Panspermia do avesso

Panspermia é a ideia que vida microbiana poderá viajar entre planetas à boleia de cometas.
Agora o cosmólogo Tetsuya Hara fez umas simulações, e retirou a conclusão que o asteróide que dizimou os dinossauros há 65 milhões de anos atrás, terá atirado tanto pó e “pedras” para o espaço quando impactou na Terra, que parte dessa massa poderá ter levado vida terrestre e quiçá semeado a vida por Marte, luas do Sistema Solar, e quiçá alguns planetas extrasolares.
Ou seja, o Universo poderá estar cheio de vida… terrestre!

Mas afirmações extraordinárias precisam de evidências extraordinárias.
E essas evidências não existem aqui.

Existem sim cálculos feitos por um cosmólogo, que não trabalha com meteoritos, publicados num journal que já não existe e que entrou por assuntos pseudos, com, parece-me, uma ideologia de promoção da panspermia, e que chega ao ponto de dizer que 1000 pequenas pedras ejectadas poderão ter chegado a planetas ao redor da anã vermelha Gliese 581 que se encontra a 20 anos-luz de distância, e semeado lá a vida!

Concordo com o Ricardo Cardoso Reis do CAUP: decididamente, parece-me especulação a mais.

143 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • cesar pinheiro on 19/04/2012 at 02:17
    • Responder

    eu interpreto a “Navalha de Occam” da seguinte forma…certas pessoas, não tendo nada o que fazer…

    • Kelvin Paul on 19/04/2012 at 02:19
    • Responder

    Daria uma ótima sci fic…e só.

    A ideia é admirável, mas para por aí; realmente é algo extremamente difícil de se provar.

    E o journalofcosmology.com me parece colorido e enfeitado de mais para dar qualquer seriedade científica. Não que precise ser um monte de texto sem imagens, o problema é quando essa expressão se inverte hehehe

    • Cavalcanti on 19/04/2012 at 03:25
    • Responder

    Carlos,

    Ao que parece, não foi o impacto de asteroide que dizimou dos dinos:

    http://www.apolo11.com/cometa_73p.php?titulo=Novas_descobertas_questionam_extincao_dos_dinossauros&posic=dat_20090427-094059.inc

    Estudos recentes indicam que pode ter sido atividade vulcânicas na região hoje conhecida como Índia – e com relação ao impacto de Chicxulub, esta, provavelmente, ocorreu pelo menos 300 mil anos antes do que foi sugerido – segundo um estudo publicado no Journal of the Geological Society.

    Abraços.

      • Cavalcanti on 19/04/2012 at 03:28
      • Responder

      Em tempo, a teoria da Panspermia é que mais me inclina para o surgimento de vida na Terra.

      Ótimo post.

      😉

        • Alexandre on 20/04/2012 at 10:13

        É impressionante com alguém pode basear a existência de vida na Terra com a teoria da Panspermia. Você acredita mesmo nessa baboseira? Eu pessoalmente considero-me leigo nesta matéria, mas sou suficientemente realista para perceber que jamais seria possível um humano ou outro animal qualquer passar a existir por causa de organismos trazidos por um suposto meteorito. Se assim fosse, explique como atualmente não continuamos a observar esse tipo de evolução? Porque deixamos de evoluir? A complexidade do corpo humano refuta todas essas teorias, a forma como procriamos, a complexidade do nosso cérbero. A ciencia é bonita e a mim fascina-me, mas quando baseada em factos sustentaveis e não em teorias absurdas.
        Obs. Sr. Carlos Oliveira, parabéns pelo seu blog, embora não concorde com muita coisa que o Sr. escreve, mas também tem muitos aspectos que o Sr. tem razão. Saúde.

      1. A verdade, Alexandre, é que você não sabe o que diz.

        Se é um leigo na matéria, deveria perguntar e tentar se informar melhor sobre o assunto.
        Não devia entrar num local de conhecimento, dizer que é leigo, e afirmar uma quantidade de disparates.

        A sua atitude é igual à de uma pessoa que entra num hospital, a dizer que nada sabe de medicina, mas resolve afirmar que o sangue é verde.

        Não faz qualquer sentido!

        Por exemplo, quem lhe disse que a panspermia é uma teoria? Não é! É uma hipótese científica!

        Quem lhe disse que deixamos de evoluir? Essa fez-me dar uma enorme gargalhada, porque vai contra TODO o conhecimento.

        Quanto aos Humanos não poderem evoluir a partir de microorganismos… bem, isso já é ignorância a mais. Sugiro leituras de biologia e menos crenças pessoais.

        abraços

        • Alexandre on 20/04/2012 at 14:02

        Bem Sr. Carlos,

        Quanto a entrar num local de conhecimento, ele serve para isso mesmo, adquirir conhecimento e confronta-lo com o nosso ponto de vista (daí achar de grande utilidade os seu blog).

        Em relação à minha atitude, é normal entrar num hospital e o médico dizer que tenho uma mialgia, eu perguntar como ele chegou a essa conclusão.

        Quanto pude apurar a Panspermia é uma hipotese que se baseia numa TEORIA que por sua vez se baseia na ideia de que a vida foi trazida à Terra do espaço em meteoritos com formas de vida primárias, sendo que já foi encontrada matéria orgânica em meteoritos, e há organismos microscópicos suficientemente resistentes para, em teoria, suportar uma viagem espacial até aqui, embora as condições pelas quais passariam seriam extremas. Aliás, como pode constatar no comentário do Sr. Cavalcanti que o chama de teoria ao qual o Sr. Carlos não o corrigiu.

        Quanto à evolução do HUMANO e não confunda com a evolução tecnológica e cientifica, não sou eu que o digo, é história que o diz. O humano é exatamente igual desde a sua existência e nunca o vimos de outra forma. E se o Sr. vem dizer que evoluímos do chimpanzé, porque essa evolução parou. Ainda pensei em ir a um jardim zoológico, e esperar que nascessem umas crias de Chimpanzé para ver se evoluíram, mas continuam a nascer exatamente iguais como nasciam desde que conhecemos a espécie animal.

        Quanto aos Humanos não poderem evoluir a partir de microrganismos, pelo o que pude ler, isso são mais teorias e mais teorias. Porque até à presente data ainda ninguém criou um ser animal a partir de microrganismos. Então explique nos dias actuais não vemos os humanos a emergir desses microrganismo, se foi possível uma vez, deveria continuar a acontecer.

        Sr. Carlos fico grato pelo seu tempo,

        Abraço e saúde.

      2. Caro Alexandre,

        Se o seu objectivo é adquirir conhecimento, então deve perguntar a quem sabe, e não fazer afirmações erradas. Se não sabe, pergunta e aprende.
        Não se aprende nada a só dizer coisas erradas.

        Se entra num hospital e pergunta ao médico como ele chegou à conclusão da mialgia… então é porque lhe pergunta.
        Não entra num hospital e afirma que a mialgia foi causada por unicórnios invisíveis voadores!

        Pode colocar a palavra “teoria” em letras grandes, que continua a não ser teoria.
        Você errou, deveria reconhecê-lo.

        Quanto à evolução humana, eu não confundi com nada.
        Essa do jardim zoológico, fez-me dar mais uma enorme gargalhada! Como é que você pode pensar que a evolução acontece durante uma ida a um zoológico? Ou sequer durante uma vida humana???
        Enfim… é puro egocentrismo, puro geocentrismo psicológico.

        E claro que se continua a evoluir. Sempre se evoluiu, e continua-se a fazê-lo… biologicamente!
        Sugiro que leia sobre o assunto.

        Quanto à evolução a partir de microorganismos, é a mesma resposta de cima.
        O seu egocentrismo é tal que pensa que durante 50 anos se vê o que a natureza levou 4 mil milhões de anos…
        enfim… é não ter noção de escalas.

        abraços

        • Alexandre on 20/04/2012 at 14:43

        Sr. Carlos,

        Concordo com o Sr. quando ao erro, como qualquer pessoa erro e vou continuar a errar, agora cabe-me aprender com os erros.

        Mas, fico satisfeito em saber que o Sr. deu gargalhadas, é sinal que o Sr. é uma pessoa bem disposta.

        Agora, o Sr. também errou (com todo o respeito e sem ofensa) ao afirmar que a evolução partiu de microrganismo mesmo sendo num período de cerca de 4 mil milhões de anos. O Sr. sabe, bem lá no fundo que esta suposta evolução não é exequível, é praticamente (100%) impossível haver uma evolução desta magnitude e ainda por cima dessa evolução passar a existir o homem e a mulher que por sua vez conseguem procriar. É impossível ser coincidência evoluir-mos a partir de microrganismos com esta harmonia existente entre homem e mulher já para não falar de toda a espécie animal.

        Enfim, veja este ponto de vista, em quase toda a espécie animal existe macho e fêmea, não seria coincidência a mais para que passou a existir a partir de microrganismo?

        Um bem haja para o Sr. Carlos.

      3. A questão do macho e fêmea não é de agora.
        Tem a ver com organismos sexuados.
        E esses já existem antes até de haver organismos complexos.

        Logo, não é uma característica humana, nem sequer dos mamíferos, nem sequer dos animais que vê hoje no mundo.

        O certo é que a Teoria da Evolução (esta sim uma teoria), tem mais provas que a Teoria da Gravidade.
        E não vejo o Alexandre a dizer o mesmo da Gravidade, nem sequer a atirar-se do topo de um edifício, como o Dawkins mencionou, se duvida assim tanto da teoria.

        abraços

        • Alexandre on 20/04/2012 at 15:22

        Sr. Carlos,

        O Sr. não me convenceu em relação à matéria da evolução, mas vou deixar esse tema para um novo “post” que os Sr. faça sobre esse assunto.

        Em relação à teoria da evolução, continuo com minha opinião, nós não evoluímos, apenas temos a capacidade de nos adaptarmos ao ambiente em que estamos inseridos.

        Quanto à teoria da gravidade, pessoalmente não a considero uma teoria, porque é um facto que se me atirar de um edifício só para lá em baixo.

        Desde já, quero que fique bem expresso que nada tenho contra a ciência e quem a estuda. Mais digo, que nutro um enorme respeito pelos cientistas, porque também é um facto que hoje estou inteiramente dependente deles ou de outra forma não estaria a ter um dialogo saudável com o Sr. Carlos.

        Vou continuar a ser um visitante assíduo do seu blog e muito obrigado pelo seu tempo, e informo que o Sr. subiu em muitos pontos na consideração que tenho por si e pela humildade que o Sr. demonstrou ao me responder.

        Um grande abraço Sr. Carlos.

      4. Mas Alexandre, a minha opinião não interessa, nem a sua.
        Eu posso ter a opinião que é tudo devido a unicórnios voadores… vale 0 a minha opinião.

        Eu não lhe dei opinião. A Evolução é Conhecimento e não uma opinião de alguém.

        A Teoria da Gravidade é uma Teoria porque engloba vários factos. *Todas* as teorias científicas englobam *factos*.
        A Teoria da Relatividade é a mesma coisa.
        A Teoria Electromagnética é a mesma coisa.
        *Todas* as teorias científicas englobam *factos*.

        Quanto à minha humildade, vou ter novamente que o corrigir, porque se percebe pelos meus comentários que eu não tenho disso.
        E desde já peço-lhe desculpa pela forma como respondo às pessoas…
        E concluo informando que melhor do que eu, respondeu-lhe o João Monteiro, neste thread, mais abaixo, aqui:
        http://www.astropt.org/2012/04/19/panspermia-do-avesso-2/#comment-54104

        abraços

      5. “explique como atualmente não continuamos a observar esse tipo de evolução? Porque deixamos de evoluir? A complexidade do corpo humano refuta todas essas teorias, a forma como procriamos, a complexidade do nosso cérbero”

        Todas estas frases estão absolutamente erradas e são absurdas do ponto de vista científico.
        Mas eu explico!

        1) A evolução observa-se todos os dias. Se quiser ver “evolução ao vivo”, basta visitar um laboratório de microbiologia. Para a dita macroevolução, a que levou à evolução de todos os seres vivos a partir de seres unicelulares ancestrais simples, essa não pode obviamente ser observada por olhos humanos (do mais fraquinho que há, mas isso aparece noutro ponto). No entanto, as suas evidências são mais que muitas, o que nos leva a concluir que aconteceu e continua a acontecer.

        2) o homem, obviamente não deixou de evoluir! Embora a tecnologia e a medicina o andem a “ajudar” na fuga à selecção natural.

        3) O corpo humano, em geral não é mais complexo que o de outros primatas. O nosso cérebro é efectivamente um pouco mais complexo, mas nada que a neurobiologia não esteja a estudar e cada vez sabemos mais sobre ele (e cada vez temos mais perguntas…que bonita é a ciência!!)

        4) prociamos como todos os outros mamífero…e não, não somos a única espécie que usa o sexo como actividade de prazer. Os chimpanzés e bonobos também o fazem…E, já agora, os golfinhos também.

        5) o olho, esse “objecto” que os anti-evolucionistas tanto gostam de evocar como cúmulo da perfeição!
        o nosso olho é uma desgraça de remendos! Vemos menos cores que os répteis. As imagens formam-se ao contrário e têm que ser corrigidas. o olho direito liga-se ao hemisfério esquerdo e o esquerdo ao hemisfério direito….isto parece-lhe perfeito??

        6) estamos cheios de “restos” anatómicos que estão lá porque nós não surgimos do nada! Nós surgimos a partir de material pré-existente e a evolução “trabalhou com o que tinha à mão”, como sempre faz e continuará a fazer.

      6. “O humano é exatamente igual desde a sua existência e nunca o vimos de outra forma.”
        ERRADO!!

        Existem inúmeros exemplos de evolução de novas características no homem.

        Quer um exemplo?
        Os nossos antepassados recentes eram intolerantes à lactose.
        Uma grande parte da população actual não o é, daí que possamos beber leite durante toda a vida. Uma grande vantagem nutricional quando o alimento é escasso, mas temos animais que dão leite disponíveis.
        Selecção natural pura e dura.
        Comprovada por estudos populacionais, genéticos e históricos arqueológicos.

      7. “Em relação à teoria da evolução, continuo com minha opinião, nós não evoluímos, apenas temos a capacidade de nos adaptarmos ao ambiente em que estamos inseridos.

        Quanto à teoria da gravidade, pessoalmente não a considero uma teoria, porque é um facto que se me atirar de um edifício só para lá em baixo.”

        A sua opinião não conta para a aceitação de uma teoria científica.
        Nem a sua nem a de ninguém.
        Só contam as evidencias e os factos que a ela estão associados.

        A Teoria da Evolução é tão verdade como a Teoria da Gravidade.
        Todas as evidências científicas assim o indicam. Todos os factos assim o indicam.

        No dia em que encontrarem um fóssil de um animal semelhante a um coelho, num extracto rochoso do período câmbrico, aí sim, poderemos duvidar da evolução!
        Até lá, NADA contradiz a teoria da evolução.
        Só as crenças de cada um, mas essas não constituem ciência.

        • Alexandre on 20/04/2012 at 16:10

        Sr.ª Diana,

        Muito obrigada pela explicação, mas pelo que pode constatar e vou passar a citar:

        O professor de bioquímica Michael Behe, que passou a maior parte de sua vida estudando as complexas funções internas das células vivas, explicou que os que ensinam a evolução da estrutura celular não têm base para suas afirmações. Será que a evolução poderia ocorrer nesse minúsculo nível molecular? “A evolução molecular não se baseia em autoridade científica”, escreveu ele. “Não há publicação na literatura científica — revistas de prestígio, revistas especializadas ou livros — que descreva como a evolução molecular de qualquer sistema bioquímico real, complexo, ocorreu ou poderia ter ocorrido. . . . A afirmação da existência de evolução molecular darwiniana é simplesmente bazófia.”

        Cumprimentso,

      8. O professor Michael Behe já foi há muito desacreditado pela comunidade científica!
        Nomeadamente no julgamento que aconteceu há uns poucos anos nos EUA.

        Ele é uma voz solitária contra o resto da comunidade científica!!

        Esta afirmação que cita:
        ““Não há publicação na literatura científica — revistas de prestígio, revistas especializadas ou livros — que descreva como a evolução molecular de qualquer sistema bioquímico real, complexo, ocorreu ou poderia ter ocorrido. . . . A afirmação da existência de evolução molecular darwiniana é simplesmente bazófia.””
        É simplesmente mentira!

        Essa evidência existe.

        O exemplo que ele gosta de utilizar para apoiar a sua hipótese (friso, hipótese) do design inteligente é o do flagelo bacteriano.
        Neste vídeo pode ver a explicação para o mesmo, que em nada contraria a Teoria da Evolução:

        http://www.youtube.com/watch?v=m2alpk8PUd4

        Tem ainda este:

        http://youtu.be/a_5FToP_mMY

        Infelizmente, agora não tenho aqui à mão fontes em português, mas espero que perceba o inglês.

        Em breve, esta informação estará disponível em português.

      9. Caro Alexandre,

        “(…) acredita mesmo nessa baboseira?”

        Pois bem.

        Vou iniciar com a seguinte pergunta: você tem uma teoria melhor?

        • Alexandre on 20/04/2012 at 16:48

        Sr. Diana,

        Ainda não vi os vídeos, mas vou ver com certeza e muito obrigada pela informação disponibilizada.

        Faz mais ou menos 150 anos que Charles Darwin apresentou o conceito de que a seleção natural explica a complexidade e a diversidade da vida. Mas sua teoria da evolução, bem como suas variações modernas, recentemente tem sido atacada por aqueles que acreditam que a bem ajustada arquitetura dos organismos vivos indica a existência de projeto. Diversos cientistas com sólidas credenciais não aceitam a ideia de que a evolução seja responsável pela enorme quantidade de espécies que vemos na Terra.

        Alguns desses cientistas apresentam um contra-argumento — conhecido como planejamento inteligente — afirmando que a existência de projeto na criação é firmemente apoiada pela biologia, pela matemática e pelo bom senso. Eles tentam incluir o estudo desse conceito nas aulas de ciência nas escolas. As chamadas guerras da evolução acontecem principalmente nos Estados Unidos, mas há relatos de tendências semelhantes na Holanda, na Inglaterra, no Paquistão, na Sérvia e na Turquia.

        A verdade é que existe contradição e não se reúne um consenso em relação ao assunto.

        Sr. Cavalcanti,

        Como já pode constatar nos meus comentários, com certeza percebeu que acredito numa criação e não estou a falar de crenças religiosas. Mas, a verdade é que no meu entender não poderia ser de outra forma.

        Cumprimentos,

      10. mas Alexandre, esses não são cientistas.
        Isso é uma RELIGIÃO – Criacionismo.

        Não é ciência.

        “aqueles que acreditam que a bem ajustada arquitetura dos organismos vivos indica a existência de projeto.”

        A palavra principal nesta sua frase é “acreditam”.
        Não há quaisquer evidências. É tudo uma crença religiosa. Nada mais.
        Não é ciência!

        Por toda a ciência, existe CONSENSO sobre a Teoria da Evolução, porque as provas são por demais evidentes.

      11. Ok. Vamos lá, Alexandre…

        Quando você se refere a “criação”, só podemos supor duas coisas: criação divina ou criação extraterrestre. Se a afirmativa do meu comentário for verdadeira, só pode ser crença religiosa.

        (…)

        • Alexandre on 20/04/2012 at 17:28

        Sr. Carlos,

        Não estou aqui a defender alguma crença religiosa, apenas estou a expor o meu ponto de vista.

        Como disse a criação é firmemente apoiada pela biologia, pela matemática e pelo bom senso.

        “A origem da vida é o precursor necessário para a evolução biológica, mas perceber que a evolução ocorreu depois de os organismos aparecerem pela primeira vez, e investigar como isto acontece, não depende na compreensão exacta de como a vida começou. O consenso científico actual é de que a bioquímica complexa que constitui a vida provém de reacções químicas mais simples, mas que não é claro como ocorreu esta transição. Não há muitas certezas sobre os primeiros desenvolvimentos da vida, a estrutura dos primeiros seres vivos, ou a identidade ou natureza do último ancestral comum ou do pool genético ancestral. Como consequência, não há consenso científico sobre como a vida surgiu. Algumas propostas incluem moléculas capazes de auto-replicação, como? E a construção de células simples.”

