Objectivo das viagens espaciais é fazer crop circles?

Quando pudermos viajar milhares de anos-luz, vamos até um planeta que tenha vida mais ou menos inteligente, façamos uns desenhos nas suas plantações, e vimos embora de volta à Terra. 😀

Este é somente um dos paradoxos irracionais da ideia extraterrestre por trás dos “crop circles” (desenhos, círculos, nas plantações).

24 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Aqui na Terra a gente chama isso de Vandalismo.

  2. E porque não? O desenho , a imagem, é a forma de comunicação universal!
    Seria uma maneira suave e muito bonita de dizer aos irmãos que nao estamos sós nesse universo imenso!
    Qual melhor maneira de chamar a atenção?

    1. Angela,

      Porque não?

      Porque não faz muito sentido a comunicação universal ser em imagens, se eles forem cegos…
      E muito menos faz sentido ser essa a comunicação universal, sabendo nós que grande parte da vida na Terra não utiliza essa forma de comunicação.
      E ainda menos sentido faz, se por acaso percebermos, como muitos de nós percebemos, o espectro electromagnético, e assim compreendemos que a radiação visível (que é o caso dos crop circles) é uma porção demasiado ínfima dessa radiação total: nós próprios, humanos, somos quase “cegos” em termos de radiação total. E se nós já sabemos isso, ETs que viajam entre planetas também o saberiam. Por isso não iriam utilizar uma forma tão burra/limitada de comunicar 😉

      Muito menos seriam infantis, voyeurs e creepy… dos tais que andam a espiar e de forma infantil a fazerem jogos com os “importantes humanos”…

      abraços! 😉

  3. Carlos, some piece of advice… DFTT

    1. Pois… Don´t Feed The Trolls 🙂

      Realmente não devia alimentar o troll… mas o problema é que ele até é meu amigo, mas infelizmente vem para aqui comportar-se desta forma… de troll… que, como qualquer troll, demonstra nada saber o que é ciência e mesmo assim quer convencer os outros que sabe mais que os cientistas… ele mostra-se como um pseudo puro… e o pior de tudo, é que por mais que eu lhe tente abrir os olhos, ele não consegue perceber que está a ser troll…

      enfim…

        • Cavalcanti on 13/06/2012 at 02:45

        “(…) mas o problema é que ele até é meu amigo (…)”

        Nada como um bom papo num bar ou restaurante, acompanhado de uma boa cervejinha e um ótimo tira-gosto, para minimizar as diferenças pessoais.

        😉

  4. Carlos, não sei qual é a parte do “não vou entrar em diálogo contigo” que não entendes. Se não queres perder tempo, não percas, segue em frente. Isso de estares permanentemente a dizer a todos que sou isto ou sou aquilo, até podes ter razão mas cada um tem o direito de pensar por si. Essa tentativa de influenciar a capacidade dos outros, de tanta insistência, torna-se contra-producente para os teus próprios argumentos.

    Se uso termos como hipótese, eventual, alegada, estou apenas a indicar possibilidades, não estou a afirmar certezas absolutas. O que digo é resultado de uma investigação séria que continua a decorrer e já demonstrou alguns resultados positivos expondo raciocíonios lógicos em CC’s como penso que serão aceites pela comunidade científica, vamos dar tempo ao tempo para ver se faz sentido ou não.

    Vou-te contar uma pequena história, ontem estava a jogar xadrez contra o computador no nível máximo (10) e até ganhei. Assim que dei Xeque-mate pensei, se estivesse aqui o Carlos diria que não, soltaria um grande LOOOOOLLLL, que aquilo não é nenhum Rei, que um Rei é uma pessoa e que uma peça não pode morrer porque não está viva e que… olha, desliguei o computador e fui dormir. Se não gostas, devias fazer o mesmo quando me lês.

    Abç!

    1. “Carlos, não sei qual é a parte do “não vou entrar em diálogo contigo” que não entendes.”

      Penso que TU é que não entendes o que TU próprio dizes.
      Porque acabaste de entrar em diálogo, quando disseste que NAO o ias fazer.

