planeta HD 85512b é habitável

Há 3 semanas atrás, o Luís Lopes já tinha dado a conhecer esta descoberta, neste post.
Agora, 3 semanas depois, a descoberta está a chegar aos serviços noticiosos, mas ainda timidamente. Os jornais ainda nem falaram da descoberta.
Ou seja, o astroPT foi o primeiro a falar desta descoberta, e agora voltamos a ela para sublinhar os resultados.

HD 85512 ou Gliese 370 é uma estrela que se encontra a 36 anos-luz de distância. Tem um tipo espectral K, por isso é um pouco menos luminosa, menos massiva, mais fria, um pouco mais velha, e mais pequena que o Sol. É uma anã alaranjada.
Foi encontrado um planeta à volta dessa estrela que é uma Super-Terra. O planeta orbita a estrela a 0.26 UA, ou seja 1/4 da distância da Terra ao Sol – mas como a estrela é mais pequena então em termos relativos ele está para a estrela-mãe como Vénus está para o Sol. Poderá estar na parte interior da zona habitável da estrela. Outra informação relevante é que a órbita é quase circular, o que faz com que a temperatura esteja estabilizada. HD 85512b é 3,6 mais massivo que a Terra, deverá ser rochoso, e terá uma temperatura à superfície de cerca de 25ºC. O planeta poderá ter uma atmosfera com vapor de água, dióxido de carbono, e azoto (nitrogénio). Se o planeta tiver uma atmosfera com nuvens, então é provável que tenha água no estado líquido à superfície do planeta (lagos, rios, e oceanos).

Ser habitável é diferente de ser habitado. Habitado quer dizer que tem vida. Ser habitável quer dizer que pode ter condições para ter vida tal como a conhecemos.
É o exoplaneta menos massivo encontrado na zona habitável, e é, neste momento, o melhor candidato para ter vida (juntamente com Gliese 581d).

Leiam o artigo científico, aqui e aqui.

No dia 12 de Setembro, este planeta foi anunciado na conferência internacional Extreme Solar Systems II, juntamente com a descoberta de 50 exoplanetas, 16 dos quais são super-terras. Leiam no astroPT, aqui.

27 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • camila Luiza Gonçalves brum on 01/03/2016 at 20:57
    • Responder

    interessante.

    • ACQUARYONATOR ORION on 14/11/2012 at 20:18
    • Responder

    EDUARDO RODRIGUES.!
    JÁ OUVIU FALAR NO PLANETA PROTUM NO SISTEMA DE ORION PRÓXIMO AO BETELGUESE ?
    OS PROTUMS SÃO HYBRIDOS MEIO HUMANO MEIO RÉPITIL.

    1. Não existe qualquer planeta Protum.

      Não existe “sistema de Orion”. As estrelas em constelações nada têm em comum entre si. Nada têm a ver umas com as outras.
      Pensar-se que constelações são sistemas físicos de estrelas é ter uma mentalidade de há 1000 anos atrás, uma mentalidade geocêntrica, em que só por termos a perspectiva daqui, então a nossa perspectiva é que conta – ou seja, é pensar.-se que estamos no centro do Universo.
      Na verdade, em Orion, existe por exemplo Betelgeuse que se encontra a 650 anos-luz de distância da Terra, e Rigel, que se encontra a 900 anos-luz de distância da Terra. Entre si, a distância entre elas, é no mínimo de 250 anos-luz. Se quiser aprender alguma coisa, veja a distância para as outras estrelas em Orion, e fica a perceber a imbecilidade de se pensar que umas estrelas têm alguma coisa a ver com outras em Orion.

      Não existem quaisqueres seres meios répteis no espaço. Isso deve-se à má ficção científica aliada a uma péssima imaginação e a um total desconhecimento de astrobiologia. É pura religião, aliada à ficção, como a Cientologia.
      Deve-se também à ideia absurda de que havia uma raça de dinossauros mais avançada, mais inteligente, que até fazia naves para viajar pelo espaço, e salvaram-se da extinção.

      Os planetas que existem no Universo só são descobertos devido ao conhecimento dos cientistas.
      Nenhum crente em ideias absurdas religiosas de New Age alguma vez descobriu o que quer que fosse. Pelo contrário, só estagnam o progresso da Humanidade, distraindo-nos com imbecilidades (e sendo assim, paradoxalmente caem nas ideias manipuladoras e conspiratórias que dizem que abominam).

      abraços

        • Anderson on 26/03/2014 at 02:39

        Gostei dessa teoria de que “havia uma raça de dinossauros mais avançada, mais inteligente, que até fazia naves para viajar pelo espaço, e salvaram-se da extinção.”

