Quem é quem?

A secção de Ciência do jornal New York Times publicou hoje um divertido “Quiz” onde somente tem de se tentar identificar os cientistas representados nas fotos que vão sendo dadas.  Quantos cientistas conseguem identificar??

Name that scientist!

Nota: apesar de o Quizz ser inglês, as respostas contemplam somente o nome do cientista representado, pelo que não são necessários conhecimentos de inglês para brincar. 😉 Para começar o jogo, basta clicar no rectângulo azul que diz “take the quiz”.


78 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Adorei a aula, Ana. Entendi perfeitamente sua explicação.

    Tenho mais uma: A universidade de edimburgo junto com a uma universidade grega busca utilizadores’usuários de Mac para testar um módulo sobre terremoto.

    Tem que ser plataforma MAC, nada de W.

    1. Lol, ainda bem que ajudei, Shirley 😉 Mas note que o conhecimento está sempre em mutação. Para já, a única coisa q se consegue teleportar é informação quantica, um conceito que é dificil de compreender, e q eu mesma não entendo muito bem. Mas a única coisa teleportada foram spins de electroes de átomos, segundo o que o Marco está ali a avançar. Digamos então que disto para moléculas de DNA vai uma distancia gigaaaaaaaanteeeescaaaa. Um dia, quem sabe, tudo é possivel! Mas não hoje, nem desta maneira. 😉

      Não uso Mac 🙁 só windows.

    2. E das minhas explicações a Shirley não gosta? Assim fico magoado…

      Brincadeira 😛
      Espero ter ajudado também 😉

      PS: Do módulo de terramotos também não sei nada

        • shirley on 10/08/2011 at 23:02

        Naturalmente que sim. Este assunto é uma das minhas paixões. Espero continuar com este assunto.

        O modulo é instalado no laptop/mesa e como o MAC tem mais capacidade para captar sinais, ele completa dados e avisa ao sistema/analistas de atividades sísmicas potenciais na área onde se encontra.

        Ainda está sendo elaborado. Estou no território dos terremotos em Creta e a atividade sísmica aqui é instantânea.

  2. Isto até já tinha sido falado no astro: http://www.astropt.org/2011/01/19/teletransporte-do-dna/

    1. Boa. Nem tinha reparado 🙂

        • shirley on 10/08/2011 at 22:23

        Mas não foi discutido ainda, exceto como ficção científica.

      1. Sim 🙂

        Agora foi muito melhor discutido… de forma científica, pela Ana e pelo Marco 🙂

        Por isso, ainda bem que puxou a conversa, Shirley 🙂

      2. Bem, é porque ainda está no domínio da ficção cientifica 🙂 a boa noticia é que já se conseguiu fazer essa teleportação quantica com um átomo de cálcio, e penso que com outro, não tenho a certeza. O passo seguinte seria com uma molécula muito simples. Neste momento é impossivel conseguir fazer isso com uma molécula tão complexa qto o DNA; não temos tecnologia nem conhecimentos para isso, agora.

        A Mosca ainda está longe 😀

  3. Ana, entendo o rigor cientíco mas será que não estamos evoluindo nesta área e que seja um passo dado, a mais?

    1. Não 🙂 se isto fosse possível, os seres vivos seriam um monte ambulante de radiação electromagnética, visto que somos todos maioritariamente compostos por água. E as moléculas não precisariam de outras moléculas para comunicar. Nem o DNA precisaria de ser transcrito em RNA, nem esse RNA seria direccionado para as fábricas de proteinas chamadas ribossomas para ser traduzido em proteínas.

      Portanto, se isto fosse real, porque é que a natureza teve este trabalho todo em montar uma maquinaria muito complexa e q envolve muitas moléculas de transmissão de informação para fabricar uma única proteina? Era amandar um impulso electromagnético e pimbas, já estava. Para quê milhões de anos de evolução molecular em que a vida tentou q a informação contida no DNA fosse transmitida e traduzida em nanomáquinas organicas chamadas ribossomas se afinal era só mandar informação quantica?… percebe onde quero chegar?

