Energia Negra confirmada?

Um artigo interessante sobre como a energia negra é publicitada como “provada”, mas na verdade o que se prova é simplesmente o distanciamento crescente entre grupos de galáxias, mas na verdade não é definido o que é a “energia negra” (só se “vê” o efeito).
De forma similar, o mesmo se passa para a “matéria negra”.

Mas o mais interessante este mês, ainda é este artigo:
“O Universo pode não estar em expansão acelerada.
Na verdade, a observação das estrelas supernovas indica várias possibilidades para a aceleração cósmica, e não se pode prever de forma precisa o ritmo ou a continuidade da expansão.
Esta interpretação está sendo oferecida por Antonio Guimarães e José Ademir Sales de Lima, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP).
A partir da análise dos dados das supernovas, os pesquisadores demonstraram que o estado atual do Universo abre um grande número de possíveis variáveis sobre sua expansão ou retração.
(…)
As análises mostraram que houve um período de aceleração recente (acontecido há alguns bilhões de anos). Porém, o estado atual de aceleração é mais incerto do que indicado pelos modelos de energia escura.
A situação seria indeterminada, a expansão pode ser acelerada, mas estar em diminuição, já que o estado atual do Universo é melhor representado por uma distribuição de probabilidades. (…)”
Leiam todo o artigo, aqui.

1 comentário

  1. Ainda aposto que essa energia escura não passa de ilusão, e que o que acontece de fato é que as áreas mais fortemente atingidas pela gravidade (como o nosso grupo de galáxias) diminuem, dando a impressão que os espaços entre elas aumentam (uma simples questão de referência).

    Nunca vi coisa mais contra-intuitiva que a tal energia escura! Lembra-me aquela notícia da fusão a frio (uma ideia que literalmente esfriou).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.