Objectos Estranhos no Google Sky

Temos recebido vários comentários a perguntarem o que é um determinado objecto no Google Sky. Isso é excelente dos comentadores: não sabem, por isso perguntam. Isso denota literacia funcional.
Normalmente esse objecto está em 13º 15′ 40.8” —— 9h 47 m 54 s
Como parece não existir no visível, mas existe no infravermelho, então imagina-se logo estranheza.

Eu tenho respondido a esses comentários, mas nem lhe dei grande importância.
Entretanto um dos nossos autores disse-me que talvez fosse boa ideia fazer um post sobre isto.

Para começar, fiz uma pesquisa no Google. Existem 25 milhões de websites a “venderem” a ideia de que existem objectos estranhos no Google Sky. É muita coisa!
Enfim… os sites pseudos fazem disto uma festa.
Imaginam logo Nibirus e outras parvoíces do género. Afinal, se não aparece no visível é porque está “escondido”, e se está “escondido” é porque alguém o escondeu. E se alguém extraterrestre o escondeu, então é porque nos vêm invadir de surpresa. E, concluem os vigaristas, a NASA sabe de tudo e não quer dizer.

Enfim… por onde começar?

Se calhar começo pela ideia de que é normal haverem objectos que se vêem no infravermelho, mas não no visível.
Por exemplo, muitas das fotografias que vemos de Nebulosas, se virmos na Luz Visível só vemos a Nebulosa, mas se virmos em Luz Infravermelha vemos muitas das estrelas por trás da nebulosa.
Por isso é que se utilizam diferentes comprimentos de onda (visível, infravermelho, ultravioleta, rádio, raios gama, raios-X, microondas, etc) para estudar as coisas. Porque assim se aprende muito mais sobre essas coisas.
Vejam por exemplo este pequeno vídeo em infravermelho de alguém a deitar um pouco de água quente num copo de água fria:

Como se percebe, o que se vê é completamente diferente do que vemos com os nossos olhos, em luz visível. No espaço é a mesma coisa.

Vejam por exemplo a imagem da Via Láctea em Infravermelho.
E vejam agora a Nebulosa da Águia em diferentes comprimentos de onda. Ela tem aspectos completamente diferentes.
Vejam a explicação da Dr. Michelle Thaller:


(vejam por exemplo o facto do gelado não se ver!)

Ou seja, mudar o comprimento de onda e ver coisas diferentes é absolutamente normal!

Concluindo: aqueles que dizem que por não verem algo no visível mas verem no infravermelho, então isso é uma evidência de conspirações… isso é um argumento totalmente ignorante e aparvalhado.

A 2ª ideia que vos quero deixar é que o Google Sky não é um telescópio. Se quiserem ver as imagens originais, vão ao website oficial dos verdadeiros telescópios.
Há vídeos que explicam como o Google Sky funciona:

E neste, que àparte a parte religiosa no final, tem as explicações para as partes/pontos “brancos” ou “negros” nestes programas de net:

Ou seja, o facto de verem objectos estranhos nestes programas de net, não quer dizer que exista mistério algum!

Quando ao objecto propriamente dito nas coordenadas 13º 15′ 40.8” —— 9h 47 m 54 s, na constelação de Leão.
Vejam no visível:

E em infravermelho:

O objecto é tão somente o Quasar PGC 1427054.

Concluindo: os pseudos continuam a disseminar mentiras conspiratórias de coisas facilmente explicadas.

44 comentários

6 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Carlos Oliveira:
    O objecto é tão somente o Quasar PGC 1427054.

    Resp:
    Não, não é. Esse quasar não está na mesma posição do objeto supostamente censurado pelo google sky.

    1. Curiosamente, está.

      Como se pode ver pelos links e pelos print screens.