      é dificil explicar isto, mas digo-lhe, não faz sentido nenhum 🙂 é como dizer que as vacas podem voar, percebe? 😉

  4. O experimento feito para comprovar tal hipótese foi transformar um sapo em um camaleão ou similar um a técnica que ele descobriu.

    1. O experimento é este:
      http://www.neotrouve.com/images/tquant.jpg

      1. Só me ocorre dizer: mas q parvoíce….

  5. Mas e o experimento feito para provar tal hipótese?

    1. Até hoje só se conseguiu teleportar quanticamente átomos. De um átomo a uma molécula de DNA vai uma grande distância de informação. Não há meios para isto.

      Experimentos (experiências, como dizemos aqui :D) destes há aos magotes 😉 infelizmente muitos contêm inúmeros erros e, por vezes, a ânsia de querer que algo seja verdade leva-nos a manipular os resultados nesse sentido…

      1. Por “experiencias destas” eu quis dizer experiencias em que os resultados dão algo que nós queriamos que desse ou em que há muitos erros q induzem tb em erro as conclusões. O mais comum, por haver contaminações e não levarmos isso em conta, de modo que acabamos por tirar conclusões erradas.

      2. Nem isso Ana, o que se fez foi teletransportar a informação de um átomo para o outro, os spins dos electrões, não é bem teleportação como estamos habituados a ver na ficção científica, a matéria em si não muda de posição no espaço. Pelo menos é isso que tenho lido, só se já fizeram algo de novo…

      3. Sim é a passagem da informação 😉

        Já no Star Trek era assim que funcionava… apesar da maioria das pessoas não perceber que funcionava dessa forma 😉

      4. Sim, é teleportação quantica 😀 o que é teleportado é a informação quantica, neste caso os spins dos electroes. Eu própria não entendo muito bem, pois a quantica não é o meu domínio; os físicos é que saberão explicar isto melhor. Já o Michael Crichton usou estes conceitos para escrever o romance “Resgate no Tempo” (q foi adaptado ao cinema, mas o livro é bem melhor).

      5. @Ana Quer dizer, por “teleportar quanticamente” já estavas a querer dizer que era apenas a informação e não o átomo em si, mas de qualquer das formas é melhor explicar para quem possa estar a ler

        @Carlos e no Stargate 😛

      6. Sim, mas queria simplificar 😀 😀 nem eu mesma entendo bem esse conceito de teletransporte quantico. Chamem mas é os físicos, onde andam eles? 😀

      7. No stargate é um wormhole, pá! 😀

        • shirley on 10/08/2011 at 22:47

        Esse assunto poderia ser melhor discutido aqui de forma mais lógica. É muito interessante pois é tecnologia que se mistura à ficção científica.

      8. Isso era sempre um bocado confuso, em alguns episódios davam a entender que era apenas a informação, noutros diziam que os objectos eram reduzidos a átomos, transportados pelo wormhole e depois reorganizados no outro lado.

        E aqui estamos nós a discutir essas coisas de extrema e relevante importância. Somos mesmo nerds pá lololol

    2. Experimentos podem ter erros e podem ser mal concebidos desde o início. Dando novamente o caso do Jacques Benveniste como exemplo, o grupo dele, assim com outros cientistas, notaram nas suas experiências que os basófilos (um tipo de glóbulos brancos) estavam a reagir a doses extremamente diluídas de substâncias químicas, tão diluídas que supostamente não restava uma única molécula da substância original (era só água), isto foi logo tido como prova a favor da homeopatia. No entanto, quando a revista Nature pediu a um investigador e a um ilusionista (James Randi) para investigar o que se estava a passar, eles descobriram que não passava tudo de “patetice” dos investigadores. Os investigadores também são humanos e gostam que as suas hipóteses sejam comprovadas, e por vezes, mesmo que inconscientemente, isso tem influência nos resultados. Mas a ciência têm mecanismos para lidar com estas falhas humanas, como os testes duplamente cegos. Quando foi aplicado um protocolo duplamente cego à experiência de Benveniste a “memória” da água simplesmente evaporou-se. E a carreira de Benveniste foi por água abaixo porque recusou-se a encarar a realidade.

      http://pt.wikipedia.org/wiki/Jacques_Benveniste
      http://pt.wikipedia.org/wiki/Duplo-cego

  6. Esqueça isso, nao precisa tirar.

    Podemos discutir esse assunto em vez disso em novo thread?