        Sr. Cavalcanti,

        Qualquer uma das duas, será sempre extraterrestre. Acredito que um ser superior nos criou. E sim estou mais inclinado para a divina.

      12. Não. A Criação não é apoiada por qualquer ciência ou sequer pela matemática.
        Isso é religião, pura e simples.

        • Alexandre on 20/04/2012 at 17:41

        Sr. Carlos,

        Em 2001, o Discovery Institute criou uma lista onde aparecem nomes de vários cientistas de todo o mundo, dos mais variados ramos, que se insurgem contra o darwinismo. Actualmente, a lista engloba mais de 700 cientistas. Para um cientista poder fazer parte da lista tem de possuir um doutoramento em algum destes ramos: Engenharia, Matemática, Biologia, Química, Ciências da computação, outros ramos que fazem parte das ciências naturais.

        Cumprimentos,

      13. LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL Alexandre!!!!

        Eu conheço esse instituto! É uma seita religiosa, disfarçada de ciência, para poder endoutrinar os miúdos nas escolas americanas.
        É a extrema direita americana, ultra-conservadora, e super-religiosa.

        Enfim…

        E os “cientistas” que você diz, são deste género:
        http://rationalwiki.org/wiki/William_Dembski
        http://rationalwiki.org/wiki/Richard_Weikart

        Não são cientistas coisíssima nenhuma….

        Enfim…

      14. Caro Alexandre,

        Não sei se você é leitor recente, mas permita-me expor algo à você: eu também sou religioso. Sou católico praticante. Porém, mesmo sendo religioso, não nego as evidências científicas. E, de modo particular, não vejo nenhum problema entre minhas crenças e os fatos científicos.

        Note que não há problema algum em acreditar nas várias crenças sobre a origem da vida – ou a origem do Universo. Eu até fiz um artigo sobre isso. Só não tente colocá-las como sendo verdadeiras – apenas no ponto em acreditar que tudo existe desde sempre da forma como a conhecemos atualmente. Tanto as evidências quanto os fatos científicos nos levam a reconhecer que a vida evoluiu (e continua a evoluir) e as coisas (natureza, animais e a dinâmica da Terra) foram, por diversas vezes, diferentes.

        Já agora Alexandre, convido-o em uma linha de pensamento: já parou, algum dia, pra imaginar o seguinte cenário?

        Imagine que Deus empilhou as peças de um dominó em uma sequência: construiu um caminho, feito tanto por retas quanto por curvas.Tudo na mais perfeita ordem estática. De repente, Deus deu o “peteleco” inicial. E deixou que as peças caíssem sobre si mesmas e não mais interferiu. Então, acredito que Deus deu esse “peteleco” inicial, seja por qualquer teoria científica: e desse “peteleco inicial” foi sendo formado os planetas; as estrelas; as galáxias; os buracos-negros, etc. e deixou que as coisas evoluíssem por si mesmas sem interferir – formando desde coisas simples como o átomo até o processo de formação de um sistema planetário.

        Mas, claro, a ciência não prova a existência de um Ser Superior: não está em suas atribuições. A ciência simplesmente entende o mundo tal como ele é. E já é o bastante. O que acabei de referir, portanto, são apenas crenças pessoais – sem respaldo no mundo da ciência.

        • Alexandre on 20/04/2012 at 18:09

        Sr. Carlos,

        O Sr. até pode ter razão, e pelo que li nas referencias que deixou, também me pareceu.

        Mas, no entanto deixo-lhe algumas frases conhecidas.

        Isaac Newton (1642-1727), fundador da física clássica e descobridor da lei da gravidade: “A maravilhosa disposição e harmonia do universo só pode ter tido origem segundo o plano de um Ser que tudo sabe e tudo pode. Isto fica sendo a minha última e mais elevada descoberta”.

        William Herschel (1738-1822), astrônomo alemão, descobridor do planeta Urano: “Quanto mais o campo das ciências naturais se dilata, tanto mais numerosas e irrefutáveis se tornam as provas da eterna existência de uma Sabedoria criadora e todo-poderosa.”

        Jons Jacob Berzelius (1779-1848), químico sueco, descobridor de inúmeros elementos químicos: “Tudo o que se relaciona com a natureza orgânica revela uma sábia finalidade e apresenta-se como produto de uma Inteligência Superior […]. O homem […] é levado a considerar as suas capacidades de pensar e calcular como imagem daquele Ser a quem ele deve sua existência”.

        James Prescott Joule (1818-1889), físico britânico, estudioso do calor, do eletromagnetismo e descobridor da lei que leva o seu nome: “Nós topamos com uma grande variedade de fenômenos que […] em linguagem inequívoca falam da sabedoria e da bendita mão dO Grande Mestre das obras”.

        Ernest Werner von Siemens (1816-1892), engenheiro alemão, inventor da eletrotécnica e que trabalhou muito no ramo das telecomunicações: “Quanto mais fundo penetramos na harmoniosa dinâmica da natureza, tanto mais nos sentimos inspirados a uma atitude de modéstia e humildade; […] e tanto mais se eleva a nossa admiração pela infinita Sabedoria, que penetra todas as criaturas”.

        Guglielmo Marconi (1874-1937), físico italiano, inventor do telégrafo sem fio, prêmio Nobel em 1909: “Declaro com ufania que sou homem de fé. Creio no poder da oração. Creio nisto não só como fiel cristão, mas também como cientista”.

        Albert Einstein (1879-1955), físico judeu alemão, criador da teoria da relatividade, prêmio Nobel em 1921: “Todo o profundo pesquisador da natureza deve conceber uma espécie de sentimento religioso, pois não pode admitir que seja ele o primeiro a perceber os extraordinariamente belos conjuntos de seres que contempla. No universo, incompreensível como é, manifesta-se uma inteligência superior e ilimitada. A opinião corrente de que sou ateu baseia-se num grande equívoco. Quem a quisesse depreender das minhas teorias científicas, não teria compreendido o meu pensamento”.

        Cumprimentos,

      15. Alexandre,

        Penso que este seu último comentário é a prova que não está aqui para aprender, para ter conhecimento, mas para tentar evangelizar as pessoas na sua religião.

        Este é um local de ciência, não de religião.

        O Alexandre mostrou não saber o que é a ciência, mostrou não perceber o que é uma Teoria, mostrou não saber diferenciar opiniões de conhecimento, mostrou não saber distinguir ciência de religião… e acaba esta contribuição aqui no astroPT dando citações ERRADAS, tiradas do contexto, de várias pessoas famosas, com o ÚNICO objectivo de confundir as pessoas.

        Einstein, por exemplo, já foi explicado aqui no blog dúzias de vezes.
        Ele não acreditava em Deus. Acreditava sim na natureza. Era a isso que ele se referia.
        Por isso, leia sobre esses assuntos, antes de vir para aqui afirmar coisas ERRADAS.

        “O Sr. até pode ter razão”

        Não “pode”. Eu Tenho.

        abraços

        • Alexandre on 20/04/2012 at 19:03

        Sr. Cavalcanti,

        Concordo, gostei do seu ponto de vista. O Sr. pode, por favor, colocar o link do “Eu até fiz um artigo sobre isso”. Gostava de o ler.

        Sou um leitor que regularmente visita o blog, só não costumo comentar porque normalmente partilho de diferentes pontos de vista que normalmente “choca” com os da maioria. Mas, digo-lhe a ciencia fascina-me.

        Obrigada.

        Sr. Carlos,

        Eu estou aqui para aprender, disso não tenha duvidas. Agora aprender não significa ter palas, ou ter que acreditar cegamente no que dizem.

        Os que ensinam a evolução muitas vezes são motivados, não por fatos, mas pelos “seus próprios desejos” — talvez o desejo de serem aceitos pela comunidade científica, que considera a evolução uma doutrina estabelecida.

        Quantos às frases acima, têm exatamente o significado que lhes é atribuido, nem mais nem menos. Agora, se alguem lhes atribui outro significado, a isso chama-se detrupar as palavras.

        Um bem haja, para o Sr.

      16. Alexandre,

        Pelos vistos acredita (crença) cegamente numa entidade criadora, sem ter qualquer evidência para ela.
        Já da TEORIA da Evolução, que se baseia em factos provados, já duvida porque diz que não quer ter pálas…
        Dois pesos e duas medidas… só com o intuito de seguir a crença cega.

        Os próprios desejos são os seus, e dos seus amigos do Discovery Institute.
        Já na ciência não há desejos pessoais: há evidências.
        Você é que quer negar evidências para ir atrás de crenças.

        Quanto às frases acima, são totalmente tiradas do contexto, bastando para isso ter um bocadinho de sabedoria sobre as pessoas em causa para perceber que as citações são completamente desajustadas.
        O Deus de Einstein, e de vários outros que menciona, assim como de Sagan, Tyson, entre outros, é a natureza. As evidências acima de tudo.

        Enfim… já lhe disse várias vezes para, se não sabe, perguntar, em vez de fazer afirmações ERRADAS.

      17. Clique em meu nome e abrirá uma página com os artigos que escrevo. Procure-o sob título “Qual a Origem da Vida?”

        Existem outros artigos sobre temas correlacionados – escritos por outros colaboradores do AstroPT e ainda melhores do que os que escrevi:

        http://www.astropt.org/2011/07/26/panspermia-duas-estrategias-de-evolucao/

        http://www.astropt.org/2011/07/05/a-vida-no-universo/

        http://www.astropt.org/2012/02/07/novas-formas-de-abiogenese/

        http://www.astropt.org/2010/09/06/evidencias-para-a-evolucao/

        http://www.astropt.org/2010/07/24/vida-no-universo/

        http://www.astropt.org/2008/09/12/criar-vida/

        Abraços.

        • Alexandre on 20/04/2012 at 19:36

        Srs.

        Antes demais, peço desculpas por alguma coisa que tenha dito, tudo o que escrevi foi sem intenção de prejudicar ou magoar quem quer que seja.

        Agradeço a Vossa disponibilidade em esclarecer os pontos aqui abordados, pois só com dialogo é posso ampliar o conhecimento.

        Sr. Carlos, em momento algum quis lhe faltar com respeito e informo que independentemente de por muitas vezes não partilhar da mesma opinião consigo, o considero muito inteligente e capaz, se assim não fosse não visitava o seu blog com regularidade. Mais uma vez, parabéns pelo seu trabalho.

        Como já disse anteriormente, não faço parte de qualquer religião ou crenças, apenas confronto todos os pontos de vista quando os mesmo têm varias razões para justificar os factos.

        Sr. Cavalcanti, fico aguardar o link, e muito obrigada.

        Sr. João fico aguardar o post, e muito obrigada.

        Sr. Diana, logo mais tarde vou ver os vídeos que me disponibilizou, e muito obrigada.

        Sr. Carlos, muito obrigada pelo seu blog, pois o considero de enorme utilidade.

        Cumprimentos

        • Cavalcanti on 21/04/2012 at 00:48

        Já agora, Alexandre, para facilitar – pois você pode ter alguma dificuldade em encontrar-me na página de colaboradores – deixo o link do artigo que escrevi sobre crenças e teorias acerca da origem da vida – assim como sugiro, mais uma vez, o convite à leitura dos artigos que, primeiramente, repassei.

        http://www.astropt.org/2012/02/07/qual-a-origem-da-vida/

        Abraços cordiais.

      18. o Alexadre diz:
        “Faz mais ou menos 150 anos que Charles Darwin apresentou o conceito de que a seleção natural explica a complexidade e a diversidade da vida. Mas sua teoria da evolução, bem como suas variações modernas, recentemente tem sido atacada por aqueles que acreditam que a bem ajustada arquitetura dos organismos vivos indica a existência de projeto. Diversos cientistas com sólidas credenciais não aceitam a ideia de que a evolução seja responsável pela enorme quantidade de espécies que vemos na Terra.”

        NÃO!
        ISSO É MENTIRA!!
        Não existem cientistas com sólidas credenciais que digam nada disso!!!!!

        Não há qualquer evidência de projecto nem de design até porque a arquitectura dos organismos, como lhe chama, não é bem ajustada!
        Isso é só uma aparência!
        E já lhe dei o exemplo do olho humano, que só é “maravilhosos” em aparência. Na verdade é um órgão defeituoso e muito, mas MUITO, facilmente enganável!

        O que existe no mundo natural, que é fabuloso, é a aparência de design.

        Por favor, veja as provas que lhe estamos a dar e não vá em charlatanices disfarçadas de ciência. e deixe de se toldar pela sua crença pessoal. Na ciência, ela não tem lugar. E os cientistas que se deixam cair nesse erro, cedo são corrigidos pelo resto da comunidade. É o caso do Michael Behe e de outros poucos apoiantes da hipótese do design inteligente (uma hipótese que é anterior a Darwin), para a qual NÃO EXISTEM EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS.

      19. De novo, diz o Alexandre:
        “Como disse a criação é firmemente apoiada pela biologia, pela matemática e pelo bom senso”

        Alexandre, pode dizer o que muito bem entender, mas esta frase É MENTIRA À LUZ DA CIÊNCIA!!!

        Não existe nenhum apoio da biologia, nem matemática e muito menos do bom senso!
        Só existe religião e muito dinheiro por trás disto.
        O Inteligente Design não nasce da ciência mas de uma campanha orquestrada pelo Discovery Institute (nome irónico para quem quer minar a ciência com crenças religiosas que até já foram abandonadas pela Igreja Católica, diga-se), com muito dinheiro por trás e com o único intuito de criar a “ilusão de conflito” quando este NÃO EXISTE.

        A evolução biológica está PROVADA!
        Tanto em laboratório, como na natureza.
        Tanto em teoria, como matematicamente.

        Se não quer acreditar, é um problema de crença! Não venha dizer que é ciência, porque NÃO É!

        • Alexandre on 23/04/2012 at 15:14

        Bem, tinha decidido que não iria postar mais nenhum comentário, mas não resisti aos comentários da Dr.ª Diana.

        Boa tarde Dr.ª Diana,

        Permita-me discordar, da sua afirmação:
        “E já lhe dei o exemplo do olho humano, que só é “maravilhosos” em aparência. Na verdade é um órgão defeituoso e muito, mas MUITO, facilmente enganável!”

        Os cientistas acreditam que uma pessoa com boa visão absorve cerca de 80% das informações ao seu redor por meio dos olhos. Em conjunto com o cérebro, nossos olhos nos permitem enxergar em cores e em três dimensões, acompanhar de forma suave objetos e imagens em movimento, e reconhecer padrões e formas. Além disso, podemos ver sob diversas condições de iluminação.

        A retina tem dois tipos de fotorreceptores: cones (aproximadamente 6 milhões), que detectam cores e detalhes das imagens; e bastonetes (120-140 milhões), que são mais de mil vezes mais sensíveis que os cones e nos ajudam a enxergar quando há pouca iluminação. Isso quer dizer que, sob condições ideais, um bastonete pode detectar até mesmo um único fóton, ou partícula elementar da luz.

        Outro mecanismo adaptável está relacionado aos neurônios da retina ligados aos cones e bastonetes. Esses neurônios se adaptam “em questão de segundos e podem deixar a visão noturna no mínimo dez vezes melhor”, diz a Associação Americana de Optometria. “A adaptação neural pode ser comparada a uma câmera equipada simultaneamente com filme de baixa e de alta velocidade.”

        Fale sério Dr.ª Diana, você acha isto um defeito?

        Quanto a esta sua afirmação:
        “Por favor, veja as provas que lhe estamos a dar e não vá em charlatanices disfarçadas de ciência. e deixe de se toldar pela sua crença pessoal.”

        Como me considero curioso, costumo ler vários artigos e estudos e não vou em charlatanices e como já disse não faço parte de o quer que seja. Agora, como a maioria tenho opiniões sobre vários assuntos.

        Se por um lado, existem as religiões que defendem a criação, por outro surgem cientistas que apresentam variadas teorias para a existência da vida.

        O Dr. Cavalcanti disponibilizou um post, que só lá indica 5 teorias, mas existem muitas outras.

        Alguém em tempos escreveu “Costuma-se dizer frequentemente que todas as condições necessárias para o surgimento de um ser vivo encontram-se presentes agora como sempre se encontraram. Mas se (e como é grande esse se!) nós pudéssemos imaginar que, nos dias de hoje, em alguma poçazinha tépida, com todos tipos de sais amoníacos e fosfóricos, luz, calor, eletricidade, etc., estando presentes, um composto protéico estivesse quimicamente formado e pronto para sofrer mudanças mais complexas, tal composto seria imediatamente devorado ou absorvido, o que não teria ocorrido antes dos seres vivos terem sido formados.”

        Os modelos propostos para a origem da vida são tentativas de recriar a história desta evolução e é importante destacar que não existe, na maioria das etapas deste processo, nenhum consenso entre os cientistas. É uma situação inteiramente distinta da evolução biológica onde o modelo evolucionista Darwiniano encontra-se bem estabelecido há mais de um século. Para melhor situar o problema é indispensável em primeiro lugar examinar os níveis de organização inerentes à matéria viva e então discutir como os modelos propostos para a origem da vida (ou biopoese) tentam resolvê-los.

        Em suma, a Dr.ª sabe também como eu que não existe prova alguma, existem sim teorias, hipóteses e crenças

      20. Sim, o olho humano é bastante defeituoso, bastante para isso compará-lo até com olhos de outras espécies. Só para Criacionistas que não querem saber de conhecimento é que o olho humano é maravilhoso.

        “Os modelos propostos para a origem da vida são tentativas de recriar a história desta evolução e é importante destacar que não existe, na maioria das etapas deste processo, nenhum consenso entre os cientistas. É uma situação inteiramente distinta da evolução biológica onde o modelo evolucionista Darwiniano encontra-se bem estabelecido há mais de um século.”

        Curioso que distingue “cientistas” numa frase, do “modelo evolucionista Darwiniano” na frase seguinte. Quando *todos* os cientistas percebem as provas existentes desse modelo.

        “existem sim teorias, hipóteses e crenças”

        Pois, existem teorias científicas que lhe permitem explicar a Gravidade e dar-lhe computadores e internet e tudo o resto para o Alexandre viver no século XXI.
        Existem hipóteses científicas que é o que nos faz progredir como humanidade.
        E depois existem crenças paradas no tempo, baseadas em mitos infundados, contra as evidências, e carregadas de mentiras, como aquelas propagadas pelos seus amigos do Discovery Institute.
        Tem razão. Uns (cientistas) dão valor ao conhecimento do Universo. Enquanto outros (Discovery Institute) põem as suas crenças pessoais acima de qualquer facto. É a diferença entre os termos.

        • Cavalcanti on 23/04/2012 at 18:31

        Prezado Alexandre,

        “O Dr. Cavalcanti (…)”

        Aqui no Brasil, por lei, só denominamos “Dr.”, antes do nome, àqueles que possuem título de doutorado. Ainda estou a fazer este num futuro breve. Não sou engenheiro com doutorado.

        De resto,

        “(…) disponibilizou um post, que só lá indica 5 teorias, mas existem muitas outras.”

        Tenho ciência das tantas outras, porém não foram inseridas no post porque as que foram citadas são as que estão mais em evidência – tanto crenças quanto evidências/hipóteses/fatos científicos.

        Sei que não se referiu, todavia, evidentemente, não colocaria a teoria de seres extraterrestres interferindo no código genético do hominídeo. 😉

        Sugiro a releitura para uma melhor compreensão do artigo citado.

        Abraços.

        • Alexandre on 23/04/2012 at 18:38

        Boa tarde Dr. Carlos,

        Bem se quer comparar os nossos olhos com qualquer outra espécie, uhmm, pode faze-lo. Mas, e se quiser comparar o nosso cérebro com outro de uma espécie qualquer? Talvez já seja maravilhoso.

