Júpiter tem mais duas luas!

Confirmadas as descobertas de 2 novas luas em Júpiter. O gigante gasoso passa a ter 65 satélites!

Alguns números:

S/2010 J1
Distância de Júpiter – semi-eixo maior (a) 23.314.335 Km
Inclinação (i) : 163.2 graus
Excentricidade (e): 0.320
Longitude do Nodo Ascendente: 000.0 grau
Período 723.2 dias
magnitude óptica: 23.3
magnitude absoluta (H): 16.7
Diâmetro do objeto: 2 Km
Ano da descoberta: 2010

S/2010 J2
Distância de Júpiter – semi-eixo maior (a) 20.307.150 Km
Inclinação (i) : 150.4 graus
Excentricidade (e): 0.307
Longitude do Nodo Ascendente: 000.0 grau
Período 588.1 dias
magnitude óptica: 23.9
magnitude absoluta (H): 17.2
Diâmetro do objeto: 1 Km
Ano da descoberta: 2010

 

Outras informações aqui

6 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Ana Guerreiro Pereira on 04/06/2011 at 00:36
    • Responder

    Como foram descobertas?

    1. Ana,

      Ambas foram descobertas em Setembro passado. S/2010 J1 foi descoberto por R. Jacobson, M. Brozovic, B. Gladman e M. Alexandersen fazendo uso do telescópio Palomer 5-m Hale, na Califórnia. C. Veillet descobriu S/2010 J2 no Hawaii com o 3.5-m Canada-France-Hawaii Telescope.

  1. É estranho a sonda Galileo não ter dado por elas 😉

    1. Carlos,

      Não é assim tão estranho. 🙂

      Apesar de ter atingido 20,7 milhões de quilómetros de distância de Júpiter no apojove da sua maior órbita, em Setembro de 2000, a missão Galileo não foi concebida para essa tarefa. Os principais alvos de observação residiam bem no interior do sistema joviano – na atmosfera do gigante e nas suas quatro maiores luas. A detecção destes pequenos objectos só é possível com extensos programas de observação que façam uso da tecnologia CCD em grandes telescópios, e que abarquem grande parte da esfera de Hill do planeta.

      Curiosamente, estes dois novos objectos parecem pertencer a grupos de satélites irregulares distintos. O primeiro parece fazer parte do grupo de Carme, enquanto que o segundo deverá pertencer ao grupo de Pasífae. Estes grupos aparentam ter sido formados pela captura e fragmentação de um asteróide progenitor pelo gigante Júpiter.

      1. O certo é que só eram conhecidas 16 luas, penso eu.
        E com a Galileo, passou-se de 16 conhecidas para quase 50 mais 😉

      2. Deste-me agora um pouco de trabalho. 😉
        Consultei este livro: http://www.amazon.com/Solar-System-Moons-Discovery-Mythology/dp/3540688528

        Tens razão no primeiro ponto. Só eram conhecidas 16 luas (Temisto foi observada pela primeira vez em 1975 mas só foi confirmada em 2000). No entanto, todas as outras luas foram descobertas através de telescópios na Terra. Nenhuma das descobertas teve a participação da Galileo.

  1. […] – Planetas: Mercúrio (dia). Vénus (viver). Júpiter (núcleo a derreter, 65 luas, JUNO). Saturno (anel gigante, tempestade, oposição). Úrano (auroras). Neptuno (diamantes). […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.