Ego vs. Eco

Falo bastante de geocentrismo psicológico neste blog.
500 anos após a “queda” do geocentrismo, psicologicamente os humanos continuam a pensar que são os seres mais importantes no Universo. Isso vê-se numa multitude coisas: crenças na astrologia, crenças num deus pequenino que nos põe no centro da atenção, crenças em psíquicos, crenças nas pseudociências, crenças nos memes astrobiológicos da ficção científica, crenças no SETI, crenças em… etc.

Já no passado falei sobre a diferença subtil mas extremamente importante que existe entre salvar-se o Homem ou salvar-se a Terra, e de como os movimentos ecológicos parecem não a compreender.
É a continuação do geocentrismo psicológico, de pensar-se que o Homem é sinónimo de Terra. Como que se o que fosse bom para nós fosse obviamente bom para todas as espécies à face da Terra. É colocar o Homem como a medida de todas as coisas. É colocar o Homem num papel central, de topo.
O mesmo se passa, por exemplo nas discussões sobre aquecimento global, como já o disse por aqui diversas vezes. Neste caso, o Homem tem que ser o ser mais importante, aquele que piores coisas faz. O Homem tem que ser o topo do problema. Novamente, é tudo uma questão de geocentrismo psicológico.

Como já tenho dito aqui por várias vezes, não concordo com esta ideologia.
Para mim, o Eco e o Ego são antagónicos. Só quando percebermos que fazemos parte da natureza (sem qualquer sentimento de superioridade ou especialidade em relação a ela) é que poderemos evoluir com ela. Até lá, continuaremos a assumir que “somos os maiores” sem nada aprender com quem coabita connosco esta nave espacial a que chamamos Terra.

5 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Renato Romão on 18/07/2012 at 22:23
    • Responder

    Em todo o post está implicito a premente necessidade de “toda” a sociedade perceber o antogonismo que o Carlos refere.
    Vou ao pormenor do esquema da pirâmide “EGO”, a mulher está representada a baixo do Homem.
    Sendo que neste aspecto a sociedade evoluio parcialmente, ainda existem muitas culturas em que esta evolução não se verifica. Quanto mais terem a capacidade de perceberem o “ECO” que o Carlos refere.
    Se o “multiplicador” da evolução tecnológica que verificamos de ano para ano, fosse proporcional à evolução da consciência humana, penso que hoje ainda não teriamos a água potável.
    O que é de realçar, é que existem pessoas com a preocupação e dedicação em alterar estas consciências.

    Parafraseando o Cavalcanti, “excelente artigo”.

  1. Excelente artigo!

    • Dinis Ribeiro on 18/07/2012 at 06:28
    • Responder

    Concordo que a ideia do homem no “centro do universo” é muito discutível, e sobretudo muito limitada!

    Talvez ainda venhamos a assistir a uma mudança de ideias tão grande como a que Copérnico induziu… Mas como Darwin fez, é necessário que existam provas sólidas!

    Por (demasiadas?) vezes, quando se fala da exploração espacial como uma coroa de glória, prova da grandeza do espírito humano, ou a “cereja no topo do bolo” das realizações humanas, (como no belo poema do António Gedeão: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedra_Filosofal_(poema) “Desembarque em foguetão, na superfície lunar”, “Eles nem sabem nem sonham, que o sonho comanda a vida”) ao sonhar com as viagens espaciais, nem sonhávamos que pode haver um outro “caminho subaquático” para o espaço que até poderá não passar (necessariamente) por nós…

    Poderão surgir novas formas de vida na terra que (essas sim) irão mesmo colonizar (no sentido biológico) o resto do sistema solar… e tudo isto sem usar foguetões.

    Poderão surgir naturalmente, ou então serão desenhadas por equipas interdisciplinares, incluindo, (claro) astrobiólogos.

    Embora compreenda a ideia de que são (totalmente?) antagônicos, e que o “ego” e o “eco” poderão ser os extremos de duas visões do mundo, por outro lado pergunto-me, afinal o que o que é (no fundo) o ego?

    Uma possível visualização do EGO: http://en.wikipedia.org/wiki/Hand_with_Reflecting_Sphere

    Não será que o “ego” é também um ecossistema de ideias que para existirem, necessitam de ossos, sangue, neurotransmissores, água, mitocôndrias, neurônios, e descargas bio-eléctricas, entre muitos outros ingredientes…

    Um ser humano seria portanto um super-organismo, uma espécie de selva amazônica, as folhas das árvores são as suas células, etc…

    E que tipo de evolução simbiótica entre nós e a natureza é que poderá vir a ter lugar?