        Depois, temos estado a abordar um tema, e o Dr. responde-me com avanços tecnológicos. Nunca em momento algum pôs em causa a importância da ciência na minha vida, como já mencionei num outro comentário, sou completamente dependente da ciência.

        Informo, (como já o tinha dito) não tenho amigos no Discovery Institute apenas o mencionei (aliás como já mencionei muitas outras fontes aqui), para perceber o que pensava sobre esse instituto. Tive a oportunidade de ler sobre eles e também fiquei com impressão má sobre eles. Agora, reparei que à vossa falta de resposta, vocês se agarram ao Discovery Institute para a justificar.

        Não quero com isto dizer que as teorias estão certas ou erradas, apenas tento perceber qual delas faz mais sentido.

        Agora, sempre que menciono alguma ideia, vocês atacam como se estivessem a defender uma religião. Cuidado Dr. Carlos, quem parece que está aguarrado a um tipo de doutrina são vocês e não eu. Afinal, começo a ver que vocês têm muito em comum com o Discovery Institute.

        Quando inúmeros cientistas devidamente creditados afirmam que não existe um consenso em relação a esta matéria, e vocês continuam a bater na mesma tecla.

        Quando digo que tenho duvidas, é por vossa causa que as tenho, pela falta desse consenso.

        Cumprimentos,

      21. Olá Alexandre,

        Eu não sou doutor. Só daqui por 2 meses.

        Quanto a cérebros, proponho que estude os primeiros cérebros na Terra: os dos répteis. Pode ser que aprenda algo 😉

        “Não quero com isto dizer que as teorias estão certas ou erradas, apenas tento perceber qual delas faz mais sentido.”

        Não existem 2 tipos de teorias.
        Já lhe dei a explicação do que é uma teoria atrás. Teoria depende de FACTOS comprovados. Só as Teorias científicas têm isso.

        A Gravidade é uma TEORIA. E, como qualquer teoria, está certa.
        Dizer que os humanos estão agarrados ao chão porque o Pai Natal os empurra para o chão (chamada Intelligent Falling) NÃO é uma teoria, mas sim uma crença pessoal sem quaisquer evidências.

        “Agora, sempre que menciono alguma ideia, vocês atacam como se estivessem a defender uma religião. Cuidado Dr. Carlos, quem parece que está aguarrado a um tipo de doutrina são vocês e não eu.”

        E aí é que se engana.
        Porque como eu já disse CENTENAS de vezes aqui no blog, as crenças de cada um são indiferentes para a ciência, para a verdade.
        Faça as experiências por si, e veja.

        Agora procure a verdade, e não diga mentiras do género que são tudo teorias, ou que estão ao mesmo nível. Não estão, nem são.
        Procure conhecimento por si. E não se deixa levar pelas mentiras dos vigaristas.
        Isso não é religião. É o oposto de religião.

        “Quando inúmeros cientistas devidamente creditados afirmam que não existe um consenso em relação a esta matéria,”

        Isso é MENTIRA!
        *TODOS* os cientistas estão em consenso.
        Lá está. Você tem uma CRENÇA infundada, baseada no que lhe dizem os vigaristas.

        “Quando digo que tenho duvidas, é por vossa causa que as tenho, pela falta desse consenso.”

        MENTIRA.
        Existe CONSENSO.
        Assim como existe CONSENSO sobre a Gravidade. No entanto, há pequenas coisas aqui e ali na Gravidade que não se sabe explicar. Os não-consensos são PONTUAIS. E os pontos sobre Darwin que não se consegue explicar só se conseguirão explicar pela CIÊNCIA, só CIENTISTAS chegarão a essas explicações, e esses pontos são menos que o que não se conhece sobre a Gravidade!
        E não vejo o Alexandre dizer o mesmo da Gravidade e a atirar-se do topo de um edifício de 20 andares, como disse o Dawkins.
        Só isso prova que o seu objectivo é RELIGIOSO e não de objectivamente estar a par dos problemas.

        abraços

      22. Caro Alexandre,

        Também eu tinha decidido não perder mais tempo a comentar as sandices que aqui está a dizer.
        Mas devo à Ciência e à sua divulgação fazê-lo! É a minha obrigação como cientista!

        É que o Alexandre, como muitos fanáticos religiosos, faz “cherry picking” do que gosta e não gosta da Ciência.
        A Internet é maravilhosa não é? Então a Ciência é boa e “acredita-se”.
        A Evolução vai contra as minhas crenças? Então vamos dizer que não é científica.

        Pode ir aos sites de todas as universidades respeitáveis Americanas e Europeias e procurar pelos departamentos de Biologia. E depois, escreva a todos os professores e cientistas que lá trabalham e conte quantos deles serão contra a Evolução. Garanto-lhe uma coisa: algum haverá!

        E sabe porquê?
        Porque, tal como a Teoria da Evolução postula, em todas as populações há variabilidade a todos os níveis. Portanto, de entre os milhares de cientistas que estudaram Biologia e os fenómenos evolutivos, haverá uma “meia dúzia” que diga o contrário. São puros “outliers” estatísticos.

        E isso é o que são os “cientistas” do Design Inteligente. Outliers! Não têm validade!
        Porquê? Porque foram contra a norma? NÃO!
        PORQUE NÃO TÊM PROVAS DAQUILO QUE AFIRMAM!!!!

        Darwin também foi contra a norma.
        Mas apresentou um trabalho tão bem feito, tão elegantemente argumentado e com algumas evidências já por ele estudadas, que a comunidade científica não teve outro remédio senão aceitar e começar a averiguar o que dizia. Até se descobrirem os mecanismos da hereditariedade (primeiro) e a genética molecular (depois), havia dúvidas quanto ao mecanismo da Selecção Natural, mas não da existência da Evolução! Essa já tinha sido intuída por muitos outros antes de Darwin (incluindo o seu avô), e com Darwin e as suas observações FUNDAMENTADAS foi aceite como Teoria (no sentido científico da palavra).

        A Evolução está apoiada pelos princípios teóricos, pelas observações populacionais (sim, é possível ver a evoluçao a acontecer no tempo de vida de um humano!!! Conhece Peter e Rosemary Grant? Eles observaram a evoluçao a acontecer nas Galápagos! Espécies novas a formarem-se devido à Selecção Natural!), pelas observações genéticas e pelas provas matemáticas que a acompanham.
        O Carlos já o disse, mas eu volto a repetir: a Teoria da Evolução é das Teorias científicas mais escrutinadas da história! E todas as evidências a apoiam!!!

        Quer isto dizer que há consenso em todos os detalhes, que sabemos tudo sobre evoluçao? Claro que não! Essa é a maravilha da ciência!
        Mas, até encontrarem um fóssil de coelho no meio das trilobites (ou outro tipo de evidência extraordinária como esta), a evoluçao é REAL!

        Agora, voltemos ao olho humano.
        Sim, o olho humano é capaz de ver em três dimensões, perceber formas, variações de luz, blá blá blá blá!
        Mas é isso não faz dele perfeito! Isso é antropocentrismo puro!
        Sabia que o polvo tem um olho muito semelhante ao dos humanos?
        Sabia que as lagartixas têm nao três, mas quatro! fotorreceptores? E que, ainda por cima, vêem na gama ultravioteta do espectro electromagnético! É inimaginável a quantidade de cores que percebem! Muitas mais que nós!
        E sabia que nós também temos um fotorreceptor que permite ver alguma “cor” da gama ultravioteta mas que a nossa retina (chata!) filtra esses raios?
        Pois, é que os mamíferos, ao EVOLUÍREM para ter outro tipo de acuidade visual (mais importante que ver UV), perderam a capacidade de ver o UV.
        No entanto, pessoas com problemas na retina (casos muito raros) “ganham” essa capacidade. É fantástico!

        Mas voltemos aos defeitos, há mais: os nossos olhos “percebem” as imagens ao contrário (viradas de pernas para o ar) e enviam-nas ao cérebro ao contrário (o olho direito para o lado esquerdo e o esquerdo para o direito)! E o cérebro é que tem a “trabalheira” de voltar a por tudo em ordem. Acha que isto é obra de um designer? Que treta de designer que nos saiu!

        Se quer realmente aprender mais sobre o olho e a visão humana, leia este post e os veja o artigo científico e vídeos que lá são citados:

        http://armariumlibri.blogspot.pt/2011/06/o-olho-humano-e-complexidade.html

        Nunca ouviu falar de “ilusões de óptica”?
        Elas existem (e são tão divertidas…e tão úteis aos mágicos e charlatães) porque os nossos olhos são falíveis! Muito imperfeitos! O contrário de um objecto desenhado com cuidado!

        A vida é fantástica!
        A ciência é fantástica!

        Não diga que a admira por favor, porque enquanto negar a Evolução, está a enganar-se a si próprio!

        • Alexandre on 24/04/2012 at 09:30

        Bom dia a todos,

        Bem, quando vi o comentário da Dr.ª Diana, até me assustei, porque pensei que também me ia dizer que não era Dr.ª. Dr. Cavalcanti e Dr. Carlos, se vos trato por Dr., é no sentido de vocês se irem habituando, afinal é uma questão de tempo.

        Foi de muito proveito este debate, posso dizer que retirei muito sumo. Agora, vou “chatear” alguém com ou tipo de crença e confronta-lo com evidencias cientificas.

        A ciência estudada pela Dr. Diana faz sentido e até tem pontos que concordo, apenas acho que os exemplos fornecidos não foram os melhores. Como o exemplo do olho, como poderíamos ter abordado outras partes do corpo humano como a mão ou até mesmo o cérebro. O exemplo do Peter e Rosemary Grant, que apenas se limitaram a ver um pássaro a crescer, como cresce a minha filha que com 11 meses lhe crescem os dentes, enfim são fases de crescimento.

        Apenas vos peço que me expliquem a afirmação abaixo, que foi dita por alguém muito conhecido no mundo da ciência e por vós defendido.

        “Costuma-se dizer frequentemente que todas as condições necessárias para o surgimento de um ser vivo encontram-se presentes agora como sempre se encontraram. Mas se (e como é grande esse se!) nós pudéssemos imaginar que, nos dias de hoje, em alguma poçazinha tépida, com todos tipos de sais amoníacos e fosfóricos, luz, calor, eletricidade, etc., estando presentes, um composto protéico estivesse quimicamente formado e pronto para sofrer mudanças mais complexas, tal composto seria imediatamente devorado ou absorvido, o que não teria ocorrido antes dos seres vivos terem sido formados.”

        Bem, agora deixo o espaço, não quero ser acusado de monopolizador, embora acho que o espaço está tão feito que permite que várias pessoas possam interagir.

        Mais uma vez parabéns pelo blog Dr. Carlos, espero que continue assim por muitos anos, pois o considero uma rica fonte de conhecimento.

        Cumprimentos a todos.

      23. “A ciência estudada pela Dr. Diana faz sentido e até tem pontos que concordo”

        Não é uma questão de concordar ou não.
        A ciência, a verdade, não depende da visão de uma pessoa, se uma pessoa concorda ou não.
        Não concorde com a Gravidade e faça a experiência do Dawkins, que se espeta na mesma cá em baixo, independentemente se concorda ou não.

        Continua a não entender que a ciência, a verdade, não depende das suas opiniões, concordâncias, ou crenças pessoais.

        Quanto à citação, não percebo porque tem MEDO de dizer que é de Darwin.
        http://pt.wikipedia.org/wiki/Abiog%C3%AAnese#Origem_qu.C3.ADmica_da_vida
        Se lesse o comentário da Diana, percebia que na altura de Darwin ainda não se sabia o que se sabe hoje para provar a sua teoria. Repito: SE lesse o comentário da Diana. Para dar essa citação, é porque não o leu ou não o quis perceber.
        Quanto à citação em si, também é explicada pela Evolução: vida afecta vida. Sempre foi assim e sempre será. Vá falar com as cianobactérias que percebe isso.

        abraços

    1. http://www.astropt.org/2010/03/05/asteroide-provocou-a-extincao-dos-dinossaurios/

      http://www.astropt.org/2009/04/27/dinossauros-morreram-devido-a-asteroide/

      A colisão de asteróide terá sido a principal. Mas a seguir a essa, vieram outras.
      Os dinossauros não morreram “de repente”, segundo os parâmetros humanos 😉

      abraços! 😉

        • Rui Costa on 26/04/2012 at 02:24

        O Sr. Alexandre deixou um pedido que passou despercebido:

        «Apenas vos peço que me expliquem a afirmação abaixo, que foi dita por alguém muito conhecido no mundo da ciência e por vós defendido.

        “Costuma-se dizer frequentemente que todas as condições necessárias para o surgimento de um ser vivo encontram-se presentes agora como sempre se encontraram. Mas se (e como é grande esse se!) nós pudéssemos imaginar que, nos dias de hoje, em alguma poçazinha tépida, com todos tipos de sais amoníacos e fosfóricos, luz, calor, eletricidade, etc., estando presentes, um composto protéico estivesse quimicamente formado e pronto para sofrer mudanças mais complexas, tal composto seria imediatamente devorado ou absorvido, o que não teria ocorrido antes dos seres vivos terem sido formados.”»

        Antes de tentar explicar a frase, quero dizer que essa citação é de facto de um cientista muito conhecido (C. Darwin), mas que não é “por nós defendido”. Na Ciência não se venera nem se defendem indivíduos. Quando muito reconhece-se valor nas ideias e no trabalho desenvolvido por determinados indivíduos.

        Quanto à explicação…
        Começa por fazer referência ao Princípio das Causas Atuais (Princípio, também conhecido como princípio do atualismo, segundo o qual as leis que superintendem os fenómenos geológicos atuais são válidas quando aplicadas aos fenómenos que ocorreram no passado).

        De seguida diz, e muito bem, que se qualquer composto proteico se formar na atualidade, é imediatamente devorado ou absorvido por qualquer ser vivo, antes que tenha tempo de iniciar qualquer processo evolutivo.
        Sabendo Darwin que os seres vivos preenchem toda a biosfera e que cada centímetro cúbico de solo ou de água contém uma enorme quantidade de seres vivos, que competem pelo alimento disponível e em que uns são o alimento de outros, foi um sinal de inteligência reconhecer que, nas condições atuais, não é possível reiniciar-seos processos que levariem ao surgimento de novas formas de vida a partir de matéria inorgânica.
        Mas logo de seguida Darwin termina dizendo que essa circunstância de os compostos proteicos serem imediatamente devorados ou absorvidos não teria ocorrido antes de os seres vivos terem sido formados.

        BRILHANTE! esta última conclusão é brilhante. Dawnin conclui que nos primórdios da Terra, antes de existirem seres vivos, os compostos orgânicos se podem ter formado, (ainda que as probabilidades fossem pequenas, daí o “e como é grande esse se!” ) e que podem sofrido mudanças mais complexas PRECISAMENTE PORQUE NÃO EXISTIAM SERES VIVOS PARA OS DEVORAR NEM ABSORVER!

        E eu ainda acrescento, em relação ao pormenor do “e como é grande esse se!”, que um evento pouco provável se torna muito provável quando dispõe de uma área de experimentação com 510 milhões de km2 e de espaços de tempo que se medem em milhões de anos.

        Sr. Alexandre, se não tinha compreendido o texto, fez bem em pedir que lho explicassem. E eu espero que lhe tenha conseguido transmitir qual o pensamento de Darwin quando o escreveu.
        Cumprimentos

  1. No limite, dentro do Sistema Solar, apesar de muito improvável, seria possível… nem que tivesse um ´prazo de validade’ (tempo de vida) muito limitado. Mas num futuro cenário optimista, onde encontramos vida simples nas Luas de Jupiter ou Saturno, ou até em Marte, dentro das várias possibilidades de ‘contaminação’ terrestre (com as sondas anteriormente lançadas), teremos que investigar esta possibilidade remota…

    Num calculo de probabilidades (puramente estatístico), além de todos os obstáculos durante a ‘viagem’, teria que encontrar um ambiente ‘acolhedor’, e isso torna a teoria uma quase impossibilidade.

    Abraços

  2. Já vi (no meu livro de geologia :-)) a falarem sobre isso. Mantos basálticos com 65 milhões de anos na região de Decão, Índia. Há cada teoria, que é difícil termos uma leve ideia do que aconteceu na realidade.

  3. A verdade, é que cerca de 90% das teorias dos cientistas, não passam disso mesmo teorias. Hoje vem um cientista com uma teoria sobre a extinção dos dinossauros, amanhã aparece outro cientista com uma nova teoria. A verdade é que nem mesmo os cientistas conhecem a verdade sobre o universo, baseiam-se em teorias que lhes parece ser mais sensatas. Alguém no seu prefeito juízo, consegue imaginar a vida criada a partir do nada? Os próprios cientistas afirmam que a existência de vida no planeta Terra, não foi obra do acaso, os mesmos afirmam que tudo no universo funciona de forma harmoniosa. Num estudo li que se o planeta terra estivesse mais perto do sol apenas um quilometro já não reunia as condições para a existência de vida na terra. Tudo o que se diz acerca do universo não passam de teorias in fundáveis. Esta é a mais pura verdade.

    1. A verdade é que você resolveu entrar num local de conhecimento para afirmar disparates.
      Se não sabe, deve perguntar, e não afirmar coisas que nitidamente são mentira.

      A verdade é que ninguém lhe disse que a vida é criada a partir do nada.

      A verdade é que 100% das teorias científicas são teorias, que por definição só existem após se observar o fenómeno e se comprovar que ele existe com várias evidências concretas. A Teoria é basicamente um agrupar de diferentes factos numa única explicação consistente. Exemplo: a maçã cai da árvore para a Terra. A Lua orbita a Terra. A Teoria da Gravidade pensada por Newton junta esses dois fenómenos, observações, factos, numa explicação lógica, agrupante, e consistente.
      A panspermia não é uma teoria, mas é sim uma hipótese científica.

      A verdade é que você só tem computadores, telemóveis, e uma internet, porque 100% das teorias científicas funcionam.
      Mas a verdade é que ou você não sabe o que é uma teoria e por isso faz afirmações contrárias ao conhecimento, ou então utiliza as coisas (as tais teorias) no seu dia-a-dia enquanto anda a dizer mal delas (e isso tem um nome: dizer uma coisa e fazer o seu contrário).
      http://www.astropt.org/2012/02/18/7-equacoes-que-governam-o-seu-mundo/

      A verdade é que você usa o pensamento científico e assume essas teorias a todas as horas do dia, mas incrivelmente acha erradamente que as “teorias” são coisas de cientistas que mudam a toda a hora.
      http://www.astropt.org/2011/05/21/profecias-da-ciencia/

      Para concluir, a verdade é que você anda enganado…

      abraços

      • Makoto Bakura on 27/11/2017 at 16:48
      • Responder

      “Alguém no seu prefeito juízo, consegue imaginar a vida criada a partir do nada?”

      Fazendo um exercício de imaginação, sem levar em consideração o que já foi ou não provado pela Ciência, eu consigo… O Nada, se for considerar o Nada Nada mesmo, não tem nada… Nem luz, nem gravidade, nem peso, nem matéria, nem cor, cheiro, nem em cima, dentro, fora, lados, tempo, tamanho, e o mais importante, não tem regras! Se tivesse regras seria algo, e não seria o Nada! Se não tem regras, o Nada é a “coisa” com maior potencial de criar qualquer coisa que se pode imaginar… Do Nada pode sair algo com lógica, pode sair algo que contraria qualquer regra existente, e pode não sair nada também! E tudo isso não precisa ter lógica nenhuma, porque o Nada não tem lógica nenhuma… Se tivesse, não seria o Nada!

      Então, sim, eu consigo imaginar a vida sendo criada a partir do Nada!

      PS. Acho que vou criar uma seita religiosa onde o Nada criou tudo que existe, até Deus… Aposto que vai ter um monte de gente que vai me seguir =D

      1. Uma pergunta e uma sugestão:

        – sobre o Nada, existe este livro em que se percebe que o Nada não é realmente “nada”.
        http://www.gradiva.pt/?q=C/BOOKSSHOW/9134

        – quanto à sua hipótese/ideia/preceito religioso 😉 , que é bastante desafiante, deixo esta pergunta: como mediria esse “nada”? Porque se é nada, não consegue lá meter radiação (nem tempo nem tamanho nem gravidade nem regras, etc)… assim como mediria que estava realmente na presença de “nada”? Como consegue provar que estamos na presença do “nada” na sua definição? 😉

        abraço!

