Sol aponta um gigantesco buraco coronal na direcção da Terra

O Solar Dynamics Observatory tem estado a assistir nos últimos dias à lenta deslocação de um enorme buraco coronal acima da superfície do Sol. A gigantesca abertura deve a sua presença a uma lacuna na estrutura do campo magnético da coroa, que permite a fuga de um rápido e denso fluxo de partículas carregadas para o espaço interplanetário. Neste momento, o buraco coronal está voltado na direcção da Terra, pelo que se espera um aumento da actividade geomagnética nos próximos dias devido à interacção do campo magnético terrestre com o intenso vento solar gerado na região.

Buraco coronal observado ontem pelo Solar Dynamics Observatory na banda do ultravioleta extremo (193 Å). Estão representadas as linhas do campo magnético da coroa solar (representação obtida a partir de cálculos realizados com base no modelo PFSS).
Crédito: SDO(NASA)/AIA consortium/Helioviewer.

A densidade de plasma no interior dos buracos coronais é tipicamente 100 vezes inferior à observada noutras regiões da coroa. Normalmente, os gases da coroa são superaquecidos a temperaturas superiores a 1.000.000 ºC, facto que os torna particularmente brilhantes em imagens captadas na banda do ultravioleta extremo. Devido à sua baixa densidade, os buracos coronais são relativamente mais frios e, consequentemente, mais escuros nessa zona do espectro electromagnético.
Durante os períodos de actividade solar mínima, os buracos coronais tendem a ficar confinados às regiões polares do Sol. A sua ocorrência em latitudes inferiores vai-se tornando mais comum à medida que o ciclo solar se aproxima do seu auge, pelo que a sua presença nestas regiões do disco solar nesta fase do actual ciclo é um fenómeno perfeitamente normal.

42 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Li,reli e não entendi,esse buraco é só uma passagem ou nao?

    1. Não existe qualquer buraco… não é uma passagem.
      É somente uma zona temporariamente mais fria.
      http://www.astropt.org/2013/07/31/gigantesco-buraco-no-sol-vai-desorientar-telecomunicacoes-na-europa-no-mes-seguinte/

      abraços

  2. Estive vendo os comentários e gostaria de deixar um link que acho muito especial, tanto pelo conteúdo, quanto pela pessoa que o mantém.Tem material para se estudar o resto da vida!
    Como é possível observar, de 1 ano e meio para cá, alguns conceitos estão bem alterados.
    Veja os tópicos Aquecimento Global, manchas solares, etc.
    sandcarioca.wordpress.com/

    1. De há 1 ano e meio para cá, não há quaisquer conceitos alterados.

  3. Será que os ciclos solares afetam tanto o comportamento quanto o cérebro das pessoas e, principalmente, dos pseudos?

  4. sr. sérgio paulino, pode dizer qual vai ser o dia em que vamos ser atingidos e qual vai ser o grau de magnitude dessa tempestade solar, já agora porque é que não passa nada nos noticiarios

    1. Olá

      O fluxo de vento solar com origem neste buraco coronal passou ontem pela Terra, produzindo durante algumas horas uma tempestade geomagnética moderada nas latitudes mais elevadas. Ou seja, esta madrugada canadianos, nórdicos e siberianos puderam disfrutar de um belo espectáculo de auroras. 🙂
      Nada disto passa nos noticiários porque não interfere no dia-a-dia das pessoas. 😉

  5. O Sol sempre nos supreendendo eim.
    Tomara que não seja como ocorre quando ocorre um Tsuname, que a praia retrocede e muito e logo mais vem ele o Tsuname, se ocorrer um fenômeno parecido (retração e expansão) nós poderiamos ficar numa fria .. quer dizer .. numa quente ..

    1. A probabilidade de termos novamente o Efeito Carrington são mínimas. O problema é que hoje dependemos muito mais da tecnologia (satélites, mais transformadores, etc) do que em 1859. Os pseudos ficam alardeando aos quatro ventos sobre esse ciclo solar e não existe esse papo de que este será o maior pico de todos. Pura treta! Já cogitaram até Nibiru na história – num fenômeno perfeitamente normal e cíclico. 🙁

      Abraços.

    2. Xevious,

      O sol não surpreende ninguém que sabe como ele funciona. Cientificamente se sabe, há muito tempo, como o sol funciona. Há algumas questões ainda não bem esclarecidas, específicas, mas é só uma questão de tempo descobri-las.

      Por exemplo, se sabe que o sol já passou pela fase de formação e está na fase “madura” (estável), de queima permanente e contínua de seus elementos formadores por um processo físico sabidamente conhecido, que justifica o fato de ele se manter em equilíbrio em suas dimensões. Ele não se expande nem se contrai indefinidamente na escala como você imagina. Acontece um processo automático operacional que o mantém em equilíbrio nas dimensões.