        As pessoas tem que saber que os Dinos de Orion estão voltando, e vão mandar pra Vênus quem não segue suas leis. Bora fazer um blog pra divulgar esse conhecimento cientifico por toda a internet, mostrando as leis dos Dinos de Órion! 🙂

    • Eduardo Rodrigues on 02/01/2012 at 01:03
    • Responder

    Era bom se pudesse haver planetas habitáveis e planetas habitados para que possamos fascinar com outras formas de vida. E acredito que exista planetas com condições iguais ás da Terra, e acredito também que existe muitas outras formas de vidas e materiais que ainda não conhecemos. Espero pois que a NASA venha a desenvolver mais a tecnologia para que possamos visitar outros planetas e quem sabe viver lá. Abraços e um Bom Ano Novo 2012.

  1. já dizia o Nostradamus que achar um planeta destes era o futuro da humanidade

    1. Bem, sobre Nostradamus só me lembro das interpretações que o mundo ia acabar em 1997 😛

      Mas durante 2000 antes de Nostradamus, que já centenas de pessoas andaram a referir-se a planetas extrasolares 😉
      Claro que ninguém imaginava era a variedade deles… pensavam sempre que outros planetas tinham que ser como a Terra 🙂

      abraços

  2. Esse planeta nao e Habitável … ele tem chance de conter vida nao se pode dizer algo sem a certeza cientifica … o ceticismo e fundamental para qualquer estudo ou descoberta….

    1. Diego, leu o post?

      Lá diz isto:
      “Ser habitável é diferente de ser habitado. Habitado quer dizer que tem vida. Ser habitável quer dizer que pode ter condições para ter vida tal como a conhecemos.”

      Diga-me lá em que é que isso está mal…

  3. Coloquei aqui:
    http://domelhor.net/story.php?id=81588

  4. Carlos,

    já agora, outras para a fogueira:

    A- mesmo havendo uma zona habitável, será possível haver vida sem uma camada de ozono que proteja da radiação UV?
    B- e sem campo magnético que afaste as partículas nocivas à (nossa) vida, à semelhança do nosso Van (H)allen?

    Bottom line: é possível prever o tipo de radiação e sua intensidade que uma estrela desfere aos seus planetas?

    Abraço
    João

    1. Nota que o que eu vou responder são opiniões pessoais (não é conhecimento, porque ninguém descobriu vida ET) 😉

      A – sim. Debaixo da terra. Ou então até usar essa radiação a seu favor – por exemplo, um género de fotossintese com UV.

      B – esse é mais difícil devido às explosões estelares… que não seriam constantes mas intermitentes. Mas, novamente, debaixo da terra penso que não haveria problema. E como penso que qualquer energia poderia ser usada por organismos adaptados a ela, quiçá vida que acumule essas partículas para nós nocivas.

      Não percebi o bottom line :). Estás a falar de vida ou não?

      abraço

  5. Só uma correção… “mais pequena” é tenso. Dah uma corrigida ae
    Abçs

    1. Olá,

      Não percebi.

      Mais pequeno é correcto, tal como menor:
      http://www.ciberduvidas.pt/pergunta.php?id=16409

      abraços

  6. Ou habitado!

  7. já agora…
    porque a Lua influencia assim tanto a estabilidade da Terra (ângulo de inclinação do seu eixo)? É que por exemplo, para Marte, as suas 2 luas são tão pequenas que me parece difícil desempenharem um papel semelhante…

    Segundo o conhecimento atual, sem a Lua o eixo de inclinação iria variar muito e com isso tornar “impossível” a nossa vida, com constantes alterações das calotes polares ao longo de todo o globo terrestre..
    Está percetível a minha dúvida?

    1. Está. Está tão perceptível que eu penso a mesma coisa.

      Penso que o que aconteceu foi arranjar-se um argumento (Lua para estabilização do eixo) para perceber-se que o nosso mundo é “especial” de alguma forma.
      Mas parece-me que o que se tem visto lá por fora é que mesmo sem uma Lua enorme, o planeta não variava tanto como se pensava.

      Aliás, saiu recentemente uma notícia nesse sentido 😉
      http://www.astropt.org/2011/08/13/terra-sem-lua-podia-ter-vida/

      abraços!

