Nebulosa do Pacman

Na APOD de hoje, temos NGC 281, onde se vêem colunas de densos glóbulos de poeira. Estes foram erodidos por ventos intensos e energéticos e por radiação do aglomerado quente de estrelas.

Se sobreviverem o suficiente, as poeirentas estruturas poderão tornar-se locais de formação estelar.

Também chamada de Nebulosa do Pacman devido à sua forma, a NGC 281 está a cerca de 10.000 anos-luz na constelação Cassiopeia.

Esta imagem foi feita recorrendo ao uso de filtros de banda estreita, mas reúne emissões de átomos de hidrogénio, enxofre e oxigénio da nebulosa no espectro visível. A NGC 281 espalha-se por mais de 80 anos-luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.