Thrive

Já no passado falamos sobre um documentário totalmente pseudo, feito com base num número incrível de mentiras à luz do conhecimento actual, com o único objectivo de manipular as pessoas para as suas crenças New Age e com isso os seus criadores ficarem ricos: “What the Bleep do We Know?

Isto não é uma estratégia nova, como demonstramos neste post.
Um dos documentários falsos mais famosos em tempos mais recentes, foi o da Autópsia a um extraterrestre em Roswell, que fez com que o Ray Santilli ficasse rico à custa das crendices das pessoas.

Estas mentiras dão muito dinheiro, devido às pessoas crédulas caírem nas mesmas mentiras vezes sem conta… e os vigaristas sabem disso.

Daí que, sem surpresa, com o aproximar da mentira sobre 2012, vão aparecer mais filmes e documentários para enganarem as pessoas.
Desta vez, é o documentário Thrive.

Só pelo trailer, já se percebe que aquilo é um desfilar de mentiras, quer tiradas do contexto quer ditas por vigaristas.
Exemplo perfeito: Nassim Haramein.
Este é o novo guru dos movimentos religiosos New Age. Os crentes dizem que ele é um grande físico, e põem-no ao lado de nomes como Einstein. Já no documentário dizem que ele é cosmólogo. Afinal será físico ou cosmólogo?
Segundo a página dele de wikipedia (que por acaso tinha sido redigida por seguidores dele), diz lá que ele é um “self-trained self-styled scientist who promotes a wide range of pseudoscience through his various oral presentations”. Conclusão, os seus próprios seguidores sabem que ele não é físico nem cosmólogo nem qualquer outro tipo de cientista, mas sim uma pessoa que diz que “ensinou ciência a si próprio”.
Ou seja, percebe-se bem que ele é somente alguém que percebeu o potencial de credulidade das pessoas, e aproveita-se disso para dizer aquilo que eles querem ouvir, de modo a ficar famoso e rico.
Mas mesmo estudando por si próprio, há quem fique a perceber minimamente dos assuntos, pelo menos em nível introdutório. Será o caso dele? Não. Ele demonstra nada saber sobre os conhecimentos mais básicos de astronomia (incluindo Nibiru, que ele andava a dizer em 2003 que era o cometa NEAT, e que era tão grande que nos ia matar a todos. Como as pessoas têm a memória curta, estes mesmos vigaristas contaram as mesmas mentiras em 2011 para o cometa Elenin, e mais uma enxurrada de crentes deixaram-se enganar).
Ou seja, ele nada percebe de astronomia, mas sente-se bem a andar a enganar as pessoas, porque são elas que gostam de ser enganadas (ao caírem nas mesmas mentiras diversas vezes). Em parte, faz-me lembrar a Laura Botelho que nada percebe de “física quântica” mas isso não a coíbe de dar workshops sobre esse assunto, porque há sempre alguém que se deixa levar pelo que ela diz. O Nassim utiliza a mesma estratégia.
Para quem tiver dúvidas sobre o facto de ele nada perceber de ciência, aconselho este artigo, este artigo, e este artigo.
Se dúvidas houvessem que ele é mais um pseudo que tem por único objectivo fazer sensacionalismo com mentiras, leiam esta história em que ele (e os outros vigaristas do chamado Disclosure Project) diz que existem OVNIs gigantes perto do Sol. Prova-se que ele é somente mais um pseudo que só diz asneiras, bastando para isso ler sobre essas supostas naves, aqui, aqui, e aqui. Concluindo, é mais um a vigarizar uma legião de crédulos…
Em parte, faz-me lembrar o Deepak Chopra, que por acaso também aparece em ambos os documentários referidos.
Curiosamente, um dos promotores destes documentários é o conhecido conspirador New Age, David Icke, que defende que o mundo é controlado por uma raça extraterrestre de reptilianos.
Mais palavras para quê?

Mas este post é sobre o documentário em geral. Por isso, o que existe sobre ele?
A Fundação Educacional James Randi publicou um artigo excelente sobre este documentário, que vos convido a ler, aqui.
Retiro de lá algumas frases:
“It is ironic that the people who claim to be “enlightened” or “awakened” are the very same people who offer theories which so clearly and completely contradict everything we know about human interactions and nature.”
” (…) there is a lot of Chopra, crop circles, aliens, Illuminati, world-bank, new world order, federal reserve, reptilian overlord kind of gibberish in it. I’m just sad to see actual scientists hoodwinked into giving statements that they did not know would be taken out of context for this so-called “research.”
“You body follows the laws of thermodynamics, as do your cells, the core of the Earth, and quasars out a trillion miles in space. The creation of the universe itself via the Big Bang follows these laws directly. This is why free energy is impossible. Wanting something to be true does not make it more possible. Theorists mention evidence for free energy machines, but someone trying to invent such a device is not evidence.”
“A main argument against conspiracy theories is usually that the scale of the alleged cover-up is so immense as to be ludicrous, and that there is no evidence to support such a structure. (…) So many unrelated pieces would have to fall into place, so many things that we know about the world would have to be wrong, so many disciplines of science would have to completely off that most conspiracy theories face a burden of proof that is insurmountable.”
“Conspiracy theorists retreat into a corner where the only thing that makes sense to them is their conspiracy’s interpretation of reality. Science, evidence, and government be damned, if it does not agree with their point, it is simply too closed-minded.”
“This is the sort of argument that passes for wisdom in New Age circles: Universe is not physical. Its vibrational… E-motional.”
Just because the universe is hard to understand and many times mysterious, does not mean that anything goes.”
“(…) theories that only could be true, without relying on evidence or skepticism to sort through them.”
“Scientists will be the first people to tell you that we do not know everything. Indeed, we would be out of jobs if we did. There are wonderful things about the universe still waiting to be discovered, that much is undeniable. But unless we are at the center of a black hole, the principles of nature still apply. The workings of the world are not illuminated by what if’s and maybe’s, but by evidence and reason.
“Scientific inquiry does not mean giving every point that everyone makes equal consideration if we have a mountain of evidence to say that the point is absurd. “Movies like Thrive are not anything new in theme, they just recycle the same old debunked and irrational claims until the audience is whittled down so far that only the most faithful remain. As skeptics, we should do our part to keep these claims in their proper framing, but the hope of their elimination is as fragile as the human psyche upon which they rely.”

Se dúvidas houvesse sobre a parvoíce deste documentário, até os conspiradores andam a dizer que este documentário serve só para manipular as pessoas com o único objectivo de propósitos monetários:
“The big budget “activist” movie called “Thrive: What On Earth Will It Take?” was launched on November 11, 2011 (11/11/11). This is not just a movie. It’s a movement!
The Thrive movie has big advertising. Big names. Big message. Big budget…and it has big “disinformation” mixed with truth.”
“This movie IS NOT waking up the world. It is tricking the world into believing that it is being awakened when, in reality, it is being hypnotized into an even deeper sleep.”
“So, who is Foster Gamble and where did he get the big money to produce “Thrive”? Does the name “Gamble” ring a bell? How about the name Proctor & Gamble? For those who have never heard of Proctor & Gamble, it is a Fortune 500 American multinational corporation. It is one of the world’s biggest, most toxic corporate polluters on the face of the earth with an annual turnover of over $68 billion. Is Foster Gamble any relation to Proctor and Gamble? You betcha!”
“Does Foster Gamble, heir to the Proctor and Gamble fortune, know that P&G does hundreds of millions of dollars of business with the Pentagon and is one of the top contractors for the U.S War Dept.?”
“Over the centuries, the corporate oligarchy have lied, cheated, looted, polluted, slaughtered, tortured, conquered, enslaved and impoverished. They have masterminded and financed both sides of every war, every revolution and every movement. The “Thrive” movement is their latest brainschild. It is designed to fool the masses into believing that aliens are coming – either to rescue us or destroy us.”
“The best way to unite all the nations on this globe would be an attack from some other planet. In the face of such an alien enemy, people would respond with a sense of their unity of interest and purpose.” John Dewey, New York, 1917.
Unfortunately people are blinded by their desire to “believe” in something.

Ou seja, parece-me claramente um projecto de desinformação, tal como o Disclosure Project, o Project Camelot, entre vários outros, que têm por objectivo manipular a população de modo a retirarem proveitos materiais disso.

