Festa da Ciência em Braga

A partir da próxima sexta-feira, dia 11, e até ao dia 18, ocorre na cidade de Braga a 2ª Edição da Festa da Ciência, organizada pela Escola de Ciências da Universidade do Minho.

Vao ser oito dias de festa, com um programa prometedor e variado, que passa por actividades de divulgação da Ciência como workshops, sessões hands-on, palestras, concursos e exposições.

Os temas são muito variados, mas destaco aquelas actividades que serão mais afins aos leitores desta casa:

  • Cientista do CERN por um dia: “Esta actividade tem como objectivo medir as propriedades de uma partícula sub-atómica produzida em acontecimentos recolhidos em experiências do LHC no CERN. A partir dos resultados obtidos pelos vários grupos de alunos, será feita a combinação desses resultados, tal como os cientistas no CERN fazem no seu dia a dia quer no estudo de partículas conhecidas quer na pesquisa de novas partículas”
  • Observação Solar: “Observação solar com telescópio com prisma de HERSCHEL (luz visível) e H-Alfa através de telescópio CORONADO. Observação das manchas solares e de algumas estruturas solares visíveis. Com a colaboração da ORION – Sociedade Científica de Astronomia do Minho.”
  • Ponto a ponto enche a Ciência o espaço: “Atividade STOL (Dep. Biologia) em conjunto com o Dep. Matemática e Aplicações da Escola de Ciências da UMinho. Tema central “As formas hiperbólicas que se observam na Natureza”. Inclui várias componentes: (i) construção de um “recife” com modelos feitos em croché (contamos com a colaboração Centros de Dia de Braga), (ii) um stand “hands-on” para experimentar na hora, (III) exibição de pósteres com imagens de modelos matemáticos que representam e descrevem as formas hiperbólicas, (iv) mostra de corais e (V) visualização de um diaporama temático.”
  • Exposição “Explorando as fronteiras entre a Física e a Biologia”: “Esta exposição focaliza-se na investigação atual em Biofísica desenvolvida no Centro de Física da Escola de Ciências. Os temas da exposição vão desde o grafeno – material com potenciais aplicações biológicas e cuja descoberta deu o Prémio Nobel da Física de 2010 a A. Geim e K. Novoselov – até aos sensores para deteção de biomoléculas. A investigação em Óptica Aplicada e Ciências da Visão é também abordada, através do estudo da distribuição cromática de pinturas artísticas, análise da superfície de lentes de contacto e quantificação de anomalias visuais. As aplicações biomédicas dos sistemas investigados estão em destaque nesta exposição: materiais para regeneração de tecidos ósseos, interação de novos potenciais fármacos com o DNA e complexos lípido/DNA (lipoplexos) para terapia genética. Muitas das imagens desta exposição foram obtidas com técnicas de microscopia, difusão de Raios X e através da utilização de sondas fluorescentes, que atualmente constituem ferramentas indispensáveis na caracterização destes materiais. Em resumo, ?Explorando as fronteiras entre a Física e a Biologia? baseia-se no forte caráter interdisciplinar entre estas duas áreas do conhecimento.”

 

Durante esta semana, mais propriamente no dia 18, celebra-se também o primeiro Dia Internacional do Fascínio das Plantas, havendo uma série de actividades que se integram nesta celebração, como por exemplo a oficina Vamos fazer cremes, óleos e tinturas com plantas aromáticas e medicinais!

O principal público-alvo desta iniciativa são os alunos dos ensinos pré-escolar, básico e secundário.
O programa completo e as fichas de inscrição para as diferentes actividades, encontram-se aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.