Nebulosa do Caranguejo a pulsar

A Nebulosa do Caranguejo – e o seu pulsar – é o que resta da explosão de uma supernova.
A supernova foi vista na Terra no ano 1054, sendo que a explosão deu-se a 6500 anos-luz de distância.

A 12 de Abril, o telescópio espacial Fermi viu um “brilho” intenso a sair da nebulosa – 30 vezes maior que o normal. Essa explosão de radiação (raios gama) foi 5 vezes maior do que alguma vez tinha sido observado vindo da nebulosa.
Durante 6 dias o brilho intenso manteve-se, sendo que a 16 de Abril a explosão foi ainda mais brilhante.
Depois voltou tudo ao normal…

Como é um acontecimento novo em termos de intensidade, não se sabe muito bem a causa.
Mas talvez seja devido ao campo magnético do pulsar.

Leiam sobre isto, em inglês, aqui, aqui, e aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.