      “Isso de estares permanentemente a dizer a todos que sou isto ou sou aquilo, até podes ter razão mas cada um tem o direito de pensar por si.”

      Cada qual pode procurar nos comentários anteriores dentro dos mesmos (e de outros) temas, e vê que tu só falas de uma coisa e sempre com os mesmos argumentos falaciosos. Sempre.
      É óbvio que as pessoas devem ter noção disso. Ou agora deve-se acreditar no Hitler quando ele diz que quer ser bonzinho após invadir o resto dos países? A história não é importante?
      (e nota que não estou a dizer que és um Hitler, só estou a dizer que a história da pessoa, que faz sempre o mesmo, é importante.)

      “Se uso termos como hipótese, eventual, alegada, estou apenas a indicar possibilidades, não estou a afirmar certezas absolutas.”

      O problema é NÃO ENTENDERES que possibilidades é coisa dos PSEUDOS, quando a ciencia baseia-se em PROBABILIDADES.
      já te expliquei isso no passado, e já escrevi posts a explicar isso, como aqui:
      http://www.astropt.org/2011/12/13/extraterrestres-antigos/
      Mas tu CONTINUAS sempre a pensar de forma pseudo… e queres convencer as pessoas que estás a utilizar o método científico: não estás!

      “O que digo é resultado de uma investigação séria que continua a decorrer e já demonstrou alguns resultados positivos expondo raciocíonios lógicos em CC’s como penso que serão aceites pela comunidade científica, vamos dar tempo ao tempo para ver se faz sentido ou não.”

      Como já te expliquei dezenas de vezes, isto é MENTIRA.
      Não há quaisquer resultados positivos. Só existem PARA TI. Mas para ninguém que use pensamento lógico, científico, racional.

      Quanto à frase final, já expliquei num comentário anterior que é puramente conversa PSEUDO, mas tu mais uma vez não entendes.

      E como os cientistas pensam da forma que eu penso, também não lhes vais dar ouvidos, e vais depois para a internet criar sites a dizer que andas a ser persguido pelos cientistas, e que eles não querem saber das tuas investigações, etc.
      Enfim… vais continuar a seguir o caminho PSEUDO de NADA entender, porque NADA quer aprender.

      “Vou-te contar uma pequena história”

      Sabes, devias estar a ver-te ao espelho quando escreveste esta história.
      Por que, como qualquer pessoa pode comprovar, olha para as evidências concretas! Logo, se era cheque-mate, então esse era o resultado. A evidência estava lá.
      TU, pelo contrário, achas que podes criar cenários na tua cabeça sem qualquer prova do que dizes. Logo, TU sim, rejeitarias que aquilo era cheque-mate, e continurias a dar argumentos que afinal a internet e aquele jogo de xadrez foi feitos por inteligências extraterrestres (para ti, a explicação à-vista de todos para a existencia de jogos de computador, não te serviria).

      “desliguei o computador e fui dormir. Se não gostas, devias fazer o mesmo quando me lês.”

      Precisamente o que já devias ter feito há muito tempo.
      Se não queres saber de pensamento racional, não deverias vir a esta casa ler o que por aqui se escreve.
      Afinal, já se percebeu que não queres aprender o que é pensamento científico.
      Assim, devias te concentrar na tua seita religiosa que vê extraterrestres em coisas facilmente explicadas pelo conhecimento humano.

      abraços

  5. Marco,
    Realmente não esperava uma reposta ponto por ponto ao meu post.
    Obviamente os crop circles são o que são, uma brincadeira engenhosa. Isso já está mais que esclarecido, até pelos dois brincalhões que iniciaram este embuste.

    Eu serei o primeiro a reconhecer que algo é obra de uma civilização alienígena. Mas apenas quando o fenómeno for devidamente estudado e se não houver qualquer explicação natural ou se não houver qualquer possibilidade outra explicação mais plausível. Neste caso, não há dúvidas: se nós, seres humanos somos capazes de os fazer, porque razão iríamos atribuí-los a seres alienígenas?

