«

»

Fev 16

Escolas dos EUA contra o Aquecimento Global?

Bookmark and Share

Foram tornados públicos documentos que mostram que o influente Instituto Heartland tem um plano para que as escolas nos EUA passem a ensinar que não existe Aquecimento Global.
Só para terem uma ideia de quem é este Instituto Heartland: foi criado por Criacionistas, está ligado à extrema direita nos EUA, estão contra o conhecimento científico, e são financiados em parte pelos conhecidos irmãos Koch e demais empresas ligadas à indústria do petróleo.
Note-se que já no passado foram eles (extrema direita, ideológica, anti-ciência) que fabricaram a pseudo-controvérsia do Climategate, do qual expliquei aqui.

Parece-me claramente mais uma manobra das empresas petrolíferas e de instituições ideológicas, de modo a denegrir a ciência e continuar-se a apostar no mesmo tipo de combustível que lhes dá tanto dinheiro.

Leiam no Público, o artigo do Phil Plait, e aqui.

Acerca do autor(a)

Carlos Oliveira

Carlos F. Oliveira é astrónomo e educador científico.
Licenciatura em Gestão de Empresas.
Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica.
Doutoramento em Educação Científica com especialização em Astrobiologia, na Universidade do Texas.
Criou e leccionou durante vários anos um inovador curso de Astrobiologia na Universidade do Texas.
É actualmente Research Affiliate-Fellow em Astrobiology Education na Universidade do Texas em Austin, EUA.
Trabalhou no Maryland Science Center, EUA, e no Astronomy Outreach Project, UK, recebeu dois prémios da ESA, e realizou várias palestras e entrevistas nos media.

13 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Thiago Alves, cidade Barbalha - Ceara - Brazil

    Eles já pararam pra pensar nas suas próximas gerações (filhos, netos etc.). O capitalismo é quem estar acabando com nossa morada.

    1. Carlos Oliveira

      Os interesses políticos, económicos, e ideológicos, normalmente só estão interessados no curto prazo… :(

  2. Paulo Albuquerque

    atribuir ao capitalismo a culpa desta situação é um pouco de exagero. na minha opinião.

    1. Thiago Alves

      As grandes indústrias mundiais estão interessadas somente no dinheiro, e como fica o bem estar do planeta e da população?

  3. João Coutinho

    Já tinha reparado nessa associação entre criacionistas e denials há algum tempo.

    Por um lado acham que não se pode destruir o que Deus criou. Por outro acreditam que o mundo vai acabar antes de o CO2 e outros gases darem cabo de tudo.

    Se não fossem eles, que são imensos não sei se o negacionismo tinha tanta visibilidade.

  4. abidos

    Procurei mas não encontrei, já deve ter uns 5 anos… este ‘grupo’ fez um anuncio televisivo ao ‘melhor’ estilo das campanhas eleitorais americanas, onde o principal mote era:
    Sem dioxido carbono a humanidade morre, sem dioxido de carbono as plantas morrem, etc, etc, etc…!!!
    Tudo isto em alta definição, tudo muito ‘bonitnho’, com crianças a brincar, grandes panorâmicas paisagísticas…!!!
    Isto ultrapassa em muito aquela história dos aldrabões que vendem frigorificos aos Esquinós!!!

    Aconselho o documentário The Secret of the Seven Sisters: The Shamefull Story of Oil (2010), que passou na RTP2, não fala de astronomia, mas revela algumas histórias ‘engraçadas’ que envolvem estes senhores do Petroleo Americano (e mais alguns)… a manipulação da opinião pública é o oxigénio destes senhores…!!!

    PS: Sim, o documentário é algo conspirativo, mas as conspirações politicas/economicas são diferentes das conspirações cientificas!!!

    1. Carlos Oliveira

      Penso que queria dizer que *não* são diferentes, certo? :)

      1. abidos

        Queria mesmo dizer que ‘são diferentes’!!! Sim, acredito em ALGUMAS das ‘conspirações’ politicas/economicas.
        Uma coisa são teorias de UFO’s e afins, outra coisa é um acordo secreto entre empresas do mesmo sector para regular artificialmente o preço (algo totalmente contrário as leis dos mercados, onde aliás os cartéis são expressamente proibidos!!!)… a qualidade ou durabilidade dos productos (por exemplo carros e lâmpadas)… acho perfeitamente possível existirem este segundo tipo de ‘conspirações’!!!
        (outro exemplo: a Microsoft durante anos e anos foi acusada por práticas monopolistas com a anuência dos poderes politicos e judiciais. Quem ‘chamava nomes’ ao Bill Gates era ‘maluquinho’ ou invejoso!!! Mas após muita pressão por parte da comunidade do ‘Software’ lá se conseguiu acabar com as práticas irregulares (algumas), primeiro nos EUA e depois na Europa…).