Já as pessoas que acreditam nestas tretas, nestas vigarices, pensam que a realidade, o conhecimento, a ciência se faz de acreditar. As pessoas põem as suas próprias crenças acima da realidade – ao contrário do que fazem os cientistas.
Por outro lado, como já expliquei aqui, as pessoas não entendem a diferença entre “possível” e “provável”, apesar de todos os dias utilizarmos milhares de vezes a razão baseada no conceito de provável.
Exemplo: Será possível atravessarem uma parede de cimento? É. Será provável? Não. Logo, o que fazemos? Não passamos o tempo a dar com a cabeça na parede.
Outro exemplo: será possível que o Sol seja somente um deus com uma lanterna? É. Será provável? Não. Basta estudar o Sol.
Estes pontos e vários outros mostram que algumas pessoas acham que tudo pode ser possível, deixando o cérebro cair, não entendendo a natureza do conhecimento, e assim demonstram Iliteracia Funcional.

Esta falta de literacia funcional nota-se bastante em vários pseudos que entram aqui neste blog e que cometem erros básicos de entendimento sobre o que é ciência. Não só erros que já apontei em cima, mas até, porventura, o maior deles todos que é arrogantemente entrarem em locais de conhecimento, só a dizerem disparates, assumindo de que sabem mais que os especialistas, apesar de não serem da área nem sequer saberem do que falam.
Isaac Asimov referiu isto no seu artigo “The Relativity of Wrong” – A Relatividade do Erro:
“I received a letter the other day. (…) In the first sentence, the writer told me he was majoring in English literature, but felt he needed to teach me science.”
“In short, my English Literature friend, living in a mental world of absolute rights and wrongs, may be imagining that because all theories are wrong, the earth may be thought spherical now, but cubical next century, and a hollow icosahedron the next, and a doughnut shape the one after. What actually happens is that once scientists get hold of a good concept they gradually refine and extend it with greater and greater subtlety as their instruments of measurement improve. Theories are not so much wrong as incomplete.”

Conclusão: não caiam nas mentiras divulgadas pelo filme Thrive.

49 comentários

4 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Nem li, nem vi… mas, meus instintos me dizem se tratar de algo retardatário.

  2. Ia ver o filme mas lembrei-me de pesquisar antes. E ainda bem que o fiz. Um abraço

    • carlos cardoso on 21/11/2014 at 17:55
    • Responder

    Descobri este site há pouco tempo e tenho vindo a ler com interesse os diferentes artigos e discussões.

    Estou completamente de acordo com o Carlos Oliveira quando defende a ciência como conhecimento e explica que esse conhecimento não depende minimamente da opinião de cada um. O seu esforço pedagógico merece o meu elogio.
    Há no entanto um argumento que costuma utilizar e com o qual não estou totalmente de acordo. Já o vi escrever várias vezes que é hipócrita duvidar de uma afirmação científica e continuar a utilizar a Internet ou não se atirar de cima de um prédio.

    O método científico é o que nos dá a garantia de melhor conhecermos o universo que nos rodeia mas o que ele nos diz é só que, à luz dos conhecimentos actuais (e isto é importante) a teoria A é a que melhor explica o fenómeno X. Existem áreas da ciência onde ainda se discute se será a teoria A, a B ou outra e nalgumas áreas aparecem cientistas a fazer afirmações que parecem contraditórias (estou a pensar por exemplo na importância da actividade humana no aquecimento global). Parece-me portanto aceitável que se possa reconhecer a validade do método científico ao mesmo tempo que se duvida de uma ou outra explicação dada por cientistas.

    Costuma o Carlos dizer – e muito bem – que em ciência não se acredita; mas para a maioria dos domínios científicos o cidadão comum (incluindo os cientistas de outras áreas) não pode nem sabe replicar as experiencias e fica assim “obrigado” a acreditar nos cientistas, que são afinal seres humanos.

    Julgo que alguns que aqui vêm não põem em causa o método científico mas, não o percebendo bem, não sabem sempre distinguir entre o que diz o especialista e o que diz o charlatão. É por isto tudo que não os considero hipócritas por utilizarem a Internet.

    Espero não o ter feito perder muito tempo e espero que continue a ter paciência para este trabalho de divulgação.

    1. Olá Carlos,

      Tudo bem quanto aos seus argumentos… entendo-os perfeitamente e podem realmente ser motivo de discussão.

      Mas vamos então debatê-los 😉

      A parte do atirar-se do topo de um prédio de 20 andares, é um argumento dado por Dawkins, e que pretende mostrar que qualquer pessoa pode provar a existência da gravidade. Não é um conceito científico obscuro que se veja somente em laboratórios 😉

      Tal como este, existem vários outros exemplos do dia-a-dia que a pessoa pode provar como sendo certo. Se a eletricidade em casa funciona então é porque a teoria (e leis) subjacentes ao eletromagnetismo, na sua grande maioria funcionam. Se estivessem erradas, não teríamos eletricidade.
      Mal acordamos provamos a validade de diversas teorias:
      http://www.astropt.org/2012/02/18/7-equacoes-que-governam-o-seu-mundo/
      Por isso, não é preciso “acreditar” em experiências de laboratório. O nosso laboratório do dia-a-dia prova-nos que diversas teorias e leis científicas descrevem a realidade.

      O conhecimento é Uno. O mesmo pensamento científico que aplica quando quer perceber como funciona a Teoria da Gravidade ou a Teoria da Evolução ou o Eletromagnetismo ou a Internet, é o mesmo pensamento científico que aplica quando quer saber sobre o Big Bang, a Homeopatia ou o Reiki.
      Se para uns utiliza um pensamento que se prova ser 100% eficiente, não faz sentido que para outros assuntos deite ao lixo esse pensamento científico para acreditar em tretas.
      A hipocrisia vem precisamente desse double standard. Que, em última análise, o faz andar a conduzir um carro enquanto grita que o carro não existe. Ou seja, utiliza o conhecimento científico (ex: internet) para afirmar que não existe quando avalia assuntos pseudos.

      Por último, é verdade que a ciência não sabe tudo. Obviamente. Essa é uma das características da ciência. Daí ser ciência e não religião. No entanto, o facto de não saber tudo não invalida que já saiba bastante e que muito desse conhecimento ser “certo”. A Terra é praticamente redonda. Não há conhecimento futuro que venha a ser descoberto que invalide este pressuposto. A Terra nunca virá a ser descoberta como um cubo, por exemplo. Mas há assuntos que realmente ainda temos muito por descobrir. Mas isso são sempre matérias que estão nos limites da ciência. A ciência vai empurrando cada vez mais os seus limites de conhecimento. O centro da ciência mantém-se inalterado e esse conhecimento não mudará. Vai mudando sim, vai acumulando, o conhecimento nas suas bordas. Mas só porque esse conhecimento nas bordas vai acumulando e vamos sabendo cada vez mais sobre isso (e muito mais haverá por descobrir), não se pode negar que exista o conhecimento certo no centro.
      Sim, eu sigo Lakatos 😉

      grande abraço!

  3. Prezado Carlos,

    pelo jeito existem mais pessoas que o contra argumenta, do que o apoia em suas idéias. Sugiro uma reflexão sobre isso. Com certeza não podemos misturar a ciência com religião e crenças apoiadas em fé. Sou engenheiro e também amo a ciência da maneira que ela o é, porem sugiro vc estudar religião, estudar a fundo filosofia, conhecimentos exotéricos e esotérico, enfim o outro lado da moeda, antes de fazer comentários onde pessoas irão ler e formar juízos de valores. Nao se apegue a extremismos tanto cientifico quanto idéias formadas pela fé. A realidade é muito mais fantástica do que o fantástico. Um feliz sempre!

    1. Se é engenheiro, devia saber, por exemplo, quais os parâmetros que tem que avaliar para, por exemplo, dizer se uma ponte é estável. Esses parâmetros dependem da matemática.
      É irrelevante se você acredita que 2 + 2 = 7 . É irrelevante (falácia pseudo da popularidade) se muitas pessoas acreditam que 2 + 2 = 7.
      2 + 2 = 7 é ERRADO. Independentemente das suas crenças pessoais e dos seus amigos.

      Eu recomendo que aproveite o seu tempo para compreender a ciência, que lhe dá tudo na vida, incluindo a internet que está a utilizar neste momento, em vez de perder tempo com parvoíces/bobagens esotéricas que só servem para o enganar. Se não compreende as diferenças entre ciência e esoterismo, então não sabe distinguir um engenheiro de um vigarista.