    Não vamos insultar a inteligência de possíveis seres alienígenas. Sinceramente espero que alguém capaz de viagens interplanetárias seja no mínimo tão inteligente como eu.

    Já me faz lembrar as pessoas que acreditam em divindades omnipotentes e omnipresentes mas que depois, ao exemplificarem as suas ações, os seus atributos e os modelos de sociedade que eles tentam implementar, apenas mostram que as divindades em que acreditam são de facto muito limitadas e enfermam dos piores defeitos da humanidade (são caprichosos, vaidosos, querem ser adorados, etc).

    Vamos esperar que as divindades sejam superiores a nós e que os alienígenas capazes de cá chegar são, no mínimo, tão inteligentes como nós.

    1. Novamente, 100% de acordo.

      Há cerca de 2500 anos atrás, já Xenophanes escrevia que se as vacas tivessem deuses, os deuses seriam imaginados como vacas.
      O mesmo se passa para os “extraterrestres” especulados com pouca imaginação.

      Infelizmente, 2500 anos depois, há quem continue a cometer os mesmos erros… 🙁

    2. Caro Rui, hoje já é tarde mas deixo-lhe apenas estes dois excertos do seu texto para meditar:

      “Isso já está mais que esclarecido” e “quando o fenómeno for devidamente estudado”.

      Abç e falamos noutro dia que aqui já são quase 2h da manhã.

  6. Epá Carlos, isso já cheira a provocação 😛

    Tenta colocar a hipótese de não terem necessariamente de viajar até aqui visto que podem possuir tecnologia que lhes permita fazê-lo sem levantar o rabo do sofá, isto crendo que têm sofá… ou rabo!

    Tenta colocar a hipótese que uma vez descoberta vida neste planeta queiram saber se por cá existe vida inteligente. E o que seria considerado vida inteligente num universo onde poderão (ou não) coexistir incontáveis formas de vida? Qual seria o padrão? É óbvio que teria de ser universal, com regras iguais e ao alcance de todos.

    Regras como a matemática que não podendo ser demonstradas por uma qualquer fórmula baseada numa convenção de homenagem terrena aos gregos, se visse forçada a utilizar outros símbolos, um nadinha mais universais.

    E que símbolos seriam esses? Que símbolos poderiam tomar a forma universal que pudessem ser reconhecidos por todas as civilizações? Na ausência de um lambda, de um phi ou de um omega a que poderiam recorrer os matemáticos et’s para demonstrar a sua capacidade de raciocínio universal e portanto de intelecto, de inteligência universal?

    A resposta é óbvia, às formas geométricas e às suas propriedades. Um círculo, um triângulo, um quadrado para dar apenas alguns exemplos são iguais aqui ou em Alfa de Centauro. A capacidade de o fazer, ou seja, de utilizar as suas propriedades matemáticas e utilizá-las em proveito próprio para análises matemáticas abstractas são a melhor, senão a única, forma de demonstrar inteligência à luz de um eventual padrão universal.

    Os Crop Circles são a forma perfeita de o demonstrar, a falta de capacidade de os entender muito se deve às imitações baratas que vão surgindo um pouco por todo o lado. Assustados com a possibilidade de cair no rídiculo de não os saber distinguir, muitos cientistas preferem ridicularizar o tema em vez de dedicaram parte do seu tempo a os tentar compreender. Isto é perfeitamente entendível dado que a carreira de um cientista não se coaduna com andar atrás de homenzinhos verdes.

    Quem sobra para estudar o fenómeno?

    Pseudos de toda a espécie e feitio e um ou outro cientista amador mais sério (que não faça disso a sua profissão) ficando o conhecimento limitado aos avanços e recuos do seu tempo disponível.

    PS- não vou entrar em diálogo, o caminho está traçado e na altura certa falaremos 😛

    Abç!

    1. Marco,

      Claro, não viajam até cá, mas para ti fazem os desenhos por telepatia…
      O objectivo deles é “ludibriarem” os pobres humanóides (que, obviamente, são o centro da atenção desses ETs).
      Enfim, se dúvidas há do teu raciocínio pseudo para estes casos das mentiras dos crop circles, cada vez fica mais demonstrado.

