Descoberta de vida na Antártica prova que não há vida inteligente na TVI24?

Acampamento dos cientistas, em 2010, no Lago Vida, Antártica. Crédito: Emanuele Kuhn, Desert Research Institute.

O Lago Vida é um lago salgado que fica por debaixo dos gelos na Antártica. Na verdade, está separado da superfície por uma camada de gelo de 27 metros e é um dos mais frios ambientes aquáticos no mundo.
O lago tem características que o fazem nada apelativo para a vida: temperaturas bastante negativas (-13ºC), ambiente completamente escuro, bastante acidez, elevado azoto/nitrogénio, 6 vezes mais salgado que o normal (água do mar), constituição maioritariamente congelada, isolamento ao exterior do lago há mais de 3.000 anos, e não contém oxigénio.

No entanto, um grupo de cientistas da Universidade de Nevada conseguiu encontrar lá, pela primeira vez, extremófilos.
Neste caso, nestas condições extremas, foram encontradas imensas comunidades microbianas pertencentes a 8 grupos diferentes de microorganismos.

Peter Doran, um dos pesquisadores envolvidos, afirmou que “é impressionante que algum organismo viva em condições tão extremas de temperatura, falta de luminosidade e salinização”.

Christian Fritsen, um dos cientistas responsáveis pela descoberta, diz que é “plausível a existência de uma fonte de energia capaz de suportar o desenvolvimento dos micróbios, através da reacção química da água salgada anóxica, ou seja, sem oxigénio, e a rocha”.

Como diz a revista Veja: “Um dos questionamentos dos cientistas diz respeito à energia necessária para suportar a vida no lago. A camada de gelo impede a passagem de luz, o que descarta a existência de organismos que façam fotossíntese. Segundo os pesquisadores, as altas concentrações de hidrogênio e óxido de nitrogênio em forma gasosa provavelmente proporcionam a fonte de energia química para a existência deste ecossistema isolado. Estes gases se formam a partir de reações químicas da água muito salgada com rochas ricas em ferro.”

Ou seja, neste lago, como noutros lagos subterrâneos na Antártica (ex: Vostok) anda-se a fazer muita ciência, sobretudo a relacionada com vida em condições extremas na Terra.
Neste caso, foi realmente encontrada muita vida microbiana nessas condições inóspitas para a vida como a conhecemos à superfície.
Se a vida consegue sobreviver nestas condições extremas, é provável que, SE a vida existir noutros pontos do Universo, também se possa manter em condições que consideramos extremas. Claro que estamos sempre a falar de micróbios…
Neste caso específico, já que existe vida microbiana em lagos muito abaixo do gelo que os cobrem, então pode-se pensar que na lua Europa – uma lua de Júpiter com muita água abaixo de uma camada de gelo – também poderá existir vida microbiana, extremófila, a sobreviver por lá longe do Sol e dos nossos olhos. As condições poderão ser semelhantes.
Claro que para sabermos se existe ou não, temos de lá ir. Infelizmente, as missões para lá irem perfurar o gelo têm sido canceladas. Assim, só daqui por dezenas de anos poderemos ir para Europa aplicar as técnicas que utilizamos actualmente na Antártica, e descobrirmos lá vida… ou não.

Lago Vida. Crédito: Desert Research Institute.

A notícia está percebida?
Espero que sim.

Basicamente descobriu-se vida microbiana por baixo de muito gelo num lago na Antártica – que pertence ao planeta Terra.
NADA se descobriu sobre vida extraterrestre.

Então o porquê do título deste post?

Porque após a TVI24 nos ter brindado com uma reportagem disparatada sobre uma bactéria Marciana no Alentejo, agora essa mesma TVI24 volta à carga com mais este exemplo de péssimo jornalismo (e a redacção do jornal desportivo A Bola também resolveu divulgar esta mentira):

Pelos vistos, a falta de conhecimento patente em programas como a Casa dos Degredos, tem-se alastrado a várias outras facetas da TVI. Como se sabe, a ignorância é contagiante.
É uma pena que o sensacionalismo esteja acima da verdade, para a redacção da TVI24.
É uma pena que alguns “jornalistas” (entre aspas, porque de jornalismo, estes casos nada têm) prefiram divulgar estas mentiras, em vez das notícias tal qual elas são.
É uma pena que o jornalismo seja assim tratado pelos responsáveis da TVI/TVI24.

