10 previsões incríveis sobre o Fim do Mundo

A revista Sábado tem um artigo com 10 previsões de Fim do Mundo.
Em todas elas percebe-se a religiosidade inerente a estas vigarices.

“Em 1530 um grupo de anabaptistas tomou a cidade de Münster (Alemanha) durante as revoltas dos camponeses e proclamou-a Nova Jerusalém, esperando assim o regresso de Jesus Cristo.
Mas a situação desta cidade estava longe do ideal cristão. Jan Bockelson, um alfaiate holandês, declarou-se “Messias dos últimos dias”, tendo várias mulheres e cobrando às pessoas moedas em troca da paz para a cidade quando viesse o apocalipse. Se não pagassem, as pessoas eram ameaçadas com a vinda do Inferno para a cidade.”

“Na tradição cristã, o número 666 é considerado o “número da besta”. Logo, não foi nenhuma surpresa quando os europeus começaram a recear a chegada do ano 1666. Quando no dia 2 de Setembro de 1666 um incêndio começou numa pastelaria da rua Pudding Lane, os habitantes de Londres pensaram que o fim se estava a aproximar.”

“William Miller é, talvez, o profeta falso mais conhecido da História. Em 1840, começou a proclamar o final do mundo, dizendo que Jesus Cristo iria voltar à terra e incendiá-la entre 21 de Março de 1843 e 21 de Março de 1844.
Miller espalhou a sua mensagem utilizando as tecnologias da altura. Movidas pelas suas mensagens, milhares de pessoas criaram grupos chamados ‘Millerites’, venderam os seus pertences entre os anos 1840 e 1844 e fugiram para as montanhas à espera do final dos tempos.
Quando o mundo não acabou, Miller mudou a data para 22 de Outubro. Mas no dia 23, como o mundo continuou de intacto, os seus seguidores formaram o Movimento Adventista do Sétimo dia.”

“O início da I Guerra Mundial assustou muita gente: a Sociedade Religiosa “Zion’s Tower Tract Society”, o grupo que hoje é conhecido por Testemunhas de Jeová, viu na guerra o início do Armagedão. O fundador da sociedade, Charles Taze Russell, tinha previsto o regresso invisível de Cristo em 1874 e um segunda visita em 1914.”

“Logo após o pôr do sol, a 28 de Fevereiro de 1963, os habitantes de Arizona viram aquilo a que a República chamava “linda e misteriosa nuvem” no meio do deserto. No mesmo dia, o pastor pentecostal William Branham subiu à montanha de Sunset e anunciou que dentro de alguns dias se ia encontrar com 7 anjos que lhe iriam revelar os 7 selos do livro da revelação.
Alguns dias mais tarde, o pastor deu 7 sermões, durante 7 noites, a explicar o significado dos elos e das 7 visões que tinha tido, alegando ainda que Jesus Cristo iria voltar à terra em 1977.”

“Hal Lindsey já mudou a data do “fim do mundo” no seu calendário várias vezes.
A obra “Late Great Planet Earth”, o livro de não-ficção mais vendido da década de 1970, previu que o mundo iria acabar antes de 31 de Dezembro de 1988. Ele citou uma série de eventos do mundo – a guerra nuclear, a ameaça comunista e da restauração de Israel – como razões para a chegada do fim dos tempos.
Nos seus livros mais recentes sugeriu que os crentes não já não estariam na Terra após a década de 1980 – depois da década de 1990 e, claro, muito menos na década de 2000. Mas Lindsey fez mais do que erradamente prever o fim do mundo. Popularizou o género dos livros de profecias.
Edgar Whisenant publicou um livro em 1988 chamado “88 Razões Pelas Quais o Fim do Mundo será em 1988″, que vendeu cerca de 4,5 milhões de cópias. Quando 1989 chegou, Whisenant publicou outro livro a dizer que afinal o fim chegava nesse ano. Ainda publicou mais dois livros em que os títulos prometiam o fim do mundo para 1993 e 1994.”

“David Koresh convenceu os seus seguidores de que era Cristo, e que deviam refugiar-se no sítio que chamou “Centro de Monte Carmelo” para se prepararem para o fim do mundo.”

“A previsão de Harold Camping – que dava como certo o fim do mundo a 21 de Maio de 2011 – não foi a sua primeira ideia do género. Em 1992, o evangelista publicou o livro ‘1994?’, que proclamava que a meio de Setembro de 94, Cristo voltaria à terra e o mundo acabaria. Camping baseou os seus cálculos em números e datas encontrados na Bíblia e, nessa altura, o evangelista garantia que a sua previsão era “99% segura”. Mas o mundo não acabou em Setembro de 1994 nem a 31 de Março de 1995 nem a 21 de Maio deste ano – tudo previsões de Harold Camping.”

“Era o dia que ia finalmente provar o que os inimigos da tecnologia diziam há muito tempo: os computadores – e não o pecado ou as profecias religiosas – iam derrubar-nos.
Durante meses, antes de soar a meia-noite de 1 de Janeiro de 2000, os analistas especularam que as redes dos computadores do mundo inteiro iriam falhar, causando danos gerais que iriam afectar a população mundial, que se tinha tornado irreversivelmente dependente dos computadores para armazenar, disseminar e analisar as partes mais vitais de informação. Mas não foi bem assim. O ano novo chegou com nada mais do que a ressaca do costume.”

