Prometheus vs. Tyson

Como podem ler neste post, fui ver o filme Prometheus e já dei a minha opinião sobre ele.
Quem também foi ver o filme foi o famoso Neil deGrasse Tyson, e enviou alguns tweets sobre ele:

O tweet que mais tem chamado à atenção, é este:

Ou seja, apesar de no filme se mostrar que a nave Prometheus está a 35 anos-luz da Terra, a personagem da Charlize comete o erro de dizer que eles estão a 500 milhões de milhas da Terra, como se isso fosse muito longe! – Júpiter está em média a 480 milhões de milhas da Terra, por isso Prometheus estaria logo a seguir, ou seja, estaria dentro do Sistema Solar e muito perto da Terra.
Na verdade, 35 anos-luz corresponde a cerca de 205 triliões de milhas (pelo sistema americano).

O Stephen Colbert, no seu estilo, criticou ontem os tweets do Tyson 😛

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Só hoje vi o filme. Já tinha lido os vossos comentários, portanto já tinha algumas ‘pistas’. E muito sinceramente: Gostei.
    Compreendo as criticas, para quem não está dentro do ‘universo’ Alien não é fácil de entender todos os pormenores, e para quem está dentro do ‘universo’ Alien a ‘receita’ (a maneira como é apresentado) do Prometheus, é bastante diferente…
    Com o Damon Lindelof na ‘equipa’ já seria de esperar que tudo isto seria muito mistico (pessoalmente ainda não lhe perdoei o final do Lost!!!), algo que a saga Alien não tem, nem queria ter…
    Creio que a ‘solução’ é olhar para o Prometheus como um ‘produto’ novo, diferente… que ‘quase sem querer’ tem uma ligação ao Alien!!!

    Não tive respostas para tudo, nem estava à espera, mas entendi algumas coisas:

    A questão de ser ou não uma prequela parece-me ‘fácil’. O ‘modelo’ do Alien incluia a claustrofobia, o ‘mano-a-mano’, a contagem decrescente, não tinha qualquer ambição para explicar as origens da vida, etc. etc… Este filme, partilhando o mesmo ‘universo’, tem uma estrutura completamente diferente…
    Aliás se tudo correr bem – com os financiamentos – vamos ter provavelmente mais dois filmes, sendo que a saga terá a Shaw como protagonista, e os porquê da origem e do fim da vida na Terra…!!!
    O trajecto do ‘alien nascido’ no final do filme, até à chegada de Ripley e amigos a LV-426, será muito provavelmente ‘esquecido’!!! Até porque o ‘alien’, já está ‘parecido’!!!
    A saga Prometheus vai seguir um ‘caminho’ novo…
    A melhor definição do Prometheus poderá ser um Spin-Off que cronologicamente andou para trás(!!!) e não uma simples prequela…

    Concordo com quase todos os pontos da Maria João Pratt no post anterior.
    (5) – A questão da tecnologia mais avançada, é um problema ‘antigo’. No Star Trek: Enterprise (última série TV) tiveram o mesmo ‘problema’: com produções com mais de 30 anos de diferença, é natural que as concepções futurísticas alterem-se…
    Aliás um ponto interesante de discussão é comparar aquilo que era considerado futurista em 1979 e aquilo que hoje, é considerado futurista…!!!
    E não nos podemos esquecer que o ‘patrão’ da Companhia e a sua filha faziam parte da tripulação do Prometheus, sendo assim, é mais fácil ‘andar’ com tecnologia de ponta… Hoje nas estradas do Mundo temos Ferrari’s novinhos em folha, e carroças de tracção animal nas mesmas estradas…!!!

    (12) – Sempre tive como garantido que no Alien, o Ash e a WY sabiam da existência do ‘alien’, e por isso desviaram a rota do Nostromo.

    (17) – Também é óbvio que o Prometheus é um filme, e não um Documentário Cientifico…
    Penso que ‘cientificamente’ a grande pergunta será: o que é a ‘matéria negra’?!!!
    Recordo que a utilização deste tipo de ‘matéria negra’ não é novidade nas histórias de Sci-Fi, inclusive no Star Trek: The Next Generation: a morte da Lt. Tasha Yar !!!

    Discordo da ‘tabela’ do Carlos Oliveira(!!!):
    Alien
    Aliens 2
    Aliens 3
    Prometheus
    AVP 1
    Aliens 4
    AVP 2

    Abraços

    1. Adorei esta parte:

      “Penso que ‘cientificamente’ a grande pergunta será: o que é a ‘matéria negra’?!!!
      Recordo que a utilização deste tipo de ‘matéria negra’ não é novidade nas histórias de Sci-Fi, inclusive no Star Trek: The Next Generation: a morte da Lt. Tasha Yar !!!”

      😉

        • abidos on 13/06/2012 at 11:59

        Sabendo que o Lindelof é um Trekkie assumido, que produziu o último Star Trek , que está a produzir e a escrever o próximo Star Trek, não me parece coincidência o aparecimento da ‘matéria negra’, que para qualquer Trekkie – mesmo ‘deslavado’ -, é dos momentos marcantes do The Next Generation…

        Abraços

      1. O que mais gostei no episódio de TNG foi que é uma morte sem significado especial. Aconteceu simplesmente. Não teve que ter uma razão grandiosa 😉
        Ou seja, foi muito mais real, que grande parte das mortes “importantes” na FC 😉

    • Ricardo Correia on 12/06/2012 at 21:59
    • Responder

    Pois é… Nunca peças indicações e direcções a uma mulher, ela manda-te para Jupiter.
    PS- Se a minha mulher lê isto, durmo lá fora 🙁

    • Cristina Guimarães on 12/06/2012 at 21:55
    • Responder

    Olá,
    Ainda não tive oportunidade de assistir ao filme Prometheus,
    Se continuar a insistir que de facto é assim tão mau, às tantas vou perder a vontade de o ver! 🙂
    Pelo que conheço do Ridley Scott é apenas um realizador de cinema que tem a capacidade de me fazer sonhar.
    Um abraço
    .

  2. Estás a ver? Estás a ver? Foi o único erro que o Tyson encontrou. Ora toma! 😛 😛 😛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.