      Só vai acontecer uma novidade no fim do seu combustível, daqui a vários bilhões de anos. Ele começará um processo de retração da camada interna e ao mesmo tempo de expansão da camada externa, e essa camada externa “engolirá” a Terra num processo que acontece muito devagar, não é de um dia para outro. Mas antes de chegar até a Terra, ela terá se transformado num grande deserto escaldante pelo grande aumento da temperatura. Então mais um grande tempo vai se passar e o sol terá se transformado numa anã branca,

      Enfim, durma tranqüilo porque isso só vai acontecer daqui bilhões de anos, teus próprios átomos já terão “circulado” milhões de vezes em outras situações aqui na Terra, terão virado parte de um plantinha, depois de um animal, depois da terra de novo, e assim vai num ciclo de reaproveitamento e reuso dos átomos, sem fim.

      Sabe como se faz ciência ou se ganha conhecimento?

      Quando você especula o grande problema que seria uma expansão e retração do sol, opa, você realmente tocou num ponto interessante, realmente seria um grande problema se isso acontecesse, mas o próximo passo não seria você ficar nessa preocupação achando que realmente poderia acontecer, mas sim levantar uma questão, “será que isso acontece mesmo?”, e daí vem a pergunta mais importante, “como o sol funciona?”. Repare, se faz isso porque se sabe que o sol não é um mar, são duas coisas muito diferentes, se são muto diferentes é lógico pensar que têm o mesmo comportamento.

      E aí você tem hoje a internet que em segundos te dá um lote de informações em vários níveis de conhecimento, dos mais básicos até avançados. Então você procura os níveis básicos e descobre, só pela leitura dos básicos, que o nosso querido sol não se retrai nem se expande como um tsunami.

      “Como funciona o sol”: (site “Como tudo funciona”)
      http://ciencia.hsw.uol.com.br/sol.htm

      “A morte do sol” – aqui você vai encontrar informação de porque o sol não se expande nem se contrai quando está na sua fase estável de vida:
      http://www.passeiweb.com/saiba_mais/voce_sabia/sol_morte

      Repare, são sites básicos, bem acessíveis para qualquer criança e jovem ler e entender, já com a informação confiável que você buscaria.

      Mas toda fonte é confiável? Não, há pessoas que só chegam nesse nível de especulação que você fez e acham que é verdade e escrevem sobre isso em blogs pessoais, assustando as pessoas. Essas pessoas fazem o que se chama de pseudociência (falsa ciência). Elas “acham” que sabem uma verdade e não são humildes nem questionadoras o suficiente para procurar saber como as coisas funcionam na real, são pessoas limitadas em consciência, algumas com distúrbios mentais, e, obviamente, não têm conhecimento real.

      A partir das respostas do Google, que hoje elenca nos resultados principais algumas páginas que podem ter informação lixo (o Google perdeu a noção de como elencar páginas confiáveis), procure na lista de páginas que o Google mostrar os sites de enciclopédias, HSW (o site “Como tudo funciona”). Wikipedia (alguma coisa pode não ser confiável, dependendo do assunto), NASA, sites de universidades, enfim, sempre é bom checar se quem escreve está preocupado em passar informação científica que vai falar de conhecimento balizado, não vá atrás de qualquer coisa.

      Por que estou dizendo tudo isso? Porque é muito importante o conhecimento real, é importante aprender a sair do mundo limitado da especulação para criar o interesse real de se saber como são as coisas na verdade, isso não só salva vidas mas lhe traz para o mundo real, sem crenças, tira o poder maléfico da força sem valor das crenças, e, em certas situações, lhe traz mais qualidade de vida, inclusive.

      Boa sorte.

      1. Excelente comentário! 😉

  6. Caro Sérgio,

    Confesso que sou bastante desconfiada quanto às fontes de informações por aí disponíveis, parece que agora, de repente, os especialistas saíram todos da toca! Isto a propósito de números que achei, onde medianamente os ciclos solares teriam um impacto na ordem dos 50% no aquecimento global… à primeira vista e “esteticamente” apreciando, parece-me desadequado.

    Quanto às outras variáveis que poderão comprometer o resultado, está a falar especificamente do quê?
    (Aceito referências bibliográficas… :))

    Já agora, e por pura curiosidade, não foram as cianobactérias “responsáveis” pela nossa atmosfera?! Ou se calhar já me estou a baralhar…

    Obrigada pela informação! 🙂

    Melhores Cumprimentos,
    Sofia Neiva

    1. Sónia,

      Recorda-se do local onde viu essa percentagem?