    • João Monteiro on 20/04/2012 at 14:54
    • Responder

    Boa tarde Alexandre,

    Agradeço os seus comentários no blog. E, acredite que não considero as suas dúvidas sobre evolução despropositadas, dado que se trata de um leigo (preocupava-me se fossem feitas por 1 biólogo). Não as considero despropositadas, porque são as dúvidas de muitas pessoas que se começam por interessar pelo estudo da evolução, mas às quais faltam algumas bases, o que é compreensível dada a falta de formação académica nesta área. E por isso, acho importante que tenha demonstrado as suas dúvidas, na expectativa que algum especialista o consiga esclarecer. E é aqui, como biólogo, que entro, se muito humildemente me permite.

    Do que li muito rapidamente e na diagonal, apercebi-me de duas questões importantes:
    a) Que a evolução é apenas 1 teoria, e b) que a humanidade parou de evoluir. começarei por responder, brevemente, a estes 2 temas.

    a) Será a evolução apenas 1 teoria?
    Boa questão, que resulta de um mal entendido. É que 1 palavra pode ter vários significados. Neste caso, usamos a palavra teoria no nosso dia-a-dia como uma opinião do que pode acontecer; por exemplo, tenho a teoria que vai continuar a chover logo à noite, ou tenho a teoria que o Sporting vai ganhar o campeonato. Mas em ciência, o que achamos que vai acontecer, chama-se hipótese. Após estabelecermos a hipótese para o fenómeno em estudo vamos fazer experiência para testar a nossa hipótese. As experiências podem comprovar ou refutar as nossas hipóteses. Se a hipótese for refutada, temos de elaborar 1 nova hipótese e voltara a experimentá-la, mas se verificarmos que está correcta, elaboramos 1 teoria. É por isso que dizemos que existe a Teoria de evolução, porque foi comprovada, e continua a ser ao longo das últimas centenas de anos. Por isso a evolução é 1 Teoria (científica) e não “apenas 1 teoria” (sinónimo de hipótese). – Conclusão: a mesma palavra pode ter diferentes significados em contextos distintos.

    b) o Homem parou de evoluir?
    A resposta é Não. O homem, como qualquer outro ser vivo continua a evoluir, enquanto espécie. Só que a evolução de uma espécie dá-se ao longo de várias gerações e por isso é difícil acompanhar a evolução no ser humano, apesar de termos vários exemplos: a cor da pele, “resistência” à malária, tolerância à lactose, propensão para hipertensão em alguns grupos étnicos, etc.
    Em espécies com ciclo de vida mais curto, como as bactérias, p. ex., podemos acompanhar a evolução, pelo simples facto de que conseguimos acompanhar várias gerações desses organismos.

    Deixo aqui algumas dicas para reflexão. Deixo a promessa de escrever um post mais elaborado sobre este tema, pelo que pedia ao Sr. Alexandre que deixasse mais questões que tivessse.
    Aproveito ainda para agradecer o seu interesse por este blog, que tem muita qualidade no que concerne à divulgação científica (também sou apenas leitor, e não colaborador, pelo que não estou a puxar a brasa à minha sardinha).

    Cumprimentos,
    João Monteiro

    1. Boa tarde Sr. João,

      Desde já o meu agradecimento pela explicação e fico aguardar o seu post sobre esta matéria que a mim me interessa e muito.

      É obvio que sou um bocado séptico em relação à teoria da evolução, daí confrontar o Sr. Carlos com afirmações (Sr. Carlo eu sei, sem perguntar) e questões.

      Não estou com isto a dizer que tanto o Sr. João e o Sr. Carlos não têm razão, não, até porque vocês têm de longe muito mais voto na matéria.

      Continuo a dizer que não se trata de uma evolução, mas sim uma enorme capacidade que temos de nos adaptarmos ao ambiente em que estamos inseridos. Mas vou esperar pelo post do Sr. João, para aí depois de o ler, vos confrontar com as minhas duvidas.

      Muito obrigado aos dois, foram excepcionais na paciência que tiveram comigo.

      Com os melhores cumprimentos,

      Alexandre Oliveira

      1. “Continuo a dizer que não se trata de uma evolução, mas sim uma enorme capacidade que temos de nos adaptarmos ao ambiente em que estamos inseridos.”

        Mas Alexandre…. isso o que se chama popularmente de Teoria da Evolução.
        A Selecção Natural depende disso que referiu: da adaptação ao meio ambiente da altura.

        Todas as espécies o fazem. Não só nós.

        A Terra não tinha oxigénio na atmosfera.
        As cianobactérias puseram mais de 20% de oxigénio na atmosfera.
        E o que aconteceu a seguir, após esses milhares de milhões de anos?
        Algumas espécies adaptaram-se à nova atmosfera, com oxigénio, e passaram a usar esse “veneno” para si próprios. Nós evoluímos a partir desses, que usaram esse veneno que não existia antes (apesar de já existir vida).

        Afinal, o que é para si a Evolução?

        abraços

  4. Olá João,

    Obrigado pelo comentário!

    Eu poria as coisas ainda mais ao nível humano…

    Penso que mesmo sem entrar em efeitos que só se vêem com microscópio e com estudos de laboratório (ex: bactérias), penso que qualquer pessoa pode ver que o Homem evoluiu.

    Por exemplo: para onde foi tanto pêlo? Pois… deixou de ser necessário….
    Por exemplo: que é feito daqueles dentes fortes para rasgar carne? Pois, deixaram de ser necessários…
    Por exemplo: para quê o apêndice? Pois, é um vestígio daquilo que era, mas foi evoluindo ao longo dos tempos…

    Estes e muitos outros exemplos provam a evolução do Homem a nível “macro” que qualquer pessoa consegue ver.

    abraços

  5. O João no comentário que aqui fez merece duas coisas:
    1) ganhar o Prémio Nobel da Paciência;
    2) levar com uma provocação benfiquista.
    Porque, caramba, seja como «teoria dos leigos» ou «hipótese científica», o exemplo sugerido de que o Sporting vai ganhar o campeonato consegue ser ainda mais especulativo que a Panspermia virada do avesso. 😛

    (Desculpem o off-topic, não resisti)

    • Paulo Pinheiro on 22/04/2012 at 01:08
    • Responder

    Ora boa noite. Não li tudo, mas posso dizer que achei piada aquela de um ser complexo não poder surgir de um ser unicelular. É só para lembrar que todos nós começamos como UMA ÚNICA célula.

    E esta hein?

    • Manel Rosa Martins on 22/04/2012 at 01:49
    • Responder

    Boa noite a todos, obrigado ao João pelo excelente comentário que tão bem distingue o significado informal de “teoria” na linguagem do dia-a-dia do significado de Teoria Científica.

    O Alexandre afirma não estar a defender uma religião e de facto não o vejo a fazer isso, vejo-o apenas a defender a sua crença pessoal no criacionismo, que não passa afinal dum mero absurdo refutado por todas as linhas de evidência científica.

    Mas melhor que palavras, as provas e o trabalho mais recente dos cientistas que dataram o mais antigo antepassado do homem com 47 milhões de anos.

    Veja desde essa data como evoluíram os seres humanos, sendo a adaptação ao meio um dos mecanismos que suportam a Teoria da Evolução.

    Parto do seu entendimento do Inglês e da sua curiosidade sobre Ciência para entender com facilidade este excelente documentário feito aliás com linguagem acessível.

    Cumprimentos e espero que desfrute do trabalho aqui apresentado:

    “The Link – Uncovering Our Earliest Ancestor – BBC”

    http://www.youtube.com/watch?v=7ume9VC8W0U

  6. Que pena que a maior parte do debate em torno deste artigo ter sido monopolizada pelo Sr. Alexandre.
    Infelizmente, já todos sabemos que este tipo de debate nunca chega a lado nenhum. Do lado da Ciência, estão habitualmente pessoas dispostas a abandonar qualquer teoria que se demonstre ser falsa e a aceitar (provisoriamente) uma nova teoria que melhor descreva a realidade; Do outro lado está uma pessoa que defende acerrimamente as suas crenças, independentemente dos argumentos que sejam apresentados.
    Não duvido da boa fé de quem defende as suas crenças mas, sendo crenças, devem ser discutidas noutros fóruns…

    Agora quanto ao artigo apresentado, li o original e fiquei desapontado. Tudo uma série de suposições, mas nada de concreto. Também gostaria de saber que dados terão sido tidos em conta nos cálculos ou na simulação, para chegarem aos valores apresentados.
    Certamente, terão considerado o valor da velocidade de escape da Terra: 11,2 km/s. Mas terão considerado o valor da velocidade de escape do Sol? é que apesar de o Sol se encontrar a cerca de 150M km da Terra, a sua gravidade ainda coloca a fasquia nos 42,1 km/s…

  7. Boa tarde,
    Já chego tarde à discussão, mas queria dar o meu contributo.

    Vejamos, relativamente à criação do homem, o que a ciência criacionista pode responder:
    1 – Reprodução humana: o criador fez o homem produzir 300 milhões de gâmetas (espermatozóides) por dia enquanto a mulher produz apenas um gâmeta (óvulos) por mês num total de cerca de 400 durante a vida toda – porque é que o criador sábio não fez o homem e a mulher produzirem um único gâmeta, cada um, no momento das relações sexuais?

    2 – Morfologia humana:
    O criador desenhou o homem com que quantidade de pêlo? E a mulher?
    Qual o tamanho (máximo ou mínimo) de um nariz perfeitamente desenhado?
    Qual a altura, largura e peso com que o homem foi desenhado?
    Qual a capacidade pulmonar do homem criado pelo sábio criador?
    Quais os comprimentos de onda de luz que o homem deve poder ver?
    Qual a resistência da pele aos ultravioletas? Qual a quantidade mínima e máxima de pigmento na pele e nos olhos?
    O corpo do homem foi desenhado para atingir que velocidade em corrida?

    Com certeza que a ciência criacionista tem respostas para estas simples perguntas… porque eu até tenho outras perguntas mais complicadas.

    O Sr Alexandre disse:
    “Em relação à teoria da evolução, continuo com minha opinião, nós não evoluímos, apenas temos a capacidade de nos adaptarmos ao ambiente em que estamos inseridos.”

    O Sr Alexandre está a dizer que o indivíduo adapta-se?
    Isto é, por exemplo, se um homem branco for para um ambiente com grande exposição a ultravioletas, a sua pele vai produzir mais melanina?
    Já viu um norueguês a transformar-se num masai queniano?

    1. Boa tarde Sr. Paulo,

      Quanto a esta pergunta: “Já viu um norueguês a transformar-se num masai queniano?”
      É como o Sr. já viu um humano a evoluir dum chimpanzé. LOL

      Em 1802, William Paley, clérigo e teólogo inglês, explicou por que acreditava num Criador. Ele disse que se estivesse andando num lugar descampado e encontrasse uma pedra no chão poderia chegar à conclusão lógica de que ela estava ali em resultado de processos naturais. Mas, se encontrasse um relógio, dificilmente chegaria a essa mesma conclusão. Por quê? Pelo simples fato de que um relógio tem todas as evidências de um projeto e um objetivo.

      AS IDÉIAS de Paley tiveram grande influência no naturalista inglês Charles Darwin. Mas, ao contrário da lógica de Paley, Darwin sugeriu mais tarde que o aparente projeto nos organismos vivos podia ser explicado por um processo que ele chamou de “seleção natural”. Muitos achavam que a evolução darwinista colocava um fim à idéia de um projeto.

      Muito tem sido escrito sobre esse assunto desde os dias de Paley e Darwin. Os argumentos a favor da idéia de um projeto e os a favor da seleção natural têm sido freqüentemente aprimorados e atualizados. Os dois conceitos têm influenciado grandemente a opinião das pessoas sobre o objetivo — ou a falta dele — do Universo. O que você acredita pode muito bem influenciar o objetivo de sua vida. Como assim?

      Acreditar na teoria de Darwin tem levado muitas pessoas sinceras a concluir que sua existência carece de verdadeiro objetivo. Se o cosmo e tudo que existe nele é produto de combinações aleatórias de elementos após o originário big bang (grande explosão), então não é possível haver um objetivo real para a vida. O falecido biólogo Jacques Monod, ganhador de um Prêmio Nobel, declarou: “O homem finalmente sabe que está sozinho na insensível imensidão do Universo, do qual ele surgiu apenas por acaso. Seu destino não é explicado em nenhum lugar, tampouco seu objetivo.”

      Um pensamento similar é expresso por Peter William Atkins, professor universitário de química em Oxford, que disse: “Para mim, a existência deste Universo extraordinário tem um esplendor maravilhoso e impressionante. Ele está ali com toda a sua glória, inteira e completamente sem utilidade.”

      Mas nem todos os cientistas concordam com esse conceito. E com bons motivos.

      Regulagem perfeita — evidência de um projeto intencional?

      Quando examinam as leis da natureza, muitos pesquisadores relutam diante da idéia de um cosmo sem objetivo. Ficam impressionados, por exemplo, com as forças fundamentais que regulam o Universo. As leis por trás dessas forças parecem ter sido reguladas com perfeição de modo a produzir um universo capaz de sustentar a vida. “Qualquer mudança, por menor que fosse, nessas leis poderia trazer conseqüências letais”, diz o cosmologista Paul Davies. Por exemplo, se os prótons fossem ligeiramente mais pesados do que os nêutrons, em vez de ligeiramente mais leves, como de fato são, todos os prótons seriam transformados em nêutrons. O que isso significaria? “Sem os prótons e sua fundamental carga elétrica”, explica Davies, “os átomos não existiriam”.

      A força eletromagnética atrai os elétrons aos prótons, permitindo a formação de moléculas. Se essa força fosse bem mais fraca, os elétrons não orbitariam em torno do núcleo do átomo e nenhuma molécula seria formada. Por outro lado, se essa força fosse bem mais forte, os elétrons ficariam aprisionados ao núcleo do átomo. Isso simplesmente impossibilitaria reações químicas e a vida.

      Uma leve diferença na força eletromagnética afetaria o Sol e a energia solar que chega à Terra. Isso poderia facilmente dificultar ou impossibilitar a fotossíntese nas plantas. Assim a vida na Terra depende da regulagem exata da força eletromagnética.

      O livro Science & Christianity—Four Views (Ciência & Cristianismo — Quatro Pontos de Vista) apresenta uma ilustração interessante sobre a delicadeza do equilíbrio das forças e dos elementos do cosmo. O autor pede que os leitores visualizem um explorador numa imaginária “sala de controle de todo o Universo”. Ali o explorador vê inúmeras fileiras de botões que podem ser ajustados para indicar qualquer valor e descobre que cada um desses botões precisa ser regulado num ajuste exato para tornar possível a vida. Um botão define a força da gravidade, outro a força de atração eletromagnética, outro a proporção entre a massa do nêutron e a do próton, e assim por diante. Enquanto o explorador examina esses inúmeros botões, ele vê que poderiam ter sido ajustados em valores diferentes. Fica claro também para ele que, depois de cálculos meticulosos, até uma pequena mudança em qualquer um dos botões modificaria a arquitetura do cosmo de tal forma que a vida deixaria de existir. Mas cada botão está regulado precisamente na posição exata para manter o Universo funcionando e habitável. A que conclusão o explorador deveria chegar sobre como os botões foram regulados daquela maneira?

      O astrônomo George Greenstein comentou: “À medida que examinamos todas as evidências, é impossível não pensar que alguma causa — ou melhor, um Causador — sobrenatural deve estar envolvida. Será possível que sem querer tenhamos nos deparado com provas científicas da existência de um Ser Supremo?”

      O que você acha? Que explicação melhor se encaixa na regulagem exata observada no cosmo? Projeto intencional ou obra do acaso?

      Cumprimentos,

      1. Alexandre,

        Nem percebeu o ridículo em que acaba de cair, é uma pena.

        Não lhe vou responder mais.

        Acabou de demonstrar que está aqui para difundir religião e este não é um site de religião, é um site de CIÊNCIA!
        Se quer discutir argumentos religiosos, recomendo-lhe que vá para um site sobre ateísmo/religião.

        Aqui, apresentamos ciência. Factos e evidências comprovadas pela mesma. O Design Inteligente não é ciência, é religião.

        VOU REPETIR PELA ÚLTIMA VEZ:
        Nao há nenhum debate actual sobre a veracidade da Evolução, só na cabeça dos fanáticos religiosos (de algumas religiões, diga-se!)

        E sim, já agora, e visto que faz tanta questão nos títulos, deixe que lhe diga que também não dou Doutora.

      2. Alexandre,

        Você continua a dizer os mesmos DISPARATES porque ou não lê os nossos comentários ou só veio para aqui fazer de troll!!! Ou seja, veio para aqui, não para aprender, mas sim para tentar endoutrinar as pessoas nas sua crença religiosa.
        Não quer saber das evidências, não quer saber de conhecimento, mas só quer dizer os MESMOS DISPARATES de sempre, porque só tem por objectivo pregar sermões religiosos.
        Vá para uma IGREJA, mas deixe este local de conhecimento em paz.

        Deixe de passar uma péssima imagem de quem é religioso. Deixe de passar a imagem que são todos fundamentalistas anti-conhecimento, como o Alexandre está a demonstrar!
        Ponha os olhos no Cavalcanti, por exemplo, que se afirma com todas as letras, crente em Deus, mas é alguém que quer aprender e que não nega as evidências do conhecimento.
        Ponha os olhos no Cristóvão que vai ser padre, mas não é fundamentalista como você!
        Ambos, como vários outros crentes em Deus, são autores aqui do astroPT, contribuindo assim para a difusão de CONHECIMENTO.

        Quanto ao que você diz:

        “Mas, se encontrasse um relógio, dificilmente chegaria a essa mesma conclusão.”

        Isso NÃO PROVA NADA! Muito menos que existe um deus, thor, osíris, um monstro de esparguete voador, ou o pai natal! (tudo possíveis hipóteses segundo a SUA ideia)
        Porque não se encontrou qualquer “relógio” na natureza. Encontram-se sim MUITAS imperfeições.
        Por isso o seu criador ou é um péssimo engenheiro ou então você é que não sabe o que diz.
        (eu inclino-me para a segunda hipótese, porque como se sabe, o extremismo religioso nunca se baseia em racionalidade)

        “Acreditar na teoria de Darwin”

        AS TEORIAS não se fazem de ACREDITAR!!!
        Porra, que você é IGNORANTE!!!
        Já lhe expliquei isto várias vezes e você continua a dizer as mesmas coisas de forma cega, errada, extremista, fundamentalista, e própria de quem não quer aprender nada!!!
        Você mostra-se como um extremista religioso!!!

        Se você acha que as teorias científicas dependem de se acreditar ou não nelas, faça a experiência do Dawkins e atire-se do topo de um edifício de 20 andares, NÃO ACREDITANDO NA GRAVIDADE (esta teoria da gravidade tem mais problemas que a da Evolução, mas você, ignorante extremista religioso nem se dá conta disso e continua a dizer os mesmos disparates!).
        PORRA! Atire-se, faça a EXPERIÊNCIA. Depois diga se a sua crença está ou não acima do CONHECIMENTO.

        “Por exemplo, se os prótons fossem ligeiramente mais pesados do que os nêutrons, em vez de ligeiramente mais leves, como de fato são, todos os prótons seriam transformados em nêutrons.”

        Essas são as PARVOÍCES RELIGIOSAS do Princípio Antrópico, que os extremistas religiosos, como o Alexandre, se agarram para dizer que é a seu favor. Não é!
        Porque isso não é ciência!

        “Uma leve diferença na força eletromagnética afetaria o Sol e a energia solar que chega à Terra. Isso poderia facilmente dificultar ou impossibilitar a fotossíntese nas plantas.”

