Tesouros da missão Voyager: ciclones jovianos

É impressionante a quantidade de imagens obtidas pelas duas sondas Voyager que nunca foram tornadas públicas. Tudo isso aconteceu não porque a NASA as quisesse esconder, mas porque simplesmente é um vasto material em bruto, até agora apenas usado por cientistas. E digo até agora porque felizmente começam a proliferar amadores com a paciência e a habilidade necessárias para mergulharem nesse imenso tesouro e trazerem a público belíssimos retratos dos gigantes gasosos e das suas luas. Relembro que todo esse vasto material está disponível a quem o quiser observar (e utilizar) aqui.
Daniel Macháček é um dos entusiastas desta actividade. Recentemente, desenterrou dos arquivos de dados da NASA imagens do planeta Júpiter obtidas pela sonda Voyager 2 em 1979. Com a mestria com que já nos habituou, compôs um magnífico retrato da atmosfera turbulenta do gigante gasoso. Os pormenores visíveis são impressionantes. Numa extensão de cerca de 12 mil quilómetros, desfilam grandes ciclones, cada uma com o seu respectivo olho bem delineado. Vejam:

Tempestades na Cintura Temperada do hemisfério norte de Júpiter. Mosaico de imagens obtidas pela sonda Voyager 2 a 9 de Julho de 1979. O retrato final foi colorizado, usando como modelo uma outra imagem de contexto (em baixo).
Crédito: NASA/JPL/Daniel Macháček.

Imagem de contexto em cores aproximadamente naturais, mostrado a região retratada na imagem de cima e comparando-a com as dimensões da Terra.
Crédito: NASA/JPL/Daniel Macháček.

Espectacular, não? E que tal ao som deste tema?

2 comentários

  1. Olá! Tenho uma dúvida. Podemos considerar Júpiter como um planeta rochoso mas com uma atmosfera muito densa? Por exemplo, se a Terra tivesse uma atmosfera mais densa (muito mais densa) provavelmente poderia ser um “Neptuno” ou até mesmo um outro “Júpiter”, não?
    Sei que se virmos por esse prisma os gigantes gasosos perdem muita da sua “magia”, mas pelo menos dá a entender melhor que os planetas são praticamente iguais.

    1. Está a comparar o possível núcleo rochoso de Júpiter com a Terra, certo? 😉

      Bem, é uma comparação lógica… mas existem diferenças 😉

      Pode colocar mais de 1.000 Terras dentro de Júpiter:
      http://www.universetoday.com/65365/how-many-earths-can-fit-in-jupiter/

      Se está a comparar a Terra ao centro de Júpiter, então sugiro estes posts:
      http://www.astropt.org/2008/11/28/pressoes-no-interior/
      http://www.astropt.org/2008/11/27/estrutura-interna-de-jupiter/
      http://www.astropt.org/2008/11/26/nucleo-de-jupiter/
      http://www.astropt.org/2008/08/09/interior-de-jupiter-e-saturno/
      http://www.astropt.org/2011/12/26/nucleo-de-jupiter-esta-a-derreter/

      Por outro lado, os constituintes da atmosfera Jupiteriana e Terrestre são diferentes 😉

      abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.