Spitzer encontra pequeno exoplaneta, que deverá ser uma bola de fogo!

Até aos ano 90, desconhecia-se se haveria planetas a orbitar outras estrelas.
Actualmente, já sabemos que existem 777 planetas extrasolares. A maior parte deles são os chamados Júpiteres Quentes, planetas gigantes perto das estrelas. Mas cada vez mais se encontram planetas mais pequenos.

Esta 4ª feira foi anunciada mais uma descoberta (leiam na NASA e na Universidade da Flórida Central).
A equipa do Kevin Stevenson estava a estudar um exoplaneta como Neptuno (GJ 436b), quando se deram conta de indícios de um outro planeta nesse sistema. As provas estavam nos dados capturados pelo Spitzer.
O planeta agora descoberto ficou com o nome temporário de UCF-1.01
O novo planeta tem um diâmetro de 8.400 kms (a Terra tem quase 13.000 kms, por isso este novo planeta é menor que a Terra), o que o torna no mais pequeno exoplaneta tão próximo da Terra.

Mas não se pense que é um planeta como a Terra.
Este planeta está tão próximo da estrela (2,7 milhões kms de distância) que demora somente 1,4 dias a orbitar a estrela anã-vermelha Gliese (GJ) 436. Ou seja, 1 ano nesse planeta passa em cerca de 1 dia e meio!
Água no estado líquido é impossível neste planeta.
A proximidade à estrela faz com que o clima lá não seja nada ameno. A temperatura à superfície deverá ser um fresquinho 600ºC !!
Se no passado o planeta teve atmosfera, há muito tempo que ela já desapareceu (evaporou).
O planeta poderá parecer-se com lenha acesa. Ou talvez esteja completamente coberto de magma, com a superfície a parecer estar a derreter, quase como se fosse uma “bola de fogo”.

Para quem está a pensar passar férias lá, pelo bronzeado rápido que poderá apanhar, deixem-me dar mais uma informação: o planeta encontra-se a 33 anos-luz da Terra.

Mas a notícia não se fica por aqui: parece haver mais um planeta a orbitar a mesma estrela. Só que o planeta (UCF-1.02) deverá ser ainda mais pequeno (com cerca de 4.000 kms de diâmetro), o que é impossível de confirmar pelos métodos actuais. Certamente que “amanhã” teremos mais novidades…

4 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. 777 planetas… mesmo com todo o desafio e sorte que se precisa para achar um exoplaneta, aí estão eles, isso inevitavelmente faz pensar… A galáxia está repleta deles! 🙂
    Eu estava desinformado, achei que só o que havíamos conseguido ver de “terra à vista!” eram Super-Terras, esse Planeta menor aí é o quê será? um Super-Mercúrio ou uma Sub-Terra? 😀
    É fascinante esse safári na galáxia, tem muito, mas muito mesmo a descobrir. Esse planeta está tão próximo de sua estrela que deve ter rotação-translação síncronas, logo uma face ardente e outra inerte e sombria, ainda mais sem atmosfera para espalhar o calor da face diurna. Além disso, acho que deve sofrer tensões gravitacionais inimagináveis, assim como Io, a lua vulcânica de Júpiter. Só que nesse planeta a maré deve ser muito mais dramática que em Io, afinal não é um Júpiter e duas luas (Europa e Ganimedes) tensionando sua estrutura, é uma estrela e um planeta gigante da classe Netuno!
    Procurei pesquisar o porque estavam estudando esse Netuno Quente, GJ 436b: Ele parece ter mais gás carbônico do que Metano, por isso, ele desafia os modelos atuais de formação. Acredita-se que também tenha o chamado gelo quente – água em estado sólido mesmo a altíssimas temperaturas por causa da pressão e da gravidade. E pensar que estamos no começo da pesquisa de exoplanetas… haja banco pra tantos dados. 🙂

  2. E a vida? Nada! Homenzinhos verdes? Poxa 🙁

    1. Num planeta tão quente, os homenzinhos serão, certamente, castanhos (bem passados).

      1. Sim, então seriam homenzinhos marrons ou pretos hahhahahhahahha

  1. […] Kepler-62, Kepler-69. Kepler-78b (aqui). Kepler-90. Kepler-91b. KIC 12557548. KIC 8435766b. UCF-1.01. Diamante. 55 Cancri-e de diamante. Negro. Centro da Galáxia. Centro Galáctico. Outra Galáxia. […]

  2. […] Tempel 1, tem observado o cometa ISON, descobriu dezenas de anãs castanhas, descobriu dezenas de planetas extrasolares, descobriu galáxias distantes, fez uma contagem de estrelas em formação em nuvens próximas, viu […]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.