        Abraços

    2. abidos

      Deixo aqui o link para as Seven Sisters !!! Curiosamente não foi fácil encontrar o torrent!!! :
      http://www.demonoid.me/files/details/2799708/0017045651472/

      Abraços

  5. Betinhofloripa

    Não é o capitalismo o responsável, mas sim a descrença na ciência… Há um futuro incerto para as próximas gerações…

    1. Jonas

      Tenho acompanhado o tema aquecimento há horas e o que mais se vê são dúvidas do que certezas cientificas. É bem recente um estudo independente feito por cientistas que eram até o momento céticos do aquecimento, que surpreedentemente (para eles) comprovaram o aumento de um grau, mas .. e daí? Temos o sol, os vulcões, o comportamento da água do mar, condições que não estão sob nosso controle, que podem mudar para melhor ou para pior a condição.

      Os próprios cientistas ainda não têm certeza do que realmente acontece, não há consenso (está aí um assunto tocado alguns posts atrás), e não há consenso porque o clima é um sistema dinâmico exponencialmente complexo e controlado sob variáveis ainda não estão acertamente modeladas. Essa falta de consenso interfere na consciência da sociedade que fica na expectativa e não se mexe.

      No momento que houver uma maior consciência científica do que realmente acontece, aí sim haverá a possibilidade de que essa preocupação chegue nas mentes das pessoas e elas influenciarem governos (por votação) e leis e normas e investimentos que realmente afetem para melhor ao menos a parte humana que cabe na questão.

      Mas isso não dará garantias de nada, poderá começar em breve mais uma era do gelo sem que a tenhamos previsto, inclusive, detonando com qualquer especulação ceintifica sobre a piora do aquecimento no decorrer dos anos, exatamente porque não se sabe tudo nem o suficiente. Ciência, vamos lá, há muito a fazer.

  6. Jonas

    É engraçado ler essas coisas sobre o poder “enrustido” na indústria do petróleo e ficar só nisso, como se uma visão mais ampla não só fosse necessária como mais correta para uma análise.

    O Chavez da Venezuela, comunista, é absolutamente contra a economia de mercado mas não fechou nenhum poço de petróleo da Venezuela quando assumiu o poder e nem quando leu essa do abidon. Muito pelo contrário, comemorou com bandeira comunista (e não da industria do petróleo), há poucos anos, quando descobriram reservas que passaram em volume a dos árabes. Por que será?

    Os países árabes, que não são capitalistas, inclusive alguns são ferrenhos contrários ao estilo de vida do ocidente, não deixaram de produzir uma gota a menos de petróleo depois que leram o que o abidon disse. Lembremos que a Líbia por décadas teve no comando um fora da casinha antiocidente e que mesmo assim vendia petróleo feito água. Nem o Irã nunca pensou em deixar de vender petróleo por causa do aquecimento global ou por causa antiocidente, mas vai se ver muito mal com a resolução da Europa, EUA e Japão de pararem de comprar petróleo deles.

    A URSS, comunista, abusava do petróleo e do carvão para ter crescimento, e a Rússia hoje faz o mesmo.

    É curioso também reparar que a China, comunista, é o segundo país mais poluidor do mundo usando o seu carvão e consumindo petróleo em gargalo.

    E o Brasil, o comando estando agora na esquerda, onde muitas alas do partido são radicais extremados contra a economia do mercado, descobriu as imensas reservas do pré-sal e é engraçado que mesmo assim não queimaram os mapas onde está a grande reserva. Abidon, mande um e-mail para a presidente Dilma para dizer que ela está sendo contra os seus próprios princípios ideológicos se investir no pré-sal, eu bem gostaria de ver a resposta dela.. kkkkk…

    Nada como o chá da realidade para mostrar onde está a limitação do depoimento ideológico e das teorias da conspiração, pois nem precisa que as companhias ou países produtores façam força para manterem o poder do petróleo no ar, já que quem está no poder, independente se é comunista, ex-comuna, socialista, árabes de mau humor com o ocidente, nenhum deles quer fechar as torneiras por uma boa causa mundial e liquidarem também, ao mesmo tempo, com a “terrível conspiração” das petrolíferas do ocidente.

    Todos os países (e ideologias no comando deles) que ganham dinheiro com petróleo (ou dos produtos derivados dele) sabem que o mundo é ainda muito dependente do petróleo e que vão ganhar em troca muitas reservas em dólar para investirem em seus países ou nas gordas contas bancárias particulares na Suíça ou em outros bancos pelo mundo, não é seu Gadafi? (que agora está no céu ao lado de Alá com suas 40 concumbinas, não levou nenhum centavo, mas quando vivo aproveitava a sua vida mansa com seus quinhentos palácios banhados a ouro, conquistados com uma “comissãozinha” sobre as vendas do petróleo).