“2012 é sinónimo de previsões negativas para muitas pessoas. A previsão mais conhecida é atribuída ao calendário Long Count, da civilização Maia. O quarto mundo, aquele em que nos encontramos actualmente, deverá terminar a 21 de Dezembro de 2012.”
Terá o mesmo destino das outras. Nada se passará.

Leiam todo o artigo, aqui.

14 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Boa noite amigo
    Gostaria de informar que as datas as quais você se refere as profecias de William Branham são no mínimo contraditórias.
    São muitos destes comentários que pessoas não conhecedoras da mensagem de William Branham fazem, que levam a muitos a considerarem um falso profeta.
    Gostaria de saber se tais pessoas teriam coragem de dizê-lo pessoalmente se William Branham fosse vivo. Os que tentaram desafialo em vida pagaram grande preço.

    1. Claro que diria.
      Eu como mentirosos ao pequeno-almoço.

      E sabe como eu sei que ele mentia?
      Encontrei-me com 7 anjos que me disseram que o Branham nunca se encontrou com quaisquer anjos.
      E esses anjos também me disseram que é fácil comprovar as mentiras: o mundo não acabou.

  2. Eu fiquei um atento leitor deste blog, pois ao contrário do que possam pensar eu adoro ciência e em todos os posts que merecem o “label” de Religião eu vou sempre tentar dar uma opinião sobre o assunto.
    Profecias sejam elas ligadas à religião ou não sobre o fim do mundo, devem ir para o caixote do lixo como eu já referi em outros comentários.
    Na religião, vigarices abundam assim como presumo possam existir na ciência, pois livros sobre teses mais que duvidosas sobre os mais diversos assuntos também existem e com base em factos científicos.
    O Post sobre 2012 que o Carlos fez sobre este assunto está deveras interessante com matéria que desconhecia, pois gosto de ler sobre estes assuntos, mas por curiosidade e nada mais.
    Aconselho aos Católicos e mesmo a todos os Cristãos a não perderem muito tempo sobre o “FIM DO MUNDO”, quando ele chegar, vão todos dar por isso, acreditem no que vos digo e ninguém vai antecipar e marcar a data numa agenda.
    Tanto pode ser amanhã como daqui a um milhão de anos.
    Tudo se rege for ciclos e este ciclo com ênfase em 2011 e 2012 vai ser complicado para a Humanidade e a crise na Europa ainda mal começou, o pior estará para vir.

    1. Mike,

      Ainda bem que continuou como leitor 😉

      Independentemente das crenças de cada um, deve-se sempre procurar o conhecimento 😉

      abraço

        • Ana Guerreiro Pereira on 30/05/2011 at 17:29

        Ora bem, Mike, aqui concordo completamente consigo. 😛 🙂 🙂

  3. Humm…. e aquelas arraigadas que nao tem consciencia? Faz parte da nossa cultura e isso nao quer dizer que eu as tenha.

    Verdade? Isso é uma história complexa……

      • Ana Guerreiro Pereira on 28/05/2011 at 00:17
      • Responder

      Não tenho crenças, só manias, mas isso não são supestições, são manias como as do transtorno obcessivo-compulsivo; todos temos um pouco disso, isto é, rituaizinhos q só a nós dizem respeito (por exemplo, eu passo-me se mexem nas minhas coisas sem autorização :D) 😀

  4. Vocês não jogam sal por cima dos ombros ou batem na madeira também? Cada um com as suas crenças.

      • Ana Guerreiro Pereira on 28/05/2011 at 00:01
      • Responder

      Shirley: não. 😀 Não sou supersticiosa nem tenho superstições de qq espécie. 🙂

    1. Claro, mas crenças não são ciência.
      Aqui privilegia-se a ciência e a verdade… e não as crenças próprias de cada um 😛

        • Ana Guerreiro Pereira on 28/05/2011 at 00:06

        tipo enrolar o cachecol do benfica ao pescoço cada vez q vê um jogo das águias?? 😀

  5. Carlos, de acordo com estudo antropológico esta profecia não afirma que o mundo vai acabar literalmente. Diz que haverá uma nova forma de pensar, uma nova espiritualidade, uma nova visão do mundo.

    Isto baseado em informações de descendentes reais dos maias que rechaçam totalmente essas distorções do conhecimento maia.

    1. Sim, como se diz todos os anos a 31 de Dezembro de todos os anos… e como dizem os druidas em Solstícios e Equinócios…

      A 31 de Dezembro, na minha casa até se partiam pratos que já não fossem novos… porque era uma “nova vida”.

      Na verdade, nada muda 😛

        • Ana Guerreiro Pereira on 27/05/2011 at 23:09

        Ano novo, vida nova, já diz o povo!

  1. […] ministra da Austrália. Edward Snowden. Júlia Pinheiro. Dissonância Cognitiva: mentiras. Lista + 10 + 11 + infografia. Ig Nobel. 1910. 2008. 2010. 2010. 2011. 2012. 2013. 2014. 2014. 2016. 2017. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.