Rigil Kentaurus, por que te chamam assim?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ao lado do Cruzeiro do Sul (a leste) encontramos duas estrelas de brilho notável que parecem tomar conta da menor das constelações. Não é à toa que ambas são chamadas de Guardiãs ou Guardas do Cruzeiro em países de linguas portuguesa e espanhola, e Apontadoras ou Indicadoras (Pointers) no países de lingua inglesa.

A mais brilhante delas, a terceira de todo o céu, também é o sistema estelar mais próximo de nosso sistema planetário. Trata-se da famosa Alfa Centauri.

Entre os nomes dados a essa estrela, dois são mais usados: Rigil Kentaurus e Toliman.

Rigil Kentaurus. a mais comum, vem do árabe “Rijl al-Qantūris”, que quer dizer “Pé do Centauro”. A palavra Rigil podemos encontrar em outras constelações, como em Órion, por exemplo, sob uma grafia diferente indicando o pé daquele caçador. Há uma forma resumida de Rigil Kentaurus (Rigil Kent) que também é utilizada.

Outro nome que costumamos encontrar nos livros é Toliman. Sua origem é controversa.
Uma bem conhecida é que Toliman vem da palavra árabe “Al-Thalimain”, que significa “Avestruzes”. Até o momento não há registros históricos ou mitológicos árabes ou europeus fazendo qualquer associação da constelação do Centauro ou daquela região do céu com essa ave, mas para alguns povos indígenas da América do Sul as estrelas alfa e beta do Centauro representam dois ovos grandes que uma ema (animal similar ao avestruz) acabara de engolir. Talvez seja apenas coincidência.

Al-Thalimain, ou Thalimain, também é usado para designar as estrelas Iota e Lambda da constelação da Águia, mantendo o seu significado original (avestruzes).

Alguns estudiosos de etimologia sustentam que a Toliman teria origem da palavra árabe “al-Zulmān”, que também significa avestruz. Outros já defendem que Toliman vem do Hebreu, podendo significar “aqui, antes e daqui em diante”, de origem bíblica, ou simplesmente “broto da vinha”.

Outro nome também utilizado para indicar a alfa do Centauro é Bungula, provável derivação de Ungula, que em latim quer dizer “casco” ou “unha”, associado ao pé do Centauro.

Seja qual for o nome utilizado, devido à sua proximidade com o nosso Sol essa estrela tem sido bastante citada entre os difusores da Astronomia. Só deve então tomar cuidado com a maneira de pronunciar o nome da estrela se for optar em chamá-la conforme a nomenclatura criada por Bayer no século XVII.

É incorreto chamar a estrela  de “Alfa Centauro”. A forma correta é Alfa Centauri (com I no final) , com o genitivo da constelação sendo utilizado junto à letra grega. Como no latim o genitivo serve para indicar posse, a tradução de Alfa Centauri fica então “Alfa do Centauro”.

2 comentários

  1. vlw flw

    1. vlw

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.