      1. Thx!
        Agosto é mês de férias e poucas consultas à Internet…
        Passou ao lado essa notícia 😉

        abraço.

  8. Vamos com calma que Vénus à distância também tem bom aspecto 😉

    1. e Vénus tem vida… só que ainda não a vimos 😛 ehehehe 😛

      ou quem achas que anda a deitar lava “cá pra fora”? 😛 Obviamente que é quem está a arrumar os quartos lá por baixo 😛 LOL

    2. Mas sim, tens razão 😉

      Aliás, parece-me que o método que eles utilizaram (um método matemático) assume diversas coisas e leva a várias especulações… 😉

      Ou seja, parecem-me conclusões bastante especulativas 😉

  9. Incrível. Uma dúvida: “órbita é quase circular, o que faz com que a temperatura esteja estabilizada”. Isso é o suficiente para estabilizar a temperatura? A rotação, atividades na superfície e tudo mais não influenciam também?

    1. Sim, claro 🙂

      Estabilizada em relação à órbita. Se a órbita fosse bastante excentrica, então a temperatura iria variar bastante devido a isso. Ao ser próximo de circular, então não é tanto um factor 😉

      Se tiver atmosfera também estabiliza a temperatura.
      Se o eixo não variar muito também estabilizará.
      Se tiver vida, então também estabilizará.

      Há vários factores 😉

      abraço

  10. No ano passado inscrevi-me a uma cadeira de opção chamada Geologia Planetária. A avaliação da cadeira era feita unicamente com a entrega e apresentação de um trabalho, com tema à nossa escolha, e que tivesse dentro do programa da disciplina.
    O meu trabalho foi ‘Habitabilidade Planetária’, em que falei na zona habitável, condições necessárias, porque é que estamos num lugar privilegiado de modo a haver vida, etc. No entanto, eu que fiz um trabalho baseado em vários artigos científicos, sozinha, fiquei com uma nota final de 17, enquanto que um grupo de colegas meus que falaram sobre a teoria da conspiração se o homem algum dia chegou a ir à lua ou não (o que nada tem a ver com geologia) ficou com 18. Justificação do responsável pela cadeira para a minha nota: o seu trabalho está interessante, mas ainda é um pouco de ficção científica.

    Toma lá então a ficção científica

    1. eu por acaso sou contra a noção de Zona Habitável 😛 ehehehe

        • Paulo Ribeiro on 08/09/2011 at 18:19

        Estou de acordo com o Carlos. O Universo é tão misterioso e desconhecido que não podemos, de modo algum, afirmar que a base da vida é a mesma para todos os planetas. Ao afirmar que este planeta é habitável por estar na chama da zona…. não significa que outros planetas, fora da referida, não possam albergar vida completamente distinta da que nos é dada a conhecer pelo nosso planeta. Ás vezes penso, na minha solidão, que o Universo foi uniforme a conceber elementos químicos, e que eles se encontram na terra, no sistema solar, assim como se encontram, comprovadamente, noutros sítios do cosmos, e, portanto, pode ter sido também uniforme na concepção do elemento vida. Continuo, no entanto, a achar este elemento redutor. Quero acreditar em formas de vida verdadeiramente extravagantes :). Abraço a todos

        • wendel on 13/11/2014 at 13:37

        Concordo.

        A boa notícia é que, provavelmente, somos os únicos seres vivos com características humanoides no universo. Se ocorrer a existência de outras vidas, certamente não terão nada a ver com os terráqueos.

        E o nosso futuro ? Bom. Se o planeta resistir às burrices humanas, talvez cheguemos a habitar outros planetas e a bombear água à velocidade da luz de outros exoplanetas para o nosso.

        VIVA LE BRESIL !!! O país do PT e da preguiça !

  1. […] de água), Kepler-186f, KOI-961, KOI-172.02, Alfa Centauri, Quinteto, Mais 10 + 18 + 50. HD 132563. HD 85512b, HD 10180, HD 40307g, Kepler-10b, Kepler-11, Kepler-16b (Tatooine), Kepler-20e e 20f, Kepler-22b. […]

  2. […] potentes para observar diretamente um objeto tão pequeno e longínquo. Fontes: AstroPT (Planeta HD 85512b é habitável, HARPS Descobre mais Super-Terras e Neptunos) e SpaceRef (Is There A Habitable Planet Circling HD […]

Responder a diego Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.