      Quanto às outras variáveis que influenciam o clima da Terra, refiro-me à actividade vulcânica, à elipticidade da órbita terrestre, ao albedo (um coeficiente de reflexão afectado pela cobertura de nuvens, pela extensão da cobertura de gelo, pela presença e extensão da vegetação na superfície terrestre), à composição da atmosfera (em particular, a concentração de gases de efeito estufa)… enfim, a um grande conjunto de factores que interagem entre si (ver http://oceanservice.noaa.gov/education/pd/climate/factsheets/whatfactors.pdf). 🙂

      Quanto à questão das cianobactérias: sim foram estes organismos (através da fotossíntese) os responsáveis pela crise do oxigénio, um mudança ambiental profunda ocorrida na Terra há 2,4 mil milhões de anos, caracterizada pelo aparecimento e acumulação do oxigénio na atmosfera terrestre. 🙂

  7. Caro Manuel Rosa Martins:

    Não percebeu o conteúdo do meu comentário?

    Eu não estou assustado com nada!
    Aliás, minto. Há apenas uma ou duas coisas que me assustam, confesso: A estúpidez gratuita e o poder do dinheiro.

    Não estou paranóico com as hipotéticas “profecias” Maias sobre o fim do mundo! Apenas fiz um par de perguntas e alguém, bem mais conhecedor do que eu, respondeu-me. Só isso! 🙂

    Cumprimentos

    • Pedro Mendonça on 15/03/2012 at 15:06
    • Responder

    queria dar a minha opinião sobre a discussão em cima do gugu.

    bom, a ciência não tem que explicar tudo e ter explicação para tudo, mas isso não dá aval para que outras explicações sejam plausíveis quaisquer que sejam. Pergunta q se coloca: o que significa a ciência ter explicação para determinado fenómeno? Para mim significa que a explicação tem que partir de fenómenos base considerados verdade (tal como por exemplo na matemática que a explicação de teoremas n parte do zero, dos axiomas iniciais, partem sim de outros já considerados verdade) e a lógica do encadeamento desses fenómenos, ou seja a teoria ou teorema que resulta no que se pretende explicar, tem que fazer previsões e estas têm que ser passíveis de serem testadas. Desses testes tem que resultar exatamente o que a explicação previu. Isto é muito importante porque dá uma trabalheira do caraças, e mais vale mandar o bitaite e ficar por aí, é mais simples, e se o fizermos com ar seguro e de quem percebe do que diz então é porque é assim!

    Outra forma de explicar fenómenos é levantar o facto da similaridade dum fenómeno relativamente a outro que já foi dado como entendido e explicado. Acho que ninguém duvida que a causa de uma pedra cair para o centro da Terra aqui em Portugal é a mesma que se fizermos a mesma experiência no Japão, as condições são as mesmas e portanto assume-se que é a mesma coisa, até porque se mostrou que isto passa-se em todo o lado. Ah mas pode ser um íman que esta a puxar a pedra e por acaso esta até tem muita magnetite e por tanto… pois pode! mas tens algum argumento para defender isso? observaste alguma diferente para dizer isso? se não cála-te! O que se passa no caso do fenómeno do Sol é que o GUGU defende que o que está a ver não tem nada a ver com qualquer outro fenómenos conhecido, muito menos essa da “cavidade coronal” . A pergunta que se coloca é: quais são os seus factos consumados para afirmar tal coisa? Tem algum raciocínio ou lógica que defenda o que diz? Pelo que escreveu dá a ideia de não entender nada do assunto, e claramente não está interessado em entender, porque ainda diz “Vejam bem as imagens,é super intrigante…”, o que é que é intrigante? o que é que ali não é explicável? uma pessoa que nunca tenha visto o mar, quando o vê a primeira vez dirá o mesmo, ou algo parecido. Não é por ser intrigante para si que não existe explicação para isso.

    Há um episódio que se passa no livro “Está a brinca Sr. Feynman” muito interessante, e que mostra exatamente a fragilidade do homem em ir de encontro a explicações sobrenaturais. Passa-se quando a 1ª mulher dele morreu e estava no hospital, ela tinha um relógio de cabeceira que estava muito ligado à vida dela sentimentalmente (já não me lembro exatamente dos detalhes) e tinha-a consigo no hospital. No dia que faleceu ele foi mais tarde ao quarto onde ela estava no hospital e reparou no tal relógio. Ele estava parado, e tinha parado exatamente na hora em que ela tinha falecido! Qual era a probabilidade?? a ligação do relógio e ela, pararem os dois no mesmo instante! só pode ser sobrenatural! Ele escreveu exatamente sobre isso e explica o que ele acha ter acontecido (deixo para quem quiser saber que vá ler o livro =P). Facto: a explicação não tem a carga romântica como se realmente houvesse uma ligação entre eles, mas ao mesmo tempo, na minha forma de ver, o facto de mesmo assim haver uma explicação tem muito mais interesse e dá muito mais piada à situação toda.

