O fim para a Fobos-Grunt?

Há dias, quando estou a assistir ao lançamento de alguma missão espacial, que não me quero deitar no universo dos sonhos com medo de que algo possa correr mal. Não é que o facto de estar acordado a milhares de quilómetros de distância faça alguma diferença, mas fica sempre aquela sensação de que as notícias na manhã seguinte possam não ser as melhores.

Infelizmente, foi isso que aconteceu com a Fobos-Grunt e com a YingHuo-1. Após um lançamento bem sucedido desde Baikonur no dia 8 de Novembro, a sonda deveria executar duas ignições que a colocariam a caminho de Marte. As informações são ainda um pouco escassas e confusas, mas aparentemente essas ignições não aconteceram e a sonda parece estar em modo de segurança em órbita terrestre.

Existem duas versões para o que possa ter acontecido. A primeira aponta para uma falha de programação, o que pode ser facilmente corrigido. Porém, a segunda aponta para uma falha técnica o que pode por si só condenar a missão.

Actualizaremos este post assim que novas informações forem surgindo.

Imagem: Roscosmos

1 comentário

    • Manel Rosa Martins on 09/11/2011 at 23:36
    • Responder

    Rui, traduzi este comunicado da Roscosmos:

    Notícia
    Sobre a situação com a nave espacial “Phobos-Grunt”

    2011/11/09

    O veículo de lançamento 9 “Zenit-2SB” foi lançado do Cosmódromo de Baikonur e trouxe para a referência a estação interplanetária automática orbital “Phobos-Grunt”.

    Os primeiros dados da linha do tempo de vôo indicaram que realizou duas sessões de comunicação e indicaram que a sonda está a funcionar normalmente, o vôo vai de acordo com o plano.

    Na entrada do sistema de propulsão “sustainer” para mover a nave “Phobos-Grunt” com a órbita de referência para uma trajetória de fuga ocorreu uma situação de emergência hiperbólica, e os motores não foram iniciados. Neste ponto, a nave espacial estava fora da vista de estações terrestres de rastreamento.

    Actualmente foram definidos todos os parâmetros do movimento da sonda, e estes fornecidos a satélites de órbita baixa, que vamos receber a partir de telemetria, o que poderá não ser mais cedo do que às 23 horas, horário de Moscovo (entrar na zona de visibilidade de rádio).

    De acordo com os resultados do processamento e análise de dados, serão preparados e colocados a bordo os programas necessários e configurações para se reactivarem os motores principais.

    A análise ajustada dos parâmetros orbitais e fornecimento de energia a bordo mostrou que esses comandos devem ser emitidos no prazo de 2 semanas.

    O secretário de Imprensa do chefe da Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos)

    Tradução livre ( e com muitas dificuldades)

    Curiosidades desta Missão.

    A BBC informa que a Phobos-Grunt descolou 11 toneladas, sendo a missão com mais tonelagem desde a Cassini-Huygens com as suas 7 t. Há uma onda de simpatia mundial com esta missão da Roscosmos-China-ESA. Aguardam por mais informações oficiais.

    Esta curiosa espécie de micróbios, as Tardigrades ou “Ursos de Água”, segue a bordo para experimentos sobre a sobrevivência dos micróbios no Espaço.

    Tardigrades – or “water bears”

    http://4.bp.blogspot.com/-bkZR6YNhzvg/TdJxU9mwxRI/AAAAAAAACxE/yQUEZuc-HXc/s640/Tardigrades%2B1.jpg

    Esperemos que tudo se resolva pelo melhor. A Roscosmos já agradeceu a ajuda dos milatres e dos colegas da NASA para se localizar a nave Fobos-Grunt.

    Um abraço Rui de todos os que aqui torcemos para que esta Missão prossiga bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.