Google+

«

»

Set 14

Usar óculos de sol que não protegem contra radiação ultravioleta é pior do que não usar nenhum

“Nos meses de maior exposição solar, já não há quem não saiba que quando vai à praia deve usar protector solar porque existe risco de desenvolver cancro da pele. Menos conhecido é o risco da falsa protecção trazida por óculos que não filtram a radiação ultravioleta (UV) e que são piores do que não usar óculos, defendem especialistas. Um dos riscos são as cataratas.”

Cerca de 30% dos óculos de-sol não protegem da radiação UV.

“(…) só no primeiro semestre de 2011 a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu 4.385 óculos de sol contrafeitos, o que representará apenas dez por cento dos que são colocados à venda, estima. Mas a falsificação de marcas não é o único problema – o certo é que estes e outros óculos não estão certificados e, por isso, não garantem a filtragem de radiação UV. (…)
(…) “as grandes cadeias de pronto-a-vestir, as lojas de acessórios, as lojas chinesas, já para não falar no mercado paralelo, como vendas ambulantes, comercializam óculos de qualidade óptica duvidosa – provenientes de países asiáticos, em que as exigências legais de fabrico, não são certamente as da UE” (…)
Os óculos que oferecem protecção contra a radiação UV devem ter uma etiqueta onde se lê CE, uma vez que a existência de filtragem não é detectável a olho nu, “mas até estas etiquetas podem ser falsificadas” (…)
O problema é que “é mais perigoso usar estes óculos [que não filtram] do que não usar nenhuns” (…) Com o uso de lentes escuras que bloqueiam a luz visível, “os olhos interpretam o bloqueio de luz baixando as defesas, uma dessas formas de defesa é a contracção da pupila, que fica mais pequena e assim diminui a entrada de luz; quando usamos esses óculos sem filtro UV o nosso olho é enganado e em vez de contrair, dilata”.
Mas o preço dos óculos não é o critério a ter em conta (…)
“A exposição prolongada à radiação durante muitos anos pode, a longo prazo, ser um dos factores que acelera o aparecimento mais precoce das cataratas, a par com questões genéticas e a idade” (…)
(…) “a acção continuada do sol sobre o olho ao longo dos anos está na origem da degenerescência macular da idade que é, segundo a Organização Mundial de Saúde, a principal causa de cegueira a partir dos 50 anos de idade, nos países desenvolvidos. Outras complicações incluem inflamações da córnea, chamados de queratites, acrescenta”.
Como precaução, os especialistas aconselham a compra de marcas reconhecidas e em locais de venda reconhecidos que façam acompanhar os óculos de uma certificação de qualidade. (…)”

Leiam todo o artigo, no Público.

Ou seja, 30% dos óculos-de-sol fazem mal aos olhos. É indiferente se são mais caros ou baratos. A certificação de qualidade pode ser falsificada.
Como posso então EU comprovar que os óculos têm protecção UV? Essa solução é que não vi 🙁

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
Foi Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

1 comentário

  1. Frederico Silva

    “Como posso então EU comprovar que os óculos têm protecção UV?”
    Após a leitura das primeiras linhas do artigo foi exactamente (!) a mesma pergunta que fiz para mim próprio…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>