    É engraçado como nós queremos sempre arranjar uma explicação para tudo, e quando não a encontramos deixamos a nossa imaginação vaguear, por mais incrível e implausível que seja o que estivermos a pensar. Não nos satisfazemos com um não percebi isso, deve haver uma explicação mas não estou a ver qual! No filme “The Prestige” logo no inicio começa com uma frase que diz: Now you’re looking for the secret. But you won’t find it because of course, you’re not really looking. You don’t really want to work it out. You want to be fooled. Isto tem muito de verdade, a diferença é que os mágicos à partida informam logo que o que estão a fazer é magia/elosionismo e para grande parte das pessoas só isso faz perder a piada toda, quando devia ser exatamente o contrário, o que nos deviamos espantar e adorar é observar que apesar de nos inforem que vamos ser enganados, memso assim não conseguimos perceber como. Quão fácil isso pode acontecer é fascinante!

    Por outro lado é engraçado o facto da nossa tendência para a superstição, facilmente encontramos uma causa efeito do nada. Quem é q aqui nunca pensou: (no caso do futebol por ex) epá esqueci-me de trazer o cascol da sorte, é por isso que perdemos! ou milhares de outros casos que achamos logo que sabemos porque é que algo aconteceu.

    A verdade é que é difícil descobrir causas de alguma coisa e dá trabalho, e para não nos deixarmos cair em esparrelas como fazemos quando vemos truqes de elosionismo é necessário método, rigor e imparcialidade. Mas o prazer de descobrir supera isso tudo.

    PS: se alguém souber onde se podassa comprar o Está a brincar Sr. Feynman ou conhecer alguém que o queira vender diga-me sff, ando há anos para arranjar o livro em Português e está sempre esgotado em todo o lado, mesmo no site da Gradiva.

  8. Uma coisa que eu nunca consegui entender…
    Por quê e para que, se é que realmente existem, seres de outros planetas com tecnologias bem evoluídas muito superiores a nossa estariam interessados em destruir nosso planeta?
    Seres evoluídos a ponto de fazerem viagens intergalácticas com certeza desejariam preservar nosso planeta! Eles teriam noção de como é raro um planeta com perfeitas condições de suportar a vida!
    Nosso planeta é uma dadiva universal! Qualquer ser com um pouco de racionalidade saberia disso! Por quê achar que outros seres nos destruiriam quando esta mais do que claro que o próprio homem vai se destruir! Espero que realmente tais seres existam e interfiram na nossa ignorância antes que seja tarde demais! A terra precisa de alguém mais forte do que nós para protege-lá!
    O homem tem necessidade de achar que é o salvador quando na verdade destruímos!
    O ciclo natural da vida nunca é interrompido. Desde o inicio das coisas esse ciclo existe e mantem tudo equilibrado, o homem é presunçoso e acha que a natureza conspira contra ele. Quando na verdade nos tentamos o tempo todo romper esse ciclo! Esse é o motivo por sofrermos tanto! Não queremos admitir que nos somos o nosso próprio destruidor e inventamos profecias e mais profecias para justificar nosso comportamento destrutivo.
    Excelentes cientistas fizeram maravilhosas descobertas com a intenção de melhorar a vida da humanidade sem destruir a natureza sem romper o equilíbrio natural. Abençoados homens, grandes visionários! Einstein que o diga!!!! E nos o que fizemos? Destruímos Hiroshima e Nagasaki.
    Nosso fim não vem do sol ou de um objeto se chocando com a terra! Ele vem de dentro de nossos corações!

  9. Se puderem observar bem (e com muita boa vontade, diga-se de passagem) perceberão uma “mancha” em formato triangular enorme na superfície solar.

    Er…… bem….. vindo de outros sítios, acredito que o resto da história vocês já devem imaginar… 😉

    P.S.: Já agora, deixo um abraço pro amigo Renato Romão.

    🙂

    1. Eu vejo a silhueta de um microscópio. 😛
      …Talvez esteja a passar demasiado tempo no laboratório.:)

        • Cavalcanti on 15/03/2012 at 03:06

        Bom,

        Eu vejo aqueles “come-come” (sob pespectiva da direita pra esquerda) do antigo jogo de videogame Atari 2600.

        Bons tempos, não? 😉

        Abraços.