  4. Carlos,

    ” Eu vou-lhe pedir para não me fazer perder tempo com estes comentários, tendo em conta tudo aquilo que já explicamos aqui no blog.
    Se quer ter conhecimento, sugiro que ANTES de comentar, leia os nossos posts. Dessa forma, nós não perdemos tempo, e o Rubens passa a ter literacia funcional ”
    Nossa, que afetação sr. Ego…os comentários estão incomodando?

    (comentário editado)

    1. Rubens,

      Como deve saber, nós todos trabalhamos. Fazemos isto por voluntariado.

      É óbvio que se há coisas que já dissemos 20 vezes, então devia fazer parte da sua inteligência ir ler primeiro os artigos, e após essa leitura, se não percebeu algo, pergunta lá. Agora, continuar a dizer coisas erradas que já foram explicadas 20 vezes não faz qualquer sentido. É só sinal de troll.

      Por essa razão é que o seu comentário foi editado. Mais uma vez diz coisas já explicadas, e eu não vou perder mais tempo a responder-lhe.

      Se quiser ter conhecimento, lê os nossos artigos.
      Se não quiser ter conhecimento, continua a afirmar besteiras.

      abraços

  5. Carlos,

    Se você ainda acha que Einstein era cético, pesquise a lição que ele, ainda aluno, lançou a seu professor provando a existência de Deus pela lógica. Façinho de encontrar. Claro que este Deus não é o velho barbudo ditador sentado em um trono temido e vangloriado pelas religiões. Mas simplesmente o mesmo princípio que a ciência tenta encotrar: a fonte primordial que manifesta tudo o que existe. Mas esse nome é desgastado, e dizer que a origem de tudo o que conhecemos é alguém ou alguma coisa é limitar seja lá o que for que deu origem a existência. Também deixo isso à cargo da religião, com sua velha mania de coisificar a antropomorfizar as leis da natureza. Carlos, não menosprezo a ciência, nem poderia, está certo quando diz que ela permite esta nossa comunicação. Apenas não a vejo como detentora da VERDADE. Mas um dos mecanismo que a interpreta, através da nossa mente, por isso afirmo que esta verdade é relativa e capenga. Einstein disse que seria assim a religião do futuro, sem crer em um deus personificado. E o mesmo afirmou que a religião sem a ciência é cega e a ciência sem religião é manca. Com todo respeito, mas sua resisitência em ve-lo como não cético deve ser pela possibilidade de ver seus paradigmas balançados. Mas a humildade é isso, quebrar a cara e reconsturuí-la todo dia. A dificuldade em isso acontecer neste espaço é porque sei como os céticos pensam. Acreditr que a ciência lha dá tudo na vida e´complicado, e quando ela não estiver ao meu lado? não serei capaz de existir em função de coisas simples ou naturais ?(pra mim essas são as coisas fundamentais), e sem artificialidade não há vida que valha? Parece limitado atribuir tudo o que tenho à ciência…sendo que a natureza exsite em harmonia sem ter que desvendar ou interpretar a ciência…Ciência é criação humana! e não deixa de ser crença quando se toma como verdade. Esta é neutra e independe de qualquer criação mental do homem .E desde quando verdade cientifica hoje não é inverdade amnhã? E LAmark vs Darwin? Desculpe, mas pra mim um bispo fanático e um cientista cético padecem da mesma arrogância. Acima você disse: “Não preciso esperar pela morte. Eu já sei o que me vai acontecer após a morte.” E o que você acha que lhe acontecerá?
    Finalizando, não saio acreditando em fenômenos que outros julgam compreender, também existe certa lógica na espiritualidade. nao acho que experiências pessoais devam ser completamente ignoradas somente porque ainda não há fórmula matemática que a interprete…Tenho um amigo com PHD na Inglaterra em Física de Condutores…altamente espiritualizado…ele certamente te explicaria melhor. Espiritualidade também deveria ser um fenômeno discutido pela ciência, mas ela não aceitaria quebrar seus paradigmas de tal maneira certo? A não ser cardiopatas e neurologisttas que se vêm diante de pacientes que passaram por Eqms (por exemplo) e tiveram a humildade e a curiosidade de repensar suas lógicas;;;
    Você como astrobiólogo não tem qualquer prova de vida extraterrestre. ainda assim o estuda…não está exercendo a crença? ou apenas hipóteses matemáticas? Onde está a realidade científica que necessita de comprovação em seu ramo?
    abraços

    1. Rubens,

      Eu vou-lhe pedir para não me fazer perder tempo com estes comentários, tendo em conta tudo aquilo que já explicamos aqui no blog.
      Se quer ter conhecimento, sugiro que ANTES de comentar, leia os nossos posts.
      Dessa forma, nós não perdemos tempo, e o Rubens passa a ter literacia funcional.

      “Se você ainda acha que Einstein era cético, pesquise a lição que ele, ainda aluno, lançou a seu professor provando a existência de Deus pela lógica.”

      Qualquer pessoa que procure o conhecimento percebe que esse vídeo é PURA MENTIRA.
      http://www.astropt.org/2012/06/19/o-mito-do-einstein-religioso/

      Quanto àquilo que Einstein pensava da religião, eu não preciso achar nada. Ele deixou escrito o que pensava. Basta as pessoas saberem ler:
      http://www.astropt.org/2012/10/13/o-que-einstein-realmente-pensava-da-religiao-seria-einstein-religioso/

      “a fonte primordial que manifesta tudo o que existe.”

      Está a assumir uma fonte. É um conceito antropocentrico.

      “Apenas não a vejo como detentora da VERDADE.”

      2 + 2 = 4.
      Se você se atirar do topo de um edificio de 20 andares, sem quaisquer ajudas tecnológicas, vai parar cá em baixo. Como se chama a essa verdade? Gravidade

      “Mas um dos mecanismo que a interpreta, através da nossa mente”

      Concordo inteiramente.
      No entanto, qualquer ser vivo percebe que a Gravidade funciona de uma determinada forma, independentemente do cérebro que a analisa.

      “mas sua resisitência em ve-lo como não cético deve ser pela possibilidade de ver seus paradigmas balançados.”

      Eu não preciso de vê-los de uma forma ou outra. É irrelevante o que eu penso.
      Basta lermos o que ele escrevia.
      (e já agora, não utilizarmos citações dele “de net”… ou seja, que as pessoas vão inventando que ele supostamente disse)

      “Acreditr que a ciência lha dá tudo na vida e´complicado, e quando ela não estiver ao meu lado?”

      Penso que já expliquei em cima que acreditar ou não é irrelevante.

      A ciência não está do lado de ninguém. Ela existe e basta isso.
      A electricidade não é boa nem má, nem está do meu lado ou contra mim. Simplesmente existe. E isso basta.

      “Parece limitado atribuir tudo o que tenho à ciência…sendo que a natureza exsite em harmonia sem ter que desvendar ou interpretar a ciência…”

      Como deveria saber, mal acorda de manhã tem logo uma série de leis científicas a influenciá-lo.
      Pode nem sequer se dar conta disso, mas tal como na justiça, a ignorância das leis não é desculpa para dizer que elas não existem.
      http://www.astropt.org/2012/02/18/7-equacoes-que-governam-o-seu-mundo/

      “Ciência é criação humana!”

      O Rubens fala da ciência como se fosse tecnologia: criação humana.
      Eu falo da ciência pelo que ela é: conhecimento científico, pensamento científico.
      http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

      “E desde quando verdade cientifica hoje não é inverdade amnhã?”

      Desde sempre.
      NUNCA alguma “verdade científica” (como você lhe chama) se tornou inverdade.
      http://www.astropt.org/2011/08/23/ciencia-nao-erra/

      “E LAmark vs Darwin?”

      As discussões científicas são uma das vantagens do processo científico.

      “mas pra mim um bispo fanático e um cientista cético padecem da mesma arrogância.”

      Um bispo fanático é alguém que acredita em algo, independentemente das evidencias.
      Um cetico, seja cientista ou não, é aquele que não acredita em algo, até haver evidencias que o provem.
      Como perceberá, são coisas totalmente diferentes. Dizer que um cetico é arrogante só porque ele não quer seguir ideologias, a não ser aquela que lhe é ditada pela natureza (evidencias) é duma ignorancia atroz.

      “Acima você disse: “Não preciso esperar pela morte. Eu já sei o que me vai acontecer após a morte.” E o que você acha que lhe acontecerá?”