        Mas podia permitir outro tipo de vida que NÃO ESTA!!!!

        E essa vida depois ia dizer que o Universo estava feito para ela!
        O que é uma parvoíce, obviamente!

        Já Anaximenes dizia que se as vacas pudessem escrever, faziam poemas de como o Universo estava feito para elas!

        Enfim… que raio de geocentrismo psicológico que estes extremistas religiosos têm…

        “A que conclusão o explorador deveria chegar sobre como os botões foram regulados daquela maneira?”

        As parvoíces dessas analogias é que mostram um deus pequenino, um deus humano.
        Essa é a visão dos extremistas religiosos: um deus humano. Coitadito desse deus imaginado pelos extremistas religiosos. Não têm imaginação, não têm inteligência, nem têm conhecimento para imaginar sequer um deus em condições.
        Muitos dos extraterrestres que aparecem no Star Trek são mais imaginativos e mais poderosos que este deus pequenino imaginado pelos extremistas religiosos… enfim…

        “O astrônomo George Greenstein comentou: “À medida que examinamos todas as evidências, é impossível não pensar que alguma causa — ou melhor, um Causador — sobrenatural deve estar envolvida.”

        Se é sobrenatural, NÃO É CIÊNCIA!!!! É uma CRENÇA! Não há evidências! É PURA CRENÇA!

        Para concluir:
        Alexandre, se tem alguma coisa a dizer sobre o artigo do post, que é sobre panspermia, diga. De resto, acabou-se-me a paciência para quem não quer aprender e só quer vir para aqui pregar sermões religiosos.
        Está no seu direito de acreditar no que quiser. Não está no direito de entrar num local de ciência, num local de conhecimento, num post sobre panspermia, e abrir as portas a sermões religiosos anti-conhecimento só porque tem uma crença cega em algo.
        Muito menos está no seu direito das pessoas perderem tempo por sua causa, a explicarem-lhe as coisas (exemplos: o que é uma teoria, que teorias não se fazem de acreditar, etc), e você ignora tudo porque quer continuar cegamente a afirmar os mesmos disparates, não querendo aprender nada com o que lhe é explicado.
        Vou-lhe pedir, educadamente, que páre com estes seus comentários Criacionistas num artigo sobre panspermia. Se não parar, serei obrigado a enviar os comentários para SPAM sem ninguém os ler.
        Acho que já tive paciência a mais para quem NÃO quer aprender nada e quer continuar a dar os mesmos argumentos disparatados, mentiras, de sempre.

      3. O Sr Alexandre conseguiu convencer-me com a sua Teoria do Criador.

        O criador fez um imenso Universo para o Homo Sapiens. Um grande projeto.
        O criador criou a gravidade para que o Homo Sapiens não andasse por aí à deriva.
        Afinou os protons, neutrons e electrons para que o Universo fosse perfeito para Homo Sapiens. É por isso que encontramos Homo Sapiens em todos os cantos do Universo.
        A vida é cheia de propósito: o objetivo do Homo Sapiens é louvar o criador que o criou para o louvar. Aleluia.

        O criador criou bactérias patogénicas para que a existência do Homo Sapiens se tornasse mais interessante e desafiante.
        O criador criou os leões e as gazelas. Fez as gazelas grandes corredoras. Os leões foram feitos para comerem as gazelas preguiçosas. Têm propósito. Um grande projeto.

        Fui investigar a Teoria do Criador num texto que já passou no peer-review de cientistas do criacionismo judaico e do criacionismo islâmico:
        Primeira versão da Criação
        Génesis 1:1-2:3 (resumo)
        No princípio os deuses (heb. Elohim) criaram os céus e a Terra (completamente coberta por água), depois foram feitas as seguintes criações:
        Dia 1: luz, o dia e a noite;
        Dia 2: separação das águas abaixo e acima do céu;
        Dia 3: terra seca, plantas;
        Dia 4: Sol para iluminar de dia, Lua para a noite; e também as estrelas.
        Dia 5: monstros marinhos (baleias), peixes, aves;
        Dia 6: animais terrestres, répteis, insectos e, finalmente, homem e mulher para dominarem sobre o resto da criação;
        Dia 7: dia de descanso; os deuses foram descansar estando muito satisfeitos com tudo o que fizeram.

        Segunda versão da Criação
        Génesis 2:4-22 (resumo)
        Yahveh criou o céu e a Terra.
        Criou o homem (heb. Adhám), a partir do barro, numa terra sem vida, pois nunca tinha chovido, embora houvesse um jorro de vapor que brotava da terra.
        Depois Yahveh criou um jardim num local chamado Éden (desse jardim partia um rio que dividia-se em quatro rios entre os quais o Tigre e o Eufrates).
        No jardim, Yahveh criou plantas e, apercebendo-se que o homem estava sozinho, criou animais para lhe fazerem companhia. O homem ainda esteve entretido uns tempos com os animais, mas Yahveh entendeu que tinha de fazer uma mulher. Yahveh, criou a mulher a partir de uma costela do homem.

        Fonte:
        http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt/2007/09/os-primeiros-mitos.html

        Obrigado, Sr Alexandre. Agora sou um adorador de Quetzalcoatl, o grande criador. Aleluia.

      4. Já agora, Carlos, de coração, agradeço as palavras de afeto para comigo. Não esperava isso. Obrigado. 😀

        De espírito aberto, eu não consigo entender a mente de uma pessoa como o Alexandre. Diante das evidências – por demais sólidas -, dos fatos científicos e da boa fé, quer dos administradores, quer por nós, colaboradores e leitores do Astropt, o Alexandre continua a negar as mesmas devido à ideia religiosa equivocada que o mesmo possui. O Alexandre não sabe aparar as “arestas”. Talvez eu esteja errado, prezado Alexandre, porém percebo duas coisas em sua pessoa:

        1) O sr. tem uma incrível teimosia em manter uma opinião errônea sob ótica, não da fé, mas de suas crenças talvez religiosas; e

        2) O sr., muito provavelmente, detém uma rejeição impressionante para com àquelas que fazem ciência todos os dias – engenheiros, astrônomos, físicos teóricos, químicos, matemáticos, biólogos, psicólogos, etc. – talvez, devido ao fato que, mais de 60% destes, não acreditam num Ser Superior. Portanto, você cria uma “antipatia pessoal” em tudo que é oriundo da ciência.

        Um cidadão pode até discutir o por quê da pessoa “X” acreditar ou não em Deus. O que não pode, caso esteja com as faculdades mentais normais, é negar as evidências e fatos científicos. E estes fatos nos dizem o seguinte:

        A vida evolui sob todas as formas. E todas as formas implica todos os parâmetros biológicos.

        A ciência, Alexandre, jamais afirmou que Deus existe ou não existe. É aí onde entra a tua rispidez pela ciência. Portanto, comece a refletir sobre isso. Não está nas atribuições da ciência provar ou refutar a existência de um Deus. São opiniões de cientistas que acreditam ou não. A ciência, por si só, é neutra neste caso: o astrofísico “X”, estudando a entropia inicial do Universo, pode chegar à conclusão final que Alguém deu as condições de existência para o surgimento do Universo. Seja por sucessivos Big Crunch’s, seja pela Teoria “M”. O astrofísico “W”, analisando o mesmo cenário, pode afirmar o contrário: não há necessidade da existência de um Ser Superior para que o Universo surja (do verbo “surgir”). Portanto, note que eles estudam e publicam os fatos. Em suma, acerca da existência ou não de Deus, não há ponto final – justamente por se tratar de uma questão de fé. Eis uma das belezas da vida: a capacidade de progredir através da diferença entre as pessoas. 😉

        Certa feita, o Carlos Oliveira me disse algo genial sobre o Tempo Pré-Planck:

        “Antes disso, “your guess is as good as mine””

        Nós dois podemos até discordar, de modo respeitoso, sobre as hipóteses deste. Todavia, é notório que, diante do conhecimento que possuímos (e o Carlos, cá agora, muito mais que eu neste aspecto, pois venho da Engenharia Química; o Carlos, justamente da Astronomia), sabermos que todas as coisas possuem uma dinâmica e que a vida evolui por si. Não somos nós que dizemos isso: é o Conhecimento que nos mostra isso. Basta cada um procurá-lo. 😉

        As coisas, Alexandre, não são estáticas. Porém, demoram milhares e milhares de anos para evoluir, mudar, transformar. A Diana Barbosa, que é das Ciências Biológicas, já deve ter cansado de te mostrar isso. Não gosto muito de estender sobre isso, mas vejo um Deus muito maior pela ciência do que pela minha própria religião católica – em alguns aspectos, evidentemente: de um ser unicelular, evoluir para o que somos hoje e que coisas tão pequenas como os átomos formarem algo tão vasto que é o nosso Universo.

        A vida é incrível pela sua dinâmica e grau de completitude. O padre e jesuíta belga Lemaitre, do qual sou um grande admirador, formulou a teoria do Big Bang (tal como a conhecemos). Suas crenças religiosas não permitiram que o mesmo aceitasse algo que não condiz com a realidade.

        É interessante que você faça dos passos desse grande astrofísico do século XX os seus. Comece a enxergar isso…

        😉

        Abraços.

      5. Totalmente de acordo, Cavalcanti.

        E só para complementar o que disse o Cavalcanti: quando toda a comunicação social andava a dizer que Stephen Hawking disse que Deus não existe, eu próprio escrevi vários posts a dizer que era mentira, que Hawking não poderia dizer isso, e que o que ele disse (chamar Deus para a discussão) foi só com o intuito de marketing do livro dele. Só. Nada teve de científico. Foi só marketing. Nada mais.
        Porque sobre Deus, Hawking sabe tanto como eu, como o Cavalcanti, como o Alexandre, ou como outra pessoa qualquer. Não sabe mais, nem pode afirmar o que não sabe.

        Alguns desses exemplos de posts:
        http://www.astropt.org/2010/09/04/deus-e-hawking/
        http://www.astropt.org/2010/09/13/hawking-e-deus/

        abraços! 😉

      6. Totalmente de acordo.

        😉

    • Manel Rosa Martins on 24/04/2012 at 20:31
    • Responder

    Caro Alexandre,

    Está a repetir os DISPARATES criacionistas do costume.

    O Alexandre alega vir aqui para aprender, mas isso não corresponde à verdade.

    Veio aqui para difundir MENTIRAS; dados FALSOS, com a maior das hipocrisias.

    Não aprendeu porque não quis, por opção fanática da sua crença de opinião pessoal.

    Confunde Teoria da Evolução com origem da vida, Origem das espécies com origem da vida.

    Os parâmetros do modelo do Big-bang, aliás bastante diferentes ao longo dos tempos, provam isso sim, a Evolução das estrelas e dos outros astros, a Evolução do Universo.

    Mas desloque-se a um Museu de História Natural, ou a uma região onde existem fósseis, é muito simples, eles estão em todos os países e regiões do mundo, até nas feiras locais.

    Perante as já dezenas de provas que aqui foram apresentadas o Alexandre apresentou links de vigaristas, afirmações fora do contexto e somou afirmações que em nada estão relacionadas com a Teoria da Evolução.

    Quanto a provas, como seria de esperar de tamanha mentira e absurdo, apresentou rigorosamente zero.

    Cumprimentos e Obrigado.

    • Pedro Coutinho on 24/04/2012 at 21:16
    • Responder

    Impressionante como um único gajo a dizer baboseiras vos consegue prender durante horas numa vã tentativa de o fazer ver a razão…

    “Eles disseram-me para pensar com o cérebro que deus me deu. Eu usei, e ironicamente, tornei-me ateu.”

    Meus caros, usem os vossos poderes de moderadores para não deixarem este tipo de discussões poluírem um site que potencialmente podia gerar conversas de grande interesse. Discutir criacionismo não deveria ter lugar aqui, um ou dois posts, não muda de ideia, apagam-se e não se volta a falar disso. Gostava muito mais de ter gasto os meus 15 minutos aqui a ler um debate sobre a realidade deste tema de panspermia do avesso do que uma discussão com um, desculpem-me o termo, PALHAÇO, que nem compreende os mais básicos conceitos envolvidos no que quer que seja que se relacione minimamente com ciência.

    Don’t feed the Trolls. Afastem este tipo de leitores não lhes dando atenção.

    Obrigado.

    1. Pedro,

      Esse é um dos argumentos que costumo utilizar:
      “Mas Deus não te deu um cérebro racional para fazeres uso dele?
      Ao negares esse uso, estás a ir contra a vontade de Deus”

      Quanto a moderar-se, eu percebo a sua posição.
      A sério que percebo, até pelos resultados que estão à-vista.

      Mas explicando a minha forma de “moderação”: toda a gente tem direito a comentar logo que não insulte. Por isso, deixo as dúvidas e as afirmações erradas constarem dos comentários.
      Claro que chega a um ponto que, como o Alexandre mostrou, se a pessoa não quer saber dos comentários de quem lhe dá conhecimento, e continua a afirmar o que já afirmava erradamente desde o início, fruto de concepções erradas sobre a ciência… aí então já nada há a fazer. Aí percebe-se que a pessoa não veio cá para aprender, mas só para trollar. E aí sim, modero 😉

      Poderá não ser a forma ideal de moderação, e compreendo que leva a problemas, mas tento dar o benefício da dúvida a quem cá chega… (logo que não entre a insultar, claro).

      Sorry :S

      1. Concordo com o Carlos.

  8. Agora sobre a Panspermia: porque dar tanta importância a esta hipótese?
    As hipóteses de abiogénese terrestre não têm progredido?

    O que dizer desta ? (aproveitando os caríssimos biólogos que frequentam este blog)
    http://www.youtube.com/watch?v=U6QYDdgP9eg

    Um abraço

    1. Excelente vídeo!!! 🙂

      “Agora sobre a Panspermia: porque dar tanta importância a esta hipótese?”

      Porque é apelativa e porque os constituintes da vida estão em todo o lado 😉
      E é uma forma de passar o problema da “origem da vida” para outro lado 😉

      abraços

    2. Paulo, a última informação que tenho sobre a abiogénese provém de uma palestra que assisti do Prof. Antonio Lazcano, que trabalhou com Stanley Miller e foi um dos membros da equipa que repetiu/re-analisou a experiência em 2008.

      Segundo este investigador e os trabalhos que ele mostrou nessa palestra, existem várias evidências que apoiam a abiogénese, mesmo com o que agora se sabe acerca da possível atmosfera que terá existido quando teriam aparecido as primeiras moléculas biológicas.

      Esta noticia fala desse trabalho de 2008:
      http://www.sciencedaily.com/releases/2008/10/081016141411.htm

      Muito interessante é também o trabalho de Lazcano, Juli Peretó e Jeffry Bada sobre as ideias de Darwin sobre a Origem da Vida (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2745620/). Embora esse seja um tema muito periférico dos seus estudos, ele divaga sobre ele nos seus preciosos cadernos de notas. E as especulações que fazia sobre a possibilidade de uma origem química da vida são surpreendentemente semelhantes ao que agora se sabe.
      O Darwin foi mesmo genial!! 🙂

      1. Atenção, que uso o termo “abiogénese” no sentido de “origem química da vida”, não no sentido da “geração espontânea” de outros tempos 🙂

      2. O Stanley Miller é uma espécie de “pai” da abiogénese, não?
        Parece que tinha era relutância a publicar os trabalhos!
        E o Darwin é o maior génio de todos os tempos! O Neil deGrasse Tyson acha que esse lugar cabe ao Newton, mas eu acho que é do Darwin.

        Com ou sem panspermia, a abiogénese que deu origem à vida na Terra terá acontecido em algum lado: na Terra ou fora dela, penso.

        Acho engraçado este video, muito juvenil, sobre abiogénese:
        http://www.youtube.com/watch?v=-yxEZshxLwY

      3. O Stanley Miller foi um dos cientistas que conseguiu provar que era possível obter moléculas orgânicas a partir de inorgânicas, com certas condições ambientais…as que se pensava (naquela época) que seriam as condições ambientais da Terra quando surgiu a vida.
        Mais tarde, descobriu-se que as condições seriam diferentes, mas também com essas condições era possível obter matéria orgânica.
        Curioso foi descobrir-se que na “sopa” do Miller havia muitos mais tipos de moléculas do que ele pensava (ele não tinha ao dispor as mesmas técnicas de detecção que temos agora).

        Não sei se lhe chamaria “pai”, mas foi definitivamente alguém muito importante na investigação sobre a origem da vida.

    3. Estive agora a ver o vídeo…
      Muito curiosa aquela ideia de um “PCR natural” 🙂
      A ciência é tão bonita!
      😀

  9. Sr. Alexandre,
    Tinha prometido a mim mesmo que não voltaria a este assunto, mas ocorreu-me algo mais.

    A instituição que inicialmente propôs e historicamente sempre defendeu o Criacionismo, finalmente em 2004 reconheceu o que passo a citar abaixo (peço desculpa por não estar em Português, mas apenas se encontra em Inglês, Alemão, Espanhol e Italiano e eu não quis alterar uma única virgula):

    “63. According to the widely accepted scientific account, the universe erupted 15 billion years ago in an explosion called the “Big Bang” and has been expanding and cooling ever since. Later there gradually emerged the conditions necessary for the formation of atoms, still later the condensation of galaxies and stars, and about 10 billion years later the formation of planets. In our own solar system and on earth (formed about 4.5 billion years ago), the conditions have been favorable to the emergence of life. While there is little consensus among scientists about how the origin of this first microscopic life is to be explained, there is general agreement among them that the first organism dwelt on this planet about 3.5-4 billion years ago. Since it has been demonstrated that all living organisms on earth are genetically related, it is virtually certain that all living organisms have descended from this first organism. Converging evidence from many studies in the physical and biological sciences furnishes mounting support for some theory of evolution to account for the development and diversification of life on earth, while controversy continues over the pace and mechanisms of evolution. While the story of human origins is complex and subject to revision, physical anthropology and molecular biology combine to make a convincing case for the origin of the human species in Africa about 150,000 years ago in a humanoid population of common genetic lineage. However it is to be explained, the decisive factor in human origins was a continually increasing brain size, culminating in that of homo sapiens. With the development of the human brain, the nature and rate of evolution were permanently altered: with the introduction of the uniquely human factors of consciousness, intentionality, freedom and creativity, biological evolution was recast as social and cultural evolution.
    (…)
    The present text was approved in forma specifica, by the written ballots of the International Theological Commission. It was then submitted to Joseph Cardinal Ratzinger, the President of the Commission, who has give his permission for its publication.”

    Fonte: http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/cti_documents/rc_con_cfaith_doc_20040723_communion-stewardship_en.html

  10. (comentário editado)

    1. Como eu já tinha referido em cima, já estou farto desta conversa.

      Se o Alexandre quisesse aprender, teria lido os comentários e os links que lhe foram dados, para perceber o que é a ciência, o que é uma Teoria, o que é a Teoria da Evolução, qual a diferença entre opiniões e conhecimento, qual a diferença entre crenças (religiosas, como o Alexandre demonstra nos seus argumentos) e conhecimento, qual é o conhecimento biológico de vários assuntos que apresentou, etc.
      Em vez disso, o Alexandre continuou na leng-lenga de sempre, com a única resposta obcecada pelo “design” sem qualquer evidência disso, mas somente opiniões baseadas em parcas e erradas opiniões sobre o assunto.

      Já se percebeu a obcessão religiosa do Alexandre.
      Sugiro que a vá divulgar para os sítios respectivos: sítios onde não estão interessados em conhecimento mas somente em venerar opiniões ditas sem evidências.

      abraços

    2. O Alexandre após não querer aprender nada por aqui e continuar agarrado a uma visão religiosa do assunto, agora começou a enviar comentários a ameaçar que vai publicar vários comentários sobre o astroPT em sítios de astronomia.
      Ou seja, após pacientemente e voluntariamente (todos temos o nosso trabalho, que não é aturar o Alexandre) termos respondido a tudo o que ele quis, e ele nada ter aprendido e continuar obcecado pela ignorância que demonstra do assunto, agora vem com ameaças de publicidade ao astroPT.