    Nobel Prize for medicine in 2008, Luc Montagnier, is claiming that DNA can send ‘electromagnetic imprints’ of itself into distant cells and fluids which can then be used by enzymes to create copies of the original DNA. This would be equivalent to quantum teleportation.

    1. Já conhecia estas alegações. Isso não é verdade nem está correcto. O DNA poderá comunicar, sim, lógico, mas não por impressões electromagnéticas (ou andávamos para aqui como radiadores ambulantes lol); o DNA comunica quimicamente. E a teleportação quantica de dna não é possivel nem está demonstrada; isto é uma forma de tentar justificar que a água tem memória quântica. Este senhor é adepto da homeopatia e da parvoice e falsidade de a água ter memória.

      A questão aqui é, porque é que pessoas inteligentes dizem coisas estapafurdias e absurdas?…

    2. Isso parece ser importante 🙂
      http://www.neotrouve.com/?p=1124

      Ana e Marco, são mais a vossa área. 😛 O que dizem? 😉

      Mas fiz uma pesquisa rápida no Google e parece que isso é treta.
      Veja este artigo:
      http://www.newscientist.com/article/mg20927952.900-scorn-over-claim-of-teleported-dna.html
      Mas o melhor artigo ainda é este:
      http://scienceblogs.com/insolence/2011/01/the_nobel_disease_meets_dna_teleportatio.php
      Pelos vistos, isto é só mais uma tentativa desesperada de homeopatas…

      1. É treta, Carlos. Não faz sentido nenhum. 🙁

    3. Já conhecia. Até pode ser prémio nobel mas não deixa de ser humano 😉
      É muito mais provável que se trate de uma simples contaminação, é a coisa mais normal. Para isso ser verdade, muitas das coisas que já estabelecemos como factos tinham de estar erradas. A não ser que outros grupos consigam replicar os resultados não prevejo grande futuro para essa teoria. Faz-me lembrar o caso do Jacques Benveniste e da memória (homeopática) da água, ou ainda a “descoberta” da fusão a frio que também ninguém conseguia replicar.

      1. Este senhor é adepto da homeopatia e da memória da água. Acho q isso já explica tudo 😀

    4. Note, por exemplo, q tive diversos professores que eram brilhantes numa determinada área do conhecimento, mas totalmente ignorantes noutras. E q chegaram a veicular e espalhar autenticas parvoices. A falta de literacia não afecta só os leigos. E no meio académico e cientifico existe um tipo pior de ignorância: a ignorância muito arrogante. A falta de literacia e espirito critico não é só um problema ao nivel dos leigos e das massas….

      No entanto, pensemos assim, se não houvessem estas divergências de conhecimentos e, em vários casos, de opiniões e pontos de vista, tb não havia ciência. 😉 A ciência, na sua essencia, é o questionar de tudo.

  7. Carlos, você ganhou essa, retiro o meu comentário. Rigor científico completo e absoluto. Deixemos a astrologia de lado e foquemos na astronomia e ciências afins sem suscetibilidades.

    1. Mas Shirley, se eu retirar o seu comentário, todos os bons comentários a seguir se vão perder, porque pertencem a essa thread e serão automaticamente apagados também. Ao apagar o seu comentário, 13 outros comentários vão desaparecer 🙁

      Posso em vez de apagar o seu comentário… editá-lo? Substituir algumas das palavras…
      Se sim, diga-me o que quer que ponha lá, de modo a não ferir susceptibilidades de ninguém 😉