      Se lesse os nossos posts, saberia.
      Em vez de lhe dar os links todos para a mão, sugiro que faça um mínimo de pesquisa.
      E note novamente: NÃO é o que eu acho. Ao contrário do que o Rubens faz, eu não vivo do que eu acho. Este não é um local de achamentos, de opiniões. Este é um local de conhecimento, e esse é dado pela natureza e não pelas nossas opiniões.
      Nós SABEMOS aquilo que vai acontecer.

      “também existe certa lógica na espiritualidade.”

      Não há nada que lhe possa dar uma espiritualidade mais abrangente que o conhecimento científico.
      Isso também já foi explicado aqui no blog. Basta procurar.

      “Espiritualidade também deveria ser um fenômeno discutido pela ciência”

      Só o simples facto do Rubens achar (sim, porque o Rubens farta-se de “achar”) que não é, mostra que não sabe aquilo que se discute em ciencia.

      “mas ela não aceitaria quebrar seus paradigmas de tal maneira certo?”

      Mais uma vez, demonstra que nada entende do processo científico.

      “Você como astrobiólogo não tem qualquer prova de vida extraterrestre. ainda assim o estuda…não está exercendo a crença?”

      Se estudasse astrobiologia, ou lesse os meus artigos sobre esse assunto, não faria estas perguntas.

      Termino como comecei: o tempo que demora a escrever comentários onde se nota que comenta sem nada ler, aproveite esse tempo para ler e se informar sobre os assuntos.

      abraços

    2. Caro Rubens,

      _________________________________

      “Se você ainda acha que Einstein era cético, pesquise a lição que ele, ainda aluno, lançou a seu professor provando a existência de Deus pela lógica. Façinho de encontrar.”
      _________________________________

      Já foi abordado sobre essa questão aqui neste sítio num link já disponibilizado pelo próprio Carlos Oliveira. Trata-se duma falsa história (possivelmente criada por uma pessoa ou um grupo de pessoas inescrupulosas que apelaram para o que representa o Albert Einstein para o mundo atual, como se a possível crença do Einstein provasse a existência de um Deus. Ademais, uma das maiores mentes que a humanidade já conheceu não era cético (talvez o Rubens quisesse dizer o substantivo “ateu”) e sim agnóstico. Não é relevante, no final das contas.

      _________________________________

      “Apenas não a vejo como detentora da VERDADE.”
      _________________________________

      A Ciência em si não afirma como sendo “a dona da verdade”. Não se vê planetas e estrelas, buracos negros e quasares, forças de atração gravitacional, matéria e energia escura, movimentos de rotação e translação, afirmando por aí que são detentoras da verdade. Tenha o correto julgamento em separar o que são afirmações pessoais, quando se refere a opiniões de cientistas em assuntos polêmicos – religião é um deles – e a forma como alguns dos cientistas mais evidenciáveis, ontem e hoje, fizeram ou fazem divulgação científica. Sobremaneira, de acordo com palavras expressas do próprio Rubens, fica notória uma apatia sutil por parte do Rubens para com os cientistas em geral. Temos excelentes cientistas, divulgadores da ciência, que não são como o sr. Richard Dawkins. Da mesma forma que são raros religiosos na Ciência como o padre jesuíta belga, professor Georges Lemaître.

      _________________________________

      “ … não saio acreditando em fenômenos que outros julgam compreender, também existe certa lógica na espiritualidade.”
      _________________________________

      Passo 1) Não julgamos compreender: compreendemos os fenômenos através de observações principalmente experimentais;

      Passo 2) Lógica na espiritualidade é mais passível de acerto quando trata-se duma lógica pessoal – que deve ficar apenas no campo pessoal. 😉 Os homens da Ciência no passado descobriram o método científico – que os fez separá-los da Filosofia. Saíram do achismo e da pura reflexão para a comprovação ou não das evidências as quais estavam diante deles. Não note o contrário: a Filosofia é belíssima; eu a acho belíssima – principalmente em conversas informais. Ela é a matriarca de todas as Ciências. Porém, não se podia ficar mais no campo da especulação (é uma pena que a verdadeira Filosofia esteja tão distanciada do que é ensinado nas Universidades – isso por si só penso ser um grave erro acadêmico. Abordagens e aprendizados completamente diferentes do que era ensinado nas escolas filosóficas da Grécia Antiga. Bom…). Todos nós continuamos o método científico porque funciona e é o mais se aproxima das evidências que estudamos na natureza. Até agora, não existe método melhor. Não se engane: à medida que os cientistas vão abrindo portas (descobertas), descobrem-se várias outras a serem abertas (n+1 descobertas). E isso é esplendoroso.

      Até chegar o longínquo dia em que a Ciência poderá esgotar todos os seus recursos tecnológicos e racionais e, a partir daí, continuar por outros caminhos…

      _________________________________

      “E LAmark vs Darwin? Desculpe, mas pra mim um bispo fanático e um cientista cético padecem da mesma arrogância.”
      _________________________________

      O Rubens deve, com mais interesse, ler sobre a vida de alguns cientistas: o Charles Darwin era religioso, até ter, inicialmente, suas crenças pessoais abaladas – principalmente acerca do Velho Testamento – diante das evidências e dos fatos que encontrou no percurso de sua vida acadêmica. Inclusive, é sabido que este cidadão relutou em fazer publicar sua obra, On the Origin of Species, devido aos fortes traços religiosos de sua esposa, a sra. Wedgwood.

      _________________________________

      “Você como astrobiólogo não tem qualquer prova de vida extraterrestre. ainda assim o estuda…não está exercendo a crença? ou apenas hipóteses matemáticas?”

      _________________________________

      Não confunda vida microbiana com vida inteligente extraterrestre. 😉

      Já com relação às equações que surgem posteriormente hipóteses e, caso se sustente, teorias, se aparecem nas equações ou modelos, a probabilidade da hipótese (se for o caso) ou teoria (se for o caso) são máximas.

      São elevadas demais para serem escritas com o advérbio “apenas”.

      A busca por Deus é, antes de tudo, uma busca filosófica.

      _________________________________

      “ A não ser cardiopatas e neurologisttas que se vêm diante de pacientes que passaram por Eqms (por exemplo) e tiveram a humildade e a curiosidade de repensar suas lógicas”

      _________________________________

      Isso é deveras interessante. Pelo que pudemos observar, um PhD, recentemente, neurocirurgião e eminente professor da Havard, afirmou ter visto belas paisagens enquanto estava na UTI. Após esse episódio, defende convictamente que existe vida após a morte.

      Pois bem.

      Agora, faço ao Rubens um convite à reflexão duma hipótese: e se a neurologia, em conjunto com a Robótica, a Física e a Química, compreendesse melhor o que seria a consciência e como se dará sua natureza fenomenológica? 😉 Apenas refletindo no campo que a Filosofia nos permite, não vejo outra frase que melhor reflete o que é a vida e sua “democracia” em permitir que cada um busque a melhor maneira (mais consciente ou menos consciente) em poder evoluir (ou sobreviver, como queira): “Você é o juiz do seu próprio caminho”. 😉

      E, no caso do Eben Alexander III (o professor citado mais acima), o cidadão não tinha falecido: tinha ficado, durante muitos dias, em estado de coma. O que, infelizmente, não é menos dramático.

      Abraços.

      ___________________________________

      P.S.: O Rubens pode ler, dentre outras coisas, anotações pessoais do Charles Darwin disponibilizadas aqui:

      http://darwin-online.org.uk/

      São interessantíssimas como o próprio Rubens poderá constatar no decorrer da sua leitura.

  6. “Você critica o Disclousure Project (…)”

    Eu critico com base no conhecimento. Eu sei, até porque conheço algumas pessoas, que é só um lobby que vive à base da manipulação de dados. Porque, como eles sabem, quanto maior a treta, mais as pessoas caem, como disse Goebbles, o ministro da propaganda de Hitler.

    ” (também duvida de ex-generias de alto escalão e cientistas que trabalharam pro governo dos EUA?)”

    O nome da pessoa ou o que fazem é completamente irrelevante.
    2 + 2 = 4. Sempre. Quer a pessoa esteja em Portugal ou na China, quer se chame João ou Maria, quer seja electricista ou astrónomo.
    O ónus da prova está sempre do lado de quem faz afirmações extraordinárias.

    “ou qualquer outra forma de informação que desafie a ciência oficial.”

    Toda a ciência desafia a ciência oficial. Por isso, avançamos. E sempre pela ciência.
    Nunca nenhum pseudo lhe deu o que quer que fosse. Já a ciência dá-lhe tudo na vida.
    http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

    “Um verdade absoluta hoje se torna inverdade amanhã.”