      1. :v 😛

      • Renato Romão on 15/03/2012 at 04:53
      • Responder

      Boas,

      Bitaite:
      Eu acho… Que é a sombra do Chichen Itza 🙂

      HA!!! Agora é que vi… não é mais um dos desafios do Carlos 🙂
      (bazinga)

      Abraço

  10. http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=RtjEnNHHAcQ
    Repare no suposto objecto aos 3 segundos,ele emite duas luzes estranhas logo de seguida uma explosão enorme no sol,estranho,muito estranho….Claro está que o ser humano vai ter explicação e todos nós vamos ficar tranquilos…Mais uma vez uma boa explicação irá surgir,tipo aquela em 1930 em que numa filmagem por uma estação norte americana um caça persegue uma luz e de repente explode…Explicação americana o avião colidiu com vénus,fantástico,isto é real pesquisem bem…

    1. Mais uma vez Gugu, não vejo nada estranho. Vejo apenas um artefacto nas imagens (semelhante a este: http://www.astropt.org/2011/12/07/enorme-ovni-detectado-perto-do-planeta-mercurio/) e, aos três segundos, o impacto de um raio cósmico no detector (ver mais sobre este assunto aqui: http://www.astropt.org/2011/05/08/artefactos-nas-imagens-da-cassini/). Claro que o Gugu vai continuar a achar estranho. Para si estas explicações não são fantásticas o suficiente, por isso recusa aceitá-las.

    2. Caro “Gugu”,

      Com base no que está supra referenciado por si, vou-lhe dar uma sugestão bastante simples.
      Consulte por favor de urgência o seu psiquiatra pois, a serem verdadeiras as suas afirmações, trata-se de um episódio agudo de esquizofrenia.
      Sugiro, do fundo do coração, que se vá consultar rapidamente, caso contrário, perderá qualquer e absoluto controle do seu intelecto e personalidade.

      As sinceras melhoras!

  11. http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=Ev8JGqDO8nk
    Vejam com honestidade e isenção o video entre os 30 e 40 segundos,mas por favor não me venha com a desculpa da cavidade coronal…Pois será um atentado á minha inteligência….Vejam bem as imagens,é super intrigante….Desde á uns anos a esta parte tenho tido vários encontros de diversos graus com entidades,é claro que se vai rir,também eu queria mas não posso…Inicialmente comecei a vêr estrelas luminosas que mudam drásticamente de velocidade,mas pior que isso mudavam tanto a 90 como a 180 graus a sua rota,bem sempre fui céptico ,mas apartir daí distanciei-me do racional….Pouco tempo depois a minha familia após uma observação do tipo,tem um encontro com algo luminoso(no meio ufologico orb…) em cima de suas cabeças…Mais tarde comecei a ter contactos com entidades espirituais,qual não é o mesmo espanto quando confirmo através de sites que tudo o que nos foi dito nesses contactos coincidia precisamente com o que é defendido no meio espiritual…Atenção antes dos contactos,nada tinhamos lido,portanto a teoria de que a nossa mente é que projecta as coisas não encaixa e mais não lhe digo,boa tarde

    1. Com toda a honestidade, a explicação está no vídeo de resposta do site SunToday. Se o Gugu quer acreditar que o que é mostrado é outra coisa qualquer, está no seu direito. Agora essa não é a verdade. A verdade foi-lhe oferecida e a sua explicação é simples e clara.
      Aliás, para mim o primeiro vídeo foi logo esclarecedor.
      Quanto às experiências que relata, penso que neste aspecto o Gugu é claro – foram experiências (ou alucinações?) interpretadas por alguém que se distanciou da racionalidade.

    2. Caro gugu,

      Antes de mais nada, percebo uma repulsa de sua parte com relação ao conhecimento científico no trecho “(…) por favor não me venha com a desculpa da cavidade coronal”. Se é de fato, na totalidade dos casos, como coisas perfeitamente explicáveis, por quê está a falar dessa forma?

      No trecho entre 0:30 e 0:40, que você acredita, nas entrelinhas, como sendo uma entidade mística, trata-se, nada mais nada menos, que a ejeção de uma massa coronal. A parte de baixo se retrata de uma prominência na imagem. E só. Portanto, retorno à você tua própria frase: por favor, não insulte NOSSA inteligência, ok?

      Eu mesmo poderia opinar de que “aquilo” que está abaixo do Sol seria, na verdade, como sendo um espermatozóide solar gigantesco e que, ao invés de termos ejeções solares, estávamos vendo ereções solares. Percebes? A ciência não se faz de opiniões, se faz de conhecimento. 😉

      A tua opinião é que aquilo significa um ser espiritual saindo do Sol e indo pra outra direção. O conhecimento científico diz que aquilo é simplesmente uma erupção solar. Advinhe que está, neste caso, correto? 😉

      Não confunda suas crenças com ciência. Isso resulta em pseudociência. Isso resulta que não o que imaginamos (ou vemos) ser. 😉

      Com relação ao seu contato com entidades espirituais, não questionarei sua fé tampouco suas crenças, muito menos o que você vê como sendo real ou não. Mas o que eles disseram? Poderia compartilhar conosco? Datas? Fatos? Acontecimentos?

      😉

        • Renato Romão on 15/03/2012 at 18:16

        Caro Cavalcanti,

        Espero que esteja tudo bem com o meu amigo!

        Realmente… é preciso ter imaginação para vel algo ali.