      E já se sabia há muitos anos…
      http://www.astropt.org/2009/02/19/google-sky/#comment-52467

      Note que já se fala disto desde 2009. Sendo este post de 2012.
      Se o Duran leu conspiradores deste ano (2017) a falar de outros locais, esse é o normal neles: andarem sempre a inventar coisas, sendo as respostas sempre as mesmas.

      abraços

        • Duran on 17/09/2017 at 03:31

        Prezado Carlos,

        Desculpe.
        Realmente, o objeto desse artigo não é o mesmo o qual pensei. Estou lendo seu artigo em 09/2017 e o objeto supostamente censurado pelo google sky que está causando polemica entre os conspiradores e religiosos está na constelação de virgem com uma tarja preta retangular:

        http://3.bp.blogspot.com/-Av0lhMvsawE/TYA2lDywPzI/AAAAAAAACuk/0hvEIVk28GU/s1600/nd%2Bvazio%2Bvis%25C3%25A3o%2Binfravermelho.JPG

        Aqui o objeto em infravermelho:

        https://i3.ytimg.com/vi/hTnq3e4NbjA/mqdefault.jpg

        Você sabe dizer que objeto é esse?

        *Isso está relacionado com um alinhamento de planetas no dia 23/09 que coincide com um sinal profético em apocalipse 12.
        Como essa formação celeste de 23/09 é realmente uma enorme coincidência, isso está causando alvoreço entre os religiosos.

      1. Olá Duran,

        Fundamentalistas religiosos não olham para o céu. Simplesmente inventam coisas.

        Se esse é o alvoroço deste mês, no mês passado era outro, no ano passado era outro e no próximo ano já será outro diferente.

        Não se pode todos os anos e todos os meses dar respostas para todas as imbecilidades que os fundamentalistas religiosos inventam 😉

        No post está perfeitamente explicado que o Google Earth não é um telescópio e está também explicado que é perfeitamente normal que alguns objetos sejam visíveis a infravermelho e não noutros comprimentos.

        Existem alinhamentos todos os dias. Alinhamentos é só alinhar 2 ou mais objetos. Toda a gente pode fazer alinhamentos em casa ou no céu. NADA disso nos mata. Senão, morríamos todos os dias.

        Quanto à imagem, está aqui:
        https://skyview.gsfc.nasa.gov/userimages/index/2017-07-04_2.html
        https://skyview.gsfc.nasa.gov/userimages/index/2017-07-14_1.html

        Foi feita este ano:
        https://skyview.gsfc.nasa.gov/userimages/skv10699721226698.html

        Como as encontrei?
        Olhei para a imagem, pareceu-me um sistema de pulsares, e coloquei no Google a imagem com a palavra: “pulsar”.

        Conclusão: isto está muito longe e NUNCA viria para cá nem NUNCA teria nada a ver com a Terra.

        abraços

    • Soraya Mukotaka on 14/06/2017 at 20:59
    • Responder

    Olá, Carlos! Parabéns pelo seu trabalho e muito obrigada por esse artigo esclarecedor sobre o “blackout” na constelação de Virgem. Sou iniciante em astronomia, na verdade estou começando a explorar o Google Sky e comecei exatamente em busca de esclarecimentos sobre a suposta localização de Nibiru. Sou brasileira e cristã, mas não acredito nesta falácia. Acredito sim na existência do Planeta Nove, de acordo com os cálculos realizados pelos astrônomos da Caltech Mike Brown e Konstantin Batygin. Tomara em breve alguém consiga visualizá-lo (o q é difícil, considerando sua órbita gigantesca…). Segue o link do artigo original sobre este assunto: http://www.caltech.edu/news/caltech-researchers-find-evidence-real-ninth-planet-49523. Mais uma vez, obrigada pelo esclarecimento sobre Virgo.

    1. Olá Soraya,

      Sobre o imaginário Nibiru:
      http://www.astropt.org/2011/09/09/fantasia-planetaria-nibiru/

      Sobre o suposto Planeta Nove:
      http://www.astropt.org/2016/01/22/descoberto-novo-planeta-no-sistema-solar/

      abraços!

        • Jaculina on 15/06/2017 at 20:34

        O planeta nove é Plutão 😉

  2. Qual a possibilidade de nosso sistema solar ser um sistema binário? como explica as anomalias geomagneticas do fluxo reverso, atlantico sul, e tudo que vivemos hj, porque ninguem fala na astronomia sobre Carlos Munhoz Ferrada?

    1. As respostas são claras.

      Quantas estrelas vê durante o dia? Uma? Então não é sistema binário.

      Nós falamos bastante dessa vigarice do planeta Nibiru ou Hercólobus.
      http://www.astropt.org/2011/09/09/fantasia-planetaria-nibiru/
      Se quer ser vigarizado com fantasias, o problema é seu.

      abraços

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.