    Totalmente mentira no caso da ciência. Isto são concepçoes erradas sobre o que é a ciência, que já foram explicadas aqui no blog.
    http://www.astropt.org/2011/08/23/ciencia-nao-erra/

    “A ciência só aceita o que ela pode reproduzir em laboratório ou expressar matematicamente.”

    Como de verá saber, essa é a melhor forma de não ser continuamente vigarizado por pessoas sem escrúpulos, ou não ser enganado pelos seus próprios sentidos.

    “Amanhã, surge uma nova hipótese e as demais, até hoje vistas como verdade, caem por terra.”

    Esse é o método científico. Essa é uma vantagem da ciência. Ver isso como algo negativo é errado.

    “Não entendo essa supervalorização da ciência”

    É ela que lhe dá tudo na vida, incluindo a tecnologia que está a utilizar neste momento.
    http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

    “e por isso, possivelmente falha, ou capenga.”

    Mentira. Já explicado em cima.
    http://www.astropt.org/2011/08/23/ciencia-nao-erra/

    “Einsten, que talvez tenha sido o maior cientista do séc. XX, não era exatamente um cético.”

    Sim, era. Totalmente.

    “prefere crer na ciência”

    A ciência não se faz de acreditar.
    Quando ligo a luz, ela não se liga por eu acreditar nisso. Ela vai-se ligar na mesma, mesmo que eu não acredite nas várias leis científicas que estão na base desse simples gesto de ligar a luz.
    As leis científicas não dependem da pessoa acreditar ou não nelas.
    A Gravidade vai continuar a funcionar mesmo que eu não acredite nela.
    As leis científicas não dependem da pessoa acreditar ou não nelas.

    “Mas houve um tempo que espiritualidade (não religião) e ciência caminhavam juntas.”

    Ainda agora andam, se as pessoas perceberem ambas, em vez de se deixarem levar pela fantasia.
    http://www.astropt.org/2010/01/30/mensagem-de-sagan/
    http://www.astropt.org/2012/04/06/o-facto-mais-impressionante/

    “Podemos citar Einsten novamente: ” o Universo dança uma música tocada por uma flauta distante”,”

    A “flauta”, como diz ele, são as leis científicas, só ao alcance pela ciência.

    ” a ciência está lendo o 1o livro de um biblioteca imensa com linguas que ele desconhece”

    E tal como ele dizia, a biblioteca só se construía com bases científicas.

    “e que esse conhecimento aceito não é absoluto”

    Se fosse absoluto não se chamava ciência, mas sim religião. 😉
    A ciência é sempre probabilística, nunca absoluta.
    http://www.astropt.org/2012/10/11/possivel-vs-provavel/

    E esta é uma vantagem da ciência e em nenhum momento se deve confundir o método inerente à ciencia com a ciência errar.

    “Pessoas céticas só passam a ter uma visão expandida da realidade quando elas próprias passam por experiências.”

    Mentira.
    A ciência é aquilo de mais imaginativo que temos!
    Em nenhuma outra área é possível compreender o que se passa a gaziliões de quilómetros de distância ou no gaziliões de vezes mais pequeno.
    Em nenhuma outra área seria possível criar algo chamado realidade virtual.
    Em nenhuma outra área seria possível criar algo que nos permitisse comunicar de forma quase instantanea a milhões de quilómetros de distância com energias invisíveis.
    A ciência faz isto tudo porque tem uma capacidade de imaginação e execução incríveis.
    Não é magia. É ciência.

    “Se 99,9999% do átomo é vácuo e o restante é energia condensada, o que é a matéria física então?”

    Se tivesse ido à nossa palestra ontem, teria compreendido melhor isso com o nosso Físico de Partículas. Ele explicou isso durante a tarde 😉

    “Não espere passar por uma experiência fora do corpo ou uma eqm para rever seus conceitos e tornar-se humilde a ponto de transformar seu paradigma tarde demais.”

    Para mim, humidade é deixar que o Universo tenha a palavra e eu tentar compreender o Universo.
    Para mim, a arrogancia é tentar pensar que só porque eu tive uma experiencia que não consegui compreender ou algo que depende de uma crença minha, então eu tenho que ser tão importante no Universo que o Universo tem que adaptar a essa minha crença ou à minha interpretação do que aconteceu. Os arrogantes são aqueles que esperam que o Universo se ajoelhe às suas próprias regras.

    Como vê, os únicos humildes no mundo são os cientistas e todos aqueles que põem a ciência como a sua luz no escuro. Eles são os únicos curiosos o suficiente e humildes o suficiente para saberem que a única função deles aqui é tentar perceber as regras que lhes são ditadas pelo Universo.
    http://www.astropt.org/2013/01/06/indiferenca-cosmica/

    “função de experiências pessoais. Considere a hipótese.”

    Nunca. A pessoa nunca está acima do Universo.

    “Cientistas sérios estão se dedicando ao estudo da consciência.”

    Sim, pela neurologia. Têm todo o direito de o fazerem. E mais: deveriam o fazer.
    Eu, por exemplo, até gosto de ler sobre a área. Até porque como astrobiólogo, essa pergunta da consciência é central quando pensamos em extraterrestres.
    Isto é ciência, por isso é natural que os cientistas estejam curiosos sobre ela.

    “Não espere sua morte para perceber que algo em você não morre.”

    Não preciso esperar pela morte. Eu já sei o que me vai acontecer após a morte. A ciência, a realidade, e o conhecimento já nos permitiu chegar a essas respostas.

    “cientista não é dono da verdade”

    Mas é o mais próximo, porque tem uma série de ferramentas que lhe permite prevenir ser enganado por vigaristas ou até por si próprio.

    “Mas nem tudo que existe pode ser medido em laboratório.”

    Se não pode, o único a dizê-lo abertamente é o cientista. Essa é a honestidade na ciência.
    Já noutras áreas, começam a enrolá-lo, a falar-lhe de energias que não entendem, etc, só para lhe dizerem que ninguém sabe mas eles sabem porque têm acesso a conhecimento ocultos.

    abraços!

  7. Carlos,

    Você critica o Disclousure Project (também duvida de ex-generias de alto escalão e cientistas que trabalharam pro governo dos EUA?) ou qualquer outra forma de informação que desafie a ciência oficial. Sou formado em história. Se te uma verdade sobre a ciência é que ela não é estanque. Um verdade absoluta hoje se torna inverdade amanhã. A ciência só aceita o que ela pode reproduzir em laboratório ou expressar matematicamente. Sendo que diversas bases científicas são hipotéticas, e aceitas porque nenhuma outra mais convincente surgiu (basta ver a história da cosmologia ou da atomística). Amanhã, surge uma nova hipótese e as demais, até hoje vistas como verdade, caem por terra. Não entendo essa supervalorização da ciência, sendo ela uma criação (ou percepção) humana, e por isso, possivelmente falha, ou capenga. Einsten, que talvez tenha sido o maior cientista do séc. XX, não era exatamente um cético. O ser humano ocidental (ciência também é um aspecto cultural) prefere crer na ciência (sua própria invenção) do que em outro ser humano. Claro, devido a ignorantes e charlatões supersticiosos, verdades sutis, perceptívesi pelo lado não racional do cérebro se transformaram em fantasia. Mas houve um tempo que espiritualidade (não religião) e ciência caminhavam juntas. Afinal, ambas tem a mesma preocupação: entender o incognoscível. Ñós só percebemos alguns aspectos da realidade. Podemos citar Einsten novamente: ” o Universo dança uma música tocada por uma flauta distante”, ou ” a ciência está lendo o 1o livro de um biblioteca imensa com linguas que ele desconhece” e por aí vai. Só tenho um desejo quanto a isso: que a ciência tenha umildade de reconhecer que ela sabe o mínimo e que esse conhecimento aceito não é absoluto, Pessoas céticas só passam a ter uma visão expandida da realidade quando elas próprias passam por experiências. Se 99,9999% do átomo é vácuo e o restante é energia condensada, o que é a matéria física então? Não espere passar por uma experiência fora do corpo ou uma eqm para rever seus conceitos e tornar-se humilde a ponto de transformar seu paradigma tarde demais. Sempre fui ateu, materialista ortodoxo, mas fui obrigado a repensar coisas em função de experiências pessoais. Considere a hipótese. Cientistas sérios estão se dedicando ao estudo da consciência. Não espere sua morte para perceber que algo em você não morre. cientista não é dono da verdade, é apenas mais um tentando interpretá-la. Mas nem tudo que existe pode ser medido em laboratório.