      Sinceramente, nem sei se me hei-de rir, mas por aqui se vê o tipo de pessoa que o Alexandre é.

      Como não tem nada para fazer, e como não quer aprender com quem sabe mais do que ele, resolve ameaçar.
      E ameaça como? Dizendo que vai publicitar o astroPT em tudo que seja sítio de astronomia! LOLLLLL Só respondo, venha daí essa publicidade grátis!!!! 🙂

      De resto, como já se percebeu que o objectivo do Alexandre é puramente fazer perder tempo às pessoas, e sendo que se mostra como uma “raposa em pele de cordeiro” (tal como nos avisou o Criador), então os seus comentários irão a partir de agora directamente para SPAM sem mais ninguém os ler.

    3. Aconselho este e vários outros livros ao Alexandre.
      Pode ser que consiga exorcizar alguns dos seus demónios:
      http://www.astropt.org/2012/04/26/um-mundo-infestado-de-demonios/

      1. Excelente recomendação 😉

    4. Gostei deste cartoon que mostra bem o método do Alexandre:
      http://bitaites.org/wp-content/uploads/2011/02/Trever.png
      Ele já tem as respostas à-partida… e depois vai à procura de frases soltas e ideias erradas sobre a ciência para “provar” as respostas que ele crê desde o início.
      Em vez de procurar as respostas através do conhecimento e da experiência, acredita logo em qualquer disparate que lhe digam e depois vai tentar arranjar argumentos falaciosos para mostrar que está certo… LOL enfim…

    1. Fantástico!!! 🙂

      Já tenho GROUPIES. 😀

      Os ignorantes que comentam aqui, dizendo asneiras sobre a ciência, com a arrogância de pensarem que a opinião deles é superior ao conhecimento dos assuntos, criaram um grupinho para descarregarem as suas frustrações, as suas parvoíces, e os seus insultos.

      Podiam fazer algo de positivo com a triste vida que têm, e por exemplo, lerem livros para se informarem sobre os assuntos.
      Em vez disso, preferem enveredar pelo ódio e por opiniões baseadas na ignorância dos assuntos.

      Note-se que todas essas pessoas foi-lhes dado o benefício da dúvida, foi-lhes publicado os comentários aqui e foram-lhes respondidas as perguntas aqui. Quando se armaram em trolls, em fundamentalistas que diziam sempre a mesma coisa, em vez de lerem o conhecimento que lhes era voluntariamente transmitido (com perda de tempo para nós), então aí foram obviamente consideradas como pessoas que só estão interessadas em “pregar”, em fazer spam em locais de conhecimento, porque essas pessoas não querem saber da razão, do conhecimento, da informação para nada.

      Por já não lhes ligarmos, por termos deixado de prestar atenção aos seus disparates, porque eles não querem saber das respostas baseadas em conhecimento, então coitaditos, sentem-se maltratados porque não queremos saber dos disparates que eles escrevem.
      O EGO destas personagens é assustadoramente enorme!

      Enfim… coitados… tenho pena deles. Nem vida própria têm 🙁

      Por toda a história da Humanidade sempre existirem os Velhos do Restelo, aqueles que sempre quiseram travar o progresso da Humanidade, inventando monstros, criando medos, sempre interessados no seu próprio umbigo, sem alargarem horizontes, sempre assumindo que as suas parcas opiniões eram superiores ao conhecimento dos assuntos. Sempre foram um atraso para a Humanidade.
      Estes são os “Ruis Palmela”, “Alexandres Correia”, “Romãos Casals”, e anónimos deste mundo… os ignorantes pseudos que nunca fizeram nada pelo mundo.

      No passado, estas pessoas sem qualquer tipo de conhecimento, que se deixam levar por fantasias próprias totalmente contrárias ao conhecimento, eram considerados “bobos da corte”, “defensores do status quo” (não querem que se evolua no conhecimento), “pessoas parvas que só querem discussões sobre gambuzinos”.
      Na era da internet, são denominadas correctamente de trolls.

      Por acreditarem (notem a crença fundamentalista religiosa) que 2 + 2 = 56, então querem impôr essa ignorância nos outros, entrando em locais de conhecimento e afirmando disparates.
      E fazem isso, utilizando toda a hipocrisia ao seu dispôr, usando tecnologias e conhecimentos dados pelos cientistas e pela ciência. Ou seja, insultam os cientistas e dizem mal do conhecimento, ao mesmo tempo em que utilizam esse conhecimento dado pelos cientistas.

      É triste perceber a acefalia destas pessoas.
      E é frustrante perceber que têm um cérebro racional só para decoração sobre os ombros.

      1. Não és o único com “fãs” :p

        “…Depois aparecem os seus seguidores pseudos intelectuais, a defender a teoria da gravidade, então aquela Diana Barbosa até parace que anda a ser montada por ele, poxa que a gaja é burra que nem uma porta. Enfim, aquele blog mais parace uma seita de maniacos.”

        O meu primeiro ataque troll…estou emocionada!

      2. Pois… 🙁

        Sinceramente isto deixa-me completamente fora de mim.

        Atacarem-me a mim é uma coisa a que já estou habituado…
        Mas atacarem de forma pessoal outros só porque essas pessoas, como tu, são cientistas e perderam o seu tempo para transmitirem o seu conhecimento científico…
        Enfim…
        Assim se vê o nível destas pessoas 🙁

        E parece-me que o ataque a ti também é fruto de algum machismo troglodita, que se vê nos próprios cenários sexuais que utilizaram… o que só denota frustração nessa área por parte deles.

        Enfim… coitados… repito: assim se vê o nível destas pessoas.
        Pessoas sem conhecimento, pessoas sem educação, que se atiram contra a ciência e contra os cientistas, enquanto hipocritamente usam um meio (internet) que lhes foi dado pela ciência e pelos cientistas. Cospem na mão que lhes dá de comer com ataques baseados em ódios pessoais e na ignorância dos assuntos.

      3. Resta dizer que quem escreveu essa pérola, aparentemente foi o Sr Alexandre, que depois de andar a trollar este post cheio de salamaleques e títulos, e com quem eu perdi valiosas horas do meu tempo a tentar explicar-lhe porque é que a Evolução é real e não uma “teoria”.
        Como deixaram de publicar as suas balelas, o coitadinho revoltou-se e foi reclamar para outro lado

      4. Começo logo a ter espasmos quando leio que a NASA sabe que a Terra é oca mas cala o seu staff. O idiota não explica porquê. Porque é que a NASA esconderia tal coisa? E já agora, a ESA, a JAXA, a Roskosmos e outras agências espaciais governamentais e privadas que têm satélites a observar a Terra, porque não se bufam? E a cambada de anormais que comenta e que ataca quem argumenta com propriedade não param para pensar um pouco nisto? Enfim…

      5. Sérgio,

        Eu também tentei explicar a problemática da Terra Oca (em vão, presumo):

        http://www.astropt.org/2011/02/20/contra-capa-terra-oca-o-que-ha-debaixo-de-nos/#comment-50330

        Foi mostrado o erro aparente de Edmund Halley – que trabalhou com dados incorretos.

        Mas a ignorância e a hipocrisia ainda reinará durante muito tempo neste mundo.

        🙁

        Abraços.

      6. Cá agora, se o Alexandre quer defender com unhas-e-dentes a teoria criacionista, por quê não o fez em um local mais adequado?

        http://www.astropt.org/2012/02/07/qual-a-origem-da-vida/

        Até foi repassado pra ele, posteriormente ao seu pedido, o link para tal. Mas o Alexandre não o fez, Ao contrário, continuou a fazer comentários em um artigo que nada tinha a ver com suas opiniões.

        (…)

        Em tempo: é incrível que as pessoas nem sequer se dão ao trabalho de ler, estudar, buscar os livros de Química, Matemática e Física. A Ansyse, no artigo “Boriska, o extraterrestre”, afirma o seguinte:

        “(…) Eiensten falou da lei da relatividade foi criticado, quando se iniciou o estudo da física quântica pensaram que eram loucos, etc, a ciência avança, a humanidade avança, e as verdades, ditas como absolutas, vão caindo por terra, a visão mecanicista, por exemplo, já não satisfaz mais aos estudos cinetíficos de várias correntes da atualidade.”

        Foi afirmado por diversas vezes não somente aqui, assim como em vários outros blog’s científicos, que Einstein em nada substituiu a Física Clássica. Esta ainda vale para pequenas velocidades. Para velocidades próximas à luz, vale a Física Quântica. Einstein sim, foi criticado, porém, LOGO DEPOIS que se provou verdadeira, foi aceita pela comunidade científica da época. A maior prova disso? O Prêmio Nobel de Física, em 1921, devido ao estudo do Efeito Fotoelétrico.

        Mas certos cidadãos em nada entendem desses pormenores. Confundem “alho-com-bugalho”, distorcem coisas e fatos com o único propósito de sustentarem diversas opiniões frente ao conhecimento.

        Alexandre e Ansyse, percebam uma coisa de uma vez por todas algo que é válido para todos nós: Opinião se discute se debate. Já Conhecimento não se discute: se aceita e ponto final.

        Já não há mais idade para ficar com raiva daqueles que fazem ciência todos os dias. Deixem suas raivas para alguns grupos $$ de pessoas que financiam alguns cientistas (cujos objetivos obscuros destes grupos estão ficando cada vez mais claros. Deu pra entender? 😉 )

        Abraços e desejo-vos muita luz científica em seus caminhos.

    2. Agora ri-me!!! 🙂
      O próprio blog astroPT bloqueou um comentário seguinte do “Marcelo”, enviando-o automaticamente para SPAM, sem sequer permitir a mais ninguém ler.

      Fiquei curioso sobre isso, sobre o porquê do comentário do “Marcelo” ter ido directamente para SPAM sem sequer passar por moderação. E reparei que o comentário é mais um comentário aparvalhado de pensarem que o nosso trabalho como cientistas (e no meu caso como professor) é este blog. LOLLLLLLLLLLLL
      Eles assumem que isto que fazemos como voluntariado é o nosso emprego. E por isso, segundo o “Marcelo”, nada fazemos para a sociedade (como se transmitir informações correctas para a população não fosse em si um trabalho meritório… mas neste caso até o fazemos como voluntariado).

      Ou seja, o “Marcelo” nem consegue reconhecer os próprios especialistas.
      Um médico que durante o dia tenha o seu próprio trabalho num hospital a salvar vidas, mas que no seu tempo livre se dedique a transmitir informação médica pela população através da internet, desmistificando mitos e atacando aqueles que afirmam que o sangue é verde… para o Marcelo, esse médico nada faz pela sociedade. E para o Marcelo, os que dizem que o sangue é verde é que têm razão!!!
      LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

      Por aqui se percebe que o “Marcelo” é simplesmente um dos “Ruis Pamela” anteriores, e que neste caso cobardemente se esconde atrás de pseudónimos.

      Está provado mais este troll.
      E nem foi preciso haver avaliação humana. O próprio blog percebeu isso e colocou-o em SPAM automaticamente. LOL Provavelmente devido a IPs…

      Concluindo, como afirmou Einstein, a estupidez/burrice destes pseudos não tem limites!

        • Ana GP on 09/05/2012 at 13:46

        Claude Chabrol disse (salvo erro…): “A estupidez é infinitamente mais fascinante que a inteligência. A inteligência tem os seus limites; a estupidez não.”

        😉

      1. Carlos,

        Estamos vivendo em um mundo de cabeça-pra-baixo: quem engana as pessoas são admirados; ter opção sexual formada já é uma forma de preconceito contra outros; aqueles que dão toda a tecnologia (leia-se: cientistas), que nos fizeram sair da Idade das Trevas (porém algumas destas tecnologias nos trouxe alguns malefícios sociais e comportamentais, observo eu) são monstros; e aqueles que transmitem as informações corretas, apesar de trabalharem e terem suas vidas de ocupação, nada fazem para o bem da sociedade.

        Então, Carlos, o que dizer?

        Vejam bem este comentário do cidadão Alexandre que o mesmo deixou lá no blog:

        “PARTE 2

        Sr. Cavalcanti e Sr. Manuel (sic) Martins,

        É claro que os ateus têm seus contra-argumentos. Alguns rejeitam a aparente regulagem perfeita na natureza, dizendo: ‘É óbvio que o Universo visível é capaz de sustentar a vida humana. Se não fosse, não estaríamos aqui nos preocupando com isso. Então, realmente não há nada para explicar. Estamos aqui e pronto!’ Mas você acha que essa é uma explicação satisfatória para a nossa existência? Outro argumento é que um dia ficará provado que apenas um conjunto possível de números pode funcionar nas equações que expressam as leis fundamentais da natureza. (…)”

        Percebe-se, claramente, que o Alexandre não entendeu nenhuma linha do que foi dito à ele. Ou simplesmente, não se deu ao trabalho de lê-lo. Permitam-me fazer um copy paste de trechos do meus comentários:

        “Porém, mesmo sendo religioso, não nego as evidências científicas. E, de modo particular, não vejo nenhum problema entre minhas crenças e os fatos científicos.”

        “Note que não há problema algum em acreditar nas várias crenças sobre a origem da vida – ou a origem do Universo. Eu até fiz um artigo sobre isso. Só não tente colocá-las como sendo verdadeiras – apenas no ponto em acreditar que tudo existe desde sempre da forma como a conhecemos atualmente. Tanto as evidências quanto os fatos científicos nos levam a reconhecer que a vida evoluiu (e continua a evoluir) e as coisas (natureza, animais e a dinâmica da Terra) foram, por diversas vezes, diferentes.”

        (…)

        “(…) Deus empilhou as peças de um dominó em uma sequência: construiu um caminho, feito tanto por retas quanto por curvas.Tudo na mais perfeita ordem estática. De repente, Deus deu o “peteleco” inicial. E deixou que as peças caíssem sobre si mesmas e não mais interferiu. Então, acredito que Deus deu esse “peteleco” inicial, seja por qualquer teoria científica: e desse “peteleco inicial” foi sendo formado os planetas; as estrelas; as galáxias; os buracos-negros, etc. e deixou que as coisas evoluíssem por si mesmas sem interferir (…)”

        (…)

        “(…) a ciência não prova a existência de um Ser Superior: não está em suas atribuições. A ciência simplesmente entende o mundo tal como ele é. E já é o bastante. O que acabei de referir, portanto, são apenas crenças pessoais – sem respaldo no mundo da ciência.”

        (…)

        “Um cidadão pode até discutir o por quê da pessoa “X” acreditar ou não em Deus. O que não pode, caso esteja com as faculdades mentais normais, é negar as evidências e fatos científicos (…)”

        (…)

        “Não está nas atribuições da ciência provar ou refutar a existência de um Deus. São opiniões de cientistas que acreditam ou não. A ciência, por si só, é neutra neste caso: o astrofísico “X”, estudando a entropia inicial do Universo, pode chegar à conclusão final que Alguém deu as condições de existência para o surgimento do Universo. Seja por sucessivos Big Crunch’s, seja pela Teoria “M”. O astrofísico “W”, analisando o mesmo cenário, pode afirmar o contrário: não há necessidade da existência de um Ser Superior para que o Universo surja (do verbo “surgir”). Portanto, note que eles estudam e publicam os fatos. Em suma, acerca da existência ou não de Deus, não há ponto final – justamente por se tratar de uma questão de fé.”

        “Certa feita, o Carlos Oliveira me disse algo genial sobre o Tempo Pré-Planck:

        “Antes disso, “your guess is as good as mine””

        Nós dois podemos até discordar, de modo respeitoso, sobre as hipóteses deste. Todavia, é notório que, diante do conhecimento que possuímos (…) sabermos que todas as coisas possuem uma dinâmica e que a vida evolui por si. Não somos nós que dizemos isso: é o Conhecimento que nos mostra isso. Basta cada um procurá-lo.”

        (…)

        “O padre e jesuíta belga Lemaitre, do qual sou um grande admirador, formulou a teoria do Big Bang (tal como a conhecemos). Suas crenças religiosas não permitiram que o mesmo aceitasse algo que não condiz com a realidade.”

        Pois bem. Se o Alexandre se dispusesse a colocar a cabecinha pra funcionar, nem teria feito triste comentário. Não pelo fato dele afirmar que nós aceitamos o que os ateus dizem. O Alexandre acha que a ciência é feita por ateus. Só aqui no AstroPT existem, no mínimo, dois colaboradores que são católicos. Nem vou perder meu tempo tentando explicar (de novo) algo perfeitamente explicado nos trechos acima ao Alexandre. Percebi, Carlos, após alguns comentários do Alexandre, que o mesmo não veio aqui para aprender – tal como ele alegou. O Alexandre veio aqui querer impor suas crenças (e o mesmo não tem como negar isso). Que por sinal, também são as minhas (entretanto, no que se refere somente à existência de Deus, do qual, acredito eu também, tudo Emana).

        Porém, Carlos, gostaria de agradecê-lo: antes de conhecer o AstroPT, por vezes, em meu convívio social, não percebia, claramente, a diferença entre opinião e conhecimento. Portanto, agradeço, mais uma vez, em nos mostrar essa diferença. Falta ao Alexandre perceber isso…

        Percebemos que algumas pessoas, depois de adultas, ainda se comportam como nós éramos no ensino fundamental: quando não gostávamos do professor “X”, simplesmente não aceitávamos o aprendizado vindo deste. 😉

        Educacionalmente falando, existem três tipos de pessoas:

        – Aquelas que já são amadurecidas;
        – Aquelas que amadurecem ao longo do tempo e com reconhecimento dos erros cometidos; e
        – Aquelas que nunca amadurecem (essas são maioria, infelizmente).

        Roberto Shinyashiki, médico-psiquiatra, e famoso palestrante brasileiro, disse certa feita:

        “Não se compare à maioria, pois, infelizmente, ela não é modelo de sucesso”

        Vejo que tem razão…

      2. Claro Cavalcanti 😉

        Eu próprio convidei o Cristóvão, por exemplo, para fazer parte da equipa do astroPT. E ele vai ser padre.
        O Cavalcanti também disse desde logo que era crente em Deus, e a seguir foi convidado para a equipa do astroPT 😉
        Mas há mais autores Católicos… até estão em maioria penso eu.

        Logo que as pessoas não sejam extremistas e não queiram impingir as suas crenças nos outros, por mim está tudo bem.
        Eu próprio tenho as minhas crenças. Mas elas são irrelevantes em face das evidências e do conhecimento dos assuntos. 😉

        Como o Cavalcanti disse, o Alexandre não percebe as diferenças entre conhecimento e opinião, e por isso não quer ouvir aqueles que detém o conhecimento.

        abraços!

        • Edson soares on 09/05/2012 at 16:07

        Quero deixar aqui,minha opinião a respeito dessa poblematica do Alexandre
        Logo da primeira vez.que conheçi o astropt,tive um embate um pouco aspero com o Carlos em um post sobre leitura a frio,mas não quero voltar a esse assunto, pois percebi, principalmente com o cavalcanti,que aqui não devemos misturar crenças pessoais com o conhecimento,ficando as crenças para post espeçifico,como o que o propio Cavalcanti abriu.
        Hora se estou visitando a casa de alguem,e gosto de frequentar essa casa tenho que respeitar o dono e suas regras,é o minimo que a pessoa educada tem a fazer
        Não quero jamais perder a oportunidade de aprender assuntos tão interessantes que vejo por aqui e suas explicaçoes dada pelo dono e seus colaboradores que não vou citar nomes pois não quero ser injusto com nenhum

      3. Exatamente Edson. 😉

        E saliento um excelente trecho do seu comentário:

        “(…) se estou visitando a casa de alguem,e gosto de frequentar essa casa tenho que respeitar o dono e suas regras,é o minimo que a pessoa educada tem a fazer”

        E tenho convicção que o Edson percebe que neste sítio, até hoje, existe respeito entre as opiniões – desde quando estas podem ser explicitadas em seus devidos lugares. Com relação à opiniões, por exemplo, quem está com a razão? Ninguém sabe… todavia, com relação ao conhecimento repassado, quem está com a razão? Aquele que transmite conhecimento. É simples.

