Vacina Anti-Conspiração!

Começo com esta frase, tirada, roubada e copiada de um outro post aqui da casa:

“Agora, o sarampo está a voltar. Porquê? Devido a haver pessoas (leiam aqui) que andam a divulgar anti-conhecimento, o que neste caso é afirmações contra a vacinação (lembremo-nos que o movimento anti-vacinação nasceu de uma fraude).
E qual foi o resultado? Existe neste momento uma epidemia de sarampo, com mais de 26.000 casos só na Europa (14.000 só na França), causando já 9 mortos.
A grande maioria dos doentes (e mortos) são crianças e adolescentes que não foram vacinados.”

O sarampo é um vírus pertencente ao grupo V de Baltimore, ou seja, possui um RNA de cadeia simples e de polaridade negativa, em que a sua cópia é o DNA que serve para a síntese proteica,

O genoma nú deste vírus não é infeccioso, ou seja, necesita de uma proteina chamada RdRp (RNA-dependent RNA polymerase) para que possa traduzir e replicar no citoplasma da célula hospedeira.

Contudo parece que alguém muito em voga na última semana (e que não vou referir o nome com medo de ser processado) sabe mais de ciência do que qualquer um. Nesta revelação a LB indica-nos que os médicos não sabem coisas que ela sabe… Contudo, os links são de um blog anti-vacinação cujos pequeninos textos não possuem referências. O post é de Abril de 2011 e LB refere-se às notícias que desencantou como sendo recentes. Veja-se:

“vacina, com a descoberta esta semana que ele pode causar uma doença no sangue.”

Abri o link e deparei-me com o quê? Em primeiro lugar com o único site de referência para LB, talvez só tenha esse site nos seus favoritos. Em segundo lugar a data desse artigo, que dista 2 anos! Do post de LB que diz que a descoberta foi daquela semana. É óbvio que LB sabe coisas que os médicos não sabem. Ela sabe de coisas que não existem, sabe que o 9 é feliz. O mais engraçado é que LB não sabe o que muita gente sabe… e isso é triste.

O post termina com um apelo: “Pesquise – Pesquise – pesquise!!!!!!”. LB é tão seguidora das suas teorias. Reparem que tem posts sobre auto-cura e neste apelo dá um exemplo disso mesmo. Está a tentar curar-se com uma espécie de grito interno, um castigo auto-infligido.

Quanto à gripe….

Este vírus não apresenta nenhum mecanismo de prova que assegure que as cópias de RNA sejam perfeitas. Desta forma, as mutações são comuns. E, se dois tipos diferentes infectam a mesma célula, os segmentos de RNA de ambos os tipos podem ser trocados entre os vírus originando uma nova estirpe.

Todos os anos presenciamos epidemias de gripe, que resultam de deriva antigética (drift), que é a acumulação de mutações nos seus segmentos de RNA.

A taxa de mutação de um vírus de RNA é de 10-3 a 10-4 nt/rep, seja vírus da gripe ou o do sarampo.

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Existem muitos argumentos a favor do racismo, da pena de morte, da escravização (alguns até fortes)… No entanto não tornam estas práticas aceitáveis.

    Pelo que sei, historicamente, a esperança média de vida tem aumentado à medida que as vacinas se difundiram. Em diversas regiões de África não existe acesso a cuidados de saúde, entre eles, vacinação, pelo que morrem de muitas doenças que noutras partes do mundo seriam evitáveis (claro que também têm doenças regionais, mas eu apenas me refiro à mundiais) e a esperança média de vida é muito mais baixa de que outros países com mais cuidados de saúde. Se querem descartar assim as vacinas, sem apresentar qualquer outra solução que não rebaixe a nossa condição de vida, é apenas para servir princípios egoístas.

  2. Mais uma coisa, ao minuto 28 o senhor do vídeo fala das excessivas vacinas que são dadas quando as crianças são demasiado novas. Fala dos efeitos neurológicos que segundo ele só podem ser causados pelas vacinas por um aumento de estimulação no sistema imunitário. Na verdade, um estudo mostra que não existe diferença neurológica entre crianças que recebem as vacinas no plano normal e aquelas que adiam a toma de vacinas. Logo a ideia que é o excesso de estimulação do sistema imunitário não é sustentado pela evidência científica.

    http://pediatrics.aappublications.org/content/early/2010/05/24/peds.2009-2489.abstract

  3. É muito fácil ver um vídeo. E mais fácil ainda colocá-lo como argumento. Escusa-se de fazer qualquer tipo de pensamento ou análise.

    Esse dr. Russell Blaylock aparenta ser uma autoridade no campo. Mas é só isso aparência. Ao citar um estudo que tenta demonstrar que o índice de mortalidade infantil nos Estados Unidos está relacionado com o facto das crianças receberem mais vacinas que outros países, como se fosse um facto, só pode significar uma coisa: ou ele nunca leu o estudo em questão porque o resultado coincide com a ideologia dele ou não tem capacidade para analisar criticamente aquilo que lê.

    O estudo relaciona o índice de mortalidade infantil com o número de vacinas dado por país. Mas esquece que os diferentes países têm diferentes maneiras de contabilizar as mortes. Também não é clara a maneira como contam o número de vacinas, para os casos que interessam aos investigadores do estudo (ambos com uma longa história no movimento anti-vacinação) as vacinas são agrupadas por doença, para os outros nem por isso.