    Imaginemos o seguinte:

    Devido á industria “humana”, a toda a vida na terra e nos oceanos poderá vir sofrer de uma evolução ainda mais rápida do que esta: http://en.wikipedia.org/wiki/Cambrian_explosion

    E se a vida nos oceanos se modificar muito profundamente?
    http://www.forum-mergulho.com/index.php?/topic/20242-os-varios-jellyfish-ou-medusas-e-o-seu-aumento-a-nivel-global/

    E se as medusas desenvolverem inúmeras estruturas novas, semelhantes ás velas da famosa Caravela-Portuguesa? http://en.wikipedia.org/wiki/Portuguese_man_of_war ou http://pt.wikipedia.org/wiki/Caravela-portuguesa

    E se surgirem no “nosso” céu medusas super-inteligentes capazes de voar?
    a) http://en.wikipedia.org/wiki/The_Horror_of_the_Heights
    b) http://www.youtube.com/watch?v=1b8xwrLQZLk
    c) http://en.wikipedia.org/wiki/Atmospheric_beast

    E se essas medusas decidirem partir para o espaço, levando alguns seres humanos como recordação?

    Ver o filme de cerca de seis minutos: http://www.youtube.com/watch?v=ev6iWFWvsuI&feature=related

    The only italian short selected for the European Fantastic Shorts@ SCIENCE + FICTION Festival 2011.

    Special mention galp film festival sci- fi section Directed by Mario Orman- Borderline movies in collaboration with Gabriel Covacich- ApparatusGstudio.

    Nota: Hoje em dia, nós damos bananas aos outros primatas (menos evoluídos) que mantemos no jardim zoológico… e quando há guerras entre os humanos, muitos animais são forçados a migrar para longe das zonas destruídas…

    😉

    Nota final: Eu penso que se as coisas evoluírem nesse sentido, era mais simpático para nós visualizar uma simbiose mais deste tipo: http://slofdreams.blogspot.pt/2011/04/151-of-365-dark-moon.html ou então deste: http://medgadget.com/2006/05/the_premacare_n_1.html

  2. Interessante, parabéns pelo artigo.

    • Rui Gonçalves on 17/07/2012 at 22:18
    • Responder

    A propósito, e com uma grande vénia pelo blog “O……(”variável” e “inconstante”)…………COISO”….. que numa das suas recentes edições dava pelo nome de … O INCOMENSURÁVEL COISO … e como “referência”… inquiria?: – -“Sendo o homem a medida de todas as coisas, qual a distancia, em homens, de Lisboa ao Porto..? – (que me perdoe o autor se não estou a reproduzir corretamente o que foi escrito), mas em jeito de bom humor, parece-me pertinente referir a mesma e pertinente expressão usada neste bom post …“ É colocar o Homem como a medida de todas as coisas “.

    Carlos Oliveira, felicito-o por todo, bom e persistente trabalho que nos proporciona.
    Saudações astronómicas.

  1. […] 10 – Terra (tag): Planeta de Água ou não. Filme Home. Datas. Mapa. Continentes: passado e futuro. Deriva Continental. Ilha nasce. Lapónia. Reed Flute Cave. Idade. Períodos Geológicos. Zircão. Cratera Popigai com diamantes. Interior. Nuvens (Unicórnios Voadores). Atmosfera. Campo Magnético (aeroportos). Infografia. Earthshine. Citações e Fotos: Primeira, Earthrise, Noite, MESSENGER, Blue Marble, Berlinde Azul, Rosetta, MSG-3, Nascer da Terra, Mundo da janela (aqui). 2 luas (aqui). Quase-Luas. Afastamento. Periélio. Migração. Rotação abranda. Abrandar rotação. Parar de Girar. Gravidade no centro da Terra. Cair. Auroras (25 + 20 + 15 + 9 + premiada). Vídeo. “Chuva” verde. Cabra. Guerra. Para Além do Arco-Íris. Hverir. Falsas. Desastres: Eyjafjallajökull e vídeos. Maré Negra. Trovoada (aqui, aqui, aqui). Terramoto no Japão (dias mais curtos). Super-Tempestade no Texas. Relâmpago. Tornado de Fogo. Local mais frio. Porta do Inferno. Doggerland. Destino da Terra. Salvar a Terra (não é preciso). Ego vs. Eco. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.