        Eu não acredito em tudo como também não posso acreditar em nada. Estas pessoas custam a entender isso. A ciência é uma ponte segura entre dois vales: de um lado deste vale, aqueles que acreditam em tudo; do outro deste vale, daqueles que não acreditam em absolutamente nada.

        Mas não dá pra abrir a mente para coisas que, por diversas vezes, já foi refutada. Se um absurdo não foi reconhecido até hoje é porque não passa disso: um absurdo. 😉

        E todos nós tentamos coexistir da melhor forma possível. O mundo cresce a partir da diferença saudável entre as pessoas. A ciência segue lenta – porém com passos firmes. Os pseudos não se apercebem disso…

        Abraços!

        🙂

        • Pedro Seixas on 09/05/2012 at 22:57

        Carlos, aquilo está cheio de aliases. O estilo e o modo de escrita é o mesmo em quase todas as respostas. Aposto que há muitas respostas que são da mesma pessoa mas com diferentes nomes… 😀

      • Renato Romão on 09/05/2012 at 19:35
      • Responder

      Por acaso não existe nenhuma teoria sobre a cabeça oca?

      Penso que estes tipos podiam aproveitar e aplicar experiências uns nos outros, para se certificarem que a cabeça oca existe de facto e ainda aprendiam alguns processos aplicados nas ciências exactas.

      Abraços

  11. Eu fico pasmado como pode haver gente que fala de Fìsica e de físicos com uma certa leviandade, sem nunca ter experimentado, recolhido e interpretado dados, gráficos, etc.
    É lá que reside toda a evidência e factos científicos.
    Para estes pseudos, comentar à luz do que se diz é fácil. Clarividência? Nenhuma.
    Carlos, eu nem me dava ao trabalho de responder a quem não quer equacionar todos os pontos de vista de uma maneira racional e menos de maneira apaixonada.
    Deixa-os viver na santa ignorância. 🙂

  12. Bem… honestamente, sabemos que existirão SEMPRE pessoas que não sabem o que é exactamente a natureza da ciência, nem estão interessadas em saber. Que, infelizmente, se deixam enredar pelas teias da ignorância e da conspiracionite aguda. Que acham que o mundo actual é resultado, sei lá, de civilizações aliens?…

    Há pessoas que não entendem mesmo como se chega a determinados conhecimentos. Que o conhecimento é um acumular sucessivo de tentativas e erros que vão trazendo evidências de padrões na natureza. Não sabem que não é com a wikipedia q se adquire o conhecimento do de rerum natura. Não sabem q o trabalho cientifico é inter-disciplinar e fruto do labor e estudo de mtos anos, não de um dia ou dois a ler tretas na wikipedia ou livros obscuros que apelam ao que mais de intimo há em nós: o desejo de fantasias e magia.

    esquecem-se de olhar à volta e ver que o próprio mundo e o próprio funcionamento das coisas, da natureza, é mágico.

    E, pelo caminho, esquecem-se da humildade. Esquecem-se que há pessoas que há mais de 30 anos que estudam determinados assuntos. Que foram treinadas nesses assuntos. Que contribuiram, no fundo, para que eles possam andar a debitar palermices pela internet.

    Acho triste que, e para parafrasear Carl Sagan, vivendo nós num mundo totalmente depende de ciencia e tecnologia, existam pessoas que nada sabem de ciencia e tecnologia e que se deixam enrolar por demónios. Mais triste é vivermos num mundo onde as tecnologias da comunicação e informação trouxeram um acesso sem precedentes a novos conhecimentos, e estas pessoas continuarem a viver no obscurantismo e a criarem fantasias.

    Perante tamanhas parvoíces, é inevitável soltar uma gargalhada. E perante tamanhos insultos a pessoas que não conhecem, demonstrando uma falta de humildade e uma má educação incriveis, mais não há a fazer do que esperar que no meio daquela parvoíce toda haja uma pessoa, nem que só uma, que fique alerta e use o seu espirito critico.

    Isso já aconteceu. Muitas vezes. Há muitas pessoas que as equipas como o astropt, astropt incluido, claro, pescaram desse mundo. Se não fosse o astropt, provavelmente eu estava tb enredada nesse mundo. Porque é apelativo. Porque a fantasia é melhor que a realidade, às vezes. Qd não se conhece a magia da realidade. E qd não se tem acesso a um kit de detecção de tretas-

    Por isso eu digo: obrigada astropt. E aposto que há mais como eu. 🙂

    • Manel Rosa Martins on 09/05/2012 at 13:22
    • Responder

    Garotos mal-criados são sempre cobardes, escondem-se não vá coisa dar para o torto.

    Insultam as genuínas Cientistas como a Diana, que tem trabalho referenciado pelos seus pares pelos seus papers nas revistas mais exigentes, e fazem-no anonimamente porque são cobardes: têm medo de levar uma tareia descomunal se me aparecerem à frente.

    Nisso, dou-lhes toda a razão.

    No restante o chorrilo de disparates e de mentiras é tal que só dá é vontade de perguntar como alguém consegue ser tão profundamente estúpido.

    Trols. Neste caso é DFTT.

  13. Parece que eu fui o mais bem tratado. Nada de insultos!
    E gostei de um pormenor: no fim ainda tive direito a um agradecimento :)))

    Escusado será dizer que não escrevo lá uma única palavra!

    «Sr. Rui Costa,

    Quanto a essa instituição já mencionei que também os achei muito maus, mas não pode deixar de reaparar numa frase citada por eles.

    “Desde que foi demonstrado que todos os organismos vivos na Terra são geneticamente relacionados, é praticamente certo que todos os organismos vivos descendem de este primeiro organismo.”

    As moléculas de DNA (ácido desoxirribonucléico) em cada célula viva contêm instruções elaboradas e detalhadas necessárias para o desenvolvimento correto dos organismos. Embora o DNA seja muito mais complexo, podemos compará-lo às informações digitais gravadas num DVD. Ao serem carregadas, as informações codificadas num DVD possibilitam assistir a um vídeo ou ouvir música. De maneira similar, as moléculas de DNA, cujo formato é parecido a uma escada de corda em espiral, contêm informações codificadas que servem de base para todas as formas de vida e asseguram a biodiversidade — assim, bananas são diferentes de feijões, zebras de formigas, humanos de baleias.
    Dificilmente alguém diria que as informações digitais gravadas num DVD poderiam estar ali em resultado de eventos acidentais. Seria lógico então sugerir que o conjunto de informações extremamente complexas no DNA apareceu do nada?

    E muito obrigada quanto à explicação da frase de C. Darwin, foi bastante claro.»

    1. Mas veja-se bem a continuação do argumento extremista, Criacionista, dele, que foi sempre o que deu aqui, até à exaustão, não querendo saber do conhecimento para nada.

      Um pouco de conhecimento de estatística, bastaria para esse argumento cair totalmente por terra. Mas ele nem isso entende. Coitado. Enfim… é que ele não sabe nem sequer quer aprender, preferindo andar com os olhos tapados pelas pálas do extremismo religioso… enfim… não se pode fazer nada por essas pessoas que sobrepõem o obscurantismo das crenças pessoais ao conhecimento da natureza.

        • Rui Costa on 09/05/2012 at 13:48

        Só tenho pena que apesar de o troll que mencionou o meu nome agradeceu a explicação da frase de Darwin, tenho sérias dúvidas que tenha de fato compreendido, ou pelo menos tentado compreender, a explicação que dei.

        Por isso é que só insisto até ao ponto em que me apercebo que se trata de um diálogo de surdos (apesar de apenas uma das partes ter esse problema de surdez).

    2. Escusado será dizer que a analogia do DVD é tão má como a do relógio do William Paley.
      Mas fica aqui a afirmação, para que não haja dúvidas.

    3. HEY!!! Há surdos que ouvem, hã??? 😛 🙂 🙂

  14. Isaac Azimov disse qualquer coisa assim …tentar explicar para seres humanos pré-científicos que o vento e a chuva e o sol seguem as leis da natureza e o fazem tão cegamente e sem um guia, tem sido muito pouco convincente para eles, de facto até corremos o risco de ser “apedrejados” por eles.
    Realmente, aceitar um livro como uma fonte literal (vá lá saber-se porquê) quando devia ser tido como metafórico, ter como verdades absolutas (que não existem) e renegar as provas cientificas (que as há, e muitas) quando nem eles próprios apresentam provas nenhumas daquilo que defendem. Não há pachorra mesmo…

  15. Realmente, aceitar um livro como uma fonte literal (vá lá saber-se porquê) quando devia ser tido como metafórico, ter como verdades absolutas (que não existem) e renegar as provas cientificas (que as há, e muitas) quando nem eles próprios apresentam provas nenhumas daquilo que defende.
    Considero deveras interessante o facto terem tantas certezas absolutas, quando a única certeza absoluta é a de que todos morreremos um dia,e não acreditarem nos factos científicos e a falta de argumentos válidos passarem ao insulto. No meu entender isto só quer dizer uma coisa, são burros por opção (não usam a massa cinzenta e usam as tais palas nos olhos), têm inveja de quem é capaz de a cabeça para mais alguma coisa alem de segurar as orelhas e resolvem as discussões (que deveriam servir para esclarecer) passando ao insulto.
    Não há pachorra mesmo…

  16. Sugestão (“disclaimer” prévio: não sou apologista da pena de morte nem da eugenia nem da selecção humana, mas há casos e casos… :P): porque é que estes tipos não seguem o exemplo dos seguidores do “People Temple” (ver Jim Jones), da “Ordre du Temple Solaire” (ver Joseph di Mambro), do “Heaven’s Gate” (ver Marshall Applewhite), do “Movement for the Restoration of the Ten Commandements of God” (ver Credonia Mwerinde), do “Branch Davidians” (ver David Koresh), do “The Family International” (ver David Berg) ou seguir as intenções do “Heide” (ver Heide Fittkau-Garthe)?

  17. Eu até aceito sem problemas que “eles” tenham as suas crenças e que as defendam e debatam. Mas que as debatam entre si.

    Gostava de dizer ao Sr. Alexandre mais uma ou duas coisas, mas seria totalmente irrelevante porque ele não “ouviria”. Por exemplo gostava de lhe dizer que mesmo se considerarmos a hipótese de que o Universo tenha sido criado por “Deus” ou por uma “entidade divina”, tudo o que sabemos ou que poderemos saber dessa entidade termina aí. Tudo o que poderemos então afirmar é que o Universo existe e é regulado por Leis da Natureza, que são justamente o objeto de estudo da Ciência.
    As Leis da Natureza (leis descritivas, naturalmente) não se suspendem quando alguém medita ou reza ou pede que Deus interceda por a ou por b.
    O máximo que eu estou disposto a conceder-lhes é a discussão do deus de Spinoza, não de um deus pessoal que se interessa por cada um de nós e que nos vai julgar de acordo com uma moralidade doentia.
    Mas este tipo de discussão seria “dar-lhes” muita corda e não é o que eles quereriam ouvir…

  18. Carlos, se posso deixar uma sugestão, cá vai:

    Em casos destes, em que obviamente um user é identificado como troll, quem primeiro o notar coloca a mensagem DFTT e, a aprtir daí as mensagens continuam como até aí, mas o visado deve ser ou totalmente ignorado ou bloqueado.
    Pessoalmente, prefiro que numa primeira fase continuemos a nossa troca de ideias e o ignoremos. Se persistir na provocação e na conversa de surdos, bloqueie-se!

    É só uma sugestão, claro 😉

    1. Sim, claro 🙂

      E foi o que eu já tinha feito.

      Daí o Alexandre se ter ido queixar para outro lado.
      O Alexandre acha que pode fazer de troll. Como foi enviado para SPAM após se perceber que era um troll, então, coitado, foi chorar que o moderaram. LOL enfim…

      Se estas pessoas respeitassem o conhecimento e quem o detém, podiam aprender alguma coisa. Assim, nada aprendem e só fazem figuras tristes.

      abraços!

  19. Fui ver mais comentários que estavam a entrar directamente para SPAM… e de quem são???
    São do Alexandre!!!! LOLLLLLLLLLLLL
    Que tem o mesmo IP do Marcelo!!!!
    Ou seja, o “Marcelo” era o Alexandre, que cobardemente se escondeu atrás de identidades falsas. Por aqui se vê que o seu único objectivo é ser troll, criando identidades paralelas!!!

    E foi parar a SPAM porquê??

    Por aquilo que eu já lhe tinha explicado atrás, mas que ele, como SEMPRE, nunca lê:

    http://www.astropt.org/2012/04/19/panspermia-do-avesso-2/#comment-54356
    “Para concluir:
    Alexandre, se tem alguma coisa a dizer sobre o artigo do post, que é sobre panspermia, diga. De resto, acabou-se-me a paciência para quem não quer aprender e só quer vir para aqui pregar sermões religiosos.
    Está no seu direito de acreditar no que quiser. Não está no direito de entrar num local de ciência, num local de conhecimento, num post sobre panspermia, e abrir as portas a sermões religiosos anti-conhecimento só porque tem uma crença cega em algo.
    Muito menos está no seu direito das pessoas perderem tempo por sua causa, a explicarem-lhe as coisas (exemplos: o que é uma teoria, que teorias não se fazem de acreditar, etc), e você ignora tudo porque quer continuar cegamente a afirmar os mesmos disparates, não querendo aprender nada com o que lhe é explicado.
    Vou-lhe pedir, educadamente, que páre com estes seus comentários Criacionistas num artigo sobre panspermia. Se não parar, serei obrigado a enviar os comentários para SPAM sem ninguém os ler.
    Acho que já tive paciência a mais para quem NÃO quer aprender nada e quer continuar a dar os mesmos argumentos disparatados, mentiras, de sempre.”

    http://www.astropt.org/2012/04/19/panspermia-do-avesso-2/#comment-54405
    “Como eu já tinha referido em cima, já estou farto desta conversa.
    Se o Alexandre quisesse aprender, teria lido os comentários e os links que lhe foram dados, para perceber o que é a ciência, o que é uma Teoria, o que é a Teoria da Evolução, qual a diferença entre opiniões e conhecimento, qual a diferença entre crenças (religiosas, como o Alexandre demonstra nos seus argumentos) e conhecimento, qual é o conhecimento biológico de vários assuntos que apresentou, etc.
    Em vez disso, o Alexandre continuou na leng-lenga de sempre, com a única resposta obcecada pelo “design” sem qualquer evidência disso, mas somente opiniões baseadas em parcas e erradas opiniões sobre o assunto.
    Já se percebeu a obcessão religiosa do Alexandre.
    Sugiro que a vá divulgar para os sítios respectivos: sítios onde não estão interessados em conhecimento mas somente em venerar opiniões ditas sem evidências.”

    “O Alexandre após não querer aprender nada por aqui e continuar agarrado a uma visão religiosa do assunto, agora começou a enviar comentários a ameaçar que vai publicar vários comentários sobre o astroPT em sítios de astronomia.
    Ou seja, após pacientemente e voluntariamente (todos temos o nosso trabalho, que não é aturar o Alexandre) termos respondido a tudo o que ele quis, e ele nada ter aprendido e continuar obcecado pela ignorância que demonstra do assunto, agora vem com ameaças de publicidade ao astroPT.
    Sinceramente, nem sei se me hei-de rir, mas por aqui se vê o tipo de pessoa que o Alexandre é.
    Como não tem nada para fazer, e como não quer aprender com quem sabe mais do que ele, resolve ameaçar.
    E ameaça como? Dizendo que vai publicitar o astroPT em tudo que seja sítio de astronomia! LOLLLLL Só respondo, venha daí essa publicidade grátis!!!! 🙂
    De resto, como já se percebeu que o objectivo do Alexandre é puramente fazer perder tempo às pessoas, e sendo que se mostra como uma “raposa em pele de cordeiro” (tal como nos avisou o Criador), então os seus comentários irão a partir de agora directamente para SPAM sem mais ninguém os ler.”

    Como se percebe, PROVA-SE que o Alexandre nunca quis ler qualquer informação que lhe déssemos. Em vez disso, prefere fazer papel de troll.

      • Pedro Seixas on 09/05/2012 at 23:02
      • Responder

      Quando comecei a ler as respostas percebi que o estilo de escrita era igual em quase todas as respostas. É a mesma pessoa com n identidades diferentes… lololololol!!

      1. As respostas lá no grupinho deles, não é? 😛

        Pois… é possível que seja sempre a mesma pessoa que nada tem que fazer, e por isso decide fazer de troll, odiando alguém que não conhece de lado nenhum.

  20. Olá a todos.

    Vão para aí alguns mal entendidos.

    Teoria cientifica não é o mesmo que opinião. A opinião é uma forma de conhecimento fraca, individual, não sistemática e baseada no senso comum. Uma teoria cientifica é baseada no esforço conjunto de várias pessoas, que é capaz de explicar o que se conhece, é consistente com o resto da ciência e é capaz de fazer previsões testáveis. É o melhor que temos como conhecimento.

    A evolução não é apenas uma teoria. Teoria é o que a explica. As linhas de evidencia são tantas que os filósofos consideram a evolução um facto.

    Sim, a filosofia não é igual a “tudo o que me passa pela cabeça.” Nem o senso comum devia ser isso.

    O que a ciência não explica ou o que ela pode estar a explicar mal não prova nenhuma teoria por si só. Ir ver “apelo à ignorância” e “deus das lacunas”.

    Quando a haver cientistas que acreditam num criacionismo de qualquer especie… Bem, é assim, entre biólogos e geólogos esses são menos de 5%. E na ciência, onde se procuram consensos e verificação independente dos casos, os números contam. É isso que nos permite criar paradigmas de investigação que levam a existirem computadores como estes que estamos a usar neste momento.

    Quem acha que pode escolher a dedo aquilo em que quer acreditar sem se ralar com as evidencias é consigo. Cada um pode acreditar no que quiser e dizer o que quizer. Mas isso não o torna verdade. O melhor que conseguimos fazer é sistematizar os esforços e trabalhar com varias mentes em sintonia. É um bocado arrogante pretender que se faz melhor sozinho ou com um grupinho de amigos. E provas?

  21. Já agora. A complexidade irredutivel de Behe nunca teve pernas para andar. Só faz sentido para criacionitas que não aceitam que formas incompletas de olho que existem hoje na natureza em vários animais (vão descobrir) são prova que milésimos de olho são melhores que olho nenhum. Não há complexidade irrredutivel.

    E assim está demonstrado. Para quem quer saber, claro.

  22. Notem o comentário de um cidadão chamado Raziel lá no blog: chama este sítio de blog “pseudo científico”.

    LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL ROFTLOLLLLLLROFTLOLLLLLLLLLLL

    COF COF… COF COF…

    _________________________________

    É o fim da picada. É como eu disse, caros: o mundo está de ponta-cabeça.

    Se este sítio é pseudocientífico – que é formado por pessoas que estão a cursar nível superior; pessoas que obteram diploma universitário; mestres e doutores em suas respectivas áreas e não aqueles que dizem que “ensinaram ciência a si próprios”, “pesquisadores (de internet, só pode)” – então, o que dirá outros sítios?

    JÁ NÃO HÁ PACIÊNCIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    1. O Raziel fartou-se de dizer asneiras, neste post:
      http://www.astropt.org/2012/04/02/vemo-nos-em-tribunal-ii-blogger-portugues-processado/

      É mais um que anda com a cabeça em água… homeopática.

      Enfim…

  23. Se cidadãos do naipe do Raziel, Alexandre e outros que fizeram comentários (inclusive um mandou todos aqui irem “à merda”) lá no blog do Rui Palmela, acham o Carlos com tais adjetivos (que nem vou expô-los aqui) é porque não conhecem o André do “Ceticismo.net”. 😛

    Façam o seguinte, senhores: afirmem as mesmas asneiras neste blog:

    http://ceticismo.net/

    Tanto o André quanto seus leitores são muito menos pacientes que nós com comentários dos referidos cidadãos. 😉

    Se acham que aqui somos arrogantes, desejo-vos um belo debate com o André e o seus colaboradores sobre crenças (por diversas vezes refutadas) e OVNI’s.

