Cassini sobrevoa um ovo!

Metone fotografada pela sonda Cassini a 20 de Maio de 2012, a apenas 4.500 km de distância (imagem original: N00189072).
Crédito: NASA/JPL/Space Science Institute/Sérgio Paulino.

A Cassini realizou anteontem uma rara aproximação a Metone, uma das três minúsculas luas que povoam a região entre as órbitas de Mimas e Encélado. Situada a apenas 200 mil quilómetros de distância de Saturno e com apenas 3,2 quilómetros de diâmetro, Metone é um alvo difícil de alcançar, pelo que esta foi uma oportunidade única para a equipa de imagem da missão fotografar a sua superfície.
Metone foi a primeira lua a ser descoberta pela Cassini, logo no início da missão, em 2004. As novas imagens, obtidas no Domingo passado, mostram um corpo surpreendentemente ovóide e liso, com subtis variações de albedo, características curiosamente partilhadas pela sua vizinha Palene. Metone e Palene partilham com Ante órbitas muito próximas no interior do anel E, região onde são continuamente pulverizadas com partículas de gelo e compostos orgânicos com origem em Encélado, um facto que talvez explique as suas estranhas aparências.

8 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • rr_renatoromao on 25/05/2012 at 21:36
    • Responder

    Pois Sérgio, a minha linha de raciocínio enquadra-se no texto (iii). Devido aos “recentes” estudos que nos dizem que a formação dos anéis terem sido criados por inúmeros embates entre “corpos” e bem mais recente que Saturno. Uma característica interessante nesta lua é de não conter crateras, o que dá a ideia que sofre/sofreu o efeito de erosão. A sua forma faz lembrar as pedras a beira-mar, que foram esculpidas através de uma erosão prolongada.Obviamente tendo em conta a hipótese que menciono.Ter atenção Sérgio, que eu apenas sou um leigo muito curioso.
    Abraços.
    Renato Romão

    • Renato Romão on 23/05/2012 at 21:25
    • Responder

    Sérgio,

    Não se colocará também a hipótese de ter sido um cometa ou meteoro ter ficado retido na órbita de Saturno. Ter sido significativamente maior e o que vemos é apenas uma parte do que era?

    Abraços

    1. Olá Renato,

      Eu diria que seria muito difícil a captura de um objecto em órbitas regulares, com baixa excentricidade e inclinação, tão próximas de Saturno como as destas luas. No entanto, encontrei neste artigo da Carolyn Porco de 2005, este interessante parágrafo: “(…) several explanations are possible for the eccentric and inclined orbit of Pallene: (i) a secular gravitational effect that is not manifest in only ~4800 years’ integration; (ii) the moon migrated across eccentricity- and inclination exciting resonances to its present position; or (iii) it is a fragment of a parent body that was hit by an impactor on an eccentric orbit. The third scenario could indicate possible heavy cometary bombardment in the past.” 😉

  1. Bem, os planetas também se formaram por um processo de acreção… Eventualmente estes pequenos corpos vão crescendo e a sua massa aumentando. Claro que não haverá massa suficiente para um crescimento significativo, mas não deixa de ser curiosa esta possibilidade 🙂

    1. Bem, penso que estes três estarão condenados a ficar com este tamanho. As perturbações gravitacionais de Mimas e Encélado impõem-lhes limites à acumulação de mais massa. 🙂

  2. Já há umas duas semanas atrás me surpreendi com a forma estranhamente circular da outra lua de Saturno, Palene.
    Agora mais uma lua que tem dimensões extremamente pequenas e em que não pode ser a gravidade própria a modelar estes pequenos objectos.

    Sem dúvida que o Universo não pára de nos surpreender!

    1. Olá Rui,

      Pois é. Tivemos aquele interessante diálogo há umas semanas e agora eis que nos sai mais outra lua com dimensões semelhantes e a mesma forma. 😀

      Penso que a pista para este enigma encontra-se nas pequenas partículas que povoam o anel E. Metone e Palene (e também Ante) devem ter uma consistência semelhante a neve compactada, um produto da acumulação das finas partículas de gelo de Encélado na suas superfícies. Estas partículas devem atingi-las a baixas velocidades, acumulando-se uniformemente até atingirem os limites das suas minúsculas esferas de Hill. 🙂

  3. Excelente!! 🙂

  1. […] Terra Média). Encélado (notícias, geysers). Mimas. Prometeus. Hiperião. Phoebe. Methone. Metone. Outras luas. Mais luas de Saturno. Grandes luas. Europa (características, exploração, lâminas […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.