    • Claudio Branco on 20/12/2012 at 23:07
    • Responder

    Obrigado Carlos.
    E parabéns por este site, que contêm valiosas informações para aqueles que sabem aproveitá-las.
    Como diria Isaac. Newton ” Só cheguei até aqui, porque me apoiei no ombro de gigantes”
    Forte abraço.

    1. Obrigado e… precisamente 😉

      O conhecimento é complexo… não aparece do nada 🙂

      abraços

    • Claudio Branco on 20/12/2012 at 19:38
    • Responder

    Olá Carlos Oliveira. Você me parece uma pessoa séria, do lado da ciência. Só acredita naquilo que é provado cientificamente. Porém, creio que você é um daqueles que acreditam em vida extra-terrestre. Isso é provado cientificamente? Você tem especialização em Astrobiologia?? Então descobriram alguma forma de vida fora do planeta Terra? Pelo que eu saiba, nunca foi provado isso, nem com vidas unicelulares ou algo parecido. Poderia nos explicar esta sua contradição?
    Obrigado

    ** Uma beleza esta sua foto com olhinhos marcianos.

    1. Claudio,

      Eu acreditar ou não nas coisas é absolutamente irrelevante.

      Você utiliza computadores, internet, electricidade, etc… tudo que lhe é dado pela ciência, independentemente de eu acreditar que a electricidade existe ou não.
      Você todos os dias comprova que a Gravidade funciona da forma que a ciência explica, mesmo que não acredite na gravidade.

      Ou seja, os factos são factos. Não tem nada a ver com eu acreditar neles.

      Este é um local de conhecimento, e não de se acreditar nas coisas.

      abraços

        • Claudio Branco on 20/12/2012 at 21:59

        Olá Carlos. Obrigado pela resposta.
        Mas suponha que ninguém acredite em vida extra-terrestre.
        Você acha que algum dia poderíamos descobrir se ela realmente existe?
        Grande abraço

      1. Sim. 😉

        A vida extraterrestre será provavelmente muito diferente daquilo que imaginamos… 😉

        abraços

  8. O nome disso não é hipocrisia, é precaução e não seguir a verdade dos outros como se fosse a nossa.
    Como dizia o Nelson Rodrigues,(escritor brasileiro) “toda unanimidade é burra” claro, se for pra seguir os outros sempre, pra que pensar? Deixa que os outros pensem.
    Carlos, você apelou em dizer que sou culpado pelo holocausto, assim não vale.

    Eu também acredito na realidade da internet, na eletricidade, nas ondas de rádio com ou sem fio, acredito na tecnologia, e sei que tudo isso é graças a ciencia. Mas, já não acredito muito, por exemplo, que a luz do sol faça mal a saúde, e isso também é fruto da ciencia, ou pelo menos de alguns cientistas que recomendam uso de protetor solar continuamente…
    Entendeu meu pé atrás?

    É a primeira vez que visito sua página e gostei, você é duro na contagem.
    Um abraço, e bom dia.

    1. Pedro,

      Hipocrisia = fingir ter crenças ou ideias ou atitudes que na realidade não tem.
      Um hipócrita diz aos outros, por exemplo, que não se deve utilizar telemóveis, mas vai logo para casa utilizá-los.
      Quem “está em terra” devido à gravidade, quem utiliza a electricidade, quem utiliza telemóveis, quem usa a internet, e mesmo assim diz que duvida da validade do conhecimento científico, está obviamente a ser hipócrita.
      http://www.astropt.org/2012/02/18/7-equacoes-que-governam-o-seu-mundo/

      “Eu também acredito na realidade da internet, na eletricidade, nas ondas de rádio com ou sem fio, acredito na tecnologia”

      Nada disso depende das suas crenças, nem das minhas crenças, nem das crenças de ninguém.
      A gravidade, e tudo o resto, existe! Se acredita ou não nela é completamente irrelevante.
      Ciência = Conhecimento Acumulado. Não depende de se acreditar.

      “já não acredito muito, por exemplo, que a luz do sol faça mal a saúde”

      Novamente, não depende de acreditar.
      Esteja ao Sol muito tempo, sem protecção, e percebe que a sua pele começa a ficar vermelha. Isso é devido à radiação infravermelha do Sol. Sabemos disto devido ao conhecimento científico que temos do Sol. Não depende de se acreditar ou não. Basta fazer a experiência.
      O mesmo pode ser dito para a radiação ultravioleta, e a ligação aos cancros de pele.

      abraços!

      P.S.: “você é duro na contagem.” – sim, correcto. Como já tenho dito por várias vezes, tenho uma personalidade similar ao Huxley, que era alcunhado de “bulldog do Darwin” pela sua defesa intransigente das evidências. Eu faço o mesmo 😉

        • Pedro on 06/09/2012 at 20:24

        Muito bom, é isso aí, você sem querer, acabou concordando comigo.
        Tem coisas que existem ou não, independentes da minha ou da nossa crença. Nem tudo que você acredita é verdade, e nem tudo que é verdade você acredita.
        Agora uma pergunta:

        É verdade que os cientistas, ou a ciencia está chegando a conclusão de que a matéria não existe, pelo simples fato de o átomo ser quase que totalmente vazio?

        Se for verdade, então eu, você e tudo que tocamos não passa de pura percepção e ilusão de ótica.

        Não sei se verdade, mas eu não acredito porque quando levo uma topada sinto muita dor, uma dor real provocada por uma pedra real que eu nem vi (não foquei nela, pra ela se tornar real)

      1. “acabou concordando comigo.”

        Mentira.
        O que eu lhe disse é que é irrelevante você falar de crenças. Eu falo-lhe de conhecimento objectivo. Não das minhas crenças.
        Por isso, não, não concordei nem concordo consigo. nem sequer é uma questão de concordar: 2 + 2 = 4. Você diz que acredita que 2 + 2 = 7. Você está errado. Ponto final. É irrelevante as suas crenças ou as concordâncias.

        “É verdade que os cientistas, ou a ciencia está chegando a conclusão de que a matéria não existe, pelo simples fato de o átomo ser quase que totalmente vazio?”

        Não. A ciência já sabe isso há MUITO tempo. Isso é conhecimento da Humanidade há já muito tempo.

        “então eu, você e tudo que tocamos não passa de pura percepção e ilusão de ótica.”

        Mentira. Isso é uma falácia lógica. É uma conclusão inconsequente.

        “mas eu não acredito”

        O que você acredita é IRRELEVANTE. Já lhe disse isso várias vezes atrás.
        Se continuar a cometer os mesmos erros, é sinal que você não está aqui para aprender mas para ser troll. Se assim for, os seus comentários irão para SPAM porque eu trabalho – não tenho tempo para estar a explicar sempre as mesmas coisas a quem não quer aprender.

        “porque quando levo uma topada sinto muita dor, uma dor real provocada por uma pedra real que eu nem vi”

        Isso é devido ao campo electromagnético. Está perfeitamente explicado. Até se dá nas aulas na escola. Isso é conhecimento básico.

  9. Carlos, a Laura deve estar bagunçando sua área de conforto, você já não deve estar tão certo das suas certezas, ou do contrário não perderia tanto tempo para desacreditar o que, a seu ver, não tem credito.

    1. A minha área de conforto é a verdade do conhecimento.

      A área de conforto dela são histórias fantasiosas baseadas em concepções erradas da ciência e do conhecimento, para pessoas hipócritas (que utilizam a internet feita com o conhecimento dos cientistas para o negarem) e ignorantes caírem que nem patos – como o Pedro parece ser uma delas, já que assume que a ciência é feita de certezas, quando já foi explicado aqui pelo blog dezenas de vezes que se falam de probabilidades, e são essas probabilidades que nos dão as “certezas” sobre a gravidade, a electricidade, e milhões de outras explicações científicas funcionarem diariamente.

      Mas já se percebeu que o Pedro não está interessado na verdade, mas só está interessado em pertencer à seita de quem cospe no prato que lhes dá de comer.