        Abraços

        • Cavalcanti on 15/03/2012 at 23:07

        Está tudo bem, Renato. 😉

        Já estou de volta. O motivo foi o trabalho e a Universidade.

        Abraços e obrigado.

        🙂

    • Manel Rosa Martins on 14/03/2012 at 13:29
    • Responder

    Olá Helder,

    As consequências deste evento também são a geração da atmosfera do Sol, a Helioesfera, que protege a vida na Terra.

    O Hélder pode ver a actividade do Sol cm cerca de 16 minutos de atraso do tempo real neste site, em vez de se assustar com fenómenos naturais normais.

    http://helioviewer.org/

    Os maias são um povo que ainda existe e já estão é fartos desta peta da dita profecia feita para enganar as pessoas e lhes roubarem dinheiro.

    Já agora objectos que possam colidir com a Terra não são ejectados do Sol, e todos os dias caiem pequenos meteoritos na Terra, como ontem no centro de Oslo.

    Quanto à verdadeira consequência, que são as auroras, tem os posts que este autor, o Sérgio Paulino, fez aqui no Astropt para o Hélder ver.

    Veja que vale a pena, as auroras são um espectáculo.

    http://www.astropt.org/2012/03/08/impacto-auroras-em-latitudes-baixas-nas-proximas-horas/

    :)) e tenha calma com essas teorias da conspiração, que isso é que é tudo treta.

    Milhares de astrónomos amadores e profissionais dizem logo o que descobrem, não o escondem.

    Tenha um excelente 2012 e seguintes.

    • Helder (Lder) JP Santos on 14/03/2012 at 12:49
    • Responder

    Obrigado pelos esclarecimentos, Sérgio.
    Pena não estar uns metros mais acima, para poder observar as auroras de que fala! 😉

    Quanto ao resto, não me considero um paranóico da teoria do “fim do mundo”. Encaro tudo com um olhar céptico, mas curioso. E todas as opiniões para mim contam.

    Obg pelo link. Vou investigar. 🙂

  12. Gostei principalmente da afirmação categórica, que concordo plenamente, “1º Não existe qualquer profecia maia.”
    Rápido, preciso e conciso.

  13. Caro Sr. Sérgio Paulino,

    Considero-me uma curiosa no que respeita a estes assuntos e também uma ignorante, como tal tenho uma pergunta quanto a este fenómeno, em maior escala que o normal.

    Será que estas partículas, bem como as carradas de radiações que irão abanar o nosso campo electromagnético, não irão interferir com os sensíveis aparelhos de que dispomos hoje em dia, quer no espaço, quer na Terra?

    Se a memória não me falha este acontecimento estava já previsto pelos “amantes e estudiosos” do sol. Há uma teoria que relaciona estas perturbações na coroa exterior do sol com as alterações climáticas na Terra através das alterações violentas no nosso campo magnético, que por sua vez, com muito pouco impacto, mas ainda assim considerável, provoca pequenas alterações na camada superior da atmosfera na Terra, que consequentemente altera o caudal dos rios, a salinidade, calcário, etc, etc..
    Acha que esta teoria tem “ponta por onde se lhe pegue”?

    Obrigada pela partilha de informação!

    Melhores Cumprimentos,
    Sofia Neiva

    1. Olá Sofia

      Quanto à sua primeira pergunta, a magnestosfera terrestre protege-nos do vento solar, quer do vento solar mais lento, quer destes fluxos mais rápidos, pelo que apenas só se poderão observar interferências em sistemas eléctricos na superfície terrestre nas tempestades geomagnéticas mais intensas. Claro que os satélites na órbita terrestre (principalmente, os situados em órbitas distantes da Terra) estão mais expostos a variações no clima espacial. No entanto, são concebidos para enfrentar tais condições, pelo que raramente sofrem danos irreversíveis nos seus equipamentos.

      Quanto à segunda questão, desconheço tal teoria. Tem algum link para o estudo a que se refere?
      De facto, a actividade solar pode influenciar o clima da Terra. Por exemplo, sabe-se que a pequena idade do gelo, um período na segunda metade do século XVIII caracterizado por Invernos particularmente rigorosos na Europa e na América do Norte, coincidiu com uma sequência de ciclos com escassa actividade solar (um período conhecido por Mínimo de Maunder). No entanto, tal relação não é directa. Existem muitos outros factores que influenciam o clima na Terra.

        • Sofia Neiva on 15/03/2012 at 12:10

        Olá Sérgio Paulino,

        Obrigada pela resposta.

        Quanto ao 1º ponto, a última tempestade tive uma catagolação de 3, entre 0 e 5 – informações retiradas da NASA e que efectivamente poderiam causar alguns transtornos. Ressalvo que não tenho qualquer preocupação com os “danos” eventuais; trata-se meramente de curiosidade e compreensão da magnitude do impacto.

