4 de Julho de 2012 – Um dia histórico!

Foi na conferência do CERN da manhã de 4 de Julho que tudo ficou esclarecido: foi detectada uma nova partícula subatómica que é provavelmente o bosão de Higgs, teorizado há mais de 50 anos pelo físico Peter Higgs.

Este anúncio foi histórico em muitos aspectos, não só pela importância da descoberta, mas também pelo modo como essa descoberta foi comunicada ao mundo. Via live streaming, pessoas de todo o mundo assistiram em directo às duas conferências onde foram comunicados os resultados das duas principais experiências de busca da “partícula maldita”.

E faz sentido que assim fosse: o CERN é fruto da colaboração de muitos países  e de cientistas de todo o mundo. Esta descoberta pode abrir portas a uma nova física e, portanto, a expectativa era geral!

Se hoje entrarem na página do CERN, encontrarão a seguinte mensagem:

“Higgs within reach: Our understanding of the universe is about to change…”

[O Higgs está ao alcance: a nossa compreensão do universo está a ponto de mudar…]

Montagem da experiência ATLAS – uma das que contribuiu para a descoberta (Crédito: Frank Hommes)

 

Como não sou física, não me vou alargar com os detalhes porque não quero dizer nenhuma asneira e muitos e bons posts já foram aqui publicados (como este e este). Em alternativa, deixo antes alguns relatos feitos no próprio dia, com diferentes perspectivas.

 

Nesta notícia da BBC, está o vídeo da parte final da conferência, com o director do CERN, Rolf Heuer a fazer um sumário daquilo que podemos concluir neste momento:

Último diapositivo mostrado por Rolf Heuer na conferência do CERN a 4 de Julho de 2012

Resumindo:

  • Este foi um esforço global que tem agora um sucesso global!
  • Os resultados hoje apresentados só foram possíveis graças à performance dos aceleradores de partículas, às experiências montadas e à capacidade de computação.
  • As observações feitas são consistentes com um bosão de Higgs…mas qual?
  • Este é um marco histórico, mas é também apenas o começo!
  • No futuro, haverá implicações globais desta descoberta!

Brian Cox (crédito: Bob Lee)

Muito interessante e esclarecedora é esta outra notícia da BBC que inclui uma entrevista a um emocionado Brian Cox, físico de partículas e famoso comunicador, que consegue transmitir a emoção que muitos físicos estavam a sentir e explicar a importância desta descoberta. Brian Cox classifica esta descoberta como sendo “uma das maiores descobertas científicas de todos os tempos”, “uma das bases fundamentais para a nossa compreensão de como TUDO funciona no Universo”. A certa altura o jornalista pergunta-lhe. “Então agora que os cientistas provaram a sua existência, para que é que serve, o que é que fazemos com esse conhecimento?”

Vale a pena ouvir a resposta!

 

 

Neste texto, o físico teórico Lawrence Krauss faz também um relato da descoberta anunciada e eu realço o seguinte trecho, referente à cautela revelada pelos cientistas do CERN em não declararem taxativamente que esta é a partícula exacta que Peter Higgs previu:

 

“This cautious approach is actually a good thing, because it leaves open the possibility that the particle being observed is not exactly the simple Higgs particle of the standard model. Instead, it may point the way toward understanding whatever new physics underlies the standard model — and perhaps explain outstanding mysteries from the question of why the universe is made of matter and not antimatter, to whether our universe is unique.”

[Na verdade, esta aproximação cautelosa é boa, porque deixa em aberto a possibilidade da partícula observada não ser exactamente a partícula de Higgs prevista pelo Modelo Standard. Em vez disso, pode apontar para a compreensão de uma nova física por trás do Modelo Standard — e talvez explique mistérios extraordinários, desde a questão de porque é que o universo é feito de matéria e não anti-matéria, até à de se o nosso universo é ou não único.]

 

A aproximação feita pela jornalista Ana Gerschenfeld no jornal Público é também muito interessante. Vejam o vídeo no final da notícia para uma curiosa analogia entre o bosão de Higgs e o jornalismo!

Obrigatória é também a leitura deste delicioso texto do Marco Santos. O Marco, com a sua paixão pela ciência e o imenso talento de escrita, consegue com uma linguagem simples e de um modo extremamente divertido, fazer aquilo que eu gostaria de ter feito neste post.

Deixo para o fim um pequeno pormenor, mas que creio ser importante referir uma vez mais, em jeito de esclarecimento, uma vez mais. Porque é que os meios de comunicação social falam sempre na “partícula de Deus” quando se referem ao bosão de Higgs? Não foi Peter Higgs quem usou essa designação e no meio científico ninguém gosta dessa expressão, mais que nada porque induz em equívoco. O bosão de Higgs nada tem a ver com religião! De onde veio, então? A expressão surgiu pela primeira vez no título de um livro do físico Leon Lederman, que era suposto chamar-se The Goddamn Particle (A Partícula Maldita), mas acabou por sair à luz com o título The God Particle: If the Universe Is the Answer, What Is the Question? Quem fez a alteração foi o editor, sem autorização do autor, por achar que “maldita” podia ser uma palavra ofensiva. Estava o caldo entornado! A imprensa pegou na deixa e até hoje usa essa maldita expressão!

2 comentários

2 pings

  1. vou esperar pela reacção do sheldon

    1. Oh…essa vai demorar algum tempo mais! 😉

  1. […] Da Teoria à Descoberta. Poster. Partícula. Vídeos. Jogo Bosemon. Bosão de Higgs: descoberta, resultados, sumário, explicação, compreender, escolha, concepções erradas, início, Sigma […]

  2. […] de Deus”, a partícula que se crê ter sido encontrada na Suíça. Esta descoberta veio afinal dar razão e confirmar as teorias dum homem que procurou entender o funcionamento do […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.