11 comentários

2 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. “Licenciatura em Astronomia, Ficção Científica e Comunicação Científica”? Vou ter de arranjar uma coisa dessas para mim, parece genial! haha

    1. Sim, é.

      E ensina-se pensamento crítico através dessas 3 vertentes… 😉

  2. Ainda sobre isto, leiam o artigo do jornalista e blogger, Marco Santos:
    http://www.bitaites.org/porreiro-pa/jornalismo-extremofilo/

    (…)
    Mas o que os ci­en­tis­tas des­co­bri­ram fo­ram mesmo pro­vas de vida ex­tra­ter­res­tre? Népia. Isso é ape­nas o tí­tulo da no­tí­cia — a mu­lher nua que diz: «lê-me».
    (…)
    Este e ou­tros exem­plos de ‘no­tí­cias’ fazem-me pen­sar que as con­di­ções em que se faz jor­na­lismo on­line es­tão cada vez mais pa­re­ci­das com as do Lago Vida: inós­pi­tas, sem oxi­gé­nio, som­brias e ge­la­das, uma terra de nin­guém onde só os ex­tre­mó­fi­los do Conhecimento ten­tam sobreviver.

    • A. Babo Garcia on 28/11/2012 at 23:25
    • Responder

    Caros, sabem que me registei no IOL apenas para colocar lá um pequeno comentário a esta “notícia” e até agora não apareceu.
    O comentário era um pouco irónico mas de modo algum ofensivo.

    Eles devem ter censura !!!

  3. Mas vamos supor que exista um planeta do tamanho de júpiter e este possua uma camada de gelo e água por baixo, como nestas condições da reportagem.

    Por ser um planeta gigantesco, a sua forma de vida macrobiana também não poderia ser grande em relação a nós? Por exemplo, um micróbio de 1cm para nós, em Júpiter seria pequeno..?!

    1. Diogo,

      Isso são analogias que não correspondem ao que se vê na natureza. Na Terra existem seres do tamanho de formigas e outros do tamanho de elefantes.
      Não interessa o tamanho do planeta para o tamanho desses seres.
      O que influi no tamanho parece ser a concentração de oxigénio na atmosfera – na Terra, quando havia mais oxigénio, os insectos, por exemplo, eram maiores.

      De qualquer modo, as analogias são falácias argumentativas.
      A analogia é uma falácia muito utilizada antigamente – por exemplo, quando se dizia que as montanhas na Lua eram maiores que na Terra, logo imaginava-se os Humanos na Lua como gigantes – mas que hoje já não faz tanto sentido usar porque esse padrão não se encontrou em lado nenhum (a não ser na mente humana, e na sua propensão para pensar no análogo).
      😉

      Já agora, os planetas do tamanho de Júpiter são gasosos. Nem superfície têm 😉

      abraços!

        • Diogo on 03/12/2012 at 11:15

        Muito obrigado Carlos.

        Abraços!

  4. A idiotice é tão grande que nem distingue o Oceano do Continente: Antártico é o mar, Antártica é o território. Então o Lagio Vida fica nos Vales secos de quê ? é Mar ou é Lago afinal?

    “A descoberta de micróbios nas águas salgadas e com temperaturas abaixo de zero do Antártico são, na opinião dos cientistas responsáveis, mais uma prova da existência de vida extraterrestre.

    Investigadores encontraram no Lago Vida, nos Vales Secos de McMurdo, Antártica, uma comunidade microbial que vive em ambiente escuro e a uma temperatura de 13 graus negativos”.

    O analfabetismo científico sobranceiro e pedante está a ficar perigosos.

    • Fernando Simões on 28/11/2012 at 17:52
    • Responder

    LOL, muito bom, isto é entretenimento puro. Eu diria que é serviço público de entretenimento.

  5. ahhhh a TVI24. Ainda o ano passado fizeram uma bonita notícia sobre betelgeuse http://www.tvi24.iol.pt/tecnologia/sol-sistema-solar–brad-carter–betelgeuse-tvi24/1228471-4069.html

    For the comic relief…

    1. Nem sabia dessa.

      Mais uma estupidez made in TVI24… enfim…

      Porque não procuram as informações sobre os assuntos? Essa não deveria ser a função do jornalista?
      http://www.astropt.org/2010/06/07/betelgeuse-supernova/

  1. […] Fjord Pass. Lago Vostok (características, falsos mistérios, vida, bactéria). Lago Whillans. Lago Vida. Bactéria de Arsénio: anúncio, descoberta, críticas, falha, wikileaks, negativo, prova, […]

  2. […] Abominável Homem das Neves en­con­tra­das em tu­fos de pelo que nin­guém ana­li­sou e da exis­tên­cia de ex­tra­ter­res­tres na Antártida a par­tir da mera ob­ser­va­ção de or­ga­nis­mos ex­tre­mó­fi­los. É um mundo […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.