    2. Mas já que está tão interessado na Laura, quando estiver com ela, pergunte-lhe aquilo que escrevi no texto sobre ela. Peça-lhe para ela resolver este simples teste de escola:
      http://www.fisica.ufpb.br/coords/posgraduacao/admin/uploads/files/137675772901657921920/Exame%20Qualificacao%20Mecanica%20Quantica%202010.1.pdf
      Já que ela diz ser especialista em física quântica, para até dar workshops desse assunto, obviamente que ela deverá poder responder a este teste facilmente. 5 minutos devem bastar. Deve saber responder rapidamente a este e a outros testes similares. Os especialistas em física quântica que eu conheço, sabem. Até porque este teste é para alunos/aprendizes e não para os especialistas. Para os especialistas, isto é facílimo.

        • Pedro on 06/09/2012 at 15:36

        Eu não a conheço , só leio o blog, de vez em quando, mas não acredito cegamente em nada, porque a verdade, ou a mentira de hoje, pode não ser a mesma de amanhã. Por isso fico na minha área de conforto, em cima do muro igual os politicos.

      1. É livre de ler o que quiser.
        Aqui tem a verdade. Lá tem as fantasias baseadas na ignorância dos assuntos. É livre de escolher o que quiser.

        “a verdade, ou a mentira de hoje, pode não ser a mesma de amanhã”
        Como também já expliquei aqui no blog algumas vezes, essa frase é mais uma concepção errada da ciência, e esse erro é difundido de forma mentirosa por quem não faz ideia do que é o conhecimento.

        “mas não acredito cegamente em nada”
        O que acredita ou não acredita é completamente irrelevante para mim.
        O conhecimento não é uma crença. A gravidade não nos “puxa para baixo” só porque alguém acredita nisso.

        “em cima do muro igual os politicos”
        Eu diria que os políticos não deviam ser exemplos para ninguém… mas ok, é livre de escolher os seus ídolos e ideais.

        abraços

        • Pedro on 06/09/2012 at 17:01

        Quando a Igreja controlava a informação, a terra era plana e era o centro do universo, e ai de quem falace o contrário. Hoje a informação é controlada pelos politicos, pela ciencia, e, pela igreja, claro!
        A minha dúvida é:
        Será que não estamos todos, sendo enganados de novo, outra vez e novamente?
        Será que a ciencia está informando tudo que sabe e que nós também deveríamos saber, ou só informa o que é conveniente, ou usam aquele ditad: a verdade não é pra ser dita, e se é dita, não é verdade?

      2. “Quando a Igreja controlava a informação, a terra era plana e era o centro do universo”

        Este é mais um exemplo pseudo, dado pelos vigaristas nos sítios da net onde os autores nada percebem de conhecimento ou de argumentação.
        Essa é uma falácia lógica, que já explicamos dezenas de vezes por aqui.
        Só pelo Hitler ter morto milhões de pessoas, será que devo culpar o Pedro por isso? O Pedro até é humano como o Hitler, por isso a culpa é sua, não?
        Enfim…
        Da mesma forma, se a Igreja fazia isso, isso não pode ser incutido à ciência!

        “Hoje a informação é controlada pelos politicos, pela ciencia, e, pela igreja, claro!
        A minha dúvida é:
        Será que não estamos todos, sendo enganados de novo, outra vez e novamente?”

        Hoje e sempre a informação é controlada pelas pessoas.
        A ciência não controla qualquer informação. A ciência dá-lhe milhões de respostas todos os dias e diz-lhe para experimentar por si próprio e para o Pedro pensar por si próprio. E o Pedro faz isso milhares de vezes todos os dias. Infelizmente, para assuntos que não sabe, por vezes pára-lhe o cérebro e prefere seguir fantasias mentirosas sem nexo.
        http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/
        Se duvida do conhecimento científico, o que faz na internet? E porque não se atira do topo de um prédio de 20 andares?
        Porque na verdade, o Pedro não duvida do conhecimento. Só diz que o faz, porque se deixa levar por idiotices.

        Não sei qual o ditado de que fala.
        Mas o Pedro utiliza a ciência milhares de vezes ao dia. Se acha que a ciência não lhe diz as coisas, então vá viver para uma caverna, e pense que a chuva é devida aos deuses que andam a voar pelas nuvens… Se o fizer, ao menos passa a ser consistente – passa realmente a duvidar da ciência. Agora, dizer que se duvida do que ela diz, e simultaneamente utilizar a internet, a electricidade, o vestuário, viaturas, telemóveis, etc, isso é pura hipocrisia.

    3. Mas é importante que a comunidade científica se manifeste nesses casos, ou os leigos e os que tendem a crendices e sensacionalismo podem cair facinho. E caem. Eu fui uma dessas pessoas, que num momento de desespero procurei algo absurdo em que acreditar e achei.
      Fiz parte do grupo dessa mulher no facebook, e o pior é que rla tem muitos “seguidores”, e esculacha com todo mundo que questiona as “ideias” dela (quando não ameaça e chantageia, como aconteceu com vc.
      É bom que pesquisadores sérios se posicionem a respeito dessas pseudo-ciências e pessoas sem o mínimo de instrução no assuntos propagados como verdades “científicas”, refutando-os pra que fique claro a pessoas como eu, leigas em termos de ciência, que não se deve creditá-los. E nos mostrem argumentos, isso é muito importante.
      Obrigada.

  10. (…)

    Antes de tentar descredibilizar todo o conteúdo deste documentário, explique-nos o que motivou a elaboração deste artigo por sua parte.

    (…)

    1. Caro L.M.,

      O seu comentário foi editado porque não estou para aturá-lo.

      Este é um local de conhecimento. Em qualquer museu, planetário, etc, você entra de cara destapada. Aqui, neste local de conhecimento, prefere esconder-se atrás de siglas. Pois bem, sendo assim, os seus comentários são editados ou irão para SPAM. Se não se sabe portar devidamente em locais públicos de conhecimento, então não merece ser ouvido.

      Quanto ao que me motivou, é a mesma coisa que me motiva em todos os outros posts: a verdade. Se você quer ser vigarizado pelo Nassim e por outros que utilizam as técnicas dele, o problema é seu.

      Vigaristas sempre houve. E sempre os houve porque também sempre existiram os tótós que caem em todas as vigarices por mais disparatadas que sejam (que era o lema da propaganda Nazi).
      E os tótós que caem em tudo, em vez de se insurgirem contra as vigarices, preferem defender os vigaristas e incrivelmente virarem-se contra quem lhes diz a verdade, virarem-se contra quem lhes tenta incutir um mínimo de Literacia Funcional. Literacia essa que você demonstra não ter. E pior, nem a quer ter. A escolha é sua.

      Passe bem.

        • Filipe on 14/08/2012 at 21:30

        Não percebo porque é que as pessoas insistem em comentar (e mesmo visitar) sites que não concordam de todo e que têm a noção de ir lá apenas para espicaçar os visitantes e moderadores de tal site. Se não gostam do estilo deste blog, então que não venham cá! Que procurem ou criem o seu próprio site e ponham lá todos os seus pseudo-conhecimentos.

        Desculpe Carlos por usar a sua resposta para isto, mas realmente não percebo a obceção de certas pessoas comentar em sites apenas para dizer que não concorda e que tudo o que se encontra no site são disparates.

  11. apenas me explique http://sohodata.nascom.nasa.gov/cgi-bin/soho_movie_theater

    1. Ja está explicado aqui no blog. Procure.

      E também pode ler nesse mesmo site, como as imagens sao processadas e o que acontece.

  12. “The workings of the world are not illuminated by what if’s and maybe’s, but by evidence and reason.”

    Caro amigo tuga, qual a explicação para os sonhos??

    grande abraço

    1. Não sei quem é o seu amigo tuga.
      Eu sou dou aulas numa universidade, e estou nos EUA.
      Este é um local de conhecimento. Não está no café a mandar bitaites aos amigos.

      A frase que usou é de um artigo da Fundação Educacional James Randi . Está explícito no texto.
      Se hipocritamente (devido a viver num mundo científico) duvida dela, deve-os contactar a eles.

      O post não tem a ver com sonhos. Se quer ler sobre sonhos, sugiro que contacte os investigadores que os estudam, nomeadamente investigadores em áreas de psicologia, neurologia, e consciência.

  13. Falando do famoso Nassim Haramein, assisti seus 45 videos no youtube faz algum tempo. É um disparate atrás do outro. Pior é o egocentrismo dele em muitos momentos de sua palestra. Quando o egocentrismo é oriundo de alguém formado, pelo menos, em determinada área, é perfeitamente compressível. Entretanto, vira idiotice, beirando o ridículo, oriundo de alguém que sequer fez o curso universitário de Física (Licenciatura ou Bacharelado).

