para se aproximar, pelo menos, de um objecto com um tamanho mínimo de 50 quilómetros.

Diagrama da trajectória da New Horizons com os principais eventos assinalados. A órbita de Plutão e a trajectória da sonda encontram-se marcadas, respectivamente, a amarelo e e a vermelho. Crédito: Johns Hopkins University Applied Physics Laboratory/Southwest Research Institute (JHUAPL/SwRI).

De acordo com Spencer, ainda não haviam sido identificados os alvos seguintes da missão por duas razões. Em primeiro lugar, estes objectos deverão ter um brilho 10 mil vezes mais fraco que o de Plutão, um brilho próximo do limite do detecção dos maiores observatórios. Em segundo lugar, a New Horizons desloca-se na direcção da constelação de Sagitário, uma região densamente preenchida pelas estrelas do centro da Galáxia, onde a procura dos elusivos objectos da Cintura de Kuiper é extremamente difícil. Como resultado, a equipa teve de criar um programa de busca específico para a missão, um que pudesse alcançar os seus objectivos antes do encontro da sonda com Plutão.
Vão participar neste projecto uma equipa internacional de astrónomos provenientes de nove instituições sediadas nos Estados Unidos, no Canadá, na França e no Chile. Prevê-se que no conjunto sejam obtidas milhares de fotografias, contendo cada uma milhões de estrelas. A equipa de astrónomos terá de mergulhar nesta pilha de dados para procurar pequenos pontos de luz em movimento com órbitas localizadas na Cintura de Kuiper.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.