Panta rei, Tudo flui – Primeira Parte

Alterações ocorrem todos os dias, tanto no mundo microscópico ou macroscópico. Em todo o lado, aqui, do outro lado do mundo ou na outra “ponta” do Universo. Até mesmo o vácuo está sempre em mudança.

A fluência é uma constante. Assim é desde a era pré-socrátiva por Heraclito de Éfeso, 450 a.C,  que defende que não nos molhamos duas vezes num mesmo rio porque ele já está mudado.

O princípio é Panta rei ou “tudo flui”, todos os objectos e não objectos. Em diferentes domínios podemos verificar mudanças de estado, estruturais, conceptuais. Enfim, mudanças sem dúvida de alguma forma, nem que seja o que era Futuro será Passado e, um um pouco antes de vir a ser e um pouco depois de já ter sido, está a ser no Presente.

Na óptica da Física e da Química existem alterações em todo o lado e em todo o momento. Mudanças estruturais de elementos, reacções químicas de oxidação/redução, alterações de gradientes de concentração em todos os seres vivos, gradientes de pressão, mudanças nos momentos dos objectos, nas velocidades e ocorrem choques de partículas à nossa volta e em nós. Se pudéssemos ver todas as partículas a movimentarem-se e a chocarem veríamos uma chuva idêntica à estática da televisão quando não apanha nenhum canal.

No domínio da Biologia também nada é estático, as células movem-se, as células replicam-se. Num nível nanométrico podemos descobrir uma azáfama no DNA. Replicação, transcrição e tradução. Tudo ao mesmo tempo numa cadeia longa de DNA. Enzimas “correm” de um lado para o outro. Lisossomas dissolvem subprodutos celulares.

Outra alteração no reino biológico é a de longo prazo, mais conhecido como evolução. Em breve um post sobre as evidências de evolução humana nos últimos milhares de anos.

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Toda mudança, no universo que nos cerca, é mera ilusão. Nós é que mudamos em relação a ele.

    Cristiano G. Gomes, 2011

    • Ana Guerreiro Pereira on 14/07/2011 at 13:42
    • Responder

    Mas há a ressalvar q o devir e o tempo não são necessariamente a mesma coisa… 😀

    E o tempo? É uma convenção humana criada para medir a passagem do devir?… OU?… 😀

  2. “A única constante em todo o Universo é… a mudança”
    Carlos Oliveira, 2008

    😛 eheheheehe 😀

    • Ana Guerreiro Pereira on 14/07/2011 at 13:18
    • Responder

    Heraclito e os seus comparsas chamavam a isso o Devir das coisas 😉

    “Nada é permanente, salvo a mudança.” 😀

    Heraclito era o meu preferido eheheh 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.