        Quanto á segunda questão, deixo aqui um link ( http://www.space.dtu.dk/English/Research/Research_divisions/Sun_Climate.aspx ) que me parece simpático.
        Obviamente que não retiro à humanidade em geral a culpa no cartório quanto ao aquecimento global, mas a bem da verdade, há outros factores que influenciam este crescente e colossal aquecimento. Sobretudo quando se alia o aquecimento global aos ciclos solares numa relação exponencial directa.
        Quanto ao efeito Mínimo de Maunder, já tinha lido qualquer coisa sobre o assunto, o que me levou ao estudo na NSI.

        Bom resto de dia! 🙂

        Melhores cumprimentos,
        Sofia Neiva

      1. Sofia

        Obrigado pelo seu contributo. Ora aí está uma relação interessante entre a intensidade da radiação cósmica proveniente do exterior do Sistema Solar e a formação de nuvens.
        Claro que o bombardeamento da atmosfera terrestre com raios cósmicos varia com a actividade solar. Ressalvo no entanto dois aspectos importantes. Estas relações são moldadas por outras variáveis, e poderão tornar-se de facto relevantes em intervalos de tempo muito grandes (na ordem dos milhares de anos).

        • Leandro on 16/03/2012 at 01:46

        Não conhecia esse estudo, mas recordo de uns anos atrás ter visto na NG um artigo em que verificaram uma correlação entre a precipitação caída numa região tropical, Amazónia ou Congo não me recordo, e a actividade solar e a nível estatístico essa correlação era válida.
        Lembro-me que uma das conclusões apresentadas apontava para se começar a estudar melhor estes efeitos dos ciclos solares no nosso clima pois este pode ser maior do que se pensava.
        Agora como isto é ciência e não “cartomancia & associadas SA”, é necessário continuar a recolher dados e estudar os mesmos para assim se chegar a uma conclusão válida e não apenas à que queremos porque nos dá jeito.

    • Helder (Lder) JP Santos on 14/03/2012 at 09:24
    • Responder

    … e de que forma este evento se vai reflectir na terra??? Quais as consequências?

    Quais as suas considerações acerca da profecia Maia para este ano?

    Haverá realmente algum objecto em rota directa de colisão com a terra, que não convém para já que se saiba, de forma a não gerar o pânico global?

    Obrigado

    1. Olá Hélder,

      Não há nada a temer. Os buracos coronais são fenómenos vulgares na superfície do Sol. A única consequência da passagem deste denso fluxo de vento solar será apenas a manifestação de bonitas auroras nas latitudes mais elevadas. 😉

      Quanto às outras duas questões:
      1º Não existe qualquer profecia maia.
      2º Não há nada a ser escondido da população. Não existe qualquer objecto que se conheça em rota de colisão com a Terra. Seria impossível esconder tal objecto durante tanto tempo dos olhos dos astrónomos amadores.

      Para saber mais acerca deste assunto, sugiro que leia este excelente artigo: http://www.astropt.org/2008/08/22/2012/.

      1. Em primeiro, quero parabenizar pelo seu brilhante trabalho de esclarecimento.
        Em segundo, gostaria de saber qual as probabilidades de uma coalizão do Asteroide 2012 DA14 em 2020.
        E quanto as Profecias Maia, estão escritas em pedras dizendo que:
        Os Maias deixaram para nós, os habitantes do planeta terra de hoje, uma mensagem escrita em pedra que contém 7 profecias.
        Uma parte de alerta e outra de esperança.
        A mensagem de alerta profetiza o que vai acontecer nesses tempos em que vivemos. A de esperança fala sobre as mudanças que devemos efetuar para impulsionarmos a humanidade para uma nova era, a era da mulher, a era das mães, da sensibilidade.
        Todos nós de uma maneira ou de outra sentimos que estamos começando a viver os tempos do apocalipse. Todos sentimos a guerra, guerra pelo petróleo, guerra pela paz.
        A cada dia há mais erupções vulcânicas, a poluição gerada por nossa tecnologia chegou a índices alarmantes, estamos enfraquecendo a camada de ozônio que nos protege das radiações do sol. Estamos contaminando o planeta com nossos dejetos industriais e nosso lixo. A devastação dos recursos naturais está acabando com nossas fontes de água e com o oxigênio que respiramos.
        O clima mudou e as temperaturas aumentaram de maneira impressionante, geleiras e campos nevados estão derretendo, grandes inundações se sucedem em todo o mundo, enormes tornados puseram em perigo a Flórida e gigantescos furacões devastaram toda a América central.
        O caos informático nos ameaça, a pobreza generalizada pelos efeitos do caos econômico é sentido por quase todos os países do mudo. Todos nós procuramos respostas e um caminho seguro para os tempos em que vivemos. E reconhecemos a partir dos problemas que enfrentamos diariamente que não vivemos em harmonia.
        Muitas religiões elaboraram profecias a respeito do que está acontecendo. A bíblia anunciou que quando todos esses fatos acontecessem ao mesmo tempo estariam chegando os tempos do apocalipse.
        Os Maias sabiam que isso ia acontecer exatamente nesses tempos, por isso, deixaram orientações para que nós, de maneira individuais, contribuamos para levar a humanidade para o amanhecer da galáxia, para uma nova era, onde não haverá mais caos nem destruição.
        Eles nos deixaram 7 profecias em que falam de sua visões do futuro e do nosso presente. Estão baseadas nas conclusões de seus estudos científicos e religiosos sobre o funcionamento do universo.