  8. Eu até tenho vergonha de dizer em quantos acertei…

      • Ana Guerreiro Pereira on 10/08/2011 at 11:43
      • Responder

      Tu és uma croma, Pratt! 😀 E devias ter orgulho nisso! 🙂 Eu cá tenho! 🙂

  9. 7. E falhei no asiático, pensei que era o Michiu Kako

      • Ana Guerreiro Pereira on 09/08/2011 at 15:53
      • Responder

      Tb pensei q era 😀 mas depois de ver melhor, não é não. 😀 Sete é óptimo 😀

  10. Tirando o primeiro que toda a gente sabe quem é, os outros foi simplesmente ao calhas, acertei em 5.

      • Ana Guerreiro Pereira on 09/08/2011 at 15:51
      • Responder

      Ahahahahahah, é pq de alguma maneira conhecias a resposta 😛

  11. http://www.nytimes.com/interactive/2011/08/09/science/20110809-scientists-quiz.html
    10/10
    Nada mal, para quem não é cientista….E respondeu a 4 ao calhas(oui melhor, por eliminação)!!!

      • Ana Guerreiro Pereira on 09/08/2011 at 15:50
      • Responder

      Nada mal mesmo!!!! 😀

    • Marina Frajuca on 09/08/2011 at 13:13
    • Responder

    Cinco em dez, no meio…lol
    Nem todos são de 3 anos, o meu é de quatro. Depois a especialidade com mestrado é mais dois anos.

      • Ana Guerreiro Pereira on 09/08/2011 at 15:49
      • Responder

      Ehehehehhee, Marina, nada mal! ;D

      Sim, tenho ideia q os cursos de enfermagem e de medicina não são de meros 3 anos.

    • António Cstanheira on 09/08/2011 at 02:00
    • Responder

    Acertei em 7 mas só conhecia 3 – Hawking, Goodall e Dawkins!

    Mas o teste está mal feito: Há perguntas onde uma ou duas das hipóteses já foram eliminadas por respostas anteriores, de modo que se torna quase um 50/50…

    1. António, é um teste simples, q vale mais pela piada. 😀 Não podemos esquecer que é um teste feito para massas e leigos 😉 não para especialistas. 😉

  12. Dos 10 só não sabia quem são Steven Chu e Jane Lubchenco.
    Vou ler sobre eles 🙂

    Já agora, os cursos em Portugal são todos de 3 anos (excepto os que têm mestrado integrado, que são de 5).

    1. Nuno, ficaste a saber agora 😀 😀

      Penso q os cursos nocturnos e os de medicina seguem um cronograma diferente. Mas não tenho a certeza, já não estou por dentro.

  13. Eu não estou em Portugal, por isso não sei a 100%, mas parece-me que todos os cursos agora seguem o tratado de Bolonha… ou seja, licenciaturas agora em Portugal são de 3 anos.

    1. Sim, as licenciaturas em Portugal são todas de 3 anos. Os mestrados estão integrados (até se chamam mestrados integrados :P) e duram dois anos. Mas acho q com os cursos nocturnos e os de medicina as coisas não são bem assim. Tb já não estou mto por dentro, sou da época pré-bolonha em tudo 😛

  14. Em astronomia? o curso completo de astronomia? ou especialização?

    Pode ser até nessa com você passando as informações para ele…assim é fácil.

  15. Na próxima? É já nesta 🙂

    Em Portugal agora bastam 3 anos para tirar uma licenciatura 😛

    1. Não é só em Portugal 😛

  16. Teu padrinho então vai ser um futuro astrônomo ou cientista na próxima e espero que não seja astrólogo.

    1. Bem, para lhe sair este afilhado na rifa…. 😀 LOL

    2. Quero retirar esta brincadeira porque admiro quem estuda astrologia também. Não tanto como admiro a astronomia e os astrônomos, mas respeito qualquer forma de conhecimento.

      1. Se astrologia é conhecimento também deveríamos respeitar a alquimia, a teoria de que existem apenas 5 elementos, a teoria de que todas as doenças são provocadas por desequilíbrios de humores e que podem ser curadas por sangramento com sanguessugas ou então por furos no crânio, etc.

