A Montanha

O céu em El Teide:

The Mountain from TSO Photography on Vimeo.

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. é muito bonito mesmo! O que a poluição luminosa das nossas cidades nos fazem perder lá em cima durante a noite? Quisera poder enxergar aquelas nuvens de estrelas aqui da minha cidade… e a dança dos nevoeiros sobre a vegetação em projeção acelerada do filme… muito bom mesmo

    • Dinis Ribeiro on 11/01/2012 at 09:24
    • Responder

    Um video muito interessante!

    Alguém aqui faz fotografias/videos em “timelapse”?

    Gosto particularmente do que se vê aos 00:44 e 00:53 em que as nuvens mostram muito bem que são como um oceano revolto com ondas…

    Na sequência das ideias sugeridas neste local: http://www.astropt.org/2012/01/03/mais-uma/#comments

    E em particular relativamente a esta: ” Para essas hipotéticas entidades, a superfície da terra poderia ser a nossa tropopausa, onde começa a estratosfera, e que é já suficientemente “seca” para poder ser visitada á procura de “vida”.

    … sugiro este video:

    http://www.space.com/14172-ipad-survives-fall-edge-space-video.html

    Se uma forma de vida “não-terrestre” se encontrasse com este ipad quando ele estava a 30 km de altura, podia olhar para o balão com o ipad pendurado com a mesma curiosidade que nós olhamos para os peixes voadores ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Peixe-voador & http://en.wikipedia.org/wiki/Flying_fish ) e até talvez para para a “nossa” indústria que finalmente começa a “gerar” balões de hélio que finalmente chegam á “superfície” da terra (a 10 Km de altura na tropopausa) como uma “forma de vida” muitíssimo primitiva, com bastantes semelhanças com esta outra forma de vida: http://en.wikipedia.org/wiki/Cnidaria em que os nosso balões-sonda são equivalentes ás medusas ou alforrecas que flutuam nos oceanos…

    Este “ipad estratosférico” com a sua presença efémera a essa altitude, seria como um simples “peixe-voador a dar um salto fora de água”, prestes a mergulhar de novo para o seu meio ambiente, cheio de vapor de água.

    Por outro lado, este balão com o seu ipad, quase se parece uma “alforreca sintética” sobertudo a imagem que pode ser vista como sendo quase “biológica” dos restos esfarrapados do balão de latex, durante a descida.

    Quem sabe se num futuro muito distante parte da vida na terra poderá até evoluir para criaturas semelhantes a medusas flutuantes com inteligência muito maior que a nossa, e que sejam baseadas em vida sintética ( http://en.wikipedia.org/wiki/Synthetic_life ) com algumas (vagas) semelhanças com uma hipotética tecnologia “muito avançada” que aparece neste filme: http://en.wikipedia.org/wiki/Last_mimzy

    Many rabbits like Mimzy were sent to the past, but none had successfully returned; Mimzy is the last one remaining.

    The reason for the other Mimzys’ deaths is revealed to be because the Chosen Ones before Emma had no Engineers (like Noah) to help build the bridge across time and they were too afraid to attempt it.

    Former Pink Floyd member Roger Waters also collaborated on a song. “I think together we’ve come up with a song that captures the themes of the movie — the clash between humanity’s best and worst instincts, and how a child’s innocence can win the day”, Roger Waters commented.

    Penso que ainda mais do que a inocência (child’s innocence), é um “choque culutral” e o crescente “sense of wonder” relativamente á tal “Mimzy” de várias personagens no filme (e não apenas das crianças) que permitem o tal clássico “happy ending” num filme que também nos pode lembrar a ideia de que qualquer tecnologia suficientemente avançada se irá parecer muito com “pura magia”.

    Ver: http://en.wikipedia.org/wiki/Clarke%27s_Law & http://pt.wikipedia.org/wiki/Leis_de_Clarke

    1. “Alguém aqui faz fotografias/videos em “timelapse”?”

      Penso que o Miguel Claro 🙂

  2. merece ser visto em hd e fullscreen

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.