    Mas mais ridículo é o facto da maioria das crianças que contribuem para o índice de mortalidade infantil, são crianças que morrem nos primeiros dias de vida, ou seja antes de sequer receberem uma única vacina. Logo por aqui, tudo o que o homem diz no vídeo é treta absoluta.

    Para saber mais sobre o tal estudo, leia a crítica feita no Science-based medicine, dá muito mais trabalho que ver um vídeo no You Tube, mas enquanto o vídeo é só a opinião de um conspiracionista, o texto em baixo é uma análise dos factos. E os factos são que as vacinas salvam vidas e não provocam a morte ou autismo ou danos neurológicos.

    http://www.sciencebasedmedicine.org/index.php/vaccine-schedules-and-infant-mortality-a-false-relationship-promoted-by-the-anti-vaccine-movement/

  4. A impressão que tenho é que vocês já têm uma resposta ensaiada para toda e qualquer argumentação que venha a se contrapor às suas convicções e formas de pensar pré-estabelecidas. Você sequer se deu ao trabalho de ver o vídeo, de ouvir os argumentos ali colocados. Você não esclareceu a nem uma das minhas dúvidas. Apenas questionou o informante e disse que o seu ponto de vista é que é o certo. Parece uma pastora falando.

    Eu quero explicações, se você não as tem não me trate como se eu fosse uma idiota.

    1. A Andréia não sabe (nem tem obrigação de o saber), mas eu não ganho a vida a comentar ou a contrapor comentários em blogs.
      Faço-o porque creio ser esse o meu dever como cientistas e como cidadã activa e responsável.

      Por isso, não posso ficar uma hora a ouvir um homem que está seriamente desacreditado no meio científico só para contrapor, ponto por ponto, aquilo que ele diz.
      Bastaram-me os primeiros cinco minutos e as insinuações de eugenia, aliados a uma procura de informação sobre o senhor e as ideias por ele defendidas, para perceber que aquilo que me esperava durante mais de uma hora de vídeo seriam mentiras e desinformação.

      A minha única convicçao está no método científico.
      A ciência como método é, para mim, a melhor forma de entender a realidade.
      O que não esteja provado cientificamente, é especulação, falsas conjecturas ou, até mesmo, puras mentiras.
      O movimento anti-vacinaçao baseia-se em fraude e mentiras à luz da ciência.

      Um comentário nao é suficiente para contar toda a história.
      Mas se procurar em sites credíveis, como este mesmo, o Science-based Medicine ou o Respectful Insolence (estes dois últimos escritos por médicos e cientistas) encontrará muita informaça a respeito.

      Se prefere as teorias da conspiração que matam vidas, então pode continuar a ver vídeos do YT…há-os para todos os gostos.
      Mas lembre-se, os “gostos” têm consequências.
      As mortes por sarampo e por tosse convulsa, duas doenças facilmente preveníveis por vacinação, são uma consequência demasiado séria para ser ignorada.

      Há muitas doenças incuráveis e desconhecidas.
      Há milhares de médicos e investigadores a dedicar a sua vida a encontrar soluções para essas doenças.
      É uma pena que, tendo a humanidade alcançado a descoberta da vacina para tantas doenças antes incuráveis, debilitantes e mortais, agora um grupo de pessoas desiformadas e perigosas, queiram pôr em causa tudo isso e levem à morte de centenas de crianças inocentes.

      Finalmente, a Andréia não colocou nenhuma dúvida.
      Coloque-a, formule perguntas sérias e eu, na medida das minhas possibilidades, responderei ou indicar-lhe-ei quem possa responder.

  5. Então comenta me explica isso

    http://www.youtube.com/watch?v=eSxLtA_NCEY&feature=player_embedded

    Espero que assista antes de comentar.

    1. Não faz falta assistir a uma hora de mentiras e distorções da realidade (histórica e científica), tendo em conta de quem se trata.
      Esse senhor não tem qualquer credibilidade no que diz respeito à sua opinião sobre as vacinas (e outras teorias de conspiração relacionadas com a saúde).

      O que ele diz vai contra os factos científicos (e até mesmo históricos).
      A eugenia foi uma realidade histórica, fruto ainda das tendências do “melhorismo” do século XVII e XIX e de uma má interpretação do fenómeno de Evolução Biológica por Selecção Natural.
      Daí a fazer extrapolações mirabolantes, vai uma grande distância.

      As vacinas não só são seguras como são indispensáveis à manutenção da saúde e à prevenção de milhares de mortes por ano.

  6. A tal senhora indica que a descoberta é dessa semana porque, ela só a descobriu a noticia nessa semana e convêm não esquecermos que ela é que é a detentora de toda a verdade, e se o site de referência dela tem outra data diferente eu até era capaz de os aconselhar a mudar a data do artigo, mas não quero.

    É pena vermos este tipo de mentalidade alastrar pelo mundo, e depois quando as pessoas morrem é um ai jesus que os médico foram uns incompetentes, etc. etc.
    Enfim como costumo dizer ao meu filho a vossa geração parece que está a regredir no tempo em termos de mentalidade.

    1. Eu penso que a ciência e a tecnologia desenvolveram-se demasiado rapidamente… e a mentalidade humana não acompanhou essa evolução 🙁

  7. Sim, possuo amigos que não tomam mais vacina nem que a “vaca tussa”

    Inclusive, já pensei assim…

    🙁

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.