        Eu respeito a crença de todos, no sentido de que toda a gente é livre de acreditar no que quiser, incluindo no Pai Natal (Papai Noel), agora isso não o torna verdade, nem tão pouco uma “forma de conhecimento” igual ao conhecimento suportado por evidências. Já agora, alguém respeita o meu direito de não acreditar?

        É verdade que isto dito assim parece até muito fácil, mas no nosso dia-a-dia temos de lidar com amigos, conhecidos e até patrões que acreditam nas coisas mais absurdas. E se nós, os cépticos, é que somos sempre acusados de ter uma mente fechada, quando a única coisa que pedimos são evidências, geralmente os crentes é que se comportam de uma maneira infantil e acabam por amuar quando são contrariados. Na vida real temos de avaliar se a pessoa possui uma mente aberta o suficiente para aceitar evidências contrárias à sua crença, caso contrário é um desperdício de latim e pode até trazer problemas se estivermos a falar de um chefe.

        • shirley on 10/08/2011 at 11:52

        Puxa Ana, acertou em cheio. Estou ocupada e não pude responder ao Carlos, ainda.

        Mas você respondeu por mim. Afabilidade porque não adianta discutir esse assunto.

        Entendo o Carlos mas não vale a pena entrar em discussão aqui.

        Carlos, estou pensando seriamente em estudar astronomia na faculdade depois de ver seu empenho em nos educar…..

      2. Shirley,

        A Ana tá em sintonia consigo 🙂

        Tendo em conta o que a Ana explicou, vamos fazer assim então:

        Se a Shirley tá com receio de trolls por si, porque podem não gostar do que a Shirley disse, eu retiro o seu comentário inicial que deu azo a tudo isto.
        Mas note que se eu retirar esse comentário, agora perde-se (é apagada) toda esta thread com as boas contribuição de outros – nomeadamente, Ana Margarida e Marco Filipe.

        Se a Shirley tá com receio que apareçam trolls e isso seja mau para o astroPT, então eu sugiro que continue o seu comentário, porque eu por mim não me importo. O astroPT defende o pensamento crítico e é contra a pseudociência. Quem não gostar da parte do astroPT ser contra a pseudociência, tem bom remédio: não lê 😛

        Se há pessoas que querem ser respeitadas nas suas vigarices (pseudos), então essas mesmas pessoas também têm que respeitar o meu direito em avisar o resto da população que essas pessoas são vigaristas. 😛

        Não sei se educo ou deseduco, porque a minha “combatividade” pode ter efeitos contrários aos esperados 😉 mas não vem de astronomia, acho que vem mesmo no doutoramento em educação científica… e da quantidade de obstáculos (ex: Criacionismo) que vejo por aqui – daí se calhar a constante “combatividade”, pk tem que se estar sempre a ultrapassar obstáculos. 😉

        abraços

        • Ana Guerreiro Pereira on 10/08/2011 at 20:28

        Shirley, eu percebi logo como se estava sentindo 😉 porque eu tb evito tocar determinados assuntos em determinados espaços para não ferir susceptibilidades e para não desrespeitar espaços q não são meus. Mas aqui no Astropt não tem problema em brincar com aquilo que se considera ser vigarice, pois todos o fazem 😀 No entanto, por exemplo, se eu for ao espaço de um amigo meu q sei q é crente em deus, por ex, não vou puxar discussão sobre isso… por isso percebo o que quis dizer 😉

    3. Qual brincadeira?

      A astrologia não é uma forma de conhecimento.
      A astrologia é uma forma de vigarizar as pessoas devido ao desconhecimento das pessoas de técnicas conhecidas de leitura de comportamentos.
      http://www.astropt.org/2011/07/25/como-os-vigaristas-fazem/

      abraços

        • shirley on 09/08/2011 at 15:04

        Fórum público e é melhor manter a postura. Vejo desta forma mas temos que respeitar crenças de qq forma.

      1. Mas Shirley, há imensas experiências que provam que a astrologia é subjectiva. Qualquer pessoa pode fazer essas experiências.

