Uma nova ilha no Mar Vermelho

Uma nova ilha emerge das águas do Mar Vermelho, no extremo norte do arquipélago de Al-Zubair. Imagem obtida pelo satélite Earth Observing-1 a 23 de Dezembro de 2011.
Crédito: NASA.

No passado dia 19 de Dezembro, pescadores iemenitas da cidade portuária de As-Salif observaram uma erupção ao largo de uma pequena ilha desabitada do arquipélago de Al-Zubair. O relato ganhou credibilidade horas depois quando o satélite Aura detectou na região elevados níveis de dióxido de enxofre, uma clara assinatura da presença de actividade vulcânica no local. Nos dias seguintes, imagens obtidas pelo satélite Aqua denunciavam uma pequena pluma vulcânica elevando-se acima das águas do Mar Vermelho, no extremo norte do arquipélago.
O que a princípio parecia uma pequena erupção submarina, viria a transformar-se escassos dias depois no nascimento de uma nova ilha. A 23 de Dezembro, imagens captadas pelo satélite da NASA EO-1 confirmavam a presença de uma massa de terreno sólido alimentando uma pluma vulcânica.

Comparação da imagem de cima com uma outra da mesma região obtida há pouco mais de quatro anos. É evidente a presença de uma nova ilha no local da erupção, ocupando uma área anteriormente preenchida pelas águas do Mar Vermelho.
Crédito: NASA (montagem e anotações de Sérgio Paulino).

O arquipélago de Al-Zubair é constituído por dez pequenas ilhas vulcânicas relativamente recentes, que emergem de uma plataforma submarina paralela à falha do Mar Vermelho, a fronteira geológica entre as placas tectónicas Arábica e Africana. As últimas erupções de que há registo na região ocorreram há mais de 150 anos, em pleno século XIX.

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Quando citei a Bíblia e as controvérsias da ciência, talvez me expressei errado em não dizer que me referia ao comentário do Lauro e não a matéria publicada.
    E quanto aos aparecimentos e desaparecimentos das erupções e ilhas, não sabia que estas desaparecem e agradeço os ensinamentos. Me parece estranho, no entando, uma erupção ser capaz de condicionar 2 a 3 milhões de pessoas a atravessar o mar vermelho e, em seguida, desaparecer ou afundar, matando o exército que vinha a seguir, perseguindo os israelitas em fuga.
    Abraços!

  2. Sim, muitas ilhas aparecem e depois desaparecem! e se repararem na foto, há aquela meia “lua” ca em baixo, que parece-me que nao ira durar muito tempo… se bem em recordo, a massiva explosao do Krakatoa gerou uma ilha que depois desapareceu…

    1. Na verdade, a explosão de Krakatoa criou duas pequenas ilhas de cinza vulcânica que desapareceram em 1883 (dois anos após a erupção). 🙂

  3. Já agora, em relação à pergunta:
    “pode uma erupção naquela época, como mencionado, ter sumido, desaparecido?”

    Foi-nos dito no Facebook:
    “muitas das que aparecem nesta região e que resultam da erupção de lamas e cinzas, têm um periodo de vida muito curto – desaparecem ao fim de poucas semanas por via da erosão.”

  4. Esta notícia nada tem a ver com a Bíblia ou com religião… esta notícia é-nos dada pela ciência dos Homens….

    … mas Leonardo, não confunda alegorias com “verdades imutáveis”.

    abraços

  5. Mais um tentando provar que a Bíblia Sagrada está errada. Será que não percebem que há centenas de anos a ciência tenta provar que o que está nas Escrituras não é verídico e a cada ano que se passa descobre a verdade dentro da Palavra de Deus? Tem coisas muito melhores a fazer e descobrir do que tentar provar, sem sucesso, uma verdade como ‘inverdade’. E, ainda, pode uma erupção naquela época, como mencionado, ter sumido, desaparecido? Já foi constatado o lugar da travessia do mar, inclusive com localização de restos das carruagens do exército de Faraó, ossadas e muito mais, provando, então, a travessia em um local impossível de se atravessar à pé. Só pesquisar e ler! Abraços!!

  6. Essa sim seria a passagem do mar vermelho da bíblia. Muito mais pausivel se tiver havido uma série de erupções naquela época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.