    1. Ôpa! É nós na fita. 🙂

      Pode mandar o pessoal pra lá que eu tenho um cantinho especial pros malucos, trolls e atoleimados. A seção chama-se “Voz dos Alienados”, que anda meio parada por falta de imbecis escrevendo besteira.

      Quanto ao pessoal que foi xingado, não liguem. Eu recebo todo santo dia um e-mail mostrando como seus remetentes são calmos, pacíficos e dignos do mais alto respeito.

      Abraços a todos.

      1. (risos) 😛

        André, me referi ao seu blog, pois conheço desde 2009. Ainda não vi comentários do Alexandre, do “Bruno” e dos outros pseudos que aparecem aqui lá no teu blog. Possivelmente, devem ter visto as ensaboadas que pseudos levam nos comentários. 😉

        Espero vê-lo, André, mais vezes por aqui. 😉

        Abraços.

    • Cláudio Tereso on 10/05/2012 at 00:06
    • Responder

    Acho que fazem mal em perder tanto tempo com um fanático (duvido que seja mais que um). Já repararam que uma pessoa rouba tempo a meia dúzia de Malta (com M grande) que podia estar a produzir conteúdo? Ao darem-lhe atenção estão a dar valor às ideias dele, como se merecem ser respondidas.

    Acho que foi o Dawkins que deixou de aceitar palestras contra doidos porque só servia para eles se promoverem, e acho que é isso que está a acontecer por aqui …. 😉

    Também acho que tentar no blog dele escrever alguma coisa útil, não vale a pena. A meia dúzia de alucinados que deve ler aquilo NUNCA vai mudar de opinião independentemente da validade dos argumentos apresentados.

  24. O mais engraçado é que se copiam todos uns aos outros.

    Um deles comenta lá o seguinte: «As moléculas de DNA (ácido desoxirribonucléico) em cada célula viva contêm instruções elaboradas e detalhadas necessárias para o desenvolvimento correto dos organismos. Embora o DNA seja muito mais complexo, podemos compará-lo às informações digitais gravadas num DVD. Ao serem carregadas, as informações codificadas num DVD possibilitam assistir a um vídeo ou ouvir música. De maneira similar, as moléculas de DNA, cujo formato é parecido a uma escada de corda em espiral, contêm informações codificadas que servem de base para todas as formas de vida e asseguram a biodiversidade — assim, bananas são diferentes de feijões, zebras de formigas, humanos de baleias.»

    O que ele não diz é que foi buscar aquilo tudo aqui: http://gene1genesis.blogspot.pt/ Façam scroll e parem no texto a vermelho (estes tipos são tão bons em Ciência como são em web design) e comparem. Não pensam nem argumentam, são máquinas de copy-paste. E são desonestos, por não citarem sequer as suas fontes.

    É só show-off, claro. Quer mostrar que sabe, mas a única combinação que sabe é Ctrl+C e Ctrl+V.

    Insiste em chamar-nos de seita e que não pensamos pela própria cabeça e «seguimos» cegamente o que o Carlos diz porque não consegue pensar para além do seu próprio quadro de referências.

    O Universo pseudo também teve o seu próprio Big Bang. Ao princípio, a estupidez era apenas uma singularidade, um ponto infinitamente pequeno, até que explodiu. E o raio do Universo continua a expandir-se. Não há nada a fazer quanto a isso, pois o Universo que nós observamos é outro.

    Ao mesmo tempo, tudo isto me faz sentir pena. Pena daquelas pessoas. Ou daquela pessoa e das suas múltiplas personificações.

    Porque tanto esforço e tanto blogue pressupõe algum interesse pelos mistérios da vida – eles existem, e muitos! Dado que a educação científica nas escolas e nos meios de comunicação é medíocre, essas pessoas tendem a valorizar as explicações que conseguem compreender. Entre uma história e uma equação, qual acham que é mais fácil de entender?

    Depois existe também, em todos eles, uma revolta sobre quem detém o conhecimento porque, no fundo, é visto como uma forma de poder. Tem o poder de abalar esse sistema de crenças e conspirações, portanto é sempre visto como uma ameaça.

    Se não fossem tão mentalmente preguiçosos aprenderiam pelo menos o básico do que é a Ciência, e como funciona, em vez de verem teorias da conspiração em todo o lado.

    São tão limitados na forma como aproveitam o cérebro que têm que nem sequer percebem que a verdadeira conspiração está na forma como esta sociedade valoriza o dinheiro mais do que o conhecimento – e é por isso que é sempre mais fácil encontrar um artigo de astrologia num jornal do que um artigo de astronomia. É por isso que é mais fácil encontrar sites sobre o fim do mundo do que sites onde essas teorias são desmistificadas.

    Estes pseudos são o resultado deste mundo em que vivemos, e isso entristece-me.

    É inútil perder tempo com eles porque, para gente assim, o Conhecimento é também uma forma de conspiração.

    1. Muito bem dito, Marco!

      Tu e o Cláudio têm razão: muitas vezes perdemos o nosso tempo com esta gente e, com isso, não fazemos outras coisas que seriam mais importantes, como a produção de novos conteúdos…ou aquele trabalho que nos paga as contas.

      Mas acho que podemos ser perdoados pela nossa tentativa, ainda que vã, de difundir conhecimento, educar e esclarecer.

      Espero que os leitores que realmente querem aprender e maravilhar-se com a ciência, encontrem alguma utilidade nas explicações que aqui foram apresentadas.
      😉

  25. Já agora, veja o comentário de um cidadão chamado Bruno no blog do Rui Palmela.

    O Bruno também enviou testamentos hoje, mas percebi que o comentário desse cidadão foi colocado para SPAM. Esse Bruno gosta bastante de insultar outras pessoas.

    Sentem-se. Vamos às idiotices deste:

    “Tem lá um que se diz crente em Deus, e em seguida vem dizer tudo e mais alguma coisa contra Deus, no mimimo vergonhosa a sua crença.”

    Com certeza, esse deve ser eu. 😛 😛

    É o seguinte, pequeno gafanhoto Bruno:

    1) Afirmo e confirmo que acredito em Deus;

    2) Nunca escrevi uma única vírgula contra Deus nem aqui no AstroPT, nem em qualquer lugar. Não tenho vergonha de minhas crenças religiosas, muito menos de minha fé em Deus;

    3) Ter fé em Deus não significa acreditar em crenças religiosas. Primeiro, aprenda a saber a diferença entre crença religiosa e fé num Ser Superior. Se você não sabe, caro Watson, deveria procurar saber qual diferença é; e

    4) A Igreja Católica, do qual sou seguidor praticante, depois de milênios, está começando
    “dar mão-à-palmatória” acerca das teorias científicas do início do nosso Universo – a ver as últimas notas que a Santa Sé trouxe à público. Minhas crenças, assim com as de Leimatre, não deixaram-nos de perceber as evidências e fatos científicos. Todavia, vergonhoso é um cidadão, chamado Bruno, afirmar as seguintes asneiras:

    “(…) desse senhor que se dá pelo nome de Carlos F. Oliveira, nem tive direito a ridiculariza-lo em frente à cambada dos seus seguidores.”

    Antes de ridicularizar, certifique-se que você mesmo não está sendo ridicularizado pelas próprias babaquices que afirma.

    “Pelo que pude ler, nos comentários deu para perceber que a maioria dos que lá comentam, dizem sempre amém com medo de serem expulsos da seita deles.”

    Cidadão, eu sou pernambucano e na minha cidade natal, nós só temos medo de alguém se este alguém tem mais de dois culhões entre as pernas.

    “Depois, vem outra dizer que os amigos lagartos dela são mais perfeitos que o ser humano e que o humano é feito de remendos, ela com certeza se deveria estar a referir ao namorado que deve ser tão feioso ou mal jeitoso que realmente mais parece um remendo. E a fulana ainda se diz cientista….”

    Ela tem formação acadêmica. Pode-se intitular cientista. E tu, Bruno, tem que formação?

    “Melhor mesmo é esse tal Carlos Oliveira, que se diz professor, realmente o tempo que ele passa no blog deve ser só para ensinar seus seguidores, porque alunos numa faculdade, não estou a ver, ele não tem perfil para tal. é que esse Carlos não sabe mais, usa sempre os mesmos argumentos em todas as discussões, mais parece um disco riscado. ”

    Desde quando tu é especialista em saber se uma pessoa é ou não aquilo? Também se percebe teu perfil…

    E pra fechar com chave-de-ouro…

    “caro Rui Palmela, essa que se faz passar por Ana, o nome dela é Diana Barbosa, se comparar as respostas dela aqui com as do blog desse Carlos vai constatar isso.”

    LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL 😛 😛

    Caros colegas deste espaço: realmente, a estupidez humana está acima do nível deste Universo. É por isso que extraterrestres preferem não manter contato conosco. Já sabem que aqui não há vida inteligente.

    1. Cavalcanti, está bom de ver que todos os pseudónimos encontram o tal sítio do Rui Palmela… que não tinha ninguém, mas pelos vistos nos últimos dois dias todos os que aqui comentam com parvoíces encontram imediatamente esse sítio para desbobinarem frustrações pessoais.

      Está bom de ver que, ou esse sítio de repente ficou famoso em dois dias por entre todos os ignorantes pseudos… ou então na verdade é só uma pessoa a “fazer a festa toda”, inventando pseudónimos para tentar enganar os outros que o sítio ficou 300% mais concorrido em 2 dias.

      De resto, o que dizer?

      Quanto ao que eu sou, bastaria ele contactar a minha Universidade, e já perceberia. Em vez disso, faz o que os parvos ignorantes fazem, levanta falsos testemunhos. Coitado. A inveja deve-o matar por dentro. Temos que compreender. É uma mente pequenina.

      Ri-me pela conspiração dele em imaginar que a Ana é a Diana, sendo que elas vivem a centenas de kms uma da outra, têm milhares de fotografias na net, e já apareceram em encontros onde se pode perceber quem eram.
      Mas ele só pensa isso, porque a conta que ele criou no Facebook para ele, que eu fui ver, não tem qualquer foto dele, não tem qualquer actividade, e percebe-se bem que essa conta só foi criada para ele passar o tempo a trollar pela internet. Ele imagina isso da Diana e da Ana, porque ele próprio é o pseudónimo de outro. Isso em psicologia tem um nome: projecção. 😉

      Coitado… enfim… não o podemos culpar. É uma pessoa mentalmente doente.

      1. Carlos,

        O mais engraçado é que o Rui Palmela bloqueou o comentário do Manel Rosa Martins, segundo ele por conter ofensas pessoais à um cidadão “Anônimo” e insultos = adjetivos não permitidos no tal blog. Segue o comentário dele fazendo um convite ao Manel pra fazer um comentário de forma “civilizada” e “educada”, sem incorrer aos termos que não seriam permitidos no referido blog.

        Porém, logo em seguida, aprova o comentário 😛 “Estúpido do Ano” 😛 do tal cidadão Bruno. É a hipocrisia a reinar.

        Portanto, uno-me em coro ao comentário do Marco:

        “Depois existe também, em todos eles, uma revolta sobre quem detém o conhecimento porque, no fundo, é visto como uma forma de poder. Tem o poder de abalar esse sistema de crenças e conspirações, portanto é sempre visto como uma ameaça.”

        Só pode ser isso. Penso que talvez não exista outra explicação. É a mesma coisa de pseudos que dizem que “ensinaram ciência a si próprios”, sem nunca ter colocado os pés numa Universidade. Percebem-se, em suas palestras (a ver o Nassin Haramein), a zombaria destes para com aqueles que obtiveram diploma universitário.

        Abraços.

      2. Duas coisas excelentes no comentário do Carlos:

        “Coitado. A inveja deve-o matar por dentro. Temos que compreender. É uma mente pequenina.”

        “Ele imagina isso da Diana e da Ana, porque ele próprio é o pseudónimo de outro. Isso em psicologia tem um nome: projecção.”

        É-mais-que-provável.

        😉

  26. O apalermado “Bruno” continuou enviado idiotices lá no blog do Palmela.

    O bruno é totalmente contraditório. Afirma que este blog é desinteressante, porém continua enviando comentários que, corretamente, estão em SPAM. Este blog é tão desinteressante que este cidadão vem aqui e logo depois vai comentar noutros blog’s. Ôô seu Bruno, larga a mão de ser criança: aqui todo mundo é adulto. Deu pra entender?? Aqui se trabalha e sugiro que faça o mesmo: toma vergonha nessa sua cara e vai arrumar emprego. Lave seus dedos sujos antes de mencionar o nome de qualquer pessoa deste espaço, e não se sabia que você era “assistente de Deus”. Pois julga saber os Seus Pensamentos. Pelo visto, quem joga em duas equipes é você – que mal entra aqui em SPAM e vai em outros blog’s vomitar suas idiotices. Recebes 13º salário ou faz hora-extra?

    1. Cavalcanti,

      Eu não ando a ver o que ele escreve por lá, mas asseguro-lhe que desde ontem o Bruno não enviou mais comentário nenhum para aqui. Nem ao SPAM foi ter.
      Por isso, se ele diz que continua a enviar, está a mentir.

      abraços!

      1. “(…) continua”. Correção: ( (…) continuou), devido a achar desinteressante, mas tinha enviado comentários maldosos antes ao seu blog.

        Agradeço a correção, Carlos. 😉

        Abraço.

  27. Quanto mais insultam, mais burros e arruaceiros se revelam. Um alucinado anda-se a babar nos teclados por causa do AstroPT e a insultar quem aqui comenta? Grande novidade. Não é o primeiro cobarde anónimo na Net nem será o último.
    Quanto ao autor do blogue, vejam o contraste entre o que está escrito no perfil e os comentários que ele aprova. Afirma-se amante da concórdia universal e declara o seu amor por todos os seres vivos da Terra, mas aprova comentários alheios para satisfazer o seu mesquinho desejo de vingança.
    Raios, e já viste a sidebar? Se eu tivesse reparado nela antes nem sequer tinha lido o post dele. Tem uma mensagem de ASTHAR SHERAN aos habitantes da Terra! Este Asthar é «comandante de uma equipe de extraterrestres cuja missão é de proteger o nosso planeta».Há falta de anjos com asinhas, agora veneram anjos tecnológicos. Há alguma possibilidade de ter um diálogo racional com esta gente, esperar que sejam capazes de perceber ou aceitar seja o que for? Seria mais fácil explicar a um peixe os benefícios do ar puro da serra da Estrela. É deixá-los felizes no seu cantinho medieval.

    1. Marco,

      Pois, tens mesmo razão…

      A mim, já duas pessoas me informaram, um deles advogado, que eles andaram a disseminar calúnias e difamações sobre a minha pessoa nesse blog pseudo-religioso.
      Fui lá ver, e sinceramente parti-me a rir 🙂 LOL. A dizerem que só sou assistente e não sei que mais. LOLLLLLLLL Bastava perderem 1 minuto e contactarem a Universidade, o meu departamento, as pessoas que trabalham comigo. Em vez disso, preferem levantar falsos testemunhos, preferem escrever mentiras baseadas em fracas pesquisas. Enfim… esta é a parca inteligência desta gente.
      A difamação e a calúnia são punidas por lei. O IP dessa pessoa nós temos aqui no astroPT ;). O autor desse blog que anda a aprovar e a disseminar essas calúnias também sabemos quem é devido ao IP que deixou aqui. Por isso, sinceramente, só me dá para rir como essas pessoas podem ser tão burras… 😉 Mas não é coisa que me surpreenda: elas já provaram que preferem seguir crenças estúpidas do que o conhecimento dos assuntos ;). Depois estas pessoas queixam-se da vida que levam e das coisas que lhes acontecem… pudera! São elas que fazem por isso!

      Já agora, nota os argumentos totalmente pessoais: em lado nenhum há argumentos objectivos de que as crenças pessoais dele estão certas, em lado nenhum existe uma defesa das suas crenças… só existem os chamados Ad Hominem, que são os argumentos de quem é fraco mentalmente e não tem argumentos racionais para apresentar. Só insultos. Enfim… tenho pena destas pessoas. São uns tristes.
      Por outro lado, são este tipo de pessoas que não deixam a Humanidade se desenvolver mais rapidamente, são o cancro da sociedade.

      abraços!

        • Rui Costa on 11/05/2012 at 15:13

        Carlos, nada de levar isso para o campo pessoal.

        Há pessoas que são mesmo assim e não mudam.

        Defendem as suas ideias de forma tão aguerrida e têm uma mentalidade tão tacanha e obcecada que, quando confrontados com outras pessoas que defendem ideias contrárias às suas e para as quais não têm argumentos novos nem convincentes, suspendem a discussão das ideias e tentam destruir o carácter do opositor.
        Nada de novo aqui 🙂

  28. Já agora, deixem-me relembrar que este post era sobre Panspermia, e nada daquilo que os pseudos quiseram discutir.

    Os ignorantes vieram com discussões sobre Deus e o Criacionismo, porque esta é sempre a mesma táctica dos vigaristas: vêem uma notícia qualquer, não a compreendem, não a querem compreender, sentem-se ofendidos com o que não compreendem, e viram a conversa para outra treta qualquer que é uma crença própria deles para assim (porque não compreendem) insultarem hipocritamente quem tem mais conhecimento do que eles no assunto em causa.

    Como desconhecem os assuntos, e não querem ter conhecimento deles, atacam as pessoas que sabem mais desses assuntos, e viram a conversa para sistemas de crenças próprios que nada têm a ver com conhecimento.

    Enfim…

    • Lucas Duarte on 09/08/2012 at 19:34
    • Responder

    Especulação <3

  29. Meuuuu, não sabia que tinha tanta gente que acredita nisso, acho meio loucoo e tem que ter mais fé em acreditar nessas coisas que pra acreditar em deus.
    Bom não sei vcs, mas eu n vim do espaço… Já que vcs são de lá porque não dão uma voltinha pelo espaço dão uma passada pelo sol e visitam sua terra natal?

  30. Olá AstroPT, pode ser “viagem” minha… Eu ia até perguntar isto em outra página. Mas acho que vcs saberiam me responder melhor.
    Estava lendo sobre panspermia e a presença de biomoleculas encontradas em asteroides. Oq eu fiquei me perguntando, é: Se encontrassemos um planeta com condições de habitar vida nele, mas o mesmo não tiver. Poderiamos nós, se tivermos avanços tecnologicos até lá, levar procariontes ao planeta no intuito de averiguar se eles se desenvolvem, se adaptam e conseguem se distribuir pelo planeta.(por causa da alta mutabilidade q eles apresentam) Eu particularmente não faço a minima ideia se isto é ético… Afinal, talvez estejamos acabando com o desenvolvimento natural do planeta. Até pq os seres vivos tb afetam o meio, lembrando dos seres autotroficos que mudaram nossa atmosfera disponibilizando mais O2, que acabou ajudando a desenvolver a vida como conhecemos hj.
    Enfim, esta é minha questão. A é. E por curiosidade há algum intuito de se fazer isto?( “O ser humano prover vida ao planeta”)

    1. Tem toda a razão que foi a vida na Terra que mudou totalmente o planeta, colocando O2 na atmosfera.

      Não é “viagem” sua. É uma questão científica, que abrange outras áreas: como a economia, ética, etc.

      Quanto à sua questão, tem um nome: terraformação. No caso que referiu, é com vida.

      Já falei de Terraformação neste post:
      http://www.astropt.org/2014/03/19/terraformacao-um-conceito-inviavel/

      Pessoalmente, parece-me um conceito inviável, como refiro no post, devido aos prazos temporais e às variáveis desconhecidas.

      Mas teoricamente pode ser feito.
      E, também como refiro no post, vários “monstros” da ciência e da divulgação científica defendem que se deveria fazer isso. Por exemplo, Carl Sagan defendia enviar-se microorganismos para Marte.

      Para já, não há nenhum projecto para se realizar um feito desta magnitude. No entanto, penso que no futuro isto será inevitável.

      abraços

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.