        Por isso, devemos respeitar vigarices? 😉

        Pessoalmente, não me parece que devemos respeitar quem não respeita a verdade.
        Por exemplo, acha que devemos respeitar quem acredita que o homem viveu ao mesmo tempo que os dinossauros há 5000 anos atrás?
        Ou acha que devemos respeitar o Harold Camping que vigarizou inúmeras pessoas ao dizer que o fim do mundo era em Maio passado?

        😉

        P.S.: de qualquer modo, não querer que a pessoa X seja da profissão Y, não me parece desrespeitar ninguém 😉

        • shirley on 09/08/2011 at 16:24

        Não entraria por essa porta não. Comentei apenas sobre o respeito as pessoas que creem na astrologia que estao na lista/forum.

        Nem acredito na astrologia e nos prognosticos.

      2. Mas Shirley: como a Shirley preferir que a pessoa X seja desta profissão e não daquela é um desrespeito a alguém? 😉
        Sinceramente, não me parece.
        Há profissões mais respeitadas que outras. Por exemplo, ser médico é uma profissão mais respeitada do que grande parte das outras profissões.
        Não tou a desrespeitar ninguém por dizer isso, por dar valor aos médicos.

        Por outro lado, as pessoas são livres de acreditarem naquilo que quiserem. Mas não são livres de fugir à verdade.
        E a astrologia é uma pseudociência. Isso é certo.
        E as pessoas têm que respeitar o meu direito de dizer a verdade 😉

        abraços

      3. A Shirley está só a querer ser respeitadora para ambos os lados 🙂 e não provocar polémicas. Penso q o q ela quis dizer era q não queria chamar aqui trolls que lhe caissem em cima por causa da brincadeira que ela fez. Teve receio q a brincadeira a tornasse alvo, e ao post e blog, de fundamentalismos como os que temos visto nos posts sobre o Elenin. 😉

      4. E percebo bem a postura dela porque em certos locais tb tento não dizer nada que me faça cair o céu em cima da cabeça… estou farta de trolls, sabes?…

        Qto aos médicos, já percebi pq é q anda tudo com a pancada da medicina… 😛 e muitas vezes esses todos não têm a menor noção do que é Medicina e do q exige de uma pessoa.

  17. O meu padrinho, com mais de 70 anos e sem perceber nada de astronomia, respondeu a todas sem saber nenhuma. Ou seja, atirou sempre à sorte.
    Mesmo assim, acertou em 3.

    Ou seja, esse é o intervalo de erro… 30% 😛

    Mesmo assim, o meu padrinho a acertar à sorte em 30% das coisas correctamente… isso faz com que acerte 2 vezes mais que os astrólogos. 😀

    1. LOOOOOL 😀 tenho de meter os meus avós a experimentar… 😛 mas esses não gostam nada de computadores… 😀

  18. Pelo que vi as frases são as mesmas para todos, para os bons e ruins. Preciso guardar mais os nomes dos cientistas.

    1. Sim, as frases basicamente dizem que o que é importante é a curiosidade e vontade de saber e abertura para aprender. 🙂 Bah, deixe Shirley, a minha memória para nomes tb não é grande coisa 😀 e não se pode saber tudo 😀 Mas pode-se ir aprendendo a saber 😀

  19. Acertei em 9… errei no último 🙁

    1. Carlos, pois, não fazia a mínima de quem era esse. Ora, não há erros, há feedback 😛 não sabias, ficaste a saber 😉 Repara inclusive no tipo de frase com que nos brindam por resultado… 😉

  20. Acertei em tudo! Mas 3 foram ao calhas, só tenho sorte em coisas que não dão dinheiro 😛
    Não sabia quem eram Steven Chu, Jane Lubchenco e Lisa Randall

    1. Marco, foi onde falhei tb 😀

  21. O objectivo é meramente o de nos despertar curiosidade sobre os cientistas e vermos que realmente há muitos e mesmo o pessoal de cada área só conhece uns qtos 😀 da primeira vez q fiz acertei em 5 😀 da segunda já acertei em todos, por isso, algo aprendi no processo 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.