    Já o lado contrário, os países dependentes do petróleo e carvão, sabem que precisam de energia para crescerem suas economias, isso qualquer um sabe e não querem abrir mão do consumo. A Índia é muito dependente de carvão, vai querer baixar o seu consumo espontaneamente para ajudar a combater o aquecimento? Conta outra.

    A inércia para a mudança real acontece muito mais no nível governamental e político, nenhum desses países superprodutores de petróleo ou carvão, nem os maiores consumidores de petróleo e carvão gostariam de ver suas cotas reduzidas, seja de produção ou de consumo, pois isso significaria diminuir o crescimento ou até retroceder suas economias. Essa é a grande verdade. Ninguém quer abrir mão, nem no lado da produção nem no lado do consumo, e por isso as coisas não andam, as empresas do petróleo são meras coadjuvantes nessa estória, são um pedacinho, pois petróleo não é só produção e distribuição.

    É claro que todo poder quer se manter nele, é claro que as empresas de petróleo vão fazer lobby, mas esse poder também existe no nível familiar, numa empresa, numa instituicao religiosa, e no Estado é independente da ideologia, todas querem mamar e se locupletar, mas no caso da indústria de petroleo é mais algo natural do que realmente algo definitivo e único, não é quem comanda mesmo, quem diz que comanda é porque é um ideologico que vê o mundo na ótica da crença dele, isso já sabemos como funciona. A questão é mais poder econômico na dimensão dos países e das pessoas no poder (quando elas ganham sua parte no quinhão), independente da ideologia.

    Mas que movimento acontece há horas? Paises que são muito dependentes de energia e petróleo, inclusive os EUA e os da Europa, que há horas são mais consumidores que produtores, sabem do poder político dos governos e de organizações como a OPEP, da instabilidade política dos países que têm jugo religioso ou ideológico radical no comando dos seus Estados, que podem segurar as torneiras a qualquer momento, e obviamente tem uma sociedade mais consciente e uma mídia aberta que cobra mudanças. A Alemanha resolveu fechar todas as usinas nucleares, por que? Pressão social, de consciência. Então esses países dependentes colocam a ciência a correr atrás de fontes realmente alternativas, menos poluidoras e viáveis economicamente, e escudados pela pressão popular devido aos fatos trazidos pela ciência, nos mais conscientes, se vê todo o dia alguma descoberta de algum fato científico que aos poucos vai trazer soluções realmente efetivas.

    A industria do petróleo não consegue subornar cientistas, universidades e governos de paises dependentes de petróleo para atrasar ou matar toda pesquisa cientifica que avança na direção de novas fontes de energia, pois se vê todos os dias uma notícia sobre uma nova descoberta em materiais, em eficiência, isso em cada situação de vida (aquecimento, minigeradores, solar, baterias, ventos, etc)… Está mais que provado que eles não têm força para conspirarem, é só prestar atenção nas notícias de ciência e tecnologia por alguma semanas para cair a ficha da “grande conspiração” que paga cientistas para não pesquisarem nada.. kkkk…

    Mais, não vai ter poder econômico que segure quando a hora da mudança chegar, porque toda mudança de paradigma nunca é feito por quem está no poder da hora, a industria de charretes não teve força para segurar o aparecimento do automóvel, as empresas de petróleo não tem força para segurar o aumento vertiginoso de carros movidos a células de combustível (porque a sociedade quer e obriga, inclusive com a ajuda da mídia), as industrias de velas e de lamparinas não tiveram força para segurar a eletricidade, as empresas de máquina de escrever e de réguas de cálculo não tiveram força para segurar o aparecimento dos computadores e das calculadoras eletrônicas.

    Cada novo paradigma que surge e se instala (porque sob a batuta de novas empresas, muitas vezes desconhecidas), atendendo uma demanda fortemente necessária de inovação, detona o antigo sem dó nem piedade, isso a Historia está cansada de provar. Não haverá empresa que lide com petróleo nem país suficiente rico e poderoso na produção de petróleo nem a ideologia do poder da hora que vai segurar o novo paradigma que se avizinha.

    E aí quero ver o choro e o ranger de dentes desse monte de ideológicos e religiosos e sua troupe de beligerantes que comandam os países que mais produzem petróleo, quero ver o que vão fazer com seus países, atrasados em consciência, que são controlados ditatorialmente e não querem que a sociedade crença em consciência, e por isso não investem em educação, ciência e tecnologia, o que esses vão fazer para se manterem no poder? Quero ver o que vão fazer com o estado de pobreza da sociedade que controlam quando as torneiras forem fechadas, não pelo mercado, mas pela implantação de uma nova tecnologia, ao natural, até mesmo porque a população mundial assim o espera e sabe que esse dia está cada vez mais perto, e que não virá pelo uso de uma nova tecnologia, mas de várias, em bloco.

    1. Jonas

      Perdão,onde escrevi “abidon”, leia-se “abidos” Falha na revisão.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>