      “Assustados com a possibilidade de cair no rídiculo de não os saber distinguir, muitos cientistas preferem ridicularizar o tema em vez de dedicaram parte do seu tempo a os tentar compreender. Isto é perfeitamente entendível dado que a carreira de um cientista não se coaduna com andar atrás de homenzinhos verdes.”

      Escreveste à verdadeiro pseudo (este teu argumento está em milhares de sítios na net, relacionados com todos os disparates possíveis, até podes fazer tu uma página a dizer o mesmo sobre o Pai Natal), que não entende que eles já estão explicados por cientistas, mas que vocês, tarados pseudos, é que querem arranjar fantasias extraordinárias.

      O quê? O Pai Natal não existe?? Claro que existe, que eu e os meus colegas pseudo já o vimos e temos relatos dessas observações por miúdos de todo o mundo.
      Assustados com a possibilidade de cair no rídiculo de não os saber distinguir, muitos cientistas preferem ridicularizar o tema em vez de dedicaram parte do seu tempo a tentar compreender. Isto é perfeitamente entendível dado que a carreira de um cientista não se coaduna com andar atrás do Pai Natal..
      LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

      Queres fazer o mesmo para a caça aos gambuzinos???
      Ora tenta lá 😛

      Mas enfim… já te disse isto várias vezes… já perdi imenso tempo contigo, e tu continuas fechado, sem nada entender, nem sequer queres aprender… e por isso continuas a cometer os mesmos erros de sempre. Enfim…

      Quanto às formas geométricas, são fáceis de explicar: são feitas por Humanos que as conhecem. Tens formas geométricas e relações matemáticas em tudo que é feito pelos Humanos. Mas enfim… isso é uma explicação que para ti é “demasiado simples”.
      Já te disse isto dezenas de vezes! Até já te comparei com as pirâmides, que tu fazes o mesmo que os tarados pseudos que dizem que elas foram feitas pelos ETs. Os teus argumentos são IGUAIS aos deles. Mas tu não percebes. Não queres aprender. E continuas obcecado com fantasias.

      Não vou alimentar mais o teu trollismo.

      Parabéns por mais uma vez demonstrares a tua imagem pseudo nesta tua argumentação.
      E depois queres ser levado a sério??? LOLLLL só se fôr para gozar…

        • Jaculina on 12/06/2012 at 20:32

        Soube por um cientista da NASA que um rito de passagem à idade adulta na Federação Galáctica consiste em enfiar-se numa nave e ir fazer uns desenhos em planetas muito distantes sem ser detectado pela Patrulha Interestelar.
        Escusa de pedir provas sobre as minhas afirmações pois isto ainda é matéria classificada.

      1. LOL 😛

    2. «Tenta colocar a hipótese que uma vez descoberta vida neste planeta queiram saber se por cá existe vida inteligente. E o que seria considerado vida inteligente num universo onde poderão (ou não) coexistir incontáveis formas de vida? Qual seria o padrão? É óbvio que teria de ser universal, com regras iguais e ao alcance de todos.»

      Marco, este argumento até é interessante. Mas tem várias falhas.
      Apenas para esta discussão, vamos admitir que haveria uma civilização alienígena que depois de descobrir que este planeta é habitado, pretende saber se alguma das espécies que habitam a Terra é inteligente. Para tal, fazem aparecer figuras geométricas em campos de cereais, na esperança de que alguém os reconheça como padrões não naturais.

      1ª falha: Esses alienígenas… são eles próprios inteligentes? Se são e têm a tecnologia para se deslocarem cá ou para fazerem os padrões geométricos à distência, também constatam que neste planeta há uma espécie que, não apenas capaz de reconhecer padrões e figuras geométricas, mas também capaz de manipular materiais e alterar o meio em que se insere.