      2. André,

        Quanto ao asteróide 2012DA14, já falámos sobre ele aqui: http://www.astropt.org/2012/02/29/enorme-asteroide-ira-passar-pela-terra-para-o-ano/. A 16 de Fevereiro de 2020 passará perto da Terra, com uma probabilidade de impacto de 1 para 50000 (ver aqui: http://neo.jpl.nasa.gov/risk/2012da14.html.

        Quanto ao resto da sua mensagem, vamos por partes.

        “Os Maias deixaram para nós, os habitantes do planeta terra de hoje, uma mensagem escrita em pedra que contém 7 profecias.”
        Não, não e não. Os Maias não deixaram qualquer profecia. Esta questão já foi explicada exaustivamente aqui no blog (ler http://www.astropt.org/2010/01/01/grafia-maia/ e http://www.astropt.org/2008/08/22/2012/). Nem vou comentar as três frases seguintes porque simplesmente não tenho paciência. É tudo bullshit.

        “A cada dia há mais erupções vulcânicas…”
        Onde obteve essa informação? Lá porque ouve falar em erupções vulcânicas, não quer dizer que tenham aumentado. O que se passa é que o André tem acesso a mais informação. E aqui a internet tem um impacto fundamental, não só pela quantidade de informação crescer de forma exponencial relativamente a outros canais de comunicação, mas também (infelizmente muitas vezes) pela sua fraca qualidade.

        “A devastação dos recursos naturais está acabando com nossas fontes de água e com o oxigênio que respiramos.”
        O André tem certamente água potável em casa. Infelizmente, em muitas regiões do mundo isso não é verdade – não porque estão poluídas, mas porque estão contaminadas com agentes biológicos (vírus, parasitas e bactérias) perigosos para a saúde pública. Claro que não nego a pressão que estamos a exercer nos recursos naturais, mas isso se deve em geral à melhoria das condições de vida e ao consequente aumento da população mundial.
        Quanto ao oxigénio, a sua pressão na atmosfera não se alterou significativamente pelo menos nas últimas duas centenas de milhões de anos. Sabe de algum local do mundo onde isto seja diferente?

        “O clima mudou e as temperaturas aumentaram de maneira impressionante, geleiras e campos nevados estão derretendo, grandes inundações se sucedem em todo o mundo, enormes tornados puseram em perigo a Flórida e gigantescos furacões devastaram toda a América central.”
        Tem-se estado a verificar um ligeiro aumento da temperatura global do planeta, provavelmente associado ao aumento da pressão de gases com efeito estufa na atmosfera. Esta é uma informação trazida pela ciência, não por qualquer profecia.
        Tem-se verificado também a ocorrência de fenómenos climatéricos extremos. No entanto, estes sempre aconteceram nas regiões que menciona. Não são desconhecidos dessas populações.

        “O caos informático nos ameaça, a pobreza generalizada pelos efeitos do caos econômico é sentido por quase todos os países do mudo.”
        Não sei o que entende por caos informático. A pobreza existe sim, e aumentou com a última crise económica. Não sou economista, mas (corrijam-me se estou errado) passámos por crises económicas muito mais severas e sobrevivemos… e prosperámos.

        As últimas frases são treta New Age que me recuso a comentar.
        Apenas quero sublinhar que os Maias construiram uma cultura extraordinária. A sua civilização entrou em declínio, mas o povo maia está vivo. Para eles todas estas mentiras são ofensivas.

        • Cavalcanti on 21/03/2012 at 04:21

        Paulino, só faltou concluir da seguinte forma:

        “(…) Os maias “previram” sobre o caos dos tempos atuais, porém não conseguiram prever sua própria sucumbência para os espanhóis.”

        Pode continuar tranquilo, André. Se você pudesse ter a oportunidade de conversar com os descendentes dos maias, saberá que eles não previram nada para nossos tempos.

        O Carlos já abordou por diversas vezes acerca disso aqui no AstroPT.

        Abraços.

  1. […] buracos coronais são lacunas na coroa solar, com campos magnéticos que se abrem livremente em direção ao […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.