Lua, Vénus, Júpiter e outras maravilhas celestes

Vénus, Júpiter e a Lua convergiram ontem nos céus crepusculares para formar um brilhante triângulo escaleno. O espectáculo serviu de pretexto para um passeio familiar até às falésias do Guincho, local onde também pudemos desfrutar de um bonito pôr-do-sol. Durante quase uma hora apontei a minha máquina fotográfica ao Sol, ao trio planetário e a outros alvos celestes. Deixo-vos aqui algumas das muitas fotografias tiradas ontem por mim.

Pôr-do-sol visto a 25 de Fevereiro de 2012, a partir das falésias da praia do Guincho.
Crédito: Sérgio Paulino.

Um disco solar ovalado, um fenómeno óptico resultante da refracção provocada pela atmosfera junto ao horizonte. A espessa neblina que ontem se concentrava junto ao mar criou um filtro natural que permitiu também a observação da maior mancha solar actualmente visível no Sol, a AR1423.
Crédito: Sérgio Paulino.

Vénus e a Lua separados no céu por apenas 3,5º. Reparem como é visível na imagem a face nocturna da Lua iluminada pelo brilho da Terra.
Crédito: Sérgio Paulino.

O trio Júpiter, Vénus e a Lua.
Crédito: Sérgio Paulino.

Orionte, o caçador. Esta é a mais brilhante constelação visível nesta altura do ano logo após o pôr-do-sol.
Crédito: Sérgio Paulino.

Caso não tenham assistido ao espectáculo de ontem, terão nova oportunidade hoje, logo a seguir ao pôr-do-sol. O arranjo será, no entanto, um pouco diferente. A Lua estará mais próxima de Júpiter, e Vénus completará o triângulo no vértice mais distante. Os dois planetas estão entretanto a convergir para uma conjunção que se concretizará a 15 de Março, quando estiverem separados por apenas 3º.
Nos próximos dias podem ainda tentar encontrar o planeta Mercúrio logo após o pôr-do-sol. O planeta fará a sua máxima elongação a 5 de Março, a 18º do Sol. Esta será, no entanto, uma tarefa difícil pois Mercúrio estará mergulhado no brilho do céu a poente.
Por fim, espreitem o céu a nascente uma hora após o Sol mergulhar no horizonte e poderão encontrar o planeta vermelho. Marte estará em oposição no próximo dia 3 de Março.
Aproveitem o bom tempo e divirtam-se a observar o céu. O espectáculo é inteiramente gratuito.

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Muito interessante! Belas fotos. Parabens

    • Prof. Sergio Luiz on 12/05/2013 at 14:43
    • Responder

    Sérgio hoje dia 12 de maio é possível ver a Lua e Júpiter ao seu lado, com Betelgeuse mais acima e a esquerda? Agradeço muito pela resposta.

    1. Olá,

      Sim. Hoje, Betelgeuse aparecerá um pouco mais à esquerda do par Lua e Júpiter. 🙂

    • Pedro Mendonça on 28/02/2012 at 12:18
    • Responder

    É só comigo ou vocês tb acham extremamente frustrante o facto das câmaras terem limitador de tempo de exposição fotográfica. Tdo bem que exista uma opção automática em que em função da luminosidade e do ISO escolhido (e de outros pormenores) a câmara defina um tempo de exposição ótimo. ok até aqui excelente.

    Começando a explorar a câmara descobrimos o modo manual, supostamente podemos escolher tdo (focagem, iso, tempo, etc.), 1ª pergunta, pq é q o limite é 30 s? (isto para as mais caras! n é para qq uma) 2ª, n devia haver a hipótese de nós escolhermos que queremos tirar uma foto de 30 s, 31 s, 60 s, 1 h, 1 dia, 1 ano? (ok 1 ano já é ridículo)… mas devia ser possível, não faz qq sentido.

    Ah mas espera, se comprarem 1 comando já é possível! Han?? Então mas pago centenas de €s por uma câmara e uma coisa tão simples como não fechar o obturador não está disponível? Enfim… alguém que trabalhe na área e saiba explicar este fenômeno?

    1. Olá Pedro

      A minha câmara permite apenas uma exposição máxima de 15 segundos. Sim, é frustrante. 🙁

      Quanto à tua pergunta, talvez o Miguel Claro te possa responder. 😉

  2. Belas imagens, Sérgio.

    😉

    1. Obrigado, Cavalcanti! 😛

  3. Boa noite. Também tive oportunidade de observar esse trio esta noite, e após ver este post fiquei apenas com uma duvida que agradecia se me pudessem esclarecer.
    Como é possivel tirar fotos do céu nocturno, principalmente das estrelas, tão perceptíveis?

      • Ricardo André on 27/02/2012 at 01:43
      • Responder

      Corrijam-me se estiver errado, mas é necessário aumentar o tempo de exposição, aumentar a abertura do obturador, entre outras coisas 😉

    1. Olá João

      Como o Ricardo referiu (e bem) foi necessário brincar um pouco com a máquina fotográfica. Para a fotografia de Orionte tive de programar a minha máquina digital para uma exposição de 15 segundos e uma sensibilidade ISO 400. Tive também de usar um tripé, se não sairia tudo tremido. Ajudou e muito seleccionar um delay de 10 segundos (para deixar a câmara estabilizar).
      Embora a minha câmara já tenha algumas funcionalidades interessantes, não é de forma alguma uma câmara profissional (nem eu sou de forma alguma um entendido em matéria de fotografia). Estas fotografias servem também para mostrar que com uma vulgar câmara digital se conseguem resultados muito satisfatórios. 😉

      abraço

  4. Não fales é em conjunções… o que te foste dizer 😛

    Lá vêm os pseudos dizer que vamos morrer todos devido a alinhamentos no céu 😛 LOL

    1. Ainda por cima uma conjunção entre a deusa do amor e o deus mais promíscuo do panteão de Roma. Só pode dar desastre. 😉

  5. Excelente, Sérgio! 🙂

    1. Obrigado! 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.