      2ª falha: Se esses seres são inteligentes e têm a intenção de obter uma resposta de quem eventualmente interprete os padrões que eles fazem, porquê fazer essas figuras geométricas em locais tão efémeros e pouco frequentados como são os campos de cereais?

      3ª falha: Se eles são mesmo inteligentes, não conseguem imaginar algo mais eficaz? Ou um local ou material mais duradouro para fazer as figuras geométricas?

      Conclusão: Se até eu consigo detectar várias falhas (sem me esforçar muito) nesse argumento, só posso concluir que os tais seres alienígenas não são lá muito inteligentes ou então que essa hipótese é falsa (para não dizer que não passa de um disparate).

      Carl Sagan, no livro “Contacto”, engendrou uma forma inteligente de uma civilização alienígena se dar a conhecer e obter uma resposta a confirmar esse conhecimento. Eu também tenho esperanças de que se um dia viermos a ter contacto com outras civilizações alienígenas, que eles sejam também inteligentes q.b. para não se limitarem a infantilidades e brincadeiras de adolescentes…

      1. E mais, se têm tal tecnologia que lhes permite fazer “bonecos” à distância…porquê só nos campo de cultivo? porque não em florestas e bosques? Ou prados?…ou no meio do Central Park?! Chamariam muito mais à atenção… :p

        • Marco Castro on 12/06/2012 at 18:53

        Caro Rui Costa, uma conversa construtiva terei todo o gosto em a ter, com o amigo Carlos só depois da avaliação independente feita por outros cientistas porque, caso contrário, não é producente.

        Quanto aos seus argumentos, ponto por ponto

        “1ª falha: Esses alienígenas… são eles próprios inteligentes? Se são e têm a tecnologia para se deslocarem cá ou para fazerem os padrões geométricos à distência, também constatam que neste planeta há uma espécie que, não apenas capaz de reconhecer padrões e figuras geométricas, mas também capaz de manipular materiais e alterar o meio em que se insere.”

        Antes de mais temos que entender que possíveis falhas no processo podem partir do que por nós é expectável e não do processo em si, esse, enquanto alvo de investigação, tem-se revelado perfeito.

        Mas quanto à 1ª falha. Começando pelo fim, neste planeta não há apenas uma espécie “capaz de manipular materiais e alterar o meio em que se insere”, existem várias à sua maneira e escala. Serão por isso inteligentes?

        A verdadeira questão aqui é estabelecer um padrão de inteligência, não terrestre mas universal. Como poderá uma espécie ser considerada inteligente à escala universal? Certamente não é pelas casas que constrói, os materiais que utiliza ou até mesmo pela capacidade de reconhecer figuras geométricas.

        O que a poderá distinguir então? Como reconheceríamos uma espécie como inteligente? A capacidade de raciocionar será certamente um requisito obrigatório mas de nada servirá essa capacidade se não a soubermos dar a conhecer. Para o fazermos correctamente, tem que ser possível a todos os seres inteligentes no universo a possibilidade de nos entender.

        Obviamente, por questões óbvias, não poderemos utilizar nada que seja exclusivamente terreno. As regras de uma eventual linguagem terão que ser iguais para todos e estar acima de qualquer civilização. É aí que entra a importância das figuras geométricas porque são universais. Não é uma questão de as reconhecer, é a habilidade em as saber utilizar em proveito próprio para poder exprimir um raciocínio lógico e abstracto.

        Fazendo um paralelismo, se você olhar para uma fórmula que desconhece, provavelmente vai entender que se trata de matemática. Reconhece alguns símbolos que são utilizados por convenção e talvez até algumas operações matemáticas, podendo não ter ideia de que fórmula se trata, se está certa ou se está errada.

        É a sua habilidade em reconhecer os símbolos por convenção que o habilita a poder racicionar sobre a análise matemática. Se não souber que se trata de símbolos matemáticos, jamais entenderia a sua lógica abstracta. Se nunca tivesse aprendido matemática e olhasse para eles provavelmente diria que era uns rabiscos ou uma qualquer forma de arte.