    Misturem…

    “Dimensões do Universo”, “o Vácuo e a Densidade do Infinito”, “Vácuo, Campo Magnético e o Tetraedro”, “Relação do Tetraedro e a Esfera da Realidade”, “Teotihuacan e a Matriz Vetorial Isotrópica” (???????????), “O Octaedro e o Número 12 na Antiguidade”, “Os Crop Circles e o Octaedro”, “Crop Circles e o Pi”, “Buracos-Negros”, “Geometria do Colapso”, “Física Quântica”, “Transdução da Água, as Ondas e a Geometria do Vácuo”, “As Ondas, Orbitação e o Campo Magnético”, ” Perspectiva do Universo”, “Terra Oca, Sol Oco, Átomo Oco”, “Efeito Coriolis e Yin Yang”, “A Flor da Vida Gravada a Laser em Abydos e a Credibilidade”, “A Construção das Pirâmides”, “O dilúvio e as Pirâmides no Japão e China”, “o Portal do Espaço-Tempo”, “Sistema de Viagem Espacial, Latitude 19,7º”, “Nibiru já veio”, “O Segundo Sol, 2012, A Farsa do Aquecimento Global”, “O Tetraedro e o trono de Deus”, “Atlantis, Cristal e Platão”, e “Tetragramaton” (?????)

    … e terão o The Resonance Project Foundation. Acho que o cara tem certa “base” em alguns assuntos. Porém, faltou-lhe o ensino superior para diminuir as chances de se não enveredar pela pseudociência, falando baboseiras 🙁

  14. “A ignorância, com mais freqüência do que o conhecimento, gera confiança”.

    O Efeito Dunning-Kruger é o fenômeno pelo qual indivíduos que possuem pouco conhecimento sobre um assunto acreditam saber mais que outros mais bem preparados, fazendo com que tomem decisões erradas e chegem a resultados indevidos, porém esta própria incompetência os restringe da habilidade de reconhecer os próprios erros. Estas pessoas sofrem de superioridade ilusória.

    fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Efeito_Dunning-Kruger

    Abraços

    1. Tem o Efeito Forer também:

      As pessoas veem o que querem ver, não o que pode ser visto independente daquilo que elas desejam ver.

      Na Wikipédia tem os detalhes:

      “[…] é a observação de que as pessoas julgam estar mais corretas as avaliações de suas personalidades que, supostamente, são feitas exclusivamente para elas mas que na verdade são vagas e genéricas o bastante para se aplicarem a uma grande quantidade de pessoas. Este efeito explica parcialmente a grande aceitação obtida por certas crenças e práticas como astrologia, grafologia e alguns tipos de testes de personalidade.”

      Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Efeito_Forer

      Contudo, penso eu, que enquanto o Dunning-Kruger serve mais para os “vigaristas”, o Forer funciona mais comumente com os “crentes”, já que o exemplo perfeito são os horóscopos.

      “Navalha de Occam neles todos!! :D”

        • Beto Floripa on 20/12/2011 at 15:43

        Bem observado, Kevin. Faz muito sentido, já que o Efeito Forer trata mais dos crentes, como vc bem frisou.

        Abraços
        🙂

        • caio on 11/05/2012 at 21:42

        não seriam voces um tipo de crentes tambem???

        crentes da educação universitaria, crentes no sistema q nos rege e etc?

        não é verdade q mtos dos grandes da historia não tiveram sucesso com a formação academica??

      1. “não seriam voces um tipo de crentes tambem??? ”

        Não. A ciência não depende de crenças pessoais.
        Isto já foi explicado por aqui, milhares de vezes.
        Sugiro que se informe, em vez de comentar sem se informar.

        “não é verdade q mtos dos grandes da historia não tiveram sucesso com a formação academica??”

        Não.

        • caio on 15/05/2012 at 21:00

        ora, as frases:
        ”As pessoas veem o que querem ver, não o que pode ser visto independente daquilo que elas desejam ver.”
        “A ignorância, com mais freqüência do que o conhecimento, gera confiança”.

        não seriam validas a todos os seres humanos do planeta?

        assumir que essa frase vale para todos os que vão gostar de ”thrive” e não a voce, não seria um tipo de crença pessoal? é possivel, não é mesmo? uma vez que eu e outras pessoas não compartilhamos dessa crença, ela tem de ser uma crença pessoal!
        na propria ciencia existe muita contradição…só porque existe um tipo de ciencia em voga não quer dizer que ela é unica e absoluta. como por exemplo, existem cientistas q defendem o aquecimento global e outros que defendem que é uma farsa…

        ”“não é verdade q mtos dos grandes da historia não tiveram sucesso com a formação academica??”

        Não.”

        pois, mais uma vez, sugiro que voce considere a possibilidade de que voce tambem possa precisar se informar um pouco mais…
        para dar um exemplo facil e atual: steve jobbs
        pode me explicar qual é sua formação academica?

        como dizia bukowski:

        ”O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas idiotas estão cheias de certezas…”

        ta ai mais um coitado q não teve formação academica… 😉

      2. “não seriam validas a todos os seres humanos do planeta?”

        Não. Só é válido para quem, como você, põe as suas crenças acima do conhecimento objectivo.

        “outras pessoas não compartilhamos dessa crença”

        Eu não quero saber das suas crenças, das minhas crenças ou das crenças dos outros.
        O que eu lhe dou é conhecimento.
        Se quer crenças, vá a uma Igreja.

        “na propria ciencia existe muita contradição…”

        Não, não existe.
        Essa é mais uma parvoíce dita por quem não faz a mínima ideia do que é ciência, nem sequer quer-se informar sobre ela – só quer afirmar besteiras!
        Sugiro que leia vários artigos que temos sobre Literacia Científica. Fazem-lhe jeito. Você tem falta disso!

        “para dar um exemplo facil e atual: steve jobbs
        pode me explicar qual é sua formação academica?”

        O Steve Jobs assistiu às aulas universitárias, mesmo sem fazer os exames.
        “Auditing”, sabe o que é?
        Até a wikipedia lhe diz isso:
        http://en.wikipedia.org/wiki/Steve_Jobs#Early_life_and_education
        Por isso, informe-se e páre de me fazer perder tempo!

        ”O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas, e as pessoas idiotas estão cheias de certezas…”

        Precisamente.
        A dúvida é a chave da ciência, e por isso é que se chega a muito conhecimento.
        Já vocês são os idiotas cheios de certezas que se deixam levar por qualquer vigarice.

        Antes de colocar citações feitas por outros, certifique-se do que eles quiseram dizer, para não fazer figuras tristes, como agora!

      3. O Caio continuou a enviar comentários, mas eu trabalho e não tenho tempo para aturar trolls.

        Já lhe foi dito para ler sobre a natureza da ciência, incluindo em artigos que constam aqui sob a categoria da Literacia Científica.
        Ele, em vez de procurar ter esse conhecimento, prefere continuar a comentar de forma troll escrevendo de forma ignorante sobre os assuntos.

        Por isso, foi fazer companhia aos outros trolls em SPAM.

        Quando decidir aprender alguma coisa, sai de SPAM.

    2. (comentário editado)

      por isso sua ”ciencia” é tão merda e absurda quanto outras crendices por ai que outros como voce tentam impor goela abaixo!!!

      1. Deixei passar este último comentário para se perceber a falta de educação do Caio, o seu ódio à ciência, a ignorância dele de pensar que ciência é crença, e a hipocrisia deste troll de usar a ciência todos os dias (como a internet) para dizer que a ciência é “merda”.

        Por aqui se vê a irracionalidade, a hipocrisia, e a ignorância destas pessoas que odeiam a ciência enquanto a utilizam.

        É o que se chama: cuspir no prato que lhe dá de comer.

  1. […] quântico. Misticismos. Quântica cor de rosa. Tribunal. Deepak Chopra. What the Bleep do We Know? Thrive. The New […]

  2. […] alguém tão estúpido para acreditar num documentário imbecil como este (e como outros, como o The Thrive e o What The Bleep do We Know?), então não se pode fazer nada por essas pessoas (e não seria […]

  3. […] vigarista – do mesmo género dos documentários What The Bleep do We Know? ou The Thrive. Os métodos para vigarizar as pessoas são exatamente os mesmos. As pessoas são praticamente as […]

  4. […] Nassim Haramein, notadamente característico pelo deboche e tom jocoso com relação à ciência atual, como era de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.