Alphard, por que te chamam assim?

Após o equinócio de Março, a maior das 88 constelações pode ser observada nas primeiras horas da noite. Trata-se da Hidra (Hydra), constelação originalmente chamada de Serpente no tempo dos babilônios. O nome atual deve-se aos gregos, eternizando um dos adversários de Hércules durante seus famosos Trabalhos, a Hidra de Lerna.

Apesar da constelação ser a mais extensa de todas as oficiais, não há tantas estrelas em destaque, a não ser uma: Alphard.

Alphard está entre as 50 estrelas mais brilhantes do céu. Seu nome, de origem árabe,  significa “a Solitária”, porque bem próximo dela não existem estrelas que rivalizem em brilho. Vista de locais com poluição luminosa, Alphard se destaca em meio a um aparente vazio de estrelas.

Existe um nome latino para Alphard  menos usual: “Cor Hydræ“, que quer dizer “Coração da Hydra”, devido à posição da estrela no imaginário corpo da criatura mitológica.

1 comentário

    • Janine Milward on 28/03/2012 at 20:03
    • Responder

    Eu adoro ver no céu estrelado a Hydra, com seu coração batendo na estrela amareladamente esmaecida, quase parecendo envelhecida, Alphard.

    E o que mais adoro é o fato de que posso ver a Cabeça da Hydra olhando para o Caranguejo, seu pescoço, seu coração (Alphard) e depois suas estrelinhas tímidas enredilhando-se ao longo de muitas e muitas constelações, a Taça, o Corvo – mais ao norte, o Leão, a Virgem -, indo concluir-se rasteiramente, aos pés da Balança.

    É preciso se estar sob um céu transparente e escuro para se ter essa visão…. e além disso, é também sempre um prazer observar o Presépio, no ventre do Caranguejo… parece que a Hidra quer roubar o Presépio, lugar de estrelas-bebês, para si.

    Com um abraço estrelado,
    Janine Milward

Responder a Janine Milward Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.