        “2ª falha: Se esses seres são inteligentes e têm a intenção de obter uma resposta de quem eventualmente interprete os padrões que eles fazem, porquê fazer essas figuras geométricas em locais tão efémeros e pouco frequentados como são os campos de cereais?”

        Mais uma vez a falha está na pergunta mas ainda bem que a faz. Se estamos à procura de vida inteligente num planeta, vamos à procura de eventuais sinais de inteligência, porque vida, essa, cobre todo o planeta.

        Que sinais de inteligência poderão ser esses? Sinais universais semelhantes aos utilizados por civilizações inteligentes. É tudo uma questão de lógica. Para procurarmos vida noutros planetas utilizamos referências da vida terrestre e bem pois é a única que conhecemos. Para outras civilizações procurarem vida inteligente no nosso planeta, é natural que concentrem os seus esforços onde encontrem sinais dessa inteligência. Uns procuram vida, outros inteligência mas o método é o mesmo. Uns utilizam o que conhecem sobre vida, outros o que conhecem sobre inteligência.

        Os locais efémeros (repare bem no egocentrismo da palavra) e pouco frequentados como os campos de cereais têm razão matemática de ser uma vez que por norma se encontram ao lado de estruturas que pela sua forma se assemelham combinações geométricas universais, poderá ver isso explicado na página “Crop Circles Research no Facebook”, detalharei essa questão futuramente em video.

        As restantes análises às falhas continuarei mais tarde que neste momento tenho que ir buscar a minha filha à escola.

        Abç.

      2. Sugiro ao Rui Costa que não se deixe cair nessa suposta “conversa construtiva”, porque essas são as “frases comuns” ditas por quem nada quer aprender.

        A verdade é que o Marco já discutiu este assunto aqui por diversas vezes, nunca aprende nada com o que lhe é dito, e cai na mesma porcaria de argumentos pseudos de sempre, mostrando-se como alguém que é similar aos malucos dos crop circles que dizem existir “energias” nesses círculos, aos malucos que dizem que as pirâmides têm que ser feitas por ETs devido à matemática lá existente, etc.

        A verdade é que o Marco nada mostra, a não ser matemática perfeitamente compreendida por qualquer miúdo humano de 7 anos.

        A verdade é que um dos argumentos do Marco é: “ahhh e tal, vai haver cientistas a avaliar-me”, Pois, como o Randi avalia centenas de tretas… e todas elas são mentira. O facto de ir avaliar amanhã um suposto “psíquico” não quer dizer que o que o psíquico diz seja verdade.
        Mas pronto, este é mais um argumento dos pseudos. Se os cientistas vão avaliar, acham que têm razão devido a isso; após avaliarem e darem como treta, já acham que os cientistas estão contra eles e continuam cegos nas suas tretas de sempre.

        Não vale a pena discutir.
        O ónus da prova está do lado do Marco, e como se tem visto em TODOS os argumentos, ele segue uma crença religiosa sem quaisquer evidências (a não ser as interpretações completamente irrracionais que ele inventa subjectivamente na cabeça dele, como fazem os pseudos das piramides – os argumentos dele são exactamente IGUAIS aos deles, como o argumento que agora utilizou por 2 vezes da “linguagem universal”).

        Por isso, Rui Costa, não vale a pena discutir com alguém que está totalmente obcecado com uma crença religiosa, sem qualquer evidência concreta.

        • Marco Castro on 12/06/2012 at 23:24

        Continuando e peço desculpa pela interrupção mas só agora consegui colocar a criança a dormir.

        —-

        (Antes, uma pequena nota aqui para ti Carlos, o Rui Costa terá certamente capacidade de análise per si, não necessitará por certo de um provedor que pense por ele. Creio ter deixado claro que a resposta era para ele que procurou uma via de diálogo construtivo e não para ti que o melhor que conseguiste foi menosprezar e ofender quem pensa diferente sobre este assunto. Por tudo isso e pelo que já falamos, novamente peço desculpa mas não vou entrar em diálogo contigo. E isto sem rancores, claro).

        De volta à resposta ao Rui Costa, espero ter ajudado no que diz respeito às falhas anteriores, estava um pouco pressionado pelo tempo e não sei se consegui ser explicito o suficiente mas terei todo o gosto em esclarecer novamente se necessitar. Prosseguindo:

        “3ª falha: Se eles são mesmo inteligentes, não conseguem imaginar algo mais eficaz? Ou um local ou material mais duradouro para fazer as figuras geométricas?”

        Eficaz a chamar a atenção? A passar a mensagem?

        Seja qual o sentido que quis dar à palavra não sei se imagino bem algo mais eficaz do que desenhos geométricos (até prova em contrário chamemos-lhe apenas assim) precisos e de grandes dimensões, que segundo inúmeras testemunhas aparecem de repente sem se vislumbrar ninguém ou ouvir um som, seja algo pouco eficaz. Pelo menos a chamar à atenção não são de certeza, caso contrário não estaríamos aqui a falar deles.

        Quanto à segunda parte da falha, a questão duradoira permite-me discordar. E digo-lhe porquê. Julgo ser uma atitude inteligente não infligir nada que seja duradoiro noutro planeta sob o risco de o contaminar ou pura e simplesmente de ser mal entendido. Ninguém gostaria de ver algo permanente e de que não se conseguisse livrar como um possível contacto, muitos entenderiam isso como uma ofensa e tentativa de impor algo.

        As colheitas são o local perfeito para a recepção de uma eventual comunicação sob vários pontos de vista.
        – Ecologicamente. Não danificam o planeta nem sequer maltratam as plantas pois estas não são mortas mas apenas modificadas as suas estruturas.
        – Socialmente. Não se destinam a uma elite social, nem sequer a uma única espécie. Destinam-se a quem quer que seja que tenha a inteligência de os entender pois estão disponíveis para todos os seres vivos que disponham dos meios para os poder analisar.
        – Intelectualmente. Apesar de serem públicos, o eventual conhecimento que deles se poderá extrair é protegido pela obrigatoriedade de um esforço intelectual colectivo que protege o conteúdo de cair em mãos individuais e até talvez, erradas.

        Repare, grande parte da matemática que aprendeu não foi em nada duradoiro, foi num simples quadro. Escrevia com giz e por fim usava um apagador, não deixou de aprender por isso.

        Sim, Sagan fê-lo de uma forma inteligente mas cometeu alguns erros, quiçá propositadamente para podermos entendê-lo melhor. Falo do sinal, obviamente. Não espere que um eventual contacto seja como pensamos que um dia poderá ser, a probabilidade de erro é enorme e quase de certeza que será diferente.

        Neste eventual contacto, nada foi pensado por mim, limitei-me a analisar os CC’s e a seguir a lógica das coisas.

        Abç.

        • Marco Castro on 12/06/2012 at 23:45

        Cara Diana Barbosa,

        Quanto a isto:

        “E mais, se têm tal tecnologia que lhes permite fazer “bonecos” à distância…porquê só nos campo de cultivo? porque não em florestas e bosques? Ou prados?…ou no meio do Central Park?! Chamariam muito mais à atenção… :p”

        A questão em si é egocêntrica, bastante parecida até com aquela pergunta de que se os ET’s existem porque não se apresentam e aterram na Casa Branca e já agora, digo eu, porque não em horário nobre e de preferência avisando as TV’s para uma cobertura televisiva perfeita?

        Resumindo, a menos que tenha sido irónica (espero que sim) trata-se de um disparate completo porque coloca o foco da questão sob o seu ponto de vista, em vez da realidade do fenómeno em si. Sugiro-lhe que leia a última resposta que dei ao Sr. Rui Costa e que acompanhe a página do Facebook Crop Circles Research.

        Cpts.

      3. Diana

        Eu recomendo que não entres na seita religiosa que ele indica…

        Por outro lado, as limitações das crenças dele não lhe permite ver que qualquer razão racional que os ETs tivessem para vir aqui comunicar connosco, então é porque estão centenas ou milhares de anos mais avançados que nós, e por isso saberiam comunicar connosco “à nossa medida” e não com desenhos acriançados em campos.
        Os únicos egocentricos aqui não és tu ou os ETs, mas aqueles que continuam a argumentar da mesma forma que os pseudos que dizem que as piramides foram feitas por ETs.

      4. É óbvio que o Rui Costa não é obrigado a saber que tu dás SEMPRE os mesmos argumentos dados pelos pseudos que dizem que as piramides foram feitas pelos ETs.
        Daí que foi-lhe facultada a informação que TU portas-te como um troll quando entras aqui de vez em quando, para defender sempre os mesmos absurdos, sempre com os mesmos argumentos totalmente pseudos, sem apresentar qualquer evidencia para o que dizes.
        E sim, o Rui tem direito a saber que TU nada aprendes com as respostas que te dão, mas estás sempre na mesma nota pseudo, obcecado por uma via religiosa e subjectiva que nada tem a ver com pensamento racional ou ciencia.
        O Rui tem direito a saber que tentar explicar-te as coisas e apontar-te os paradoxos e irracionalidade da tua posição, é uma PERDA DE TEMPO, porque tu nada aprendes.

        Isto não é ofender, é avaliar os teus argumentos.
        Isto não é menosprezar, mas são sim as palavras de quem já PERDEU HORAS a explicar e a dar conhecimento a alguém que NUNCA quis saber desse conhecimento ou dessas explicações para NADA.

        “Seja qual o sentido que quis dar à palavra não sei se imagino bem algo mais eficaz do que desenhos geométricos”

        LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
        mais um argumento dado pelos PSEUDOS que dizem que as piramides foram feitas por ETs.

        “Julgo ser uma atitude inteligente não infligir nada que seja duradoiro noutro planeta sob o risco de o contaminar”

        LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLL afinal já não contaminam as plantações. Até agora, “contaminavam”, no sentido de influenciarem.

        “muitos entenderiam isso como uma ofensa e tentativa de impor algo.”

        LOLLLLLLLLLLLLLLLL e no entanto, é o que dizem alguns agricultores que viram os seus campos influenciados pelos humanos criadores de desenhos nas plantações para gozar contigo e com os outros crentes.

        “As colheitas são o local perfeito para a recepção de uma eventual comunicação”

        LOLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
        mais um argumentos dos pseudos que defendem a criação extraterrestre das piramides…

        “limitei-me a analisar os CC’s e a seguir a lógica das coisas.”

        Sim, a lógica pseudo das coisas…

        Serias mais levado a sério se os teus argumentos não fossem usados pelos pseudos que defendem que as piramides foram feitas por extraterrestres.
        Mas, como se tem visto, tu tiras os argumentos a papel quimico deles… tu segues a mesma lógica pseudo, irracional, que eles.
        Evidencias? Nem vê-las. Só existe uma crença religiosa com argumentos pseudos…
        A falácia que utilizas mais é a de “explanation by scenario”, que já foi utilizada até por cientistas, com matemática e muita engenharia, por exemplo no célebre caso de “Marcianos com sede” há mais de 100 anos atrás.
        Na altura, eles não conseguiam ver que aquilo era uma mera crença baseada em argumentos pseudos, que estava totalmente errada, por mais engenharia e matemática e interpretações de observações que eles fizessem. Tu tens exactamente o MESMO problema.

        Mas, como de costume, já te disse isto várias vezes, mas tu NADA aprendes, e portas-te como um troll sempre a repetir os mesmos erros para fazer as pessoas perderem tempo!

      5. Sim fui irónica…mas não no sentido que mais lhe agradaria, Marco.
        :p

        Carlos, tranquilo.
        O Marco não apresenta um único argumento científico convincente.
        Não vou entrar em qualquer discussão absurda.

  1. […] de Arganil. Brasileiro. Crenças. Psicologia. Diz que Disse. Crop Circles (falsidade, significado, irracionalidade). Peixe-balão. Desenho Misterioso (resolução). Buraco no quintal. Confusões. Álbuns. […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.