Sonda da NASA confirma teorias de Einstein

Crédito: PhysOrg.com

A sonda da NASA Gravity Probe B (GP-B) confirmou duas das principais previsões derivadas da teoria geral da relatividade de Albert Einstein.

O experimento, iniciado em 2004, usa quatro giroscópios extremamente precisos para medir o efeito das geodésicas, a curvatura do espaço e do tempo em torno de um corpo gravitacional, e o efeito de arraste, a quantidade de espaço e tempo que um objeto arrasta devido à sua rotação .
GP-B determinou com precisão ambos os efeitos ao apontar para uma única estrela, IM Pegasi, enquanto descrevia uma órbita polar ao redor da Terra. Se a gravidade não afetasse o espaço e o tempo, os giroscópios do GP-B, apontariam para sempre na mesma direção, enquanto estivesse em órbita. Mas, na confirmação das teorias de Einstein, os giroscópios mediram alterações mínimas no sentido da sua rotação, enquanto a gravidade da Terra os puxava.

Ver mais aqui, aqui, e aqui.

8 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Muito bem observado pelo Luiz, mas mesmo assim é uma boa noticia.
    O Site é muito legal, vou divulga-lo no Brasil.

  2. Apesar da confirmação, pelos vistos nem tudo foi como se esperava 🙁
    http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/noticia.php?artigo=einstein-espaco-tempo&id=010130110506

  3. Fiquei com curiosidade sobre o porquê de escolher IM Pegasi como estrela guia. A posição da estrela e o seu movimento na galáxia tem de ser conhecido com muita precisão e este efeito descontado no movimento dos giroscópios. Ora, a estrela é na realidade um sistema binário que emite ondas de rádio e permite a medição da sua posição e movimento com grande precisão usando como referência quasares emissores de ondas de rádio muito distantes e que por isso podem ser considerados imóveis. As medições são feitas com enorme precisão através de radio-telescópios ligados entre si formando um interferómetro. Muito giro !

    1. Olá Luis,

      Encontrei este artigo:
      http://einstein.stanford.edu/TECH/technology1.html

      “In order to precisely map the motion of a star relative to a quasar, it was necessary to find a star that met all of the following criteria:
      – Correct position in the heavens for tracking by the on-board telescope (for example, the sun never gets in the way)
      – Shines brightly enough for the on-board telescope to track
      – Is a sufficiently strong radio source that can be tracked by radio telescopes on Earth
      – Is visually located within a fraction of a degree from the reference quasar

      It so happens that stars that are radio sources belong to binary star systems. Because almost half the star systems in the universe are binary, it initially seemed that there would be many good candidates for the guide star. However, out of 1,400 stars that were examined, only three matched all four of the necessary criteria. The star that was chosen as the GP-B guide star is named IM Pegasi (HR 8703).”

  4. Olá José,

    o título é enganoso. Não prova, apenas confirma duas previsões da relatividade geral.

    No texto tens pequenas gralhas:

    “arrastra” devia ser “arrasta”

    “afeta-se” devia ser “afetasse”

    Muito interessante esta notícia !

    Ab.

    Luís

    1. Obrigado Luís.
      Escapou-me 😉
      Sem desculpas 🙂 Tens toda a razão.
      De fato, confirma não prova.
      O pormenor da importância da estrela IM Pegasi é como referiste no comentário em baixo: A estrela é um sistema binário que emite ondas de rádio e permite uma medição precisa da posição e movimento.

